daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy (aug.2, 2013) | DMCA policy | flipboard magazine

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Fóruns Brasileiros > Fóruns Gerais > Infraestrutura e Transporte > Infraestrutura e Transporte > Transporte Rodoviário



Reply

 
Thread Tools Rate Thread
Old April 19th, 2010, 08:24 PM   #1
PHCastro
Registered User
 
PHCastro's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Location: Santo André - SP
Posts: 2,538
Likes (Received): 26

BR-116 | Rodovia Régis Bittencourt

Trecho crítico da Régis Bittencourt será duplicado

Anúncio de liberação da licença será feito nesta segunda-feira (19).
Serão investidos R$ 330 milhões; obras começam em 60 dias.

Do G1/SP



O trecho que compreende a Serra do Cafezal, considerado o mais crítico da Régis Bittencourt, rodovia que liga São Paulo ao Sul do país, será duplicado. O anúncio da liberação da licença para parte da pista será feito nesta segunda-feira (19).


As obras começam em 60 dias, segundo expectativa da concessionária Autopista. De início, será duplicada a pista do km 363 ao km 367 e do km 336 ao km 344. O restante do trecho de 30,5 quilômetros ainda aguarda a licença do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
O trecho é o único que não conta com pistas exclusivas para ida e volta, de acordo com a Autopista. Por isso, sempre há congestionamentos aos fins de semana e, principalmente, em feriados. O trecho também é um dos que mais registram acidentes, especialmente os decorrentes de ultrapassagens, com o agravante de que uma batida pode causar o fechamento da rodovia tanto para quem vai ao Paraná como para quem tem São Paulo como destino.
As obras serão feitas inicialmente nas regiões de Miracatu e Juquitiba, extremidades do trecho da Serra do Cafezal. Serão investidos cerca de R$ 330 milhões em todo o trecho. A conclusão das obras está prevista para 2013.
O anúncio da liberação da licença deverá ser feito em Registro e contará com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.
Segundo a Autopista, a licença emitida detalha as condicionantes administrativas e ambientais que precisam ser cumpridas pela concessionária para dar início às obras.


Fonte
PHCastro no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
 
Old April 19th, 2010, 10:41 PM   #2
EduSC
Registered User
 
EduSC's Avatar
 
Join Date: Oct 2009
Location: São Paulo
Posts: 1,107
Likes (Received): 0

Quote:
Originally Posted by PHCastro View Post
Trecho crítico da Régis Bittencourt será duplicado


Fonte

Maravilha

É fantástico ver todas essas obrar acontecendo. Para pessoas quem, como eu, só tinha vivido as "décadas perdidas" isso tudo é muito "exciting" (no bom sentido é claro)
EduSC no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 10:51 PM   #3
Gustavoa
Usuário do Sistema
 
Gustavoa's Avatar
 
Join Date: Nov 2007
Location: São Paulo - SP
Posts: 231
Likes (Received): 27

Não entendi direito a notícia. Deu a impressão de que o trecho de serra mesmo, com 30,5 km, ainda aguarda licença
Gustavoa no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:38 PM   #4
josinei
Registered User
 
Join Date: Jan 2010
Location: Curitiba
Posts: 5,873
Likes (Received): 1292

Duplicação da Régis pode demorar mais que previsto

Apesar de a concessionária OHL ter previsto a duplicação dos 30,5 quilômetros até 2013, os 18 quilômetros que correspondem ao meio da Serra não têm prazo para serem iniciados e concluídos

Os motoristas que usam a rodovia Régis Bittencourt (BR-116), principal ligação de São Paulo com os estados do Sul, podem ter de enfrentar os congestionamentos no trecho de pista simples na Serra do Cafezal, entre Juquitiba (SP) e Miracatu (SP), por um tempo maior que o previsto. Apesar de a concessionária OHL ter previsto a duplicação dos 30,5 quilômetros até 2013, os 18 quilômetros que correspondem ao meio da Serra não têm prazo para serem iniciados e concluídos.

Foi o que disse a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante a entrega da licença ambiental para dois trechos menores da duplicação, hoje, em Registro (SP). "Não é possível falar em prazo. Quem estabelece o prazo é o Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), mas depende de estudos complexos."

Segundo ela, há necessidade de se retomar a discussão sobre o traçado da segunda pista, se ela será no mesmo eixo atual, ou se a nova pista será construída num eixo mais afastado para reduzir o impacto ambiental. Os estudos podem ser prejudicados pela greve dos servidores públicos do setor. "Temos de levar em conta que estamos interferindo num ecossistema extremamente sensível. As obras precisam ser feitas e esperamos fazer esse licenciamento com rapidez."

Ela pediu à superintendência do Ibama em São Paulo que passe a atuar no processo, hoje delegado a Brasília, interagindo com os prefeitos da região. A ministra também anunciou a Licença de Instalação (LI), documento que possibilita o início das obras para dois trechos, o primeiro entre o km 363 e o km 367, região de Juquitiba, e o outro do km 336 ao km 344, região de Miracatu. Eles estão situados nas duas extremidades da serra.

A concessionária prevê o início das obras em dois meses, mas isso também depende do cumprimento de algumas condicionantes, como estudo de fauna, coleta de sementes e de amostras de água. A ministra deixou claro que as máquinas só entram na pista depois de cumpridas as exigências. Ela pediu aos prefeitos que fiscalizem o cumprimento. Também recomendou à concessionária que mantenha no site informações atualizadas sobre o processo.

A empresa pretende iniciar as obras pelo bairro Barnabés, em Juquitiba, onde termina a pista dupla. Na outra ponta, no km 367 está prevista a construção de uma ponte sobre o rio São Lourencinho. A OHL assinou o contrato de concessão para os 402,1 quilômetros da Régis, de São Paulo a Curitiba, em fevereiro de 2008. O prazo é de 25 anos. A empresa já cobra pedágio em seis praças - cinco ficam no lado paulista. A tarifa é de R$ 1,50 por automóvel ou por eixo nos veículos de carga. A rodovia recebe cerca de 110 mil veículos por dia.

Fonte: Gazeta do Povo
josinei no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:44 PM   #5
josinei
Registered User
 
Join Date: Jan 2010
Location: Curitiba
Posts: 5,873
Likes (Received): 1292

Essa semana fiz o trecho São Paulo - Curitiba duas vezes.

Na quarta-feira a descida desses 30km demorou 1:30h.

O que a OHL vai duplicar é um trechinho na planície, antes do começo da subida, que tem topografia boa, e um trechinho de planalto, poucos antes do começo da descida.

O trecho de planície já tem inclusive um pedacinho duplicado que não está sendo utilizado há anos pois há um monstruoso deslizamento de terra boqueando a pista sentido norte. Até hoje não tiveram a capacidade de tirar a terra.

O mais caro, complicado e importante, que é a transposição da Serra e seu desnível de aproximadamente 700m, sabe-se lá quando vai começar.
josinei no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:44 PM   #6
Gustavoa
Usuário do Sistema
 
Gustavoa's Avatar
 
Join Date: Nov 2007
Location: São Paulo - SP
Posts: 231
Likes (Received): 27

Ah tá. Tudo certo, nada resolvido
Gustavoa no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:45 PM   #7
Jdolci
JDolci
 
Jdolci's Avatar
 
Join Date: Nov 2008
Location: Curitiba - Brasil
Posts: 7,367
Likes (Received): 4045

Sei que tem no google earth .. mas nao tenho acesso agora aqui no trabalho..
Alguém teria um mapa do local? Dos trechos que serão duplicados ..
Pelo que pude entender.. esses dois trechos liberados vao acompanhar o traçado existente.. já o trecho crítico de serra, vai acompanhar ou ter um novo traçado dependendo dos estudos ..
Jdolci no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:48 PM   #8
sul_mp
Tá Limpo!
 
sul_mp's Avatar
 
Join Date: May 2007
Posts: 2,374
Likes (Received): 348

deveria ser NO MÍNIMO triplicada
__________________
DANDO UM TEMPO....
sul_mp no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:52 PM   #9
EduSC
Registered User
 
EduSC's Avatar
 
Join Date: Oct 2009
Location: São Paulo
Posts: 1,107
Likes (Received): 0

Quote:
Originally Posted by josinei View Post
Essa semana fiz o trecho São Paulo - Curitiba duas vezes.

Na quarta-feira a descida desses 30km demorou 1:30h.

O que a OHL vai duplicar é um trechinho na planície, antes do começo da subida, que tem topografia boa, e um trechinho de planalto, poucos antes do começo da descida.

O trecho de planície já tem inclusive um pedacinho duplicado que não está sendo utilizado há anos pois há um monstruoso deslizamento de terra boqueando a pista sentido norte. Até hoje não tiveram a capacidade de tirar a terra.

O mais caro, complicado e importante, que é a transposição da Serra e seu desnível de aproximadamente 700m, sabe-se lá quando vai começar.
me animei cedo demais
EduSC no está en línea   Reply With Quote
Old April 19th, 2010, 11:54 PM   #10
Suburbanist
on the road
 
Suburbanist's Avatar
 
Join Date: Dec 2009
Location: Breda<->'s-Hertogenbosch<->Eindhoven triangle
Posts: 17,119
Likes (Received): 3986

Esse é o trecho não duplicado: http://maps.google.com/maps?f=q&sour...39453&t=h&z=12

Se vc aproximar bem, a parte sul dá pra ver exatamente qual o trecho de planície e os 2km que estão interditados por um desabamento.
__________________
"For every complex problem there is a solution that is simple, clear and wrong."
Suburbanist está en línea ahora   Reply With Quote
Old April 20th, 2010, 07:11 PM   #11
paulo lima
Luta para o Trem-Bala
 
paulo lima's Avatar
 
Join Date: Sep 2009
Location: Campinas-SP
Posts: 2,536
Likes (Received): 142

olham a noticia que eu achei, sao duas: Eu acho que sao meio boa noticia e ma noticia em outras partes.Vejam:

20/04/10 00:28
Ministra debate sobre licenciamento no Vale da Ribeira
Divulgação


Ela pediu aos órgãos ambientais que dialoguem com a sociedade
Em reunião nesta segunda-feira (19/4), na cidade de Registro (SP), com prefeitos e representantes municipais do Vale da Ribeira, em São Paulo, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, reafirmou que o Brasil está crescendo e tem uma agenda estratégica, econômica, social e ambiental e que esta última não pode ser usada para politicagem como alguns grupos vêm tentando fazer, principalmente quando o assunto é licenciamento.

"O meio ambiente não é entrave para o desenvolvimento. Os órgãos ambientais do Ministério do Meio Ambiente têm de ter diálogo com a sociedade", disse. Segundo a ministra, esses órgãos não podem se fechar em escritórios nos grandes centro sem conhecer as realidades locais. "É inaceitável que os órgãos ambientais fiquem longe da sociedade", disse.

No encontro em Registro, Izabella Teixeira explicou aos cerca de 500 participantes da reunião sobre a situação ambiental relativa à duplicação de um trecho de 30 quilômetros (Serra do Cafezal), da rodovia Régis Bittencourt (BR-116), conhecida como rodovia da Morte. A estrada liga São Paulo ao Paraná e corta um grande trecho de Mata Atlântica.

Alvo de manifestações contrárias à duplicação da rodovia, as obras no trecho entre os quilômetros 336,7 e 367,2 chegaram a ser suspensas por decisão judicial, mas foram liberadas depois de a Justiça dar ganho de causa ao Ibama.

A ministra lembrou que na década de 80 a grande preocupação ambiental era relativa às condições da Mata Atlântica e que nos anos 90 o foco passou a ser a Floresta Amazônica. De acordo com ela, a Mata Atlântica tem de voltar a estar em foco.

Ainda durante a reunião, a ministra solicitou às concessionárias responsáveis pela duplicação da rodovia que coloquem em seus sítios eletrônicos o cumprimento das condicionantes ambientais exigidas para a concessão da licença pelo Ibama. Para Izabella, isso coloca o Vale da Ribeira na vanguarda do licenciamento ambiental.

Além da questão da duplicação da BR-116, a ministra falou aos presentes sobre assuntos relacionados ao Código Florestal e Pagamento sobre Serviços Ambientais.



por Ascom/MMA

Site:
http://www.aquiacontece.com.br/index...biente&cod=516


outra noticia:

Duplicação da Régis pode demorar mais que previsto
Concessionária prevê o início das obras em dois meses, mas depende do cumprimento de exigências, como estudo de fauna

Os motoristas que usam a rodovia Régis Bittencourt (BR-116), principal ligação de São Paulo com os Estados do Sul, podem ter de enfrentar congestionamentos no trecho de pista simples na Serra do Cafezal, entre Juquitiba (SP) e Miracatu (SP), por tempo maior que o previsto. Apesar de a concessionária OHL ter previsto a duplicação dos 30,5 km até 2013, os 18 km que correspondem ao meio da Serra não têm prazo para serem iniciados e concluídos.

Foi o que disse a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante a entrega da licença ambiental para dois trechos menores da duplicação, nesta segunda-feira (19), em Registro (SP). "Não é possível falar em prazo. Quem estabelece o prazo é o Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), mas depende de estudos complexos."

Segundo ela, há necessidade de se retomar a discussão sobre o traçado da segunda pista, se ela será no mesmo eixo atual, ou se a nova pista será construída num eixo mais afastado para reduzir o impacto ambiental. Os estudos podem ser prejudicados pela greve dos servidores públicos do setor. "Temos de levar em conta que estamos interferindo num ecossistema extremamente sensível. As obras precisam ser feitas e esperamos fazer esse licenciamento com rapidez."

Ela pediu à superintendência do Ibama em São Paulo que passe a atuar no processo, hoje delegado à Brasília, interagindo com os prefeitos da região. A ministra também anunciou a Licença de Instalação (LI), documento que possibilita o início das obras para dois trechos, o primeiro entre o km 363 e o km 367, região de Juquitiba, e o outro do km 336 ao km 344, região de Miracatu. Eles estão situados nas duas extremidades da serra.

A concessionária prevê o início das obras em dois meses, mas isso também depende do cumprimento de algumas condicionantes, como estudo de fauna, coleta de sementes e de amostras de água. A ministra deixou claro que as máquinas só entram na pista depois de cumpridas as exigências. Ela pediu aos prefeitos que fiscalizem o cumprimento. Também recomendou à concessionária que mantenha no site informações atualizadas sobre o processo.

A empresa pretende iniciar as obras pelo bairro Barnabés, em Juquitiba, onde termina a pista dupla. Na outra ponta, no km 367, está prevista a construção de uma ponte sobre o rio São Lourencinho. A OHL assinou o contrato de concessão para os 402,1 km da Régis, de São Paulo a Curitiba, em fevereiro de 2008. O prazo é de 25 anos. A empresa já cobra pedágio em seis praças - cinco ficam no lado paulista. A tarifa é de R$ 1,50 por automóvel ou por eixo nos veículos de carga. A rodovia recebe cerca de 110 mil veículos por dia.

Site:
http://www.abril.com.br/noticias/bra...o-550992.shtml




Pois eee, ainda esses Ambientalistas que sao uns ECO-CHATOS mesmo,ainda falam que eles nao sao entraves de obras, DAI EU PERGUNDO BEM COM RAIVA MESMO, "Eles sao o que entao??? JA que negam que nao travam obras e sao os que mais atrasam obras e Projetos por meses e ate por anos, eles sao o que entao??? Eles so servem para Embargarem obras entao??" Assim o Pais para no tempo em que nesse tempo era o aproveito para Crescer o pais. NAO ENTENDO ISSO!! Estou meio Chateado pelas Leis Ambientais que sao RADICAIS DE MAIS.
O que vcs acham pessoal ??

Last edited by paulo lima; April 20th, 2010 at 07:21 PM.
paulo lima no está en línea   Reply With Quote
Old April 20th, 2010, 08:36 PM   #12
lusorod
LUSOROD
 
lusorod's Avatar
 
Join Date: Mar 2008
Location: SAO PAULO/LONDON
Posts: 7,622
Likes (Received): 448

com a coisa demora a acontecer e porque alguem ta querendo propina!!! Se licenca ambiental fosse tao importante no Brasil nao teriamos favelas, nem rios poluidos, nem cidades inteiras e polos industriais inteiros sem saneamento. Isso a uma palhacada!!!! Nao que nao devamos respeitar o meio ambiente. Devemos sim mas a liberacao de licencas e um dos alicerces da industria da corrupcao no brasil.
__________________
LUSOROD

((((((((((MUITO AMOR NA SUA ALMA))))))))))))))))
lusorod no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 12:00 AM   #13
paulo lima
Luta para o Trem-Bala
 
paulo lima's Avatar
 
Join Date: Sep 2009
Location: Campinas-SP
Posts: 2,536
Likes (Received): 142

Chico Brito participa de cerimônia da duplicação da Serra do Cafezal


Um dos trechos mais perigosos da Rodovia Régis Bittencourt, a BR-116, na Serra do Cafezal, será duplicado. Isso significa uma vitória histórica para as regiões do Vale do Ribeira, Sul do país e todo o Brasil. A luta por essa duplicação já acontece há mais de dez anos. Após a publicação da licença ambiental emitida pelo governo federal, as obras deverão ser iniciadas em 60 dias, período em que a concessionária que administra a BR-116 cumprirá as condicionantes administrativas e ambientais exigidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Para celebrar essa conquista ocorreu ontem, 19/4, na cidade de Registro, uma cerimônia que contou com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, prefeitos – entre eles, o de Embu das Artes, Chico Brito -, deputados, vereadores, lideranças e a sociedade civil da região. A comitiva de Embu ainda contou com o vice-prefeito, Nataniel Carvalho (Natinha), o secretário de Meio Ambiente, João Ramos, os vereadores Silvino Bomfim, João Leite, Didi e Beth, além de integrantes do Orçamento Participativo.

Para a ministra do Meio Ambiente, a região do Vale do Ribeira é a mais importante do país no que se diz respeito a ativos ambientais e anunciou que existe uma possibilidade de até o final do ano, ser votado o projeto de Lei que remunera as cidades que preservam o meio ambiente da sua região. Ao final de seu discurso, ela revelou um desejo: “Quero voltar aqui para dar início às obras da duplicação da rodovia da vida e não da morte, como ela é conhecida atualmente” – falou a ministra. O prefeito Chico Brito, que na ocasião representou as cidades do eixo Conisud, também comemorou a obra. “A duplicação da Serra do Cafezal é importante não só para a nossa região, mas também para o desenvolvimento do nosso país, pois a BR 116 é a entrada do Mercosul” – argumentou o prefeito. Ele disse que toda a região tem que continuar unida para encontrar soluções coletivas, beneficiando todas as cidades, como foi o caso da decisão de se instalar um campus de Universidade Federal em Embu das Artes.

Sobre a obra
As obras de duplicação da Régis Bittencourt na Serra do Cafezal serão realizadas em um primeiro momento, nos dois extremos da pista. O trecho inteiro tem uma extensão de 30 quilômetros, porém só serão duplicados 12, pois a licença ambiental do restante é mais complicada de ser obtida devido à complexidade do local e aos impactos ambientais. A conclusão da obra está prevista para 2013, com investimento total de R$ 330 milhões.

Brunno Rocha
20/4/2010

Site
http://www.embu.sp.gov.br/e-gov/noti...x.php?ver=2788



Vamos torcer que desta vez, saia a Duplicaçao de um trecho de 30 km que ate hoje falta para Duplicar. Imagino que essa luta nao foi facil nao por causa da interferencia dos Eco-Chatos que nao estavam deixando e fazendo de tudo para impedir para que as obras nao fossem a adiante. Mas eu ainda nao acredito que saira do Papel ainda, apesar dos anuncios pra la e pra ca. Akela velha palavra que vou dizer "EU SO ACREDITO VENDO".
paulo lima no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 01:27 AM   #14
Jab's
Oeste Paulista
 
Join Date: Jan 2010
Location: Primavera - SP
Posts: 111
Likes (Received): 5

Eu so queria saber o que asfalto geraria de impacto ambiental....
se o problema eh os animais, faça-se muretas ou cercas metalicas afinal sai mais barato do que o jogo de empurra-empurra entre empresas, governo e o proprio governo com seus orgaos ambientais.
__________________
Primavera, SP, Brasil
Rosana - Aqui Começa São Paulo!

Estados Conhecidos: SP - PR - SC - MS - MT - PA - RJ - ES
Capitais Conhecidas: São Paulo - SP, Campo Grande - MS, Cuiabá - MT, Curitiba - PR, Rio de Janeiro - RJ, Vitória - ES
Planejadas: Belo Horizonte - MG, Goiânia - GO, Brasília - DF, Porto Velho - RO

http://www.munetplay.com.br
Jab's no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 02:05 AM   #15
V.Harlamov
Registered User
 
V.Harlamov's Avatar
 
Join Date: Aug 2009
Location: São Paulo
Posts: 968
Likes (Received): 67


Para construir uma estrada, é necessário fazer aterros, cortes nos morros, derrubar florestas... Há um impacto significativo na região - é só ver no Google Earth o rasgo que o Rodoanel Sul fez na região. O asfalto é o menor dos males.
V.Harlamov no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 02:15 AM   #16
Mexicano21
Nem td que reluz é trilho
 
Mexicano21's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Posts: 3,931
Likes (Received): 5

Comparar a legislação ambiental atual com mazelas urbanas que se instalaram no país há décadas é idiota. Se na época que surgiram as favelas tivéssemos uma legislação urbana forte como a nossa atual legislação ambiental, não teríamos favelas. Mas são épocas distintas, não é possível comparar. E a "indústria da propina" também é bem mais antiga que nossa legislação ambiental. O fato é que muitos projetos são simplesmente mal feitos, então esbarram em diversas questões (entre elas, as ambientais) antes de serem aprovados. Mas é muito conveniente ter um único inimigo: então vamos eleger a legislação ambiental como única culpada pela demora das grandes obras de infra-estrutura!

Todas as pessoas que trabalham nas agências responsáveis pela avaliação de impactos ambientais e emissão de licença para obras estão só fazendo o trabalho deles. E as pessoas que cobram que eles façam o seu trabalho estão só exercendo sua cidadania. Ninguém é inimigo de ninguém. O meio-ambiente tem que ser protegido sim, e grandes obras, além dos impactos diretos causados pela própria obra em si, trazem impactos indiretos, sendo o mais notável o incentivo a urbanização, que causa um estrago ainda maior. E sim, é importante proteger cada metro quadrado de ambiente nativo, cada espécie animal ou vegetal. O mundo não nos pertence, apenas vivemos nele.
__________________
http://twitter.com/mexicano21
http://www.animenewsnetwork.com/MyMa...ser=mexicano21
O bom de andar de bonde é que o bonde é bom de andar.

Para todos que aprovam o modelo chinês: http://www.youtube.com/watch?v=AGJoaHr2QdM
Mexicano21 no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 02:44 AM   #17
ghml
Registered User
 
Join Date: Dec 2009
Posts: 929
Likes (Received): 73

A questão é que a duplicação desse trecho vai sair de qualquer jeito, mais cedo ou mais tarde. Não adianta nada postergar a expedição da licença. O que acaba parecendo é que, das duas uma: a) ou não estão querendo trabalhar duro para fazer um estudo minucioso ou b) estão querendo propina.
ghml no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 03:16 AM   #18
josinei
Registered User
 
Join Date: Jan 2010
Location: Curitiba
Posts: 5,873
Likes (Received): 1292

O problema é que os órgãos ambientais barram toda e qualquer obra de infraestrutura e fazem vistas grossas para as agressões que as cidades provocam no meio-ambiente, agressoões essas que são milhares de vezes mais graves que as de uma estrada.
Os córregos tomados por esgoto e lixo, os imóveis que não fazem a ligação correta do esgoto apesar da rede passar ao lado, o desmatamento para construção de imóveis irregulares, os imóveis com fossas fora dos padrões ambientais, a impermeabilização do solo dos imóveis urbanos acima do permitido por lei, etc, etc, etc.
Com isso ninguém está preocupado. Agora, com o pau seco que o passarinho sentou tem um monte de gente perdendo o sono.

É claro que ninguém quer destruir todo o meio ambiente. A sociedade já amadureceu a ponto de minimizar os impactos de uma obra de engenharia.
Como assim o projeto é mal feito? A estrada tem que passar por um lugar que tem árvores, e essas árvores terão que ser derrubadas.
Porém, o que os órgãos ambientais querem em algumas situações inviabiliza a obra. Eles querem um túnel de 20km para essa duplicação. Isso é inviável do ponto de vista econômico

E as centenas de vidas humanas que foram perdidas durante todas essas décadas de embromação para fazer esse trecho, nada valem?

O que falta na verdade são regras claras e instituições fortes. Um órgão não pode barrar uma obra dessa importância porque um cara acha o projeto é ruim. Deve haver uma regra para elaboração de projetos. Essa regra deve contemplar o que pode e o que não pode ser feito em uma obra de estrada. O projeto deve atender esses requisitos. Deve ser objetivo, e não depender da boa vontade de um zé mané qualquer.
josinei no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 03:43 AM   #19
pranda2009
PRANDA
 
pranda2009's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Location: São Paulo
Posts: 2,096
Likes (Received): 5


O mais triste é que pelos termos de concessão da rodovia, a concessionária tem de qualquer maneira prazo até 2013 para fazer a duplicação do trecho todo.

Assim esperem até 2013 no mínimo.
__________________
O trem que chega É o mesmo trem da partida A hora do encontro É também despedida A plataforma dessa estação É a vida desse meu lugar ( Encontros e despedidas (1985) Composição: Milton Nascimento e Fernando Brant)
pranda2009 no está en línea   Reply With Quote
Old April 21st, 2010, 03:53 AM   #20
Mexicano21
Nem td que reluz é trilho
 
Mexicano21's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Posts: 3,931
Likes (Received): 5

Quote:
Originally Posted by josinei View Post
O problema é que os órgãos ambientais barram toda e qualquer obra de infraestrutura e fazem vistas grossas para as agressões que as cidades provocam no meio-ambiente, agressoões essas que são milhares de vezes mais graves que as de uma estrada.
Os córregos tomados por esgoto e lixo, os imóveis que não fazem a ligação correta do esgoto apesar da rede passar ao lado, o desmatamento para construção de imóveis irregulares, os imóveis com fossas fora dos padrões ambientais, a impermeabilização do solo dos imóveis urbanos acima do permitido por lei, etc, etc, etc.
Com isso ninguém está preocupado. Agora, com o pau seco que o passarinho sentou tem um monte de gente perdendo o sono.

É claro que ninguém quer destruir todo o meio ambiente. A sociedade já amadureceu a ponto de minimizar os impactos de uma obra de engenharia.
Como assim o projeto é mal feito? A estrada tem que passar por um lugar que tem árvores, e essas árvores terão que ser derrubadas.
Porém, o que os órgãos ambientais querem em algumas situações inviabiliza a obra. Eles querem um túnel de 20km para essa duplicação. Isso é inviável do ponto de vista econômico

E as centenas de vidas humanas que foram perdidas durante todas essas décadas de embromação para fazer esse trecho, nada valem?

O que falta na verdade são regras claras e instituições fortes. Um órgão não pode barrar uma obra dessa importância porque um cara acha o projeto é ruim. Deve haver uma regra para elaboração de projetos. Essa regra deve contemplar o que pode e o que não pode ser feito em uma obra de estrada. O projeto deve atender esses requisitos. Deve ser objetivo, e não depender da boa vontade de um zé mané qualquer.
Todas essas regras que você cita existem e os órgãos são fortes e competentes o bastante para aplicá-las. O que acontece é que não só nós, mas também os governantes e demais interessados nas obras, precisam culpar alguém pelos atrasos, quando a culpa é normalmente deles mesmos. Cito como exemplo, não é ambiental mas é um tipo de legislação semelhante, a reconstrução do Largo da Batata, pela Prefeitura de São Paulo: foi paralisada porque a obra não teve cuidados arqueológicos mínimos. Mas aí, quem é que acabou pagando o pato? Os arqueólogos e órgãos de preservação histórica!! É conveniente para o governo que a população não o culpe. Mas a culpa foi sim do governo, como o é na maioria absurda dos casos. Projetos mal feitos são tocados em ritmos impossíveis para satisfazer a agenda política dos políticos em exercício. Eventualmente são paralisadas por conta de algum dos vários defeitos que possuem. E convenientemente a culpa é jogada para cima de quem paralisou a obra, e não para quem fez um projeto ruim desde o início.
__________________
http://twitter.com/mexicano21
http://www.animenewsnetwork.com/MyMa...ser=mexicano21
O bom de andar de bonde é que o bonde é bom de andar.

Para todos que aprovam o modelo chinês: http://www.youtube.com/watch?v=AGJoaHr2QdM
Mexicano21 no está en línea   Reply With Quote


Reply

Tags
curitiba, são paulo

Thread Tools
Rate This Thread
Rate This Thread:

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 11:12 PM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.8 Beta 1
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like v3.2.5 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu