daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy | DMCA | news magazine

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Fóruns Brasileiros > Fóruns Gerais > Infraestrutura e Transporte



Reply

 
Thread Tools
Old June 2nd, 2011, 10:32 AM   #241
mopc
USP
 
mopc's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Santos Sao Paulo
Posts: 15,100
Likes (Received): 5597

BUSINESSJUNE 2, 2011
Brazil Approves Hydroelectric Dam

http://online.wsj.com/article/SB1000...googlenews_wsj

By JOHN LYONS

SÃO PAULO—Brazil's environmental protection agency gave builders the go-ahead to construct the world's third-largest hydroelectric dam in the Amazon rainforest.

The project, called Belo Monte, has been in the planning stages for three decades, and the focus of opposition by environmental and Indian-rights groups for almost as long.

In recent years, Brazil has redoubled efforts to complete the estimated $17 billion project as energy demands grow amid a long commodity-driven economic expansion. The dam, which will create reservoirs of around 310 square miles, is meant to produce 11 megawatts of energy, bested only by Brazil's Itaipu and China's Three Gorges dams.

Winning an environmental license marks a major step toward beginning construction on the project. Environmental groups had gone to the Brazilian courts in order to prevent licensing of the project, which they say could damage wildlife and hurt the lives of Indians who depend on Xingu River, where the dam will be built.

In approving the license, Brazil's Ibama environmental protection agency cited efforts to offset the effects of construction, such as improving sanitation in nearby towns.

The project also faces questions about which companies will make up the consortium building the dam, and whether the dam can be profitable as envisioned by the Brazilian government. Three private construction companies recently asked to leave government-dominated consortium preparing to build Belo Montet. Under government pressure, Brazilian iron ore giant Vale SA recently agreed to buy a 9% stake held by one of the departing firms. Government promises to sell electricity cheaply may make the dam a money loser, some observers say.
mopc no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
 
Old June 2nd, 2011, 10:37 AM   #242
mopc
USP
 
mopc's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Santos Sao Paulo
Posts: 15,100
Likes (Received): 5597

Brazil approves huge Amazon power plant

http://www.google.com/hostednews/afp...8447add10.1011

(AFP) – 16 hours ago

BRASILIA — Over the strong objections of indigenous groups, activists and environmentalists, Brazilian authorities gave a green light Wednesday to what will be the world's third largest hydroelectric plant and dam.
The massive $11 billion project is to be built in western Para state, along the Xingu river in Brazil's Amazon rainforest.
Once completed, the Belo Monte plant will generate some 11,200 megawatts of energy, equivalent to about 11 percent of the power currently produced in Brazil.
Indigenous communities, ecologists and the Catholic Church have spent more than a year campaigning against the dam, which will flood an area of 516 square kilometers (198 square miles) along the banks of the Xingu.
Construction of the dam will displace 16,000 people, according to government figures.
Local communities also fear the arrival of thousands of workers in the jungle area.
Norte Energia said the hydroelectric project will create 18,000 new jobs and an additional 23,000 more jobs indirectly. Counting families, the dam will support some 96,000 people.
The Inter-American Commission on Human Rights, an arm of the Organization of American States, had asked the government to halt construction to allow more time to hear objections from indigenous communities affected by the project.
"This criminal project will lead to the destruction of a large area of the rainforest, and will affect tens of thousands of people," said Antonia Melo, an indigenous leader.
"We will not back off our efforts to stop this dam," he added.
The project was also opposed by American filmmaker James Cameron, whose blockbuster hit film "Avatar" told the story of a peaceful native people on another planet forced to wage a bloody fight against strip miners from Earth.
The government says the country desperately needs the energy provided by the hydroelectric plant.
"Belo Monte will guarantee Brazil's energy security" said Energy Minister Edson Lobao, in announcing the plan.
The Brazilian Institute of Environment and Renewable Resources (IBAMA) said the dam was "based on a serious technical analysis" which included compensation for the indigenous population.
At a capacity of slightly more than 11,000 megawatts, Belo Monte will rank behind the 18,000-megawatt Three Gorges Dam in China and the 14,000-megawatt dam in Itaipu on the Brazil-Paraguay border.
Brazil's current energy capacity is 112,000 megawatts, and is expected to double by 2019, surpassing 240,000 megawatts, the government says.
Officials said the first building stage for Belo Monte will be finished in 2015, with construction expected to be completed in 2019.
mopc no está en línea   Reply With Quote
Old June 2nd, 2011, 11:02 AM   #243
mopc
USP
 
mopc's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Santos Sao Paulo
Posts: 15,100
Likes (Received): 5597

Kenneth Rapoza
BRIC BREAKER

James Cameron, Others, Unable to Stop Brazil’s “Pandora” Dam

http://blogs.forbes.com/kenrapoza/20...s-pandora-dam/

Jun. 1 2011 - 5:57 pm | 335 views | 0 recommendations | 0 comments

On June 1, Brazil's Environmental Regulatory Agency, Ibama, greenlights world's third largest hydroelectric dam in the middle of the Amazon.
Despite opposition from indigenous tribes and, more recently, the human rights commission of the Organization of American States, Brazil’s largest hydroelectric dam project has been given the green light to start construction in the heart of the Amazon jungle.

On June 1, Brazil’s Environmental Regulatory and Protection Agency, Ibama, said it granted a full installation permit for Norte Energia SA, a consortium of mostly government owned electric power companies, to build the Belo Monte dam. The 11,233 megawatt power station will be built along the Xingu River in Para state, one of the biggest states in the Amazon. Belo Monte’s construction will inundate hundreds of acres of virgin forest with water. Around 20,000 people in the region where Belo Monte will be built will have to move as a result. Xingu tributaries like the Bacajá River could see less water flow, causing many river dwelling tribes to protest against the dam over the last two years for fears that the rivers will become unnavigable, and kill off some species of fish.

Belo Monte became a cause celebé last year when Hollywood environmental activists saw comparisons between James Cameron’s environmental drama “Avatar” and Brazil’s mega-dam project. In August 2010, it became the source of a short, Cameron documentary titled “Message from Pandora”. Cameron friends Sigourney Weaver and Arnold Schwarzenegger also spoke out against it and urged Brazil’s government to either kill the project, or better address the concerns of the locals.

Yet, A-listers and multilateral organizations like OAS’s Inter-American Commission on Human Rights (ICHR) in Washington DC were unable to convince Brazil to give up on the dam. Belo Monte was a sovereign right, afterall. On April 28, Brazilian mining giant Vale said it would join the consortium of Norte Energia and take the 9% stake left vacant by cash-strapped private equity firm Gaia Partners, which dropped out of the group. With a mining company in the mix, Belo has official become the Pandora dam.

ICHR recommended the dam be suspended and asked Ibama not to grant the full installation permit until the complaints of eight tribes were heard by the government. Tribes like the Arara indigenous group said they wanted assurances that Xingu tributaries will not dry up and that the Volta Grande do Xingu ecosystem would not be disturbed in the process of Belo Monte’s construction and, later, operation.

The dam is scheduled to be completed by 2015.

Brazil’s government attests that indigenous groups like the National Brazilian Indian Foundation, or Funai, have been at the table since inception of the project. Various meetings between Brazilian and Norte Energia officials took place in Para state, with varying degrees of success, depending on who is commenting about the talks. Even Brazilian president at the time, Luiz Inacio Lula da Silva, made an unprecedented visit with locals and tribal leaders, sitting down for hours to discuss the dam. Para state anti-Belo Monte Bishop, Erwin Krautler, even commented on the meeting and called it positive. He later went on to win Sweden’s own “alternative Nobel Prize”, the Right Livelihood Award, for his support of indigenous rights in wake of Belo last year.

Belo Monte will be Brazil’s largest public works project, and will be the third largest hydroelectric power station in the world. China’s Three Gorges Dam and Brazil’s Itaipu Binacional, which it shares with Paraguay, are the two largest.

The dam was in the works, on paper, since the 1970s when the military government was looking at ways to develop the underpopulated north and deliver electricity to a massive section of the country that was essentially disconnected from the main power grid in Brazil’s heavily populated south and southeast.

Since inception, the dam has shrunk considerably in size. It is also expected to be shut down around four months out of the year, during the dry season in the Amazon, in order to keep water levels safe for both humans and fish.

According to a Folha de São Paulo poll last year, 52% of those polled said Belo Monte should be built in order to guarantee electric power supply to Brazil. Right now, the country has an electric power surplus. That surplus is expected to dry up by 2015. Brazil is heavily dependent on hydroelectric dams to generate electricity and keep fossil fuel burning to a minimum as the country continues to develop. New hydroelectric dams of various sizes are being built all the time in Brazil.

In some ways, media pressure from international celebrity and Brazil’s quasi-official dedication to indigenous tribes ultimately gave Ibama some tailwind to address key social and environmental concerns related to Belo Monte. It forced Norte Energia to build only one canal instead of two, for instance, thus reducing the amount of excavation by a massive 77 million cubic meters, or around 43% of what was previous expected. That rock, soil and tree mass would have been dumped in parts of the Xingu River.

Norte Energia needed to meet 40 pre-requisites set forth by Ibama before getting granted the installation license. Ibama said the company has met those obligation, including the construction of a new sewer system and water treatment facility in Altamira and Vitoria do Xingu, two small towns most affected by the dam. But the Xingu River Movement in Para said in a statement on Wednesday that all 40 were not met, and pointed to Ibama documents that showed all 40 were indeed not met fully.

No tribal lands will be flooded to build the reservoirs. But many people will be forced to relocate and Norte Energia will have to pay for their properties and new dwellings. It is still unclear exactly how this will be done, or when.

“I don’t know what I will do when they come to me and tell me I have to move, finally,” says Ana Plens, a cocoa farmer living off the dirt road highway known as the TransAmazonica.

With the license in hand, Norte Energia will likely get a coveted loan from the Brazilian National Development Bank, BNDES. The bank — which lent out morelast year in Brazil than the World Bank and Inter-American Development Bank did worldwide — stands by prepared for an estimated R$20 billion ($12.4 billion) loan for Norte Energia.

Nelson Siffert, the infrastructure development director at BNDES, and one of the officials who signs off on BNDES loans, said earlier this year that “Belo Monte is an important project for Brazil. We want to do it right.”

Dams in the Amazon have been the source of much controversy. Workers at two mid-sized dams in Rondonia state in the western Amazon protested and went on strike this year. Rondonia state attorneys tried unsuccessfully to stop the building of the dams, citing Ibama bylaws that were allegedly broken, according to one interpretation of the law. Higher courts overruled them every time.

The same thing happened each time Para federal prosecutors tried to stop Ibama from granting permits to Norte Energia. Another injunction is likely from Para attorneys in the days ahead. Nine injunctions have been levied on Belo Monte from Para state prosecutors.

Ibama says that the environmental and social issues have been, and will be resolved as the dam gets built. The ruling Workers’ Party line is that the dam will be good for development of the region, Brazil’s poorest, not only in job creation, but more importantly the investments in schools and basic infrastructure, all of which are fairly precarious if not non-existent in the backwoods of Brazil.

Norte Energia’s next problem is paying the residents of Pandora for the Pandora dam. Ibama and the the Energy Research Company, a government think tank associated with the Energy Ministry, first estimated the dam to cost R$19 billion. But Norte Energia is now estimating R$27 billion and some Brazilian media reports citing insiders close to the government put it even higher.

“Brazil should have listened to the human rights commission, and it certainly did not. There has been a fundamental human rights problem with dams in the Amazon that has to be addressed,” says Zachary Hurwitz, the Policy Program Coordinator at International Rivers in California.

If the government, and the companies who will eventually benefit from Belo Monte, including the privately held and politically connected construction companies like Odebrecht and Camargo Correa who very well might see a sizeable government contract to help build the dam, are not as worried about the environment as groups like International Rivers are worried, then they should be concerned with the costs of building the dam.

“I’ll bet my dollar’s worth that after a number of years of reduced hydrological flow due to climate change, the costs of Belo Monte will drive even higher. The government should have planned for that future in the first place to avoid cost overruns and an environmental disaster. This dam doesn’t need to be built; they are just pushing it through to push it through,” Hurwitz says.
mopc no está en línea   Reply With Quote
Old June 4th, 2011, 07:41 PM   #244
Valter
Registered User
 
Join Date: Aug 2007
Location: Uberlândia - Araxá - Carmo do Paranaíba - Bambuí
Posts: 8,643
Likes (Received): 610

Reforço para Belo Monte

A operação da hidrelétrica de Belo Monte (PA), de 11.233 MW, demandará uma série de ampliações nas interligações do Norte com os subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste. As medidas estão sendo estudadas por um grupo de trabalho criado pela EPE.

De acordo com a versão preliminar do Plano Decenal de Expansão de Energia 2020 (PDE 2020), divulgada nesta sexta-feira (3/6), para suportar o escoamento da energia de Belo Monte, também serão necessários reforços internos nas redes do Norte, Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste.

O plano ainda não traz o detalhamento do sistema de escoamento da energia de Belo Monte para o SIN. Ele admite, porém, que o projeto inicial, que previa a construção de dois circuitos de 751 km, em 750 kV, da usina até a SE Colinas, foi cancelado por conta da construção da SE Xingu, em 500 kV, que ficará a apenas 17 km da hidrelétrica.

Um grupo de trabalho estabelecido pelo MME está avaliando o modelo de transmissão da usina. O estudo considera Belo Monte um novo subsistema, que estará conectado ao subsistema Norte, por meio da SE Xingu, que integra o linhão Tucuruí-Manaus, licitado em junho de 2008.

O PDE 2020 indica uma versão preliminar do sistema de transmissão das usinas da bacia do Teles Pires (MT), num total de quase 3.700 MW. O estudo prevê a construção de duas estações coletoras. A primeira estará conectada a Teles Pires (1.820 MW), São Manoel (746 MW) e Foz do Apiacás (275 MW). A outra estará interligada à Sinop (461 MW) e Colíder (342 MW). Os projetos serão ligados ao subsistema Sudeste/Centro-Oeste.

http://www.energiahoje.com/online/el...elo-monte.html
__________________
Como D. Beja Araxá nasceu camponesa.E, como D. Beja, também conheceu a adversidade, sendo o objeto de desejo de poderes superiores. O Estado apropriou-se de suas fontes, maculando sua beleza, ainda que a recompensasse com um rico patrimônio. Por ele, Araxá conheceu o mundo, e o mundo a conheceu. Hoje, D. Beja é Araxá, espelho de suas convicções e metáfora de suas contradições. Nela se refletem simultaneamente, as imagens do seu presente, as representações históricas e as verdades míticas do seu passado; as projeções para o futuro. Rosa Maria Spinoso
Valter no está en línea   Reply With Quote
Old June 6th, 2011, 01:39 AM   #245
Pedrocn
UNICAMP
 
Pedrocn's Avatar
 
Join Date: Apr 2006
Posts: 1,175
Likes (Received): 33

MPF considera "missão quase impossível" impedir Belo Monte

MPF considera "missão quase impossível" impedir Belo Monte
04/06/2011 - 10h42

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Pela primeira vez, o Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) considerou "missão quase impossível” barrar na Justiça a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). Isso, no entanto, não inviabiliza as chances de o órgão obter liminares em defesa das condicionantes previstas para obra, na avaliação do procurador da República no Pará, Ubiratan Cazetta. “Dificilmente a obra será paralisada, mantido o roteiro das ações anteriores. A forma que temos para minorar esse prejuízo será concentrar nosso papel de fiscalizador no cumprimento das condicionantes previstas. Lamentavelmente, o que temos visto é a postergação de boa parte delas, principalmente nas áreas de saneamento e de navegabilidade”, disse à Agência Brasil.

O procurador faz um alerta sobre a possibilidade de o projeto atual, que prevê a instalação de apenas uma usina no Rio Xingu, ser alterado com a inclusão de outras hidrelétricas. Essa possibilidade consta do plano original, elaborado na década de 1980. Uma decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) determinou que Belo Monte deve ser a única hidrelétrica no Rio Xingu.

“Essa decisão pode ser desfeita pelo próprio conselho a qualquer momento e por diversos motivos, como o de aproveitar o reservatório para outras usinas a fim de causar menores impactos, como a construção de outras usinas com novos reservatórios”, disse o procurador. “Nada impede que um novo aproveitamento seja autorizado no Rio Xingu, caso o empreendimento [Belo Monte] não apresente os resultados econômicos esperados".

Para o procurador do MPF, os custos de Belo Monte podem estar "subdimensionados" e que isso "futuramente, possa ser utilizado para justificar a instalação de outras usinas na região”, resumiu Cazetta.

Segundo ele, ao ver “tantas indefinições relativas ao custo e à capacidade de geração da usina”, o MPF trabalha com a hipótese de que o consórcio responsável pela obra e o próprio governo tenham conhecimento da inviabilidade econômica da usina, “até porque nossos argumentos e os cálculos relativos ao empreendimento foram colocados à mesa de forma bastante aberta”. Segundo ele, a previsão de custo da usina começou em R$ 9,6 bilhões, mas passou para R$ 19 bilhões no leilão, em 2010.

“Agora, o custo previsto já supera R$ 25 bilhões e há, ainda, um estudo que diz que a obra pode chegar a R$ 44 bilhões. É um cenário bastante incerto para tantas certezas quanto à viabilidade econômica do projeto”, argumentou o procurador.

Ele considera uma “leviandade” fazer qualquer afirmação no sentido de que governo e as empresas estejam “propositadamente trabalhando com um quadro de falseamento dos dados”. No entanto, o procurador confirma ser este “um dos cenários com os quais o MPF trabalha”.

Apesar da posição contrária à obra, Cazetta considera positivo o debate sobre Belo Monte, que envolve a sociedade civil. “Há também o ganho de experiência por parte do Ministério Público. Isso certamente nos trará ensinamentos para que as próximas hidrelétricas passem por processos decisórios que considerem itens como perdas de energia durante transmissão, uso de turbinas mais modernas e, enfim, mais transparência para todo o processo”.

Edição: Vinicius Doria

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/noti...dir-belo-monte
__________________
"We must become the change we want to see in the world".
-Mohandas Gandhi aka Mahatma Gandhi.
Pedrocn no está en línea   Reply With Quote
Old June 6th, 2011, 08:20 PM   #246
mopc
USP
 
mopc's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Santos Sao Paulo
Posts: 15,100
Likes (Received): 5597

MPF entra com nova ação para suspender licença de Belo Monte

Segundo parecer técnico do Ibama sobre as obras preparatórias, 40% das condicionantes não foram cumpridas pela Norte Energia S.A, responsável pela obra

06 de junho de 2011 | 14h 48

Marcela Gonsalves, do Estadao.com.br

SÃO PAULO - O Ministério Público Federal ajuizou nesta segunda-feira, 6, a 11ª ação civil pública por problemas no licenciamento de Belo Monte. O processo pede a suspensão da Licença de Instalação concedida para o início das obras e aponta o descumprimento das condições prévias.

‘Belo Monte sofre preconceito ideológico’, diz Tolmasquim

Segundo parecer técnico do Ibama sobre as obras preparatórias, 40% das condicionantes não foram cumpridas pela Norte Energia S.A, responsável pela obra. Entre as condicionantes estavam investimentos nas áreas de saúde, educação, saneamento, levantamentos das famílias atingidas e navegabilidade. Os técnicos do Ibama constataram ainda que obras para saúde e educação declaradas pelo empreendedor não foram encontradas.

O MPF não aceita que o Ibama tenha concedido a licença justificando que há condições "em cumprimento" ou "parcialmente atendidas". Ao não cumprir suas próprias exigências para Belo Monte, o órgão teria atingido o "limite da irresponsabilidade".

http://economia.estadao.com.br/notic..._70239,0.htm?f

Last edited by mopc; June 6th, 2011 at 08:27 PM.
mopc no está en línea   Reply With Quote
Old June 6th, 2011, 08:25 PM   #247
Suburbanist
on the road
 
Suburbanist's Avatar
 
Join Date: Dec 2009
Location: Breda<->'s-Hertogenbosch<->Eindhoven triangle
Posts: 19,243
Likes (Received): 5609

Alguém aí citou "perdas na transmissão" como um fator relevante em usinas de grande porte. Isso não poderia ser pior mentira, ou ignorância. Transmissão de energia no atacado é muito, mas muito eficiente, mesmo que necessário levá-la por 2.000km aos centros consumidores. A perda na distribuição (ou seja, entre as subestações transformadoras e os pontos de distribuição em cada residência, comércio ou indústria de pequeno porte) sõa muito mais significantes que qualquer perda na transmissão em linhas de 700Kv como as usadas para trazer energia de Itaipu até Ibiúna!
__________________
"For every complex problem there is a solution that is simple, clear and wrong."
Suburbanist está en línea ahora   Reply With Quote
Old June 6th, 2011, 08:26 PM   #248
mopc
USP
 
mopc's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Santos Sao Paulo
Posts: 15,100
Likes (Received): 5597

Você está em Economia > Negócios

‘Belo Monte sofre preconceito ideológico’, diz Tolmasquim

Para presidente da EPE, o desenvolvimento social que empreendimento trará precisa ser colocado na balança na hora de se analisar o tema
03 de junho de 2011 | 15h 47

Mônica Ciarelli, da Agência Estado

RIO - O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) Maurício Tolmasquim, afirmou nesta sexta-feira, 3, que o projeto da Usina de Belo Monte sofre preconceito ideológico. "Alguns grupos, por questões ideológicas, são contra. Eles querem preservar tudo como está, mesmo que não seja necessariamente bom para a população lá", disse o executivo, que fez uma palestra no Instituto Brasileiro de Executivos Financeiros (Ibef-RJ), nesta sexta.

VEJA TAMBÉM

Governo espera implantar mais 24 hidrelétricas até 2020
Governo analisará com cautela projetos de energia nuclear, diz EPE
Anistia Internacional pede suspensão de Belo Monte
Ibama libera licença de instalação de Belo Monte
Vale não tem estudos para aumentar participação em Belo Monte
Segundo ele, a construção da hidrelétrica no Rio Xingu não pode ser vista apenas como um projeto de energia elétrica. Para Tolmasquim, o desenvolvimento social que o empreendimento trará precisa ser colocado na balança na hora de se analisar o tema. Mesmo alegando ser um defensor das minorias, o presidente da EPE lembrou que o projeto vai possibilitar atender 60 milhões de consumidores brasileiros. "As duas áreas mais próximas indígenas, que não serão inundadas, tem ao todo 180 índios", ressaltou.

Tolmasquim não quis comentar possíveis revisões no valor do investimento, calculado em R$ 26 bilhões. Mas, aproveitou para defender o Ibama, que concedeu licença de instalação para Belo Monte apesar de 11 das 40 exigências ainda não terem sido cumpridas. "Pelo que conheço, se foi dada essa licença é porque havia condições necessárias para que o empreendimento começasse. Tenho plena confiança nisso", disse. E completou: "Eles (técnicos do Ibama) podem até errar. Mas, eles erram por zelo demais, não de menos."
mopc no está en línea   Reply With Quote
Old June 8th, 2011, 05:11 AM   #249
Farol da Barra
Registered User
 
Farol da Barra's Avatar
 
Join Date: Oct 2008
Location: Salvador
Posts: 19,454
Likes (Received): 1706

Quote:
Originally Posted by besantos View Post
Faz o seguinte: desliga o disjuntor de quem está reclamando.

Vamos ver quanto tempo eles vão continuar achando a usina um problema.

Não quer usina, então pára de usar energia, para sobrar para quem quer.
__________________
Não prendam os pássaros nas gaiolas,não os privem de sua liberdade, pois eles foram feitos para percorrer grandes distâncias, cantar nos galhos das árvores e não para satisfazer nosso egoísmo de cantar apenas pra gente! (FAROL DA BARRA)
Farol da Barra no está en línea   Reply With Quote
Old June 8th, 2011, 09:31 PM   #250
Naipesky
Registered User
 
Naipesky's Avatar
 
Join Date: Apr 2007
Posts: 8,595
Likes (Received): 2916

Deixando registrado aqui:


Quote:
Originally Posted by lusorod View Post
Por usinas, governo vai reduzir áreas de proteção na Amazônia

http://www1.folha.uol.com.br/ambient...amazonia.shtml



O governo vai reduzir sete unidades de conservação na Amazônia para permitir a construção de seis hidrelétricas --uma delas seria a quarta maior do país.

O palco da nova investida energética do Planalto é o vale dos rios Tapajós e Jamanxim, no Pará, uma das áreas mais preservadas e mais biodiversas da floresta.

O movimento acontece num momento em que o Brasil sofre pressão internacional por causa do aumento no desmatamento, relacionado ao Código Florestal, e do licenciamento da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu.

Segundo o ICMBio (Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade), a ideia é ter um projeto de lei ou Medida Provisória determinando a redução das áreas protegidas até agosto.

Documentos internos do instituto, obtidos pela Folha, mostram que a proposta foi feita sem estudos técnicos e tem oposição unânime dos chefes das unidades.

Segundo eles, as usinas alagariam 3.200 km² (duas vezes a área da cidade de São Paulo). Sua instalação subverteria a razão de ser das unidades de conservação.

LAGOS

O pedido de redução foi feito em janeiro pela Eletronorte. A estatal entregou ao ICMBio mapas com as partes das áreas protegidas que serão alagadas pelos reservatórios.

A megausina de São Luiz do Tapajós, a principal do complexo, terá 6.133 megawatts, quase a potência somada de Jirau e Santo Antônio, no rio Madeira.

Seu lago deve atingir parte do parque nacional da Amazônia, o mais antigo da região Norte, e das Flonas (Florestas Nacionais) de Itaituba 1 e 2. A segunda maior usina do complexo, Jatobá, terá 2.338 megawatts e alagará parte da Flona Itaituba 1.

SEM ESTUDO

Os parques integram o mosaico de unidades de conservação da BR-163, criado pela então ministra de Meio Ambiente, Marina Silva, em 2005 para conter o desmatamento e a grilagem de terras na região. É o maior conjunto de áreas protegidas do país. A maioria não possui estudos detalhados de biodiversidade.

Os chefes das áreas protegidas afirmam que a proposta de redução da Eletronorte foi feita "na caneta", sem estudo técnico nem ambiental.

O mapa elaborado pela estatal da área a ser alagada no parque nacional da Amazônia, por exemplo, inclui um trecho da Transamazônica, que teria de ter seu traçado refeito --passando por dentro do parque.

Procurado pela Folha, o presidente do ICMBio, Rômulo Mello, disse que as reduções estão sendo discutidas e ainda não têm aval do instituto. Ele afirmou, porém, que a redução dos parques não é nenhuma surpresa.

"Quando as UCs[unidades de conservação] foram criadas, já havia acordo entre os ministérios" sobre os estudos para a construção das usinas. A Eletronorte afirmou, por meio da assessoria, que não pode se manifestar sobre o tema, pois o assunto está em discussão na Presidência. O Ministério de Minas e Energia não havia se pronunciado até o fechamento desta edição.


Para matar de raiva os sempre exagerados eco-xiitas:

1 - Podemos, ironicamente, usar aqui a famosa frase: "Enquanto os cães ladram, a caravana passa".

2 - Essa questão da energia é justamente um caso em que o Governo poderia combinar com a grande imprensa (já que sabemos o lado político dos editorais) para estigmatizar (ainda mais) e anular o discurso dos ambientalistas radicais, anular a ajuda de "Camerons" da vida e etc.

AHMEUDEUS que do mal!

Não, isso é apenas uma constatação possível, e se já fazem isso por qualquer bobagem, podiam fazer para algo realmente importante.
__________________
Visit WIKIMAPIA - describe your world.
Naipesky no está en línea   Reply With Quote
Old July 5th, 2011, 03:30 AM   #251
Pedrocn
UNICAMP
 
Pedrocn's Avatar
 
Join Date: Apr 2006
Posts: 1,175
Likes (Received): 33

Belo Monte já tem canteiro inicial da obra
De São Paulo
04/07/2011


O consórcio construtor da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (CCBM) já começou a instalar o primeiro canteiro de obras no Rio Xingu, no Pará, segundo informação da Agência Brasil. Aguardava apenas a abertura da primeira janela hidrológica, período com menor incidência de chuvas na região, para iniciar a obra. Como neste ano o período chuvoso foi um pouco mais extenso, as primeiras movimentações de equipamentos e operários começaram no dia 23 de junho.

De acordo com o consórcio, a instalação do primeiro canteiro avança em ritmo intenso, com máquinas pesadas e trabalhadores atuando no Sítio Belo Monte, localizado no município de Vitória do Xingu, a aproximadamente 50 km de Altamira (PA), próximo à Rodovia Transamazônica.

As primeiras ações têm priorizado o desmatamento e a terraplenagem do terreno, próximo ao trecho do rio Xingu onde serão instaladas as 18 turbinas geradoras da usina. Também serão construídos escritórios, ambulatórios médicos, almoxarifado, oficinas mecânica e de carpintaria, rampas para lavagem de caminhões e máquinas pesadas, refeitório e uma cozinha industrial capaz de preparar mil refeições por dia. Também estão sendo montados 18 alojamentos climatizados, cada um para 32 trabalhadores, até que as construções definitivas sejam feitas.

A previsão do CCBM é que os equipamentos mais pesados cheguem ao cais da região já na próxima semana. Máquinas como tratores de esteira e motoniveladoras só começarão a ser utilizadas na obra após testadas e aprovadas.

Fonte: http://www.valoronline.com.br/impres...nicial-da-obra
__________________
"We must become the change we want to see in the world".
-Mohandas Gandhi aka Mahatma Gandhi.
Pedrocn no está en línea   Reply With Quote
Old July 7th, 2011, 12:58 AM   #252
mopc
USP
 
mopc's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Santos Sao Paulo
Posts: 15,100
Likes (Received): 5597

mopc no está en línea   Reply With Quote
Old July 7th, 2011, 04:06 PM   #253
marcos.bh
Registered User
 
marcos.bh's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Location: Belo Horizonte
Posts: 1,369
Likes (Received): 230

Belo Monte: equipamentos chegam à região do Xingu
Do Setorial News - Energia

Os primeiros equipamentos que serão utilizados nas obras de construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), desembarcaram na última terça-feira no cais de Vitória do Xingu. São 37 máquinas pesadas adquiridas recentemente pelo Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM).

Um comboio de embarcações transportou os equipamentos do porto de Belém até o local da obra numa viagem de cerca de 80 horas.



Após passarem por inspeção técnica, as 37 máquinas – compostas por 10 tratores, 7 motoniveladoras, 7 rolos compactadores, 5 pás carregadeiras, 5 escavadeiras e 3 retroescavadeiras – começarão a operar ainda esta semana nas frentes de trabalho no Sítio Belo Monte, em Vitória do Xingu.

Dos cerca de 700 equipamentos do gênero comprados pelo consórcio construtor para as obras de Belo Monte, incluídos os caminhões, a metade tem chegada prevista à região até o fim do ano.

Desde o último dia 23, está sendo realizada a terraplenagem e a supressão vegetal do local, etapas que antecedem a construção do canteiro, localizado a 50 km de Altamira.

A primeira turbina da hidrelétrica tem previsão para entrar em operação em 2015, mas a usina deve operar com capacidade total apenas em 2019. O custo estimado é de R$ 29 bilhões.

FA

Fonte: Agência Rio
marcos.bh no está en línea   Reply With Quote
Old July 8th, 2011, 12:34 AM   #254
Pedrocn
UNICAMP
 
Pedrocn's Avatar
 
Join Date: Apr 2006
Posts: 1,175
Likes (Received): 33

Excelente!!!
__________________
"We must become the change we want to see in the world".
-Mohandas Gandhi aka Mahatma Gandhi.
Pedrocn no está en línea   Reply With Quote
Old July 9th, 2011, 02:16 PM   #255
BraVision
BANNED
 
Join Date: Dec 2007
Location: Melbourne
Posts: 2,476
Likes (Received): 59

Quote:
Originally Posted by mopc View Post

BraVision no está en línea   Reply With Quote
Old July 9th, 2011, 10:33 PM   #256
lusorod
LUSOROD
 
lusorod's Avatar
 
Join Date: Mar 2008
Location: SAO PAULO/LONDON
Posts: 8,355
Likes (Received): 507

Quote:
Originally Posted by Naipesky View Post
Deixando registrado aqui:






Para matar de raiva os sempre exagerados eco-xiitas:

1 - Podemos, ironicamente, usar aqui a famosa frase: "Enquanto os cães ladram, a caravana passa".

2 - Essa questão da energia é justamente um caso em que o Governo poderia combinar com a grande imprensa (já que sabemos o lado político dos editorais) para estigmatizar (ainda mais) e anular o discurso dos ambientalistas radicais, anular a ajuda de "Camerons" da vida e etc.

AHMEUDEUS que do mal!

Não, isso é apenas uma constatação possível, e se já fazem isso por qualquer bobagem, podiam fazer para algo realmente importante.
Concordo, os eco xiitas fazem um teatro pq são pagos para isso. Deveriam investiga-los, a maioria trabalha pra ONGs corruptas. Não acho que o discurso deles tenha sequer cunho ideologico, só protestam pra dar justificativa a sua existência e ao dinheiro que recebem do GF.

Eu acho bom que haja controle ambiental, consciencia ambiental etc e tal, mas sem exageros. O Brasil e´um dos paises mais avançados no quesito de geração de energia limpa.... os eco xiitas focam nas coisas erradas, eles deveriam focar na falta de saneamento das cidades Brasileiras, que são um desastre ambiental e social.....pq nao focam nisso?
__________________
LUSOROD

((((((((((MUITO AMOR NA SUA ALMA))))))))))))))))
lusorod no está en línea   Reply With Quote
Old July 9th, 2011, 10:33 PM   #257
lusorod
LUSOROD
 
lusorod's Avatar
 
Join Date: Mar 2008
Location: SAO PAULO/LONDON
Posts: 8,355
Likes (Received): 507

Quote:
Originally Posted by marcos.bh View Post
Belo Monte: equipamentos chegam à região do Xingu
Do Setorial News - Energia

Os primeiros equipamentos que serão utilizados nas obras de construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), desembarcaram na última terça-feira no cais de Vitória do Xingu. São 37 máquinas pesadas adquiridas recentemente pelo Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM).

Um comboio de embarcações transportou os equipamentos do porto de Belém até o local da obra numa viagem de cerca de 80 horas.



Após passarem por inspeção técnica, as 37 máquinas – compostas por 10 tratores, 7 motoniveladoras, 7 rolos compactadores, 5 pás carregadeiras, 5 escavadeiras e 3 retroescavadeiras – começarão a operar ainda esta semana nas frentes de trabalho no Sítio Belo Monte, em Vitória do Xingu.

Dos cerca de 700 equipamentos do gênero comprados pelo consórcio construtor para as obras de Belo Monte, incluídos os caminhões, a metade tem chegada prevista à região até o fim do ano.

Desde o último dia 23, está sendo realizada a terraplenagem e a supressão vegetal do local, etapas que antecedem a construção do canteiro, localizado a 50 km de Altamira.

A primeira turbina da hidrelétrica tem previsão para entrar em operação em 2015, mas a usina deve operar com capacidade total apenas em 2019. O custo estimado é de R$ 29 bilhões.

FA

Fonte: Agência Rio



Otimoooooooooooooo
__________________
LUSOROD

((((((((((MUITO AMOR NA SUA ALMA))))))))))))))))
lusorod no está en línea   Reply With Quote
Old August 2nd, 2011, 06:16 AM   #258
ricfelix
Belém - Pará
 
ricfelix's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Posts: 17,773
Likes (Received): 6905

Altamira tá bombando, a cidade está passando por um boom imobiliário!!
__________________
Quando ela chegou com aquele papo suspeito de dizer que não tinha nada, categórico eu deduzi: aí tem! Menina de Belém com sapatilhas de cinema, folheando um livro de bolso do Nietzsche, num sebo no centro da cidade, aí eu disse:

Você não era kitsch? lembra que você me disse?


Fanzine kitsch - Felipe Cordeiro.
ricfelix no está en línea   Reply With Quote
Old August 3rd, 2011, 03:12 AM   #259
superkyo
Registered User
 
superkyo's Avatar
 
Join Date: Jul 2007
Location: SOROCABA-SP
Posts: 3,351
Likes (Received): 191

Oque ocorre nessas cidade pequenas depois que acabam obras grandes como essa ? mta gente deve ir embora creio eu.
__________________
Projetos:
BRT - SOROCABA
superkyo no está en línea   Reply With Quote
Old August 4th, 2011, 01:36 AM   #260
Thilindha
Andy
 
Thilindha's Avatar
 
Join Date: Feb 2009
Location: Porto Velho - RO (Rondônia)
Posts: 2,701
Likes (Received): 91

Flickr - Minplanpac

Fotos de junho e julho de 2011

Máquinas que serão usadas na obra da hidrelétrica Belo Monte, no Pará, em balsa no rio Xingu
image hosted on flickr


As primeiras máquinas chegando ao sítio Pimental, no rio Xingu, no Pará, para o início das obras da hidrelétrica Belo Monte.
image hosted on flickr


image hosted on flickr


image hosted on flickr


image hosted on flickr


image hosted on flickr


image hosted on flickr


image hosted on flickr
__________________
Threads e Fotos
'___
║□□║
║□□║ Projetos de Rondônia e ObrasTodos meus Threads (separados por categoria)
Thilindha no está en línea   Reply With Quote


Reply

Tags
altamira, pará, usina hidrelétrica

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 04:31 PM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.8 Beta 1
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like v3.2.5 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu