daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy | DMCA | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Fóruns Brasileiros > Fóruns Gerais > Infraestrutura e Transporte > Infraestrutura e Transporte > Transporte Rodoviário



Global Announcement

As a general reminder, please respect others and respect copyrights. Go here to familiarize yourself with our posting policy.


Reply

 
Thread Tools Rating: Thread Rating: 3 votes, 5.00 average.
Old April 12th, 2012, 01:46 AM   #161
HRLR
Registered User
 
Join Date: Aug 2008
Location: São Paulo
Posts: 4,024

Quote:
Originally Posted by ghml View Post
Com relação às ferrovias: creio ser muito mais simples e barato duplicar uma rodovia existente do que começar uma ferrovia do zero, ainda mais sem a cultura de trens de passageiros que temos (falta know-how, estações, empresas, dinâmica, projetos, base de comparação, etc. etc.)
A construção de uma ferrovia não seria para passageiros.

Quando o Ferroanel estiver em operação - sabe-se lá quando - poderá sair dele uma ligação ferroviária até S. Sebastião.
HRLR no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
 
Old April 12th, 2012, 04:06 AM   #162
PHCastro
Registered User
 
PHCastro's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Location: Santo André - SP
Posts: 2,607
Likes (Received): 55

JULGAMENTO - PROPOSTA COMERCIAL

CC Nº 013/11 - PROC Nº 51.544/11. I - CLASSIFICAR as Propostas Comerciais apresentadas pelas licitantes, por lote, na seguinte ordem:

LOTE 1:

1º lugar - CONSÓRCIO ENCALSO - S.A PAULISTA, pelo preço global de R$ 279.097.048,96;
2º lugar - CONSÓRCIO LITORAL NORTE - DELTA CONSTRUÇÕES S.A e SOBRENCO ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA, pelo preço global de R$ 279.362.962,32;
3º lugar - CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO S/A, pelo preço global de R$ 288.094.394,96;
4º lugar - CONSÓRCIO CONSTRUTOR EQUIPAV-DM - EQUIPAV S/A PAVIMENTAÇÃO ENGENHARIA E COMÉRCIO e DM CONSTRUTORA DE OBRAS LTDA, pelo preço global de R$ 332.826.787,42;
5º lugar - CONSTRUCAP - HELENO & FONSECA (TAMOIOS), pelo preço global de R$ 332.997.290,42;
6º lugar - CONSÓRCIO DESENVOLVIMENTO LITORAL NORTE (CONSTRUTORA COWAN S.A / EIT - ENGENHARIA S.A), pelo preço global de R$ 339.081.888,08;
7º lugar - CONSÓRCIO TAMOIOS - CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT BRASIL S.A / SERVENG CIVILSAN S.A - EMPRESAS ASSOCIADAS DE ENGENHARIA, pelo preço global de R$ 363.365.833,16;
8º lugar - CONSÓRCIO FIDENS - TRATEX (FIDENS ENGENHARIA S.A/
TRATEX CONSTRUÇÕES E PARTICIPAÇÕES S.A., pelo preço global de R$
369.583.063,75;
9º lugar - A.R.G. LTDA, pelo preço global de R$ 390.844.381,14;
10º lugar - CONSÓRCIO CBM - VIA - CONSTRUTORA BARBOSA MELLO S.A / VIA ENGENHARIA S.A, pelo preço global de R$ 390.910.138,65;
11º lugar - CONSTRUTORA CR ALMEIDA S.A ENGENHARIA DE OBRAS, pelo preço global de R$ 392.938.773,37;
12º lugar - CONTERN CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA, pelo preço global de R$ 392.939.228,98;
13º lugar - MENDES JÚNIOR TRADING E ENGENHARIA S.A, pelo preço global de R$ 399.166.799,66;
14º lugar - CONSTRUTORA OAS LTDA, pelo preço global de R$ 399.983.330,14;
15º lugar - CONSTRAN S/A. CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO, pelo preço global de R$ 407.794.999,06;

LOTE 2:

1º lugar - CONSÓRCIO ENCALSO - S.A PAULISTA, pelo preço global de R$ 278.292.832,28;
2º lugar - CONSÓRCIO LITORAL NORTE - DELTA CONSTRUÇÕES S.A e SOBRENCO ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA,
pelo preço global de R$ 278.498.209,97;
3º lugar - CONSTRUTORA QUEIROZ
GALVÃO S/A, pelo preço global de R$ 293.938.541,94;
4º lugar - CONSÓRCIO
CONTER X SANCHES TRIPOLONI, pelo preço global de R$ 296.658.681,31;
5º lugar - GALVÃO ENGENHARIA S/A, pelo preço global de R$ 333.312.205,53;
6º lugar – CONSTRUCAP - HELENO & FONSECA (TAMOIOS), pelo preço global de R$ 344.894.008,51;
7º lugar - CONSÓRCIO DESENVOLVIMENTO LITORAL
NORTE (CONSTRUTORA COWAN S.A / EIT - ENGENHARIA S.A), pelo preço
global de R$ 349.693.567,97;
8º lugar - CONSÓRCIO TAMOIOS - CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT BRASIL S.A / SERVENG CIVILSAN S.A - EMPRESAS ASSOCIADAS DE ENGENHARIA, pelo preço global de R$ 371.348.505,25;
9º lugar - A.R.G. LTDA, pelo preço global de R$ 388.929.675,55;
10º lugar - CONSTRUTORA OAS LTDA, pelo preço global de R$ 398.593.260,00;
11º lugar - CONSTRAN S/A. CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO, pelo preço global de R$ 407.478.074,41.

II - CONCEDER o prazo de 05 (cinco) dias úteis para eventuais recursos, nos termos do art. 109, inciso I, alínea b, e art. 110, da Lei nº 8.666/93,
franqueando-se os autos do processo para vistas dos interessados a partir de
12/04/2012.
PHCastro no está en línea   Reply With Quote
Old April 12th, 2012, 06:35 AM   #163
luisotaviomc
Registered User
 
Join Date: May 2010
Posts: 293
Likes (Received): 0

Sem duvida seria muito mais interessante dos pontos de vista econômico e ambiental construir uma ferrovia com um grande terminal internodial na D. Pedro x Ayrton Senna/C. Pinto em jacarei

Assim restringe-se a área necessária em baixo, que e carente de espaço, além de evitar um acumulo de caminhões nessa área carente, com vias pequenas e que nao seria possível fazer muitas modificações, especialmente pelo centro histórico.

Passageiros seria um plus do sistema, que vale a pena ser pensado no âmbito dos trens regionais e media distancia em SP. Indo pela Ayrton senna acredito que nao de mais que 120 ou 130km do centro de SP.
luisotaviomc no está en línea   Reply With Quote
Old April 12th, 2012, 02:44 PM   #164
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 5,880
Likes (Received): 1222

Ferrovia na descida de Caraguá, só se for em cremalheira (ou talvez em maglev).
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old April 12th, 2012, 04:45 PM   #165
Positronn
Registered User
 
Positronn's Avatar
 
Join Date: Jan 2008
Location: Joinville / SC
Posts: 10,586
Likes (Received): 1343

Ferrovia de carga em maglev? Essa tecnologia já existe, ou já foi testada, ou mesmo, está sendo desenvolvida? Não ouvi falar sobre....
Positronn no está en línea   Reply With Quote
Old April 12th, 2012, 08:21 PM   #166
Coppede
Registered User
 
Coppede's Avatar
 
Join Date: Oct 2009
Posts: 233
Likes (Received): 62

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
Ferrovia na descida de Caraguá, só se for em cremalheira (ou talvez em maglev).
Na verdade, algumas décadas atrás, existia o projeto de ferrovia até o porto de SS (se não me falha a memória, seria uma ferrovia concedida), sem funicular ou cremalheira, por aderência, incrível, não é? E isso não é lenda não, é vero!
Coppede no está en línea   Reply With Quote
Old April 13th, 2012, 02:18 AM   #167
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 5,880
Likes (Received): 1222

Quote:
Originally Posted by Positronn View Post
Ferrovia de carga em maglev? Essa tecnologia já existe, ou já foi testada, ou mesmo, está sendo desenvolvida? Não ouvi falar sobre....
Existe, é a mesma tecnologia. O problema é que fica caro, só isso.
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old April 13th, 2012, 02:19 AM   #168
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 5,880
Likes (Received): 1222

Quote:
Originally Posted by Coppede View Post
Na verdade, algumas décadas atrás, existia o projeto de ferrovia até o porto de SS (se não me falha a memória, seria uma ferrovia concedida), sem funicular ou cremalheira, por aderência, incrível, não é? E isso não é lenda não, é vero!
Hm. Olha, não vou descrer, talvez seja possível (a Sorocabana chega a Santos, afinal). Mas existir um projeto e ele ser viável não são a mesma coisa - vide "hidroanel de São Paulo," do mesmo idealizador do giga porto de São Sebastião.
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old April 13th, 2012, 03:57 AM   #169
vitinhooo
Registered User
 
vitinhooo's Avatar
 
Join Date: May 2007
Location: Brasil
Posts: 4,290
Likes (Received): 771

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
Existe, é a mesma tecnologia. O problema é que fica caro, só isso.
Então não é "só"
__________________
.

"Para ser grande, sê inteiro: nada/ Teu exagera ou exclui./ Sê todo em cada coisa. Põe quanto és/ No mínimo que fazes./ Assim em cada lago a lua toda/ Brilha, porque alta vive." Fernando Pessoa (Ricardo Reis)
vitinhooo no está en línea   Reply With Quote
Old April 13th, 2012, 04:29 PM   #170
paulo lima
Luta para o Trem-Bala
 
paulo lima's Avatar
 
Join Date: Sep 2009
Location: Campinas-SP
Posts: 2,826
Likes (Received): 254

Só uma dúvida que ainda tenho sobre a Duplicaçao da Rod Tamoios:

Pelo que eu saiba junto com voçes, e que o Trecho da Tamios que vai ser Duplicado e o Trecho reto de Planalto, onde fica mais facil e menos desafiador para os Engenheiros desenhar e calcular o Projeto.

-Gostaria de saber (onde vejo que aqui ainda poucos comentam) se o Goveno ainda tem Planos para Duplicar outro trecho mais difícil, que passa pelas Serras e vai ate São Sebastião-SP, para Curto Prazo? Eu sei que esse Trecho vai demandar dinheiro, Projetos, muitos calculos e as obras demorarão ate anos.

-Gostaria de saber, se o Governo ainda tem Planos para esse ano ou ate ano que vem, publicar o Edital do Trecho das Serras?

-E se é verdade, que as obras do Trecho mais difícil, só vao ser iniciadas em 2015, para concluir só em 2019, eu ouvir falar que só em 2019 toda Tamoios estará 100% Duplicada entre Sao Jose dos Campos e Sao Sebastião, será isso mesmo?

-E o Trecho Planato, ouvir falar que vai ser iniciado só ano que vem, ou ate final desse ano, para ser Concluida em 2015 ou 2016, confirma isso mesmo?

Last edited by paulo lima; April 13th, 2012 at 04:36 PM.
paulo lima no está en línea   Reply With Quote
Old April 26th, 2012, 12:19 AM   #171
joao_silva_silva
Registered User
 
Join Date: Aug 2008
Posts: 257
Likes (Received): 42

A duplicação do trecho planalto será iniciada no dia 02/05, e pelo prazo contratual estará pronta em 12/2013.

O trecho de Serra e os Contornos devem ter o edital de PPP publicado no final desse ano. Recebimento das propostas e assinatura do contrato no 1º semestre de 2013, e obras no 2º semestre. Entrega no 2º semestre de 2016/1º semestre de 2017.
joao_silva_silva no está en línea   Reply With Quote
Old April 26th, 2012, 02:46 AM   #172
paulo lima
Luta para o Trem-Bala
 
paulo lima's Avatar
 
Join Date: Sep 2009
Location: Campinas-SP
Posts: 2,826
Likes (Received): 254

Quote:
Originally Posted by joao_silva_silva View Post
A duplicação do trecho planalto será iniciada no dia 02/05, e pelo prazo contratual estará pronta em 12/2013.

O trecho de Serra e os Contornos devem ter o edital de PPP publicado no final desse ano. Recebimento das propostas e assinatura do contrato no 1º semestre de 2013, e obras no 2º semestre. Entrega no 2º semestre de 2016/1º semestre de 2017.
Deixar eu ver se entendi:

O Trecho do Planalto, vai ser iniciado ainda neste ano(duvido), e o Prezo para ser Cumprido(duvido tambem, capaz de as obras atrasarem) é previsto para o fim de 2013 e inicío de 2014. Entao espero que o Trecho do Planalto (trecho nao tao difícil) seja mesmo inicido esse ano .

Agora o Trecho sobre as Montanhas, pode ser que as obras só sejam iniciadas só no final de 2013 ou inicio de 2014, para ser concluida ate mesmo em 2017, ou pode ser impossivel chegar nesse prazo, pode ser que só concluiram até meados de 2018 ou ate mesmo em 2020. Porque vai ser uma grande obra.

Abraços e obrigado
paulo lima no está en línea   Reply With Quote
Old April 26th, 2012, 03:17 AM   #173
joao_silva_silva
Registered User
 
Join Date: Aug 2008
Posts: 257
Likes (Received): 42

As obras do Planalto já terão ínicio semana que vem. O Governador assinou o contrato ontem e placas já estão sendo instaladas na via.

A Dersa/Artesp trabalha com um prazo menor ainda para o trecho de Serra, quer lançar a licitação esse ano, assinar o contrato e iniciar as obras no 1º Bimestre de 2013 e concluir tudo em 2015/2016.

Os prazos que eu falei antes são mais realistas.
joao_silva_silva no está en línea   Reply With Quote
Old April 26th, 2012, 05:20 AM   #174
jjuliob
Registered User
 
jjuliob's Avatar
 
Join Date: Jan 2012
Posts: 403
Likes (Received): 57

Alívio ao ver que a construtora do momento - Delta - ficou em segundo lugar na licitação para os dois lotes
jjuliob no está en línea   Reply With Quote
Old April 26th, 2012, 10:04 AM   #175
ghml
Registered User
 
Join Date: Dec 2009
Posts: 1,102
Likes (Received): 132

Quote:
Originally Posted by joao_silva_silva View Post
Os prazos que eu falei antes são mais realistas.
Eu diria até otimistas.
ghml no está en línea   Reply With Quote
Old April 26th, 2012, 03:00 PM   #176
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 5,880
Likes (Received): 1222

Quote:
Originally Posted by vitinhooo View Post
Então não é "só"
Claro, é inviável na prática. Mas tecnologicamente, não há diferença entre o Maglev de passageiros e o de carga, é só que passageiros são uma carga de alto valor agregado.
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old April 27th, 2012, 02:23 PM   #177
Rajude
Registered User
 
Join Date: Aug 2008
Posts: 2,469

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
A) O estado de SP não investe nada no Porto de Santos propriamente dito. Quem o faz são o governo federal e investidores privados. O último investimento estadual no acesso a Santos foi a Imigrantes - feito via concessionária, em 2002. O último investimento estadual direto, a hoje pista de subida, foi de 1974.

B) O porto de São Sebastião teria que ser todo feito em aterro, saindo tão caro quanto portos "offshore" em águas desabrigadas. O canal é ótimo para o que tem - terminal de petróleo - não para porto geral. Além disso, o acesso (com um anel metropolitano e vencendo a Serra do Mar com uma "nova imigrantes) sairia caríssimo. E competiria com o tráfego da Dutra/Ayrton Senna, além do rodoanel norte.

C) A concentração de cargas no porto de Santos, longe de beneficiar a capital, a entope de caminhões.

D) O porto de Angra é tão irrelevante quanto o de S. Sebastião, um pouco menos agora porque ao invés de sonhar com ampliações grandiosas resolveu se assumir como base de apoio da Petrobrás. O Rio tem, de verdade, dois portos. E os dois em baías de águas abrigadas profundas, coisa que SP só tem em S. Sebastião, e numa área de descida relativamente fácil do planalto, coisa que SP não tem. Num mundo de vantagens comparativas, não é necessário fazer tudo, nem interessante se pode-se fazer outra coisa melhor.

E) É impossível - não apenas para São Sebastião - competir com Santos mesmo no médio prazo.

Não apenas o governo do estado não está "ignorando S.Sebastião porque está fora da capital," como só tem o projeto de ampliação do porto por questões políticas. Se fosse vantajoso em termos de negócios e logística fazer essa ampliação, alguém já teria se proposto a fazê-lo em PPP ou subconcessão. O melhor para São Sebastião seria transformar o porto num estaleiro e base de apoio para a Bacia de Santos. Não tem estaleiro para embarcações de médio porte entre o Guarujá e Angra, e nessas cidades só tem um em cada (Ex-Verolme e Wilson Sons). Conheci um dono de empresa de navegação de Santos que mandou sua lancha quebrada para Niterói por rodovia para ser consertada. Um estaleiro em SS faturaria rios de dinheiro.
Não é o que diz o EIA-RIMA e os estudos de viabilidade do porto em boa parte.

O objetivo do porto de São Sebastião nunca foi competir diretamente com o porto de Santos no curto ou médio prazo, e sim servir como complementar para embarcações específicas, maiores, e mais recentemente para servir de suporte à Petrobras, e inclusive já foi construído em Caraguatatuba um centro para o processamento de gás oriundos de Mexilhão, e inclusive nas conversas realizadas entre o Estado e a Petrobras foi muito discutido a ampliação do porto e tamoios.

A vantagem do porto de São Sebastião em relação à Santos e diversos outros lugares consiste especialmente no calado. Enquanto em Santos ele não passa de 15 metros (17 com o aprofundamento), em São Sebastião chega a 25 metros, que permite receber supernavios, com os maiores calados do mundo, servindo de suporte ao porto de Santos, desde que sejam realizadas obras que viabilizem esse tipo de ação, aproveitando o calado existente.

Segue um pequeno trecho do EIA-EIMA que explica essa questão:
Neste contexto, o Porto de São Sebastião conta com posição privilegiada, pois assegura calado e área para fundeio e manobras de grandes navios, podendo ser porto distribuidor de cargas (transhipment), onde apenas os seus pátios são utilizados. A operação de transhipment consiste na transferência de carga de um navio, geralmente, de grande capacidade para menores, seja porque o primeiro não escala todos os portos, seja porque os portos menores não dispõem de profundidade ou condições operacionais adequadas. No Estado de São Paulo, nenhum outro local reúne tais facilidades.

A respeito do suporte à atividade offshore segue o pequeno trecho;
Além de seu posicionamento estratégico no contexto estadual, deve ser ressaltada a nova dinâmica que se vem imprimindo ao litoral paulista, com o desenvolvimento de novos campos de exploração de petróleo e gás, e conseqüente inserção dos municípios de São Sebastião e Caraguatatuba na cadeia produtiva dos mesmos. Além da recente operação de apoio às atividades offshore para o campo de Mexilhão, muitas outras demandas devem surgir, direta ou indiretamente relacionadas à indústria de petróleo e gás com implicações na operação do Porto de São Sebastião.

O EIA-RIMA afirma também que há potencial de que o porto se torne não somente um local com função de transhipment, suporte à navios maiores, e de suporte às atividades offshore, mas também um porto fundamental em âmbito Estadual e até Nacional tendo em vista a saturação de Santos no longo prazo e as melhorias logísticas no porto; ele também apresenta dados afirmando que, no caso de alguns produtos específicos, como Etanol, o porto de São Sebastião tem condições de ser mais competitivo do que Santos num relativo curto prazo, especialmente por conta do calado dos navios utilizados nesse tipo de produto, e justamente por isso já está em construção o alcoolduto Senador Canedo, que ligará boa parte do centro-oeste, interior de SP, passando pelo triângulo Mineiro, até o porto de São Sebastião, além de outras questões específicas.

A expansão do porto não foi feita anteriormente porque ela é condicionada à expansão da Tamoios e ao acesso ao porto, e isso também é esclarecido no EIA-RIMA (dentre outras questões). Seria inviável ampliar o porto, quer seja por parte do Estado ou iniciativa privada, antes de se fazer essa ampliação rodoviária, e ela não foi feita anteriormente pois o Estado não tinha recursos para fazê-lo, caso contrário teria feito. Inclusive o Estado já se manifestou afirmando que deverá fazer uma PPP para operar o porto de São Sebastião, uma vez que será viável com a duplicação da Tamoios.

Quanto aos investimentos no acesso ao porto por parte do Estado, foi realizada diversas obras poucos anos atrás, como eliminação de semáforos e ampliação de faixas na chegada às cidades, e se formos considerar o rodoanel, na verdade é um grande meio de facilitação de acesso ao porto. O Estado não investiu no porto de Santos e nem nas perimetrais porque o GF não deixou, já que inúmeras vezes o Estado solicitou a transferência da administração do porto. O Estado não pode investir em um bem que é de propriedade de outra esfera administrativa.

E a respeito do local para se realizar reparos de navios no Estado de São Paulo, a SP Portos esteve há alguns dias na FIESP, e falou sobre os investimentos em Santos, no complexo Bagres, que devem somar R$2 bilhões. Uma das questões que a companhia deve construir, em Santos, será um estaleiro para reparo naval.

O EIA-RIMA, para quem quiser:
http://www.portodesaosebastiao.com.b...a/EIA_CDSS.zip

Last edited by Rajude; April 27th, 2012 at 02:48 PM.
Rajude no está en línea   Reply With Quote
Old April 27th, 2012, 03:07 PM   #178
dinhojdal
Registered User
 
dinhojdal's Avatar
 
Join Date: Jun 2011
Location: São Paulo
Posts: 1,119
Likes (Received): 468

Quote:
Originally Posted by Rajude View Post
Não é o que diz o EIA-RIMA e os estudos de viabilidade do porto em boa parte.

O objetivo do porto de São Sebastião nunca foi competir diretamente com o porto de Santos no curto ou médio prazo, e sim servir como complementar para embarcações específicas, maiores, e mais recentemente para servir de suporte à Petrobras, e inclusive já foi construído em Caraguatatuba um centro para o processamento de gás oriundos de Mexilhão, e inclusive nas conversas realizadas entre o Estado e a Petrobras foi muito discutido a ampliação do porto e tamoios.

A vantagem do porto de São Sebastião em relação à Santos e diversos outros lugares consiste especialmente no calado. Enquanto em Santos ele não passa de 15 metros (17 com o aprofundamento), em São Sebastião chega a 25 metros, que permite receber supernavios, com os maiores calados do mundo, servindo de suporte ao porto de Santos, desde que sejam realizadas obras que viabilizem esse tipo de ação, aproveitando o calado existente.

Segue um pequeno trecho do EIA-EIMA que explica essa questão:
Neste contexto, o Porto de São Sebastião conta com posição privilegiada, pois assegura calado e área para fundeio e manobras de grandes navios, podendo ser porto distribuidor de cargas (transhipment), onde apenas os seus pátios são utilizados. A operação de transhipment consiste na transferência de carga de um navio, geralmente, de grande capacidade para menores, seja porque o primeiro não escala todos os portos, seja porque os portos menores não dispõem de profundidade ou condições operacionais adequadas. No Estado de São Paulo, nenhum outro local reúne tais facilidades.

A respeito do suporte à atividade offshore segue o pequeno trecho;
Além de seu posicionamento estratégico no contexto estadual, deve ser ressaltada a nova dinâmica que se vem imprimindo ao litoral paulista, com o desenvolvimento de novos campos de exploração de petróleo e gás, e conseqüente inserção dos municípios de São Sebastião e Caraguatatuba na cadeia produtiva dos mesmos. Além da recente operação de apoio às atividades offshore para o campo de Mexilhão, muitas outras demandas devem surgir, direta ou indiretamente relacionadas à indústria de petróleo e gás com implicações na operação do Porto de São Sebastião.

O EIA-RIMA afirma também que há potencial de que o porto se torne não somente um local com função de transhipment, suporte à navios maiores, e de suporte às atividades offshore, mas também um porto fundamental em âmbito Estadual e até Nacional tendo em vista a saturação de Santos no longo prazo e as melhorias logísticas no porto; ele também apresenta dados afirmando que, no caso de alguns produtos específicos, como Etanol, o porto de São Sebastião tem condições de ser mais competitivo do que Santos num relativo curto prazo, especialmente por conta do calado dos navios utilizados nesse tipo de produto, e justamente por isso já está em construção o alcoolduto Senador Canedo, que ligará boa parte do centro-oeste, interior de SP, passando pelo triângulo Mineiro, até o porto de São Sebastião, além de outras questões específicas.

A expansão do porto não foi feita anteriormente porque ela é condicionada à expansão da Tamoios e ao acesso ao porto, e isso também é esclarecido no EIA-RIMA (dentre outras questões). Seria inviável ampliar o porto, quer seja por parte do Estado ou iniciativa privada, antes de se fazer essa ampliação rodoviária, e ela não foi feita anteriormente pois o Estado não tinha recursos para fazê-lo, caso contrário teria feito. Inclusive o Estado já se manifestou afirmando que deverá fazer uma PPP para operar o porto de São Sebastião, uma vez que será viável com a duplicação da Tamoios.

Quanto aos investimentos no acesso ao porto por parte do Estado, foi realizada diversas obras poucos anos atrás, como eliminação de semáforos e ampliação de faixas na chegada às cidades, e se formos considerar o rodoanel, na verdade é um grande meio de facilitação de acesso ao porto. O Estado não investiu no porto de Santos e nem nas perimetrais porque o GF não deixou, já que inúmeras vezes o Estado solicitou a transferência da administração do porto. O Estado não pode investir em um bem que é de propriedade de outra esfera administrativa.

E a respeito do local para se realizar reparos de navios no Estado de São Paulo, a SP Portos esteve há alguns dias na FIESP, e falou sobre os investimentos em Santos, no complexo Bagres, que devem somar R$2 bilhões. Uma das questões que a companhia deve construir, em Santos, será um estaleiro para reparo naval.

O EIA-RIMA, para quem quiser:
http://www.portodesaosebastiao.com.b...a/EIA_CDSS.zip
è assim mesmo amigo tem gente que critica por criticar sem realmente sem procurar conhecer a verdade ou seja por puro partidarismo.
__________________
Se você quiser conhecer o verdadeiro caráter de uma pessoa de-lhe o dinheiro ou o poder
dinhojdal no está en línea   Reply With Quote
Old April 27th, 2012, 08:11 PM   #179
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 5,880
Likes (Received): 1222

Quote:
Originally Posted by dinhojdal View Post
è assim mesmo amigo tem gente que critica por criticar sem realmente sem procurar conhecer a verdade ou seja por puro partidarismo.
Ahn, eu li o EIA-RIMA e o estudo de viabilidade econômica. E discuti com seus propositores (inclusive o Bussinger, que dizia que era um "ambientalista à sua maneira" para justificar a destruição ambiental). E os dois são cheios de falácias e lacunas.

A idéia de que o porto de São Sebastião tem um grande calado "natural" esbarra nas intervenções no regime hídrico causadas por um projeto em água do tamanho do proposto. O canal é varrido pela corrente. O preço de fazer esse porto todo conquistado ao mar é equivalente ao de criar um porto estilo ponte+quebra-mar, como Pecém ou Açu (pode olhar a batimetria do canal - o atual porto está em área de calado natural de 6m).

A proposta da Petrobrás foi no sentido que apontei - de transformar o porto atual em base de apoio - e a empresa teve que relocar seus planos originais de segundo píer para não interferir com a proposta do porto público. (no processo, piorando as condições). Aliás, "calado grande de navios de etanol"? Navios de etanol e de produtos refinados de petróleo não têm calado de petroleiro ou mineraleiro.

E a profundidade máxima do canal é 25m, não de um porto de contêineres. Seriam rios de dinheiro na dragagem para manter berços de atracação de contêineres a 25m. Sequer o TEBAR tem isso - a função original do TEBIG em Angra era justamente aliviar os (poucos) petroleiros com mais de 23m de calado, que não poderiam atracar no píer sul do TEBAR (o píer norte tem 19m).

A sério, se alguém acreditasse realmente na viabilidade econômica desse porto, a sede da Companhia Docas de São Sebastião seria em SS, não na Faria Lima. Não que seja impossível sair - com dinheiro público, tudo pode sair.
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old April 29th, 2012, 01:48 AM   #180
CuriosoCPS
Registered User
 
Join Date: Sep 2009
Posts: 388
Likes (Received): 0

Já foram gastos quantas dezenas (ou seriam centenas?) de bilhões de reais para viabilizar São Paulo-Santos? Anchieta, Imigrantes, Rodoanel, todos os contornos na baixada, ferrovias (Santos-Jundiaí e Sorocabana), etc, etc, etc. E mesmo assim o porto de Santos ainda precisa de investimentos constantes, o canal está sempre entopindo de sediementos e precisa ser dragado.

Falar que o porto de Santos é um "peso" para São Paulo é bem estranho... o porto é sempre citado como um fator de competitividade da capital... Não existiria o porto de Santos sem São Paulo, e vice-versa.

São Sebastião tem os seus problemas, mas qualquer ponto do litoral paulista também tem, pois de qualquer forma é preciso vencer a Serra do Mar, que não é nada fácil. Neste caso restam algumas opções:
1- Desistir e usar os portos de outros estados;
2- Trabalhar e investir nos portos de SP.

O que os paulistas em geral esperam é que se invistam em portos dentro do estado, o que é bem natural. Santos precisa e é importante que se invista nele. Mas não quer dizer que o estado precise só dele. Até 2008, por exemplo, o estado de SP era servido basicamente por 2 aeroportos, Guarulhos e Congonhas. Os outros viviam às moscas. Hoje os 2 da RMSP continuam sendo os maiores e é natural que seja assim. Mas os aeroportos do interior estão todos crescendo: Viracopos, Ribeirão Preto, Rio Preto, Presidente Prudente, etc. Com os portos é a mesma coisa: Santos continuará a ser o maior, mas não significa que não possa ter outros. Outros no plural, porque além de São Sebastião cada vez mais veremos portos na Hidrovia Tietê-Paraná.

Se o capitalismo tradicional é concentrador, cabe ao Estado ser o agente dispersor do desenvolvimento. A duplicação da Tamoios e os investimentos no porto de São Sebastião vão nesta direção: criar uma alternativa, diminuir a dependência em relação a Santos. Pode ser que no começo não seja tão atrativo quanto Santos, mas deve-se lembrar que Santos precisou de séculos de trabalho e investimentos para chegar onde está, e não se espera que São Sebastião chegue ao mesmo ponto do dia para a noite.

O estado de São Paulo era totalmente inviável no modelo exportador do Brasil colônia: ficava mais longe da Europa, tinha a muralha da Serra do Mar separando o litoral do interior, etc. Nem por isso os paulistas desistiram e foram embora. Muito pelo contrário: ficaram por aqui e construíram o estado mais rico e populoso do Brasil. No paralelo com os aeroportos: hoje Congonhas e Guarulhos estão saturados. Onde os mais de 10 milhões de passageiros que embarcaram nos aeroportos do interior embarcariam se estes não existissem? O porto de São Sebastião pode não ser tão viável quanto o de Santos atualmente, mas em algum tempo o de Santos estará saturado. Quando isto acontecer, é imprescindível que existam opções, caso contrário teremos que usar os portos do RJ ou PR.
CuriosoCPS no está en línea   Reply With Quote


Reply

Thread Tools
Rate This Thread
Rate This Thread:

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 06:54 AM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.8 Beta 1
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like v3.2.5 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu