daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy | DMCA | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > European Forums > Fórum Português > Arquitectura e Urbanismo > Geografia, Urbanismo e Demografia



Global Announcement

As a general reminder, please respect others and respect copyrights. Go here to familiarize yourself with our posting policy.


Reply

 
Thread Tools
Old October 8th, 2011, 10:25 PM   #41
geographico*
Registered User
 
Join Date: Jul 2011
Posts: 2,338
Likes (Received): 408

Quote:
Originally Posted by Cavis Ribeirus View Post
Não acho Geografico que varrer a realidade para baixo do tapete seja solução mas existem casos que a realidade é mais que anunciada.

Santa Marta não é mais que um suburbio da regua e de vila real, eu conheço mt bem a zona e as pessoas so vao la dormir, as unicas pessoas que trabalham la ou é na camara ou na agricultura.
Santa Marta tem péssimos acessos. É dos concelhos mais encravados deste país. Eu também conheço bem a zona. Extinguir o concelho é expulsar as pessoas dali. E expulsar as pessoas dali é acabar com uma das zonas mais importantes do Alto Douro Vinhateiro.

As pessoas trabalham na agricultura. E daí? A agricultura é uma actividade importantíssima, principalmente naquela zona de Trás-os-Montes. Acabar com as poucas âncoras, ainda que fracas, que fixam a população e lhe dão condições para explorar, ainda que fracamente, o potencial do território, é incentivar ainda mais o abandono da agricultura. O próprio centro agrícola que é Vila Real, que vive muito do Douro, iria sofrer (e bem) com isso. Caminho errado.

Certo seria incentivar o aproveitamento do potencial daquela zona. Está ali uma mina de ouro, quer em termos agrícolas, quer em termos turísticos. Pena que os nossos responsáveis políticos nunca a tenham querido ver.

Quote:
Mesão Frio é uma vila que está condenada á morte por duas razões, pela orografia e pela fantastica divisao territorial que o outro lado do rio da vila ja é baiao.
Mesão Frio é o que é: um canto encravado entre montanhas. É uma realidade geográfica perfeitamente definida, e como tal o concelho justifica-se plenamente, e não é por acaso que tem a configuração que tem.

Pior: é um dos concelhos mais pobres e com mais dificuldades do país. Aquela gente tem de ser ajudada e o seu desenvolvimento tem que ser fomentado, porque há ali muito potencial. Ao contrário de Santa Marta, já se aproveitou alguma coisa, com o Solar da Rede. Mas há muito, muito mais para aproveitar.

Quote:
Em relação a Lafões, tirando Oliveira de Frades que vive da Martifer, e que não o faz merecedor de ser concelho, Vouzela é quase mais pequena que a zona das Termas de Sao Pedro de Sul.
Bem, pura e simplesmente, se tiras a âncora que é o facto de Oliveira de Frades ser sede de concelho, e por arrasto incentivas a que, pouco e pouco, todos os serviços abandonem a zona, o que vais acabar por fazer é com que até a Martifer se vá embora. E não é para Viseu nem para Aveiro- da maneira que as coisas são neste país, ou é para Lisboa ou para o estrangeiro. E aí aquelas pessoas deixam de viver da Martifer e passam a viver de ar e vento. Ou seja, mais abandono, e menos valor para a região.

Quote:
Esses concelhos tiveram a hipotese de se desenvolver a partir da divisao territorial com 175 anos.
Se em 175 anos conseguem meia duzia de fabricas e quase mais nenhum ganho não são merecedores de continuar a ser concelhos.
Será que tiveram? Pois eu acho que não. Nunca lhes foi dada essa oportunidade, aliás, como à maioria dos pequenos concelhos do país. Sempre tiveram péssimos acessos, poucas infra-estruturas, muita pobreza, e nada foi feito para impedir o êxodo da população. O que, aliás, foi prática corrente no mundo rural português.

O que aconteceu muito em Portugal foi que o poder central nunca deu à maior parte do seu território ferramentas para se desenvolver... e agora com toda a lata possível e imaginária vem dizer que a culpa é dos locais.

Quote:
Nós em Portugal temos o grave problema de não termos cidades médias propriamente ditas.

Temos Braga, Coimbra, Funchal, Setubal no que mais se assemelha com isso.
No segundo patamar temos Aveiro, Póvoa Varzim-Vila do Conde, Guimarães, Viseu, Leiria, que nem podemos chamar ainda de cidades médias dado que a população urbana ainda se situa entre os 60 e 100mil habs.
Isso depende do conceito de cidade média. Que tem muito, mas muito que se lhe diga

Quote:
Depois disto temos para ai umas três dezenas de cidades com 30000habs. Cidades pequenas sem futuro garantido pela falta de atractividade das mesmas e que a sua economia se baseia na dadiva de investimentos governamentais ou empregabilidade das suas camaras.

Ex: Vila Real, Penafiel, Chaves, Évora, Beja, Castelo Branco, Covilhã, Guarda,etc

Nota: Estes exemplos foram os que me lembrei agora não quer dizer que sejam os mais indicados.
Não é por terem essa população que o seu futuro está comprometido.
Em vez de apontar valores, eu prefiro falar em cidades-âncora, centros de serviços de índole regional que permitem fixar população, e polarizam o desenvolvimento dos concelhos rurais em redor.

Não é a população que determina se são âncoras boas ou não: nos países nórdicos, por exemplo, que têm todos os constrangimentos que sabemos, bem piores que os nossos, temos cidades com menos população que as nossas, mas que são âncoras bem mais eficazes que permitem que o panorama populacional seja bem mais equilibrado que em Portugal (salvaguardando as devidas diferenças, que sempre existiram, entre as duas realidades).

Ex: cidades como Narvik, Tromsø e Bodø (Noruega); Luleå, Kiruna ou Örnsköldsvik (Suécia); Rovaniemi (Finlândia), etc.

Concordo plenamente com o reforço de cidades-âncora espalhadas um pouco por todo o país, seja isoladamente ou em eixo urbano. Mas nunca com o objectivo de fazê-las crescer sacrificando os territórios à volta, porque aí estaríamos a dar um tiro no pé e a matar o doente com a cura.

Quote:
Com uma verdadeira politica de cidades medias com pelo menos 60 a 70 mil habs poderiamos reduzir esses concelhos que tu falas como mesao frio ao que são na realidade, aldeias com câmara municipal...
E o que ganharíamos com isso? Simplesmente ficávamos com um país mais abandonado, com mais problemas, e com um potencial ainda menos aproveitado.

Quote:
Existe uma coisa que temos de perceber em Portugal, existem locais onde já se viu que nunca se vai fixar população, não acham que 175 anos é suficiente para essas localidades já terem fixado população.
Voltemos à Escandinávia. Temos todas aquelas cidades de que te falei. Sem embargo, continuam a existir muitas vilas e aldeias a dezenas de quilómetros dessas zonas que têm situação populacional estável.

Isto apesar de todos os constrangimentos provocados pela zona do globo onde se encontram. Se essas zonas conseguem fixar população, porque será que as nossas zonas rurais, teoricamente com muito mais potencial e muito mais apelativas que as deles, não conseguem fixar população? Simples, porque na Escandinávia os poderes públicos, nomeadamente a nível central, fomentam a fixação da população. Em Portugal o poder regional não existe e o poder central faz exactamente o oposto.
Daí que em 175 anos tenha sido impossível fixar população. Não por falta de condições (olhemos para a Lapónia...), mas por falta de vontade política. O que não seria assim tão difícil com as medidas certas.

Cumpts,
geographico* no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
 
Old October 9th, 2011, 01:42 PM   #42
Cavis Ribeirus
Registered User
 
Cavis Ribeirus's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Location: Viseu....e talvez um dia a Bilita...
Posts: 556
Likes (Received): 6

Geografico compreendo o teu ponto de vista mas felizmente sou das pessoas que posso falar com conhecimento de causa dado que devido a motivos profissionais já vive em metade das cidades mais importantes do norte e ja passei mt tempo na maior parte das outras cidades e concelhos...e a norte verificam-se duas realidades.

Uma é a trabalhadora(tamega e vale do ave e sousa, apesar de não serem organizados).

A outra pertencente a tras os montes.

Eu passo a explicar o ponto de vista:

Primeiro porque é que o autarca de mesao frio e baiao e o da regua e santa marta nao lutaram fortemente pela passagem da A4 pelos seus concelhos e vem de ser feito um tunel de 5km que so serve o tragego de longo curso... A passagem desta estrada ou apenas do IC26 teria mudado o panorama economico brutalmente nesta zona. A mesma é assolada pela passagem de camioes e automoveis bastante acima da capacidade da estrada actual e não trazendo mais valias nenhumas...

Segundo porque é que em Tras os Montes quiseram estradas que nao lhe servem para nada. Eu como habitante de tras os montes preferia ter uma autoestrada bonita e rentavel por santa marta e mesao frio e que desse trabalho ao pessoal e ter uma boa via rapida para bragança com pouquissimas curvas, nos desnivelados e com 2 vias(com possibilidade de quando houvesse aumento populacional ser duplicada) e mais 200 ou 300 milhoes que pudessem ser investidos em beneficios para serem construidos mais uns 20 ou 30 hoteis e cais de embarque junto ao Douro ou nas zonas envolventes, que TMAD se tornasse um produtor absolutamente de referencia a nivel mundial de castanha, vinho e azeite, do que ter autoestrada que nem se sabe se vai ser acabada de amarante a bragança e não ter população porque a mesma fugiu mais uma vez à pobreza e desemprego...

Isto foi o que os autarcas que tinham possibilidades de mudar o mundo autarquico fizeram....aceitaram a trampa que lhes deram...não tem sentido critico.

Terceiro, tens o Vale do Sousa, do Ave e do Tamega que ainda vai tendo emprego mas que não tem ponta por onde se lhe pegue porque fizeram ao contrario. Deram todo o tipo de empregos mas tens aldeias com 5000habs em vivendas e sem serviços de especie alguma sem ser cafes ou supermercados...

Apesar de tudo concordo ctg que pode haver aldeias e vilas estaveis perto de cidades, no entanto têm de se demonstrar viaveis...

Cumpts
Cavis Ribeirus no está en línea   Reply With Quote
Old October 9th, 2011, 07:32 PM   #43
tbean
não sei. não sabe ninguém
 
tbean's Avatar
 
Join Date: Aug 2010
Location: lisboa . londres
Posts: 1,702
Likes (Received): 48

gosto muito que dizes smp cumpts sempre que acabas um comentario! muito bem!
__________________
talvez que eu morra no leito. onde a morte é natural. mãos em cruz sobre o peito. nas mãos de Deus tudo aceito. mas que eu morra no Portugal!
tbean no está en línea   Reply With Quote
Old October 13th, 2011, 05:37 PM   #44
Maxair
Registered User
 
Maxair's Avatar
 
Join Date: Jan 2009
Location: Alcains, Beira Baixa & Lisboa
Posts: 456
Likes (Received): 13

Jornal O Interior

Todas as freguesias que não estão nos quadros anexos deverão manter-se, segundo a ANAFRE
Guarda é um dos concelhos com mais freguesias agregadas
Por: Catarina Pinto



Um novo mapa autárquico já está em construção. Depois do acordo com a “troika”, ficou claro que o Governo teria de enveredar por uma Reforma da Administração Local. Chegou a falar-se na extinção de autarquias, mas por enquanto está apenas confirmada a agregação de freguesias. Segundo listas divulgadas na semana passada, a Guarda é um dos concelhos da Beira Interior onde um maior número de freguesias será agregado. Das 55 atuais, 39 não reúnem os critérios de organização territorial – definidos pelo Executivo – e que permitiriam a sua manutenção (ver caixas).

Em tempos de contenção, redesenhar o mapa do poder local já era mais que inevitável, mas a verdade é que a forma como será feito está longe de gerar consensos. No “Documento Verde” da Reforma Local, o Governo de Passos Coelho explica que vai promover a redução do atual número de freguesias através da «aglomeração ou criação de outras, com maior dimensão e escala, de acordo com as suas tipologias e salvaguardando as especificidades territoriais». Mas como se decide – afinal – quais são as Juntas que se mantém e as que vão “agregar-se”? O executivo elaborou primeiro uma tipologia dos diferentes municípios de acordo com a sua densidade populacional, criando três níveis. Em cada um deles definem-se critérios territoriais que as freguesias devem “cumprir” para se manterem. O número de habitantes por quilómetro quadrado ou a distância até à sede do município são alguns deles.

No fim dessas “contas”, 212 freguesias do distrito da Guarda não reuniram os critérios estipulados dentro do seu nível e, por isso, serão agregadas. Resta saber como. Ou quais as que ficam como “sede”, quais as que têm de se “mudar” ou até mesmo se surgirá alguma que ainda não existe. Provavelmente serão estas as dúvidas da maioria da população, mas – se tudo correr como o Governo pretende – só serão dissipadas depois de «uma ampla e profunda» discussão pública. As listas com as freguesias que se mantêm e as que são aglomeradas foram publicadas no site da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) depois de a entidade ter feito um estudo, aplicando os critérios de organização territorial definidos pelo Governo. Ou seja, estes dados ainda não estão totalmente “fechados”. Apesar disso, refletem os requisitos do Executivo e, sendo assim, constituem já um possível esboço do mapa que – ao que tudo indica – deverá ser implementado no próximo ano. E há alguns casos em que não se percebe como freguesias que não cumprem requisitos, como é o caso de Souto Maior, em Trancoso, se mantêm.

No distrito, a seguir ao concelho da Guarda, será Trancoso que terá um número superior de freguesias (26) que poderão ser agregadas. Em Pinhel e no Sabugal são 20 e em Almeida 23. Em Manteigas – o concelho mais pequeno – apenas uma será agregada: a de Vale de Amoreira. Comparando com o município de Castelo Branco, percebemos que além de possuir um número bem mais reduzido de freguesias (25) do que a Guarda (55), apenas cinco deverão ser agregadas. Já na Covilhã, que tem atualmente 31, há oito freguesias que poderão não se poderão manter com o atual estatuto. Em Belmonte, uma será agregada (Colmeal da Torre) e em Penamacor serão cinco.

Primeiro Nível

Este grupo compreende 37 municípios e 643 freguesias. O primeiro critério destina-se a freguesias em sede de concelho. Para “se ser” freguesia é preciso ter acima de 500 habitantes por km2 e ter mais de 20 mil habitantes. Quanto às outras freguesias, o governo insere-as em três áreas distintas: Área Predominante Urbana (APU), Área Maioritariamente Urbana (AMU) e Área Predominantemente Rural (APR). Neste nível, o segundo critério refere-se apenas às freguesias classificadas como AMU e APU e para se manterem têm de ter um mínimo de 5.000 habitantes e distarem a menos de 20 km da sede do município ou um mínimo de 3.000 habitantes desde que estejam a mais de 10 km da sede do município.

Segundo nível

O grupo compreende 88 municípios e 1336 freguesias. Para as que se situam na sede do município, o primeiro critério para se manterem é ter entre 100 a 500 habitantes por km/2. Para as freguesias que se inserem em Área Predominantemente Rural o segundo critério é terem um mínimo de 1.000 habitantes por freguesia. Já para as que pertencem a Área Predominantemente Rural e a Área Maioritariamente Urbana, o segundo critério é terem um mínimo de 5.000 habitantes por freguesia e distarem a menos de 10 km da sede do município ou distarem a mais de 10 km mas terem no mínimo 3.000 habitantes.

Terceiro Nível

Engloba 183 municípios e 2280 freguesias. O primeiro critério diz respeito a freguesias em sede de município e que tenham menos de 100 habitantes por km2. O segundo critério diz respeito a freguesias de Área Predominantemente Rural que tenham no mínimo 500 habitantes e a freguesias de Área Maioritariamente Urbana com um mínimo de 1.000 habitantes por freguesia. É neste nível que se inserem os concelhos do distrito da Guarda.

_____________________________

Lista das freguesias a agregar - Não reúnem critérios de organização territorial

Distrito da Guarda

Município / Freguesia TIPAU Distância Hab.

(km)

Aguiar da Beira

EIRADO APR 6,657 268

FORNINHOS APR 12,450 222

GRADIZ APR 5,015 174

PINHEIRO APR 5,194 231

SEQUEIROS APR 3,580 262

SOUTO DE AGUIAR DA BEIRA APR 3,539 298

VALVERDE APR 4,230 154

Almeida

ADE APR 20,044 73

ALDEIA NOVA APR 7,075 33

AZINHAL APR 8,465 63

CABREIRA APR 20,183 77

CASTELO BOM APR 11,533 216

CASTELO MENDO APR 15,167 87

FREIXO APR 14,775 182

JUNÇA APR 5,133 115

LEOMIL APR 11,172 108

MALPARTIDA APR 4,695 172

MESQUITELA APR 17,085 45

MIDO APR 11,529 46

MONTE PEROBOLÇO APR 20,021 61

NAVES APR 7,494 68

PARADA APR 23,613 113

PEVA APR 9,888 168

PORTO DE OVELHA APR 22,710 47

SÃO PEDRO DE RIO SECO APR 8,901 180

SENOURAS APR 9,362 38

VALE DE COELHA APR 6,262 43

VALE DA MULA APR 7,411 181

VALE VERDE APR 6,879 93

VILAR FORMOSO APU 13,603 2221

Celorico da Beira

BARAÇAL APR 7,298 227

CADAFAZ APR 6,365 140

CARRAPICHANA APR 11,559 216

CORTIÇÔ DA SERRA APR 6,022 171

LAJEOSA DO MONDEGO AMU 4,801 698

LINHARES APR 12,143 259

MAÇAL DO CHÃO APR 9,858 160

MESQUITELA APR 9,900 238

MINHOCAL APR 7,025 175

PRADOS APR 8,367 180

RAPA APR 7,313 162

SALGUEIRAIS APR 7,900 114

VELOSA APR 8,685 114

VIDE ENTRE VINHAS APR 4,486 165

VILA BOA DO MONDEGO APR 3,951 107

Figueira de Castelo Rodrigo

ALGODRES APR 9,876 294

ALMOFALA AMU 10,406 180

CINCO VILAS APR 12,582 94

COLMEAL APR 8,285 41

ESCARIGO APR 12,611 99

FREIXEDA DO TORRÃO APR 5,681 262

PENHA DE ÁGUIA APR 8,291 111

QUINTÃ DE PÊRO MARTINS APR 10,310 146

VALE DE AFONSINHO APR 8,425 83

VERMIOSA AMU 10,616 396

VILAR DE AMARGO APR 6,760 158

VILAR TORPIM AMU 7,841 213

Fornos de Algodres

CORTIÇÔ AMU 5,572 144

FUINHAS APR 10,861 92

JUNCAIS APR 3,090 286

MACEIRA AMU 8,947 228

MATANÇA APR 6,509 243

MUXAGATA APR 7,083 241

QUEIRIZ APR 14,293 260

SOBRAL PICHORRO APR 10,191 209

VILA CHÃ AMU 5,908 82

VILA RUIVA AMU 6,220 168

VILA SOEIRO DO CHÃO AMU 4,429 179

Gouveia

FIGUEIRÓ DA SERRA APR 10,390 263

FREIXO DA SERRA APR 8,657 100

MANGUALDE DA SERRA APR 3,836 164

VILA CORTÊS DA SERRA APR 8,596 267

VILA FRANCA DA SERRA APR 11,403 262

Guarda

ADÃO APR 12,267 235

ALBARDO APR 11,948 143

ALDEIA DO BISPO APR 5,734 219

ALDEIA VIÇOSA APR 6,055 339

ALVENDRE APR 5,205 223

AVELÃS DE AMBOM APR 8,836 69

AVELÃS DA RIBEIRA APR 14,228 195

BENESPERA APR 10,973 288

CARVALHAL MEÃO APR 15,990 51

CAVADOUDE APR 5,320 318

CODESSEIRO APR 13,640 204

CORUJEIRA APR 6,917 117

FAIA APR 4,191 227

FERNÃO JOANES APR 9,368 269

GAGOS APR 13,948 127

GONÇALO BOCAS APR 8,864 228

JOÃO ANTÃO APR 9,011 160

MEIOS APR 9,267 197

MIZARELA APR 5,940 135

MONTE MARGARIDA APR 17,875 36

PÊRO SOARES APR 5,116 70

PORTO DA CARNE AMU 8,020 392

POUSADA APR 11,936 118

RAMELA APR 7,068 218

RIBEIRA DOS CARINHOS APR 14,109 108

ROCAMONDO APR 9,574 89

SANTANA DA AZINHA APR 8,676 422

JARMELO (SÃO MIGUEL) APR 11,266 188

JARMELO (SÃO PEDRO) APR 12,802 183

SEIXO AMARELO APR 12,154 84

SOBRAL DA SERRA APR 8,907 243

TRINTA APR 8,273 406

VALE DE ESTRELA APR 5,098 394

VELA APR 11,287 491

VIDEMONTE APR 10,892 480

VILA CORTÊS DO MONDEGO APR 8,109 296

VILA FRANCA DO DEÃO APR 12,792 153

VILA GARCIA APR 8,114 320

VILA SOEIRO APR 6,106 42

Manteigas

VALE DE AMOREIRA APR 8,413 223

Mêda

AVELOSO APR 5,475 207

BARREIRA APR 8,619 177

CARVALHAL APR 8,966 96

CASTEIÇÃO APR 10,683 117

CORISCADA APR 11,745 197

FONTE LONGA APR 6,206 130

LONGROIVA APR 4,515 286

MARIALVA APR 5,868 255

PAI PENELA AMU 7,291 67

PROVA APR 8,681 185

RABAÇAL APR 12,027 274

RANHADOS APR 6,557 256

VALE FLOR APR 5,529 150

Pinhel

ATALAIA APR 13,040 99

AZEVO APR 10,064 195

BOGALHAL APR 6,757 37

BOUÇA COVA APR 17,440 104

CEREJO APR 14,817 131

CIDADELHE APR 16,199 40

ERVAS TENRAS APR 11,231 137

ERVEDOSA APR 12,619 195

LAMEGAL APR 12,783 265

LAMEIRAS APR 8,191 290

MANIGOTO APR 7,606 188

PEREIRO APR 6,206 149

POMARES APR 16,218 118

PÓVOA D’ EL-REI APR 11,802 53

SAFURDÃO APR 15,509 104

SANTA EUFÉMIA APR 10,376 172

SORVAL APR 11,116 79

VALBOM APR 5,695 214

VALE DE MADEIRA APR 3,372 92

VASCOVEIRO APR 4,804 186

Sabugal

ÁGUAS BELAS APR 7,081 175

ALDEIA DA RIBEIRA APR 20,017 131

BADAMALOS APR 17,656 96

BARAÇAL APR 5,139 190

FORCALHOS APR 22,770 89

LOMBA APR 8,414 57

MOITA APR 10,697 103

NAVE APR 11,299 226

PENA LOBO APR 10,596 141

POUSAFOLES DO BISPO APR 9,935 280

RAPOULA DO CÔA APR 8,506 194

RENDO APR 5,021 278

RUIVÓS APR 11,666 70

RUVINA APR 9,785 112

SEIXO DO CÔA APR 13,675 175

VALE DAS ÉGUAS APR 11,385 39

VALE LONGO APR 14,277 48

VILA BOA APR 8,236 250

VILA DO TOURO APR 7,229 175

VILAR MAIOR APR 18,888 121

Seia

CABEÇA APR 11,500 181

CARRAGOZELA AMU 5,113 380

FOLHADOSA AMU 8,287 327

LAJES APR 7,139 273

SANTA EULÁLIA APR 7,985 273

SANTA MARINHA AMU 4,783 998

SÃO MARTINHO AMU 3,509 638

SAZES DA BEIRA APR 8,390 279

VÁRZEA DE MERUGE APR 7,371 249

LAPA DOS DINHEIROS APR 4,840 294

Trancoso

ALDEIA NOVA APR 10,565 332

CARNICÃES APR 5,844 153

CASTANHEIRA APR 7,388 196

COGULA APR 8,507 190

CÓTIMOS APR 10,672 182

FEITAL APR 6,936 78

FIÃES APR 5,564 271

FRECHES APR 5,196 455

GRANJA APR 12,815 151

GUILHEIRO APR 14,543 183

MOIMENTINHA APR 11,099 247

MOREIRA DE REI APR 6,132 468

PALHAIS APR 8,083 217

PÓVOA DO CONCELHO APR 7,300 281

REBOLEIRO APR 8,424 324

RIO DE MEL APR 5,067 325

SEBADELHE DA SERRA APR 11,139 130

TAMANHOS APR 3,415 252

TERRENHO APR 9,837 109

TORRE DO TERRENHO APR 12,444 157

TORRES APR 4,317 137

VALDUJO APR 8,078 192

VALE DO SEIXO APR 6,353 140

VILA FRANCA DAS NAVES AMU 8,467 963

VILA GARCIA APR 7,914 117

VILARES APR 8,170 206

Vila Nova de Foz Côa

CASTELO MELHOR APR 8,800 226

CHÃS APR 10,740 278

HORTA APR 14,963 242

MÓS APR 6,458 190

MURÇA APR 8,286 107

NUMÃO APR 13,159 240

SANTA COMBA APR 14,285 214

SANTO AMARO APR 3,429 50

SEBADELHE APR 11,696 264

TOUÇA APR 9,163 235

Distrito de Castelo Branco

Belmonte

COLMEAL DA TORRE AMU 3,293 725

Castelo Branco

CAFEDE APR 9,629 262

FREIXIAL DO CAMPO APR 12,198 468

JUNCAL DO CAMPO APR 11,609 356

MATA APR 14,521 469

RETAXO AMU 11,627 842

Covilhã

ALDEIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS APU 24,921 631

ALDEIA DO SOUTO APR 13,211 237

BARCO APR 14,645 465

SARZEDO APR 11,636 130

TORTOSENDO APU 5,180 5602

VALES DO RIO AMU 9,600 674

COUTADA APR 12,215 406

CANHOSO APU 3,137 2249

Fundão

CAPINHA APR 12,688 491

CASTELO NOVO APR 6,524 404

LAVACOLHOS APR 10,294 237

Idanha-a-Nova

ALCAFOZES APR 10,503 214

IDANHA-A-VELHA AMU 11,639 63

PROENÇA-A-VELHA APR 11,796 224

Oleiros

ÁLVARO APR 7,925 236

AMIEIRA APR 6,991 115

ISNA APR 9,545 206

MADEIRÃ APR 11,327 171

SARNADAS DE SÃO SIMÃO APR 14,016 217

SOBRAL APR 9,673 159

VILAR BARROCO APR 12,323 113

Penamacor

ÁGUAS APR 6,879 299

ALDEIA DE JOÃO PIRES APR 7,252 184

BEMPOSTA APR 11,892 120

MEIMÃO APR 13,432 280

VALE DA SENHORA DA PÓVOA APR 12,183 241

Sertã

CARVALHAL APR 7,813 463

ERMIDA APR 12,516 219

FIGUEIREDO APR 10,285 205

MARMELEIRO APR 5,537 228

NESPERAL APR 5,786 307

PALHAIS APR 9,674 268

Vila de Rei

SÃO JOÃO DO PESO APR 8,141 204
Maxair no está en línea   Reply With Quote
Old October 13th, 2011, 11:38 PM   #45
Barragon
Barra for Friends
 
Barragon's Avatar
 
Join Date: Dec 2004
Location: Barreiro
Posts: 84,096
Likes (Received): 1525

Lindo
__________________
::: Portuguese Forum :::

The Latest Photo Reports: Região de Lisboa :: Alentejo

Fat people are harder to kidnap
Barragon no está en línea   Reply With Quote
Old December 29th, 2011, 02:55 AM   #46
djou23
Registered User
 
djou23's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Coimbra
Posts: 4,229
Likes (Received): 64

Moção aprovada na Assembleia Municipal
Coimbra rejeita extinção ou fusão de freguesias


27.12.2011 - 19:18 Por Lusa

A Assembleia Municipal de Coimbra aprovou hoje, por maioria, uma moção apresentada pelo coordenador distrital (PSD) da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) contra a extinção ou fusão de freguesias.

O documento consiste na moção apresentada pela Delegação Distrital de Coimbra da ANAFRE no congresso nacional desta associação, que decorreu no início do mês em Portimão e no qual foi aprovada por maioria.

“É uma reforma cega, injusta e errada”, afirmou João Pardal (PSD), coordenador distrital da ANAFRE e presidente da Junta de Freguesia de Souselas, ao considerar que “há algum autismo da parte do Governo nesta questão”.

A moção foi aprovada com 41 votos favoráveis de elementos da bancada da maioria que lidera a Câmara (PSD/CDS/PPM), do PS, CDU e Bloco de Esquerda. Dezanove deputados dos dois principais grupos da assembleia abstiveram-se.

O líder da grupo municipal do PSD, Maló de Abreu, justificou a abstenção com o argumento de que foi criada uma comissão na assembleia para discutir a questão da reforma administrativa do poder local. Ao intervir na assembleia, João Pardal considerou que “as freguesias são uma alavanca para resolver muitos problemas das populações” e defendeu a suspensão do processo de reforma administrativa.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia de Ribeira de Frades, Jorge Veloso (PS), a proposta de reforma administrativa do poder local “não tem qualquer viabilidade”, porque “discrimina negativamente as freguesias e adopta critérios quantitativos, desprezando” os qualitativos. “Sou a favor de extinguir algumas freguesias e de redesenhar o mapa das freguesias”, afirmou por seu lado o deputado municipal André Dias Pereira (PS).

Na sessão de hoje da Assembleia Municipal de Coimbra, no período das intervenções, Maló de Abreu defendeu que o projecto do metro ligeiro de superfície deve ser mantido como “uma bandeira, qualquer que seja o Governo, mesmo que seja contra o Governo” e destacou também a importância de concluir o IC3 e de concretizar a intervenção na Estação Velha.

Público
__________________
Capa negra de saudade/No momento da partida
Segredos desta cidade/Levo comigo p'ra vida
djou23 no está en línea   Reply With Quote
Old December 29th, 2011, 05:31 PM   #47
IgorNorwich
BANNED
 
Join Date: Jul 2011
Posts: 185
Likes (Received): 1

Quote:
Originally Posted by djou23 View Post


O que significam essas siglas: AMU, APR e APU?
IgorNorwich no está en línea   Reply With Quote
Old December 29th, 2011, 05:55 PM   #48
6oncalo
Registered User
 
Join Date: Jul 2009
Location: Oeiras-Lisboa
Posts: 1,745
Likes (Received): 232

Áreas maioritariamente urbanas. áreas predominantemente rurais e áreas predominantemente urbanas, penso.
6oncalo no está en línea   Reply With Quote


Reply

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 04:35 PM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.8 Beta 1
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like v3.2.5 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu