daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy (aug.2, 2013) | DMCA policy | flipboard magazine

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Fóruns Brasileiros > Fóruns Regionais > Sudeste

Sudeste Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro



Reply

 
Thread Tools
Old August 4th, 2010, 09:21 PM   #21
Driano MG
Mineiro da Mata
 
Driano MG's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Juiz de Fora
Posts: 9,077
Likes (Received): 750


2ª Parte:
A formação da cidade e seus prédios através dos tempos.



Igreja Santo Antonio, foto de 1847
Em 1856, ocasião em que a Vila foi transformada em Cidade de Santo Antônio do Paraibuna, a população urbana ainda era diminuta: contava mais ou menos com seiscentos habitantes.

asminasgerais.com.br

Chegada dos colonos em Juiz de Fora
Entre os imigrantes chegados no início de 1856, incluia-se um leque variado de especialistas: mecânicos, ferreiros e técnicos em construções de pontes. A fixação dos imigrantes na cidade, concluido o prazo dos contratos, organizando pequenas indústrias (cervejarias, oficinas de carroças, máquinas agrícolas e de reparos), serrarias, curtumes, fábrica de implementos agrícolas, casas de comércio ou dedicando-se ao setor de serviços, significou, por um lado, a existência de um mercado consumidor para o qual destinavam produtos de suas especializações e, por outro lado, mediante sua incorporação como produtores, a ampliação do mercado consumidor local.

asminasgerais.com.br

Aldeia da Colonia D. Pedro II -1872
O estabelecimento da sede da Cia. União Indústria, a introdução dos imigrantes e a criação da Colônia D. Pedro II, vão ser um forte estímulo ao crescimento urbano. Com a inauguração da rodovia União e Indústria, em l861, Juiz de Fora se transformou no entreposto por excelência da Zona da Mata. Com isto intensificaram-se os processos de divisão social do trabalho e de troca de mercadorias, tendo como resultado a diversificação da economia e a inauguração de uma nova fase de crescimento urbano acelerado.

asminasgerais.com.br

Inauguração do Fórum em 1878

acervo Marcelo Lemos

Irmãos Surerus, em 1886
Henrique Surerus e Irmãos, chegados com outros familiares em 1861, iniciaram suas atividades no ramo da construção e, mais tarde, em 1886, estabelecem-se no centro da cidade com artigos de construção, oficina, serraria e fábrica de carroças.

acervo Alberto Surerus Moutinho

Lincoln & Cia
Em 1887, fundou-se o primeiro banco: Banco Territorial e Mercantil de Minas Gerais e a Sociedade Promotora da Imigração; Em 1889, criou-se um novo Banco, o Crédito Real de Minas Gerais e inauguraram-se os serviços de iluminação elétrica da cidade. O Censo Federal de 1890 acusou uma população de 17.722 habitantes para o distrito.

asminasgerais.com.br

1ª Usina Hidroelétrica da América do Sul

geração de energia elétrica com a Companhia Mineira de Eletricidade (1889) e a sua posterior aplicação como força-motriz à indústria, contribui para o estabelecimento de novos empreendedores.


acervo Ramom Brandão


Tecelagem Bernardo Mascarenhas
Bernardo Mascarenhas consegue trazer em carros de bois os primeiros teares para Minas, montando em 1888 a Tecelagem Bernardo Mascarenhas. É o fundador da Companhia Mineira de Eletricidade, inaugurada em 5 de setembro de 1889. Em 28 de agosto de 1898, pela primeira vez no Brasil, inaugura-se a instalação de dois motores elétricos aplicados à produção industrial.


acervo Marcelo Lemos


Fundição e outras indústrias
O segundo período da industrialização de Juiz de Fora começa a delinear-se nos fins do século XIX, acentuando-se no início do século XX.

acervo Marcelo Lemos

Curtume Krambeck
A partir de meados do século XIX, surge o primeiro grande curtume da região. O conjunto remanescente do Curtume Krambeck funcionava na Rua Bernardo Mascarenhas, hoje só restou as chaminés no local.


acervo Marcelo Lemos


Estamparia Mineira, foto de 1912

acervo Marcelo Lemos

Tecelagem Antônio Meurer, foto de 1915

acervo Marcelo Lemos

Tecelagem Santa Cruz em 1915

acervo Marcelo Lemos

Cia. Construtora Pantaleone Arcuri
A companhia Construtora Pantaleone Arcuri foi fundada em 1895, destacou-se por suas oficinas onde produzia-se carroças, telhas de amianto, portas, janelas, ladrilho hidráulico, chegando a ter, na década de 20 uma representação de automóveis FIAT importados da Itália.

A sede


acervo Ramom Brandão

Oficinas

acervo Ramom Brandão


Alfandega da Estrada de Ferro Central do Brasil, 1893
Por ser terminal da rodovia que servia a uma importante região cafeeira e ter-se transformado em polo economico mais importante da Zona da Mata, Juiz de Fora começou a aglutinar grandes interesses, tornando-se palco de grandes negócios, de intensa circulação de mercadorias, de grande concentração e acumulação de capital. O edifício da antiga Alfândega Ferroviária do Estado de Minas Gerais construído em 1893, possui a fachada composta por duas alas de tratamento diferenciado, sendo uma de características mais simples e a outra mais rebuscada, dominada por detalhes vigorosos de inspiração barroca, na qual se encontra o acesso principal destacado por frontão alteado com volutas, que marca o eixo de simetria da composição. Hoje é ocupada por parte do 4º Depósito de Suprimentos do Exército.

asminasgerais.com.br


Lago da Quinta dos Lages, foto de 1861
"Nessa viagem, o imperador e sua comitiva passearam de barco pelo lago da Quinta dos Lage, indo até o rio Paraibuna, através de um canal que contornava a colina onde está a ”Villa“. Segundo a reportagem publicada no ”Jornal do Comércio“, do Rio de Janeiro, na edição de 27 de junho de 1869, ”durante o passeio de Suas Majestades, os alemães da colônia da Companhia formavam em torno do lago uma linha de archotes cujos fogos refletiam nas águas prateadas pelo clarão da lua“. Vinte anos depois, exatamente no dia 15 de novembro de 1889, depois de muitos conflitos entre monarquistas e republicanos, a República era proclamada.E a família imperial, dois dias depois, era embarcada sigilosamente para Portugal, encerrando-se assim 67 anos de monarquia no Brasil. No dia 5 de dezembro de 1891, Dom Pedro II morria em Paris, onde estava exilado". (trecho do livro histórico do museu)



acervo Ramom Brandão


Quinta dos Lage, foto de 1872

acervo José Leite



Museu Mariano Procópio, foto de década de 1920
Da herança deixada por Mariano Procópio a seus filhos estava o castelo por ele construído, mais tarde vendido ao Governo Federal que no local instalou a sede do Quartel General da 4ª Região Militar. Alfredo Ferreira Lage (filho de Mariano Procópio) revelou suas intenções de ali abrigar um acervo que vinha colecionando desde sua juventude. Aos poucos ele foi se tornando possuidor de um acervo de preciosidades artísticas e objetos históricos com o intuito de formar ali um museu. Quando, em 1921, o Conde D’Eu e a Princesa Isabel puderam retornar ao Brasil em virtude do fim do decreto do banimento, estiveram na cidade e visitaram o local que já podia ser considerado um museu. Foi nessa ocasião que Alfredo Lage revelou sua intenção de doar todo seu acervo para a Municipalidade. No ano seguinte, foi inaugurada uma galeria com os bustos de Conde D’Eu e da Princesa Isabel e o parque foi franqueado ao público, mas, a doação efetiva só realizou-se em 1936.



acervo Sérgio Brasil


Academia do Comércio
Estabelecido em Juiz de Fora desde 1882, cujo objetivo era formar comerciantes e administradores.

Foto de 1925

acervo Marcelo Lemos


Anos 40

acervo Marcelo Lemos


Santa Casa de Misericórdia, foto de 1900


acervo Ramom Brandão

Igreja de São Sebastião em 1900

acervo Marcelo Lemos

Parque Halfeld, foto de 1901
Foi o primeiro logradouro público da então Vila de Santo Antônio do Paraibuna. O Antigo Jardim Municipal era o local escolhido para instalação das diversões itinerantes que passavam pela cidade, já que Juiz de Fora não possuía nenhuma forma regular de entretenimento. Sua primeira reforma data de 1879 quando foi ajardinado e finalmente, em 1906 foi totalmente reformado passando a chamar Parque Halfeld.

acervo Marcelo Lemos

Prédio da antiga biblioteca municipal que funcionava no Parque Halfeld, foto de 1915

acervo Agnaldo Rocha Marliere

Construção do Cristo de Juiz de Fora em 1906
Esse monumento é considerado o primeiro da América do Sul nesse estilo.

acervo Ramom Brandão

Antigo fórum em 1907, hoje atual Câmara Municipal

acervo Ramom Brandão

Hotel Renascença em 1907
O hotel é um dos primeiros edificados na Praça da Estação com data anterior a 1893, sua implantação repete o esquema remanescente do período colonial de alinhamento nas divisas frontal e laterais do terreno, em forma de “U”. A região da Praça da Estação foi marcada pela fixação de imigrantes que especializaram-se na prática comercial. O hotel abrigou hóspedes ilustres como os presidentes Arthur Bernardes e Getúlio Vargas. Representa um período do auge ferroviário, representado em Juiz de Fora pelo Largo da Estação que teve seu processo de decadência iniciado com a instalação das rodovias.

acervo Ramom Brandão

Mercado Municipal em 1904
Belíssimo exemplar do estilo eclético, construído em 1904 para abrigar o Mercado Municipal de Juiz de Fora.

acervo Eduardo Tipotti

Foto do prédio em 1930

acervo Marcelo Lemos

Colégio Mineiro, foto do início do século XX
Esse prédio já não existe mais, no lugar foi construído o atual fórum da cidade.

acervo Marcelo Lemos

Instituto Metodista Granbery, foto de 1940
Colégio tradicional da cidade, fundado em 1889 por padres metodistas.

acervo Ramom Brandão

Projeto do colégio

acervo Ramom Brandão

Colégio Stella Matutina, fotos de 1940
Data do final do século XIX a criação de escolas secundárias e, posteriormente, de escolas superiores, destinadas a formação de mão de obra.

acervo Ramom Brandão


acervo Ramom Brandão

Colégio Santa Catarina, foto de 1915
As irmãs da Congregação Sta. Catarina chegaram á cidade em 1900 para ministrarem aulas ás crianças da Colônia Alemã e lecionaram até 1907 quando afastaram-se das salas de aula. Em 1908 a Congregação adquiriu um terreno no Morro da Gratidão (atual Av. dos Andradas) e lá construiu o Colégio Santa Catarina sendo inaugurado em 1908.

acervo Marcelo Lemos

Escola de Engenharia de Juiz de Fora, foto de 1915
Uma das mais antigas do país, foi fundada em 1914, em 1960 foi integrada pelo Presidente Juscelino Kubitschek com as Faculdades de Medicina, Odontologia e Direito da cidade para formar a Universidade Federal de Juiz de Fora.

acervo Marcelo Lemos

Escola de Farmácia e Odontologia, foto de 1915
Foi fundada em 1904, em 1960 o presidente Juscelino Kubitscheck cria a Universidade Federal de Juiz de Fora, englobando a Escola de Farmácia e Odontologia, juntamente com as faculdades de Direito, Engenharia, Ciências Econômicas e Medicina.

acervo Marcelo Lemos

Redação do jornal "O Pharol", foto de 1915
O jornal foi fundado em 1866 em Paraíba do Sul, se transferindo pra Juiz de Fora em 1871.

acervo Ramom Brandão

Redação do "Diário Mercantil" em 1915
Esse jornal chegou a ser o mais importante da cidade até os anos 50.

acervo Ramom Brandão

Cinema Pharol, foto de 1915
Inaugurado em 1908, é considerado a primeira sala de exibição fixa na cidade, já que as outras companhias e empresas normalmente eram itinerantes, permanecendo na cidade por alguns dias ou meses.

acervo Ramom Brandão

Cine Rex, foto de 1950
Uma das raras salas de cinema que funcionavam fora do centro de Juiz de Fora, o Cine Rex era localizado na rua Doutor Duarte de Abreu, nº 58, no bairro Mariano Procópio. Fundado em 1925 foi um dos empreendimentos de exibição cinematográfica com a mais longa história da cidade de Juiz de Fora. O Cine Rex permaneceu em atividade de 1925 até 1979, ano de sua desativação.

acervo Marcelo Lemos

Teatros
Juiz de Fora, em 1925, contava com cerca de oito casas de espetáculos: O Cine-Theatro Paz, o Cine-Theatro Polytheama, o Cine-Theatro Juiz de Fora, o Cine-Theatro Variedades, o Cine-Theatro Popular, de João Carriço, o Cine-Theatro Ideal e os espaços do Palco da Federação Operária e o Anfiteatro da Academia de Comércio, além de palcos em diversas escolas. Este aparato demonstra o porquê Arthur de Azevedo nomeou a cidade de “Atenas Mineira”.

Theatro Juiz de Fora, foto de 1915

acervo Ramom Brandão

Palco

acervo Marcelo Lemos

Cine-Theatro Polytheama, foto de 1915
Funcionava onde hoje é o Cine Central.

acervo Marcelo Lemos

Construção do Cine Teatro Central, fotos de 1928
A Companhia Central de Diversões, fundada em 1927, tinha como um dos seus objetivos a construção de um grande teatro, em substituição ao Teatro Politheama , dando início à mesma em 1928 com inauguração datando de 1929.

acervo Ramom Brandão


acervo Ramom Brandão

Sociedade Alemã, foto de 1915

acervo Ramom Brandão

Sociedade Italiana em 1915

acervo Ramom Brandão

Sociedade Portuguesa, foto de 1915

acervo Ramom Brandão

Antigo prédio do Telégrafo Nacional em 1915
Funciona na esquina da Av. Rio Branco com Espírito Santo.

acervo Ramom Brandão

Vice-consulado italiano, 1915

acervo Ramom Brandão

Vice-consulado português em 1915

acervo Ramom Brandão

Igreja de São Roque, década de 1920

acervo Agnaldo Rocha Marliere

Catedral Metropolitana de Juiz de Fora, foto dos anos 50
A primeira capela de Santo Antônio foi construída em 1847. Em 1924, foi elevada à condição de catedral, passando por reformas substanciais.

acervo Marcelo Lemos

Antigo palacete na Av. Rio Branco, foto de 1930
Hoje nesse local foi construído o Shopping Rio Branco.

acervo Ramom Brandão

Palacete de inspiração italiana, década de 30

acervo Agnaldo Rocha Marliere

Edifício Ciampi, foto anos 30
Inaugurado em 1930 com 4 pavimentos, foi precursor dos modernos edifícios urbanos que hoje em dia saturam a cidade.

acervo Ramom Brandão

Antigo Hotel Palace, foto de 1938

acervo Marcelo Lemos

Primeiro bate-estaca da cidade, construção do Rocha Hotem em 1940

acervo Ramom Brandão

Edifício Sulacap, foto da década de 1940
A rua Halfeld foi vítima de sua própria valorização, as antigas construções de apenas dois pavimentos, foram demolidas para ceder lugar a arranha-céus e prédios de um novo padrão arquitetônico. Um dos prédios divisor de época é o edifício Sulacap, construído no início da década de 40.

acervo Ramom Brandão

Banco do Brasil, foto de 1954
Em 1941, a cidade é contemplada com um projeto de Oscar Niemeyer para o Banco do Brasil, onde podemos verificar o emprego de pilotis, pano de vidro, mezanino em curva com larga escada helicoidal, planta livre e o brise-soleil, em veneziana, que cobre toda a fachada voltada para a Av. Getúlio Vargas.

acervo Marcelo Lemos

Casa na região da Cidade Alta, foto anos 40
Hoje funciona a boate Privilege

acervo Ramom Brandão

Construção do prédio da Santa Casa em 1950

acervo Ramom Brandão

Praça da estação, anos 50

acervo Marcelo Lemos

Construção da Igreja Melquita em 1958

acervo Ramom Brandão

Morro do Imperador, anos 60

acervo Ramom Brandão

Antiga residência na esquina da Av. Independência com Av. Rio Branco, em 1960

acervo Marcelo Lemos

Aeroclube de Juiz de Fora em 1967
Pouca gente sabe, mas o Aeroclube de Juiz de Fora funcionava onde hoje é o Colégio Militar no bairro Nova Era.

acervo Ramom Brandão

Construção da UFJF em 1969

acervo Ramom Brandão

Em fase final de construção mas já em pleno funcionamento em 1969

acervo Eduardo Tipotti

Igreja de São Mateus, anos 70

acervo Ramom Brandão

Castelinho da Década de 20, foto da década de 1970
A edificação eclética apalacetada, inspirado na mansão Guinle, no Rio de Janeiro, foi projetada e construída por volta de 1924.

acervo Ramom Brandão

Antiga casa em estilo normando, foto de 1980
Foi demolida para dar lugar a um estacionamento

acervo Ramom Brandão










3ª Parte:
Panorâmicas e vistas aéreas através das décadas e dos séculos.


A cidade do final do século XIX

acervo Marcelo Lemos

Parcial da cidade, fins do século XIX

acervo Ramom Brandão

Região da Getúlio Vargas, início do século XX

acervo Ramom Brandão

Enchente em 1906, até os anos 50 a cidade sofria com as inundações

acervo Agnaldo Rocha Marliere

Vista da cidade em 1915

acervo Marcelo Lemos

Rua Sampaio esquina com Santa Helena em 1922

acervo Alberto Surerus Moutinho

Bairro Granbery em 1925

acervo Alberto Surerus Moutinho

Parcial em 1930

acervo Ramom Brandão

Região do Parque Halfeld, anos 30

acervo Ramom Brandão

Década de 1930

acervo Marcelo Lemos

Uma das primeiras vistas aéreas da cidade em 1939

acervo Ramom Brandão

Parcial do centro, foto dos anos 40

acervo Marcelo Lemos



Enchente em 1940
Até os anos 50, Juiz de Fora sofria com enchentes costantes que alagavam boa parte do centro da cidade. O rio Paraibuna na época era mais sinuoso e tinha pequenas cachoeiras que favoreciam as inundações. Por volta dos anos 50 o governo federal fez um plano de reestruturação do rio, nivelando a calha e deixando o leito mais retilíneo.

acervo Ramom Brandão

Região da Praça Antônio Carlos nos anos 40

acervo Ramom Brandão

Vista aérea em 1950

acervo Ramom Brandão

Parcial do centro em 1950

acervo Ramom Brandão

Bairros Granbery e Alto dos Passos em 1950
Detalhe para o prédio da Santa Casa sendo construído

acervo Marcelo Lemos

Bairro Santa Helena nos anos 50

acervo Ramom Brandão

Aérea em 1955

acervo Ramom Brandão

Vista da cidade, anos 50
Detalhe para o grande número de telhados dos casarões e casas no centro.

acervo Marcelo Lemos

Final dos anos 50

acervo Ramom Brandão

Início dos anos 60

acervo Ramom Brandão

Bairro Bom Pastor em 1960

acervo Ramom Brandão

Região da Getúlio com Halfeld em 1963

acervo Ramom Brandão

Bairro Vitorino Braga em 1963

acervo Ramom Brandão

Aérea em 1969

acervo Ramom Brandão

Vista aérea em 1970

acervo Ramom Brandão

1970
Detalhe para a Av. Independência ainda sem prédios e recém urbanizada com a canalização do córrrego.

acervo Ramom Brandão

Rio Branco, anos 70

acervo Marcelo Lemos

A cidade nos anos 70

acervo Marcelo Lemos

Cartão postal dos anos 70

acervo Marcelo Lemos

Avenida Rio Branco na década de 1970

acervo Marcelo Lemos

Vista aérea em 1980

acervo Ramom Brandão

Aérea no início da década de 1980
Detalhe que ainda não tinha sido construído o Mergulhão.

acervo Ramom Brandão

Parcial da Zona Sul em 1984

acervo Eduardo Tipotti






Extras:

Diário da Tarde de 1971, assim seria Juiz de Fora 30 anos depois

acervo Eduardo Tipotti

Em 1872 demorava 12 horas a viagem entre Juiz de Fora e Petrópolis de diligência

acervo Sergio Brasil

FIM

Last edited by Driano MG; August 4th, 2010 at 10:02 PM.
Driano MG no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
 
Old August 4th, 2010, 09:26 PM   #22
Driano MG
Mineiro da Mata
 
Driano MG's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Juiz de Fora
Posts: 9,077
Likes (Received): 750

Pessoal o thread está pronto e finalizado, desculpem ele ter ficado um tempo sumido mas eu estava refazendo algumas coisas nele...
Driano MG no está en línea   Reply With Quote
Old August 4th, 2010, 09:53 PM   #23
O Natalense
respeita a puliça, caba!
 
O Natalense's Avatar
 
Join Date: Jan 2004
Posts: 6,552
Likes (Received): 2145

Belo relato.
Parabéns, especialmente para os donos desse precioso acervo.
O Natalense no está en línea   Reply With Quote
Old August 4th, 2010, 10:41 PM   #24
Leojf
Registered User
 
Leojf's Avatar
 
Join Date: Jan 2008
Location: Vitória/ES
Posts: 2,764
Likes (Received): 10

Muito bom, gostei dessa foto do diário da tarde "meio bola de cristal" como sera a cidade daqui a 20, 30 anos. Eu nunca vi uma certa
Leojf no está en línea   Reply With Quote
Old August 4th, 2010, 11:27 PM   #25
Lukas Baiano
******
 
Lukas Baiano's Avatar
 
Join Date: Apr 2006
Location: Feira de Santana-BA
Posts: 4,550
Likes (Received): 308

Já ia perguntar o porque do thread fechado!
Lukas Baiano no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 12:09 AM   #26
EricoWilliams
Annoying Moderator
 
EricoWilliams's Avatar
 
Join Date: Sep 2005
Location: Brasil
Posts: 17,311

Esse thread tá ótimo, a Rio Branco quase não mudou!(hehe) Se tivessem mantido os bondes, provavelmente hoje ali correria um VLT, que seria bem melhor pra demanda que existe na avenida.
__________________
SSC Brasil
EricoWilliams no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 12:16 AM   #27
Valter
Registered User
 
Valter's Avatar
 
Join Date: Aug 2007
Location: Uberlândia - Araxá - Carmo do Paranaíba - Bambuí
Posts: 8,608
Likes (Received): 570

Incrível! Adoro esse tipo de thread e você conseguiu muito bem ir descrevendo fatos relevantes da história de JF aproveitando o material que tinha em mãos. Por mais que soubesse da pujança ecônomica de JF no início do sec. XX as fotos me surpreenderam. O título de "Manchester Mineira" que a cidade recebeu, com certeza era apropriado. Parabéns pelo thread!
Valter no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 12:36 AM   #28
Emanuel Paiva
Registered User
 
Emanuel Paiva's Avatar
 
Join Date: Oct 2008
Location: Rio de Janeiro
Posts: 26,017
Likes (Received): 2927

Driano, eu queria muito comentar esse seu "achado" ESPETACULAR, mas só me restou mesmo...

Lindo!!! Lindo!!! Lindo!!!
__________________
Meus trabalhos fotográficos
Emanuel Paiva no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 12:37 AM   #29
lfernand
Registered User
 
Join Date: May 2008
Location: Juiz de Fora, MG, Brasil
Posts: 221
Likes (Received): 0

Antes essas fotos eram raras, difícil de serem vistas. Hoje em dia alguém com internet entra no Skyscrapercity e consegue ver e pegar fotos de todas as épocas da maioria das cidades. E quanto mais tempo passa mais esse acervo cresce.

Excelente thred Driano, mais um.
lfernand no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 12:46 AM   #30
Thina
Registered User
 
Thina's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Posts: 10,758
Likes (Received): 2709

Quote:
Originally Posted by Positronn View Post
Me desculpe quem é de Juiz de Fora, mas a cidade piorou arquitetonicamente falando. A Avenida Rio Branco era lindíssima até 1940; em termos de edifícios, os anos 60 e 70 foram terríveis, onde surgiram a maior parte dos blocões sem graça.

Por outro lado, a pujância da cidade só aumentou e isso é perfeitamente visível ao longo dos anos. O movimento, o progresso, a infraestrutura, e felizmente, uma parte do patrimônio histórico está hoje ainda pelas ruas dessa bela cidade mineira.
Concordo os anos 60 e 70 foram muito triste em relação a demolir casarões e surgimento de blocões, e isso não é exclusivo de Juiz de Fora, tem cidades que houve mais demolições como se vê em várias cidades que é mostrada no SSC em um antes e depois.

Também concordo no segundo parágrafo, é visível o progresso, infraestrutura, também urbanização.

Ótimo thread é muito bom ver fotos antigas.
__________________
Thina no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 01:42 AM   #31
Driano MG
Mineiro da Mata
 
Driano MG's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Juiz de Fora
Posts: 9,077
Likes (Received): 750

Quote:
Originally Posted by lfernand View Post
Muito boas as fotos Driano, foi bom ver a evolução da cidade durante os anos. Gostaria de ver a Rio Branco com 3 pistas expressas para cada lado e uma exclusiva para acesso as ruas e pontos de ônibus. Como era em 70 só que com estacionamento proibido em toda extensão. O único problema nessa história eu acredito é a quantidade de pedestres x pessoas esperando ônibus x calçadas pequenas.
Essas fotos são mesmo mto boas, o problema das 3 pistas expressas é justamente como vc disse os pontos de ônibus nas calçadas, acredito que esse foi o principal motivo pra se criar a pista central em 1982.


Quote:
Originally Posted by David de andrade View Post
Uma coisa que eu percebo nas fotos antigas das cidades brasileiras, a maioria das cidades tinham um urbanismo Fantástico, agora eu pergunto, o Brasil esqueceu de se "fazer" cidades ? Pq que antes nossas cidades eram melhores, tinham um equipamento urbano bem melhor do que o atual?

Muito bom ver Juiz de Fora do inicio do século passado, mostra a importância da cidade desde aquele tempo. muito bom,
Eu tb acho e dá uma certa tristeza ver fotos antigas das nossas cidades, acho que as décadas de 60 e 70 acabaram mesmo com a beleza do centro de mtas delas.


Quote:
Originally Posted by Bruno BHZ View Post
Bem legal o passeio, dá para ver bem como a partir do século XX a cidade torna-se importante e próspera.
Dá pra viajar legal nessas fotos...

Quote:
Originally Posted by xyzclone View Post
Nossa Driano, que acervo!!!!!!!!!!!!!!!!


Você está mais uma vez de parabéns!
senti falta de fotos da Independência e bem que a Andradas podia ser como antes hein.

Visite o site da universidade que lá tem fotos da construção!

Abraço!!!
Na outra página tem uma foto aérea dos anos 70 que dá pra ver a Independência ainda qse sem prédios.

Esse acervo é fantástico, sem dúvida!

Quote:
Originally Posted by Leojf View Post
Ficou muito bom essa seleção das fotos. Algumas eu ja tinha visto, mas a grand maioria ñ, agora é esperar a parte 2
Algumas fotos vc já tinha mostrado naquele thread mesmo, eu gostei de ver a inauguração do calçadão e do King Kong gigante no Parque Halfeld...

Quote:
Originally Posted by silviomarques View Post
Que seleção de fotos Driano!!! Gostei muito da forma como vc organizou e comentou as fotos.
Sem dúvida a Rio Branco foi e continua sendo a principal avenida da cidade. Apesar de serem mais novas, as outras avenidas não têm a mesma força da Rio Branco e, principalmente, não cumprem o papel de escoar o trânsito da cidade.
Também gosto muito da avenida como nos anos 70, apesar de que nos dias atuais isto seria impraticável.
Pois é, a Rio Branco por mais que mudem ela nunca vai perder a importância e o charme, junto com a rua Halfeld são a essência da cidade eu acho, e dá pra ver que deus do começo foi assim.

Quote:
Originally Posted by Positronn View Post
Me desculpe quem é de Juiz de Fora, mas a cidade piorou arquitetonicamente falando. A Avenida Rio Branco era lindíssima até 1940; em termos de edifícios, os anos 60 e 70 foram terríveis, onde surgiram a maior parte dos blocões sem graça.

Por outro lado, a pujância da cidade só aumentou e isso é perfeitamente visível ao longo dos anos. O movimento, o progresso, a infraestrutura, e felizmente, uma parte do patrimônio histórico está hoje ainda pelas ruas dessa bela cidade mineira.
Sem dúvida, dos anos 60 pra cá não se preocuparam tanto com aquela beleza arquitetônica de antes, tb os tempos eram outros, construir blocões era sinal de vigor econômico e crescimento da cidade.

Quote:
Originally Posted by Ronnivox View Post
Admiravel as fotos, parabens Driano !!!
Valeu!

Quote:
Originally Posted by AdrianoBauru View Post
Simplesmente, uma fantástica viagem no tempo.
Estas fotos são a maior riqueza que a cidade tem para, através das décadas, contar sua história para as futuras gerações.
Um dos mais ricos threads (históricamente e culturalmente falando) que pode existir sobre esta cidade.
Parabéns, Driano pelo ótimo trabalho.
Valeu mesmo! Concordo plenamente, tanto é que fiz questão de colocar no título "imperdível pra quem mora aqui", tem mto juizforano que não é cadastrado mas olha sempre esse fórum, é uma forma de divulgar nosso passado que foi tão rico e importante pra Minas e pro país.

Quote:
Originally Posted by lauraccandido View Post
Concordo plenamente.
Este é um dos mais belos e ricos threads da nossa querida Juiz de fora.
Mesmo com tantas mudanças ocorridas durante todos estes anos, umas melhores e outras nem tanto, Juiz de fora continua bela e imponente, atraindo pessoas de várias cidades a conhecê-la ou a virem morar aqui.
Driano, parabéns pela bela homenagem que vc está prestando a Juiz de fora. Conhecendo o passado aprendemos ainda mais a valorizar o que temos hoje...
Obrigado Laura, dá um certo orgulho da gente morar numa cidade com um passado tão legal como foi o de JF, mas ao mesmo tempo dá tb uma certa indignação da cidade não ter preservado e nem mantido o crescimento dessa época.

Quote:
Originally Posted by Maykon_Johny View Post
Interessantíssimo este thread, parabéns...
Quote:
Originally Posted by Henrique Ans View Post
Espetáculo de thread!!!
Valeu!

Quote:
Originally Posted by Lukas Baiano View Post
Putz! Nas décadas de 60/70 a cidade viveu um "boom" na construção civil!

Excelente documentário, parabéns!
É verdade, foi nessa época que a cidade ganhou seus blocões que permanecem até hj.

Last edited by Driano MG; August 6th, 2010 at 05:53 PM.
Driano MG no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 03:56 AM   #32
Bruno Ctba
Registered User
 
Bruno Ctba's Avatar
 
Join Date: Feb 2006
Location: Curitiba, PR
Posts: 4,520
Likes (Received): 96

Show de thread Driano, não só as fotos como as tuas informações, valeu e parabéns !!
Bruno Ctba no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 05:35 AM   #33
Farrapo
.
 
Join Date: Oct 2003
Location: Porto Alegre
Posts: 8,176
Likes (Received): 217

Apesar de ficar meio "deprimido" quando vejo fotos antigas das nossas cidades (heheh), não posso deixar de dizer que o thread ficou ótimo, muito interessante! Queria achar umas fotos assim de Pelotas, antigas e, principalmente, grandes...

É impressionante como as cidades brasileiras decaíram esteticamente (e arquitetonicamente) a partir da década de 60... Tudo bem que melhoraram em outros aspectos, mas quantas construções bonitas, de valor histórico-cultural foram destruídas em nome do "progresso"... Não sou um "radical" que acha que tem que preservar tudo, mas o caso da casa em estilo normando que foi demolida para dar lugar a um estacionamento foi um absurdo!!! Quer dizer, foi um absurdo, mas também não me choca, não é nada anormal isso acontecer no Brasil... Hoje nem tanto, mas há uns anos atrás era bem comum... No Centro de Pelotas tem um estacionamento super porco onde antes havia um prédio histórico bonito... Simplesmente me recuso a deixar o meu carro ali, hahah!

Bom... Como nem tudo é desgraça, heheh, é bom ver que preservaram tantas outras construções, como a Academia do Comércio, o Instituto Metodista Granbery e o Colégio Santa Catarina (lindas!)... Tá certo que muitas dessas construções só foram preservadas devido a uma certa estagnação econômica da cidade... Ao menos no caso de Pelotas, é essa a justificativa... Viva a estagnação então, hahah!

Enfim... Era isso... Valeu pelas fotos e pelo thread! Gostei muito!
Farrapo no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 11:50 PM   #34
lfernand
Registered User
 
Join Date: May 2008
Location: Juiz de Fora, MG, Brasil
Posts: 221
Likes (Received): 0

Eu sou da opnião que tem que preservar o que é bonito e(ou) importante. Não me importa preservar por preservar, só por ser antigo, acho que a estética da cidade tem que ser levada em conta. Uma cidade feia atrai poucos investidores, uma cidade bonita com certeza atrairia mais investidores. De uma forma geral as construções até 50 geralmente são bonitas e as de 60,70 são horríveis.

Por mim se esses blocões fossem substituídos por prédios espelhados eu acharia muito bom.
lfernand no está en línea   Reply With Quote
Old August 5th, 2010, 11:53 PM   #35
lfernand
Registered User
 
Join Date: May 2008
Location: Juiz de Fora, MG, Brasil
Posts: 221
Likes (Received): 0

Quote:
Originally Posted by Farrapo View Post
Apesar de ficar meio "deprimido" quando vejo fotos antigas das nossas cidades (heheh), não posso deixar de dizer que o thread ficou ótimo, muito interessante! Queria achar umas fotos assim de Pelotas, antigas e, principalmente, grandes...

É impressionante como as cidades brasileiras decaíram esteticamente (e arquitetonicamente) a partir da década de 60... Tudo bem que melhoraram em outros aspectos, mas quantas construções bonitas, de valor histórico-cultural foram destruídas em nome do "progresso"... Não sou um "radical" que acha que tem que preservar tudo, mas o caso da casa em estilo normando que foi demolida para dar lugar a um estacionamento foi um absurdo!!! Quer dizer, foi um absurdo, mas também não me choca, não é nada anormal isso acontecer no Brasil... Hoje nem tanto, mas há uns anos atrás era bem comum... No Centro de Pelotas tem um estacionamento super porco onde antes havia um prédio histórico bonito... Simplesmente me recuso a deixar o meu carro ali, hahah!

Bom... Como nem tudo é desgraça, heheh, é bom ver que preservaram tantas outras construções, como a Academia do Comércio, o Instituto Metodista Granbery e o Colégio Santa Catarina (lindas!)... Tá certo que muitas dessas construções só foram preservadas devido a uma certa estagnação econômica da cidade... Ao menos no caso de Pelotas, é essa a justificativa... Viva a estagnação então, hahah!

Enfim... Era isso... Valeu pelas fotos e pelo thread! Gostei muito!
No caso desses colégios/faculdades foram preservados porquê ainda funcionam até hoje nos mesmos lugares. O Granbery e a Academia aumentaram sua área mas sempre construindo novas instalações, nunca derrubando nada.
lfernand no está en línea   Reply With Quote
Old August 6th, 2010, 03:26 PM   #36
Charles Tôrres
BH - Uma Foto Por Dia
 
Charles Tôrres's Avatar
 
Join Date: Nov 2008
Location: Belo Horizonte
Posts: 3,448
Likes (Received): 83

Minha nossa, esse thread está lindíssimo!!! Sou suspeito para falar, pois sou apaixonado por JF. É minha predileta do interior brasileiro. Acho interessantíssimo essa mega estrutura de metrópole numa cidade com 500 mil habitantes. JF é uma cidade única. Tem história, cultura e desenvolvimento dignos de uma capital.

Parabéns pelo thread!! Ficou excelente cara!! Salvei todas as fotografias no meu pc, hehe. Deve ter dado um trabalho fazer esse thread né? Ele está bem detalhado.

Muito bom.. muito bom mesmo.

Abração cara!!
__________________
fanpage: FACEBOOK/BHUMAFOTOPORDIA

blog: BHUMAFOTOPORDIA.COM
Charles Tôrres no está en línea   Reply With Quote
Old August 6th, 2010, 03:52 PM   #37
silviomarques
Registered User
 
silviomarques's Avatar
 
Join Date: Mar 2010
Location: Juiz de Fora
Posts: 2,842
Likes (Received): 88

Quote:
Originally Posted by lfernand View Post
Eu sou da opnião que tem que preservar o que é bonito e(ou) importante. Não me importa preservar por preservar, só por ser antigo, acho que a estética da cidade tem que ser levada em conta. Uma cidade feia atrai poucos investidores, uma cidade bonita com certeza atrairia mais investidores. De uma forma geral as construções até 50 geralmente são bonitas e as de 60,70 são horríveis.

Por mim se esses blocões fossem substituídos por prédios espelhados eu acharia muito bom.
Acho importante se preservar o que tem valor histórico, acho que, de forma alguma isto compromete esteticamente a cidade, pelo contrário, isto só agrega, arquitetonicamente falando.
Agora o que acontece em Juiz de Fora é que os novos prédios, salvo algumas exceções, continuam sendo verdadeiros blocões se comparados com outras cidades do mesmo porte; em parte acho que por motivos econômicos
silviomarques no está en línea   Reply With Quote
Old August 6th, 2010, 03:55 PM   #38
JPBrazil
Registered User
 
Join Date: Mar 2007
Location: Belo Horizonte
Posts: 5,527
Likes (Received): 20



Que surpresa! Não sabia que Juiz de Fora já era desenvolvida há tanto tempo. Muitas construções interessantes, gostei muito das fotos.

Agora fiquei curioso pra saber o quanto disso está preservado até hoje...
JPBrazil no está en línea   Reply With Quote
Old August 6th, 2010, 05:48 PM   #39
Leojf
Registered User
 
Leojf's Avatar
 
Join Date: Jan 2008
Location: Vitória/ES
Posts: 2,764
Likes (Received): 10

Quote:
Originally Posted by silviomarques View Post
Acho importante se preservar o que tem valor histórico, acho que, de forma alguma isto compromete esteticamente a cidade, pelo contrário, isto só agrega, arquitetonicamente falando.
Agora o que acontece em Juiz de Fora é que os novos prédios, salvo algumas exceções, continuam sendo verdadeiros blocões se comparados com outras cidades do mesmo porte; em parte acho que por motivos econômicos
Vc tem toda razão, seria bom investir numa mudança na "cara" dessas contruções

Quote:
Originally Posted by JPBrazil View Post


Que surpresa! Não sabia que Juiz de Fora já era desenvolvida há tanto tempo. Muitas construções interessantes, gostei muito das fotos.

Agora fiquei curioso pra saber o quanto disso está preservado até hoje...
Muito pouco. A av. Getulio Vargas é a mais preservada com algumas contruções, na Rio Branco das contruções q aparecem nas fotos acho q umas 2 e os colégios Academia, Grambery e Santa Catarina
Leojf no está en línea   Reply With Quote
Old August 6th, 2010, 10:03 PM   #40
Driano MG
Mineiro da Mata
 
Driano MG's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Juiz de Fora
Posts: 9,077
Likes (Received): 750

Quote:
Originally Posted by O Natalense View Post
Belo relato.
Parabéns, especialmente para os donos desse precioso acervo.
Verdade!

Quote:
Originally Posted by Leojf View Post
Muito bom, gostei dessa foto do diário da tarde "meio bola de cristal" como sera a cidade daqui a 20, 30 anos. Eu nunca vi uma certa
Ah mas dessa vez até que eles acertaram, imaginando a verticalização do centro, se bem que essa previsão era mais que óbvia né...

Quote:
Originally Posted by EricoWilliams View Post
Esse thread tá ótimo, a Rio Branco quase não mudou!(hehe) Se tivessem mantido os bondes, provavelmente hoje ali correria um VLT, que seria bem melhor pra demanda que existe na avenida.
Isso é, acho que seria uma boa alternativa um VLT cruzando boa parte da Rio Branco e os terminais de ônibus em cada ponta do trajeto deles.

Quote:
Originally Posted by valter View Post
Incrível! Adoro esse tipo de thread e você conseguiu muito bem ir descrevendo fatos relevantes da história de JF aproveitando o material que tinha em mãos. Por mais que soubesse da pujança ecônomica de JF no início do sec. XX as fotos me surpreenderam. O título de "Manchester Mineira" que a cidade recebeu, com certeza era apropriado. Parabéns pelo thread!
Verdade, essas fotos me surpreenderam tb, quis colocar um pouco da história da cidade pra ficar mais fácil entender todo o processo histórico e tb coloquei algumas informações curiosas que eu e mta gente da cidade não sabia...

Quote:
Originally Posted by Emanuel Paiva View Post
Driano, eu queria muito comentar esse seu "achado" ESPETACULAR, mas só me restou mesmo...

Lindo!!! Lindo!!! Lindo!!!
Valeu mesmo, eu achei esse acervo fantástico de verdade, e pra mim esse é o thread mais interessante que eu já fiz até hj aqui no fórum.

Quote:
Originally Posted by lfernand View Post
Antes essas fotos eram raras, difícil de serem vistas. Hoje em dia alguém com internet entra no Skyscrapercity e consegue ver e pegar fotos de todas as épocas da maioria das cidades. E quanto mais tempo passa mais esse acervo cresce.

Excelente thred Driano, mais um.
Sem dúvida, e o bom é que eles estão sempre atualizando e postando coisas novas no site que achei essas fotos...

Quote:
Originally Posted by Thina View Post
Concordo os anos 60 e 70 foram muito triste em relação a demolir casarões e surgimento de blocões, e isso não é exclusivo de Juiz de Fora, tem cidades que houve mais demolições como se vê em várias cidades que é mostrada no SSC em um antes e depois.

Também concordo no segundo parágrafo, é visível o progresso, infraestrutura, também urbanização.

Ótimo thread é muito bom ver fotos antigas.
Eu tb concordo, infelizmente acho que nossas cidades se tornarem menos atraentes arquitetônicamente falando, dos anos 60 pra cá começou a se privilegiar um urbanismo que não leva mto em conta o bem estar da população, privilegiando outros aspectos como os custos, a rapidez da obra e tb o uso do automóvel.
Driano MG no está en línea   Reply With Quote


Reply

Tags
juiz de fora, minas gerais

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 09:31 AM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.8 Beta 1
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like v3.2.5 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu