search the site
 daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy | DMCA | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Brasil > Fóruns Regionais > Nordeste

Nordeste Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe



Global Announcement

As a general reminder, please respect others and respect copyrights. Go here to familiarize yourself with our posting policy.


Reply

 
Thread Tools
Old October 7th, 2008, 02:39 AM   #1
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

Histórico! Orson Welles em Fortaleza (1942), fotos raras, incluindo vídeos do filme inacabado "It's all True"

Olá, pessoal! Td bom?
É com enorme satisfação que estou apresentando esse trabalho!



Dentre todos que já fiz, desde 2004,
considero este um dos mais marcantes p/ mim!

IT’S ALL TRUE O FILME INACABADO DE ORSON WELLES E SUA PASSAGEM POR FORTALEZA EM 1942

Há muito tempo em que “sonhava” em fazer um thread sobre a vinda do cineasta norte-americano Orson Welles (06/05/1915, Kenosha, EUA / 10/10/1985, Hollywood, EUA) a Fortaleza –CE, em plena década de 40.
Bom, esse projeto nasceu a partir de alguns acontecimentos:
-Em meados dos anos 90 conversei com um dos donos da Aba-Film, tradicional empresa de filmes e cartões-postais do Ceará, criada em 1924 pela família Albuquerque. Lá, pela primeira vez, fiquei sabendo que um dia na vida, Orson Welles esteve no Ceará, pois um dos fotógrafos, Chico Albuquerque, pioneiro na foto publicitária do País, participou do projeto do filme.
-Depois anos mais tarde vi as primeiras cenas do filme a partir de um documentário feito por duas emissoras: Tv Cultura e TVE- Rio. Um deles, o humorista e arquiteto “Falcão” comentava sobre Fortaleza e comparava a cidade (ainda sem prédios na orla) dos anos 40, com a atual, cercada por edifícios. E comentou sobre a vinda de Welles no Ceará.
-Assim fiquei encantado com a história do filme e a chegada de Welles.
-A partir daí comecei a pesquisar na Internet, vídeos e livros.
-O primeiro livro já tinha há um bom tempo, o “Pensamento Vivo” de Orson Welles, uma coleção dos pensadores, da Martin Claret Editores (1986).
-Até que recentemente, na semana passada, comprei o belíssimo livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001.

Bom, apresento algumas considerações importantes, pois é muita história envolvida, p/ depois chegarmos nas fotos e vídeos:

Fortaleza em 1942 apresentava um pouco mais de 150 mil habitantes. Dormia-se cedo, por volta das 21 horas. A beira-mar era vazia, não havia edifícios, somente casas de pescadores. O Mucuripe era de difícil acesso.
No início dos anos 40, quatro pescadores brasileiros se lançaram ao mar para uma viagem que entrou para a história dos jangadeiros cearenses, da navegação, do Estado Novo e do cinema. Tão arriscada foi ela, que até na imprensa americana ganhou espaço nobre. Num artigo intitulado Four Men on a Raft (Quatro Homens numa Jangada), a revista Time (8/12/1941) reproduziu toda a odisséia de Manoel Olímpio Meira (Jacaré), Raimundo Correia Lima (Tatá), Manuel Pereira da Silva (Mané Preto) e Jerônimo André de Souza (Mestre Jerônimo), que a bordo de uma jangada singraram os 2.381 km que separam Fortaleza do Rio de Janeiro, sem bússola ou carta náutica.
Foram mais de 61 dias de viagem pelo mar...
Os jangadeiros queriam chamar a atenção do País e do governo para o estado de abandono em que viviam os 35 mil pescadores do Ceará.

Até que....então...

Na primeira semana de dezembro de 1941, folheando a Time, Orson Welles tomou conhecimento da proeza de Jacaré & cia., e teve um estalo: ali estava o segundo episódio brasileiro de It's All True, o filme pan-americano que o governo Roosevelt há pouco lhe encomendara.
Welles chegou ao Brasil em 8 de fevereiro de 1942, filmou o carnaval carioca, e em 8 de março fez uma viagem de reconhecimento a Fortaleza. Lá chegou num vôo especial da NAB (Navegação Aérea Brasileira) e foi recebido como "um Napoleão do cinema". Hospedada no Excelsior Hotel, no centro da cidade, a entourage It's All True (Welles levou seis acompanhantes, entre os quais Morel, seu fiel assistente Richard Wilson e a tradutora Matilde Kastrup). Dois meses mais tarde, Jacaré e seus três companheiros foram trazidos de avião até o Rio e hospedados no hotel Copacabana Palace. Por 500 mil réis semanais, participariam de algumas cenas do episódio carnavalesco, ao lado de Grande Otelo, rodariam no aeroporto a despedida do Rio e reconstituiriam, numa praia da Barra da Tijuca, a triunfal chegada da jangada ‘São Pedro’ à Baía de Guanabara. Nessa ordem.
Várias tomadas da chegada ao Rio chegaram a ser feitas, no dia 19, mas uma manobra infeliz da lancha que rebocava a jangada a teria virado na praia de São Conrado, jogando ao mar agitado os seus quatro tripulantes. Três se salvaram. O corpo de Jacaré desapareceu e nunca foi encontrado.
Ainda assim, Welles foi em frente. As coações, quase sempre veladas, da ditadura getulista o perturbavam bem menos que o assédio crescente da RKO e do governo americano, que o acusavam de gastar dinheiro a rodo.
Do Rio, novamente Welles desembarcara na Base Aérea de Fortaleza às 15h30 do dia 13 de junho. Apesar do que ocorrera com Jacaré, foram acolhidos com enorme simpatia. Para assegurar maior tranqüilidade aos trabalhos, estabeleceram-se nas areias do Mucuripe e ali rodaram a história de amor do jovem pescador (José Sobrinho) com uma bela morena (Francisca Moreira da Silva, então com 13 anos), o casamento dos dois, a morte do jangadeiro e seu enterro nas dunas, a conseqüente revolta dos pescadores pelas suas precárias condições de vida e a decisão política do reide até o Rio de Janeiro. No papel de Jacaré, puseram seu irmão Isidro.

Em Fortaleza, Welles revelou-se um homem radicalmente diferente do garotão farrista e mulherengo que os cariocas conheceram. Não deixou de ir a festas (chegou a marcar quadrilha num folguedo junino), nem de freqüentar o Jangada Clube, mas parou de beber e deu um duro danado nas seis semanas que lá passou, correndo contra o relógio e fazendo malabarismos com o orçamento. Sempre alegre, passou a viver com os pescadores, que o tratavam de "galegão legal" e admiravam o seu desprendimento de confortos materiais e sofisticações culinárias. Dormia numa cabana rústica, mal protegida dos raios solares, e à noite, depois de encarar um portentoso prato de feijão com arroz e peixe, recolhia-se para escrever madrugada adentro.
Fonte: Estadão

O filme “It's All True” ficou inacabado, mas ele filmou tudo. O problema era a questão da censura, tanto do estúdio RKO quanto do Estado Novo. Eu sei que boa parte do filme ficou escondida, tem aquela história de que muita coisa foi jogada ao mar.
fonte: Diário do Nordeste (ler abaixo, no final, entrevista com o autor de “Orson Welles no CE”, Firmino Holanda

FOTOS E VÍDEOS

VÍDEO 1
Apresenta depoimentos de Welles sobre o filme,
cenas de como se constrói uma jangada,
a saga dos jangadeiros em alto-mar, Mucuripe
É emocionante e histórico



-------------------------------------------

VÍDEO2
Mais cenas do Mucuripe, um pouco
de Iracema e a ponte dos Ingleses tb aparecem.



--------------------------------------------

Abaixo, Capa de vídeo do filme inacabado.
Na distância do tempo, um Welles desenhado
sereno e mítico se sobrepõe no
exotismo nostálgico do Brasil de
carnavais, jangadas e coqueiros...


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

1ª parte:

COMO ERA FORTALEZA NA ÉPOCA EM QUE WELLES
ESTEVE NA CIDADE:

1- Vista aérea, primeira metade dos anos 40


Acervo Manilov, foto do Arquivo Nirez
Livro "Ah, Fortaleza"!


2- Postal que tb ilustrou o livro
"O Ceará", 2ª edição, de 1945



3- Praia de Iracema, num postal raro de 1946
Só p lembrar que nessa praia, em 1941, os jangadeiros saíram de Fortaleza
em direção ao RJ, p/ reivindicar melhores
condições de trabalho. 61 dias, sem bússola, demorou a viagem!!!



4- Edifício do Cine Diogo, anos 40
Aqui, Welles foi barrado...só se entrava de paletó
Welles pelo Ceará - vez por outra enriquecido com fatos pitorescos, como a barracão do cineasta na porta do Cine Diogo, que não permitia a entrada de homens em mangas de camisa.


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

5- A praça do Ferreira e o Excelsior Hotel, anos 40, o primeiro
arranha-céu de Fortaleza, levantado em 1931
(onde se hospedou Welles)


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

6- O Mucuripe era de difícil acesso. Só moravam pescadores.


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

6-B A praia ao fundo...


foto: Chico Albuquerque
www.chicoalbuquerque.com.br


6-C O porto do Mucuripe estava em construção nessa
época, 1942. Imagem rara aérea do porto em construção.
Notar a praia do futuro, à esquerda, sem nada...


Arquivo Nirez

7- O Velho Farol de Mucuripe, tombado.
Aqui em 1942


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

8- A praia em que Welles gravou as cenas e se encantou. O Mucuripe
e suas jangadas, p/ mim, é um dos símbolos do Ceará. Este postal tb
é dos anos 40...



9- Este postal abaixo retrata um pouco do que é o Mucuripe
e que Welles viu. Também dos anos 40:



2ª parte (A SAGA DOS JANGADEIROS CEARENSES)

Começaremos com a ida dos jangadeiros cearenses em 1941
de Fortaleza p/ o Rio de Janeiro. Lá, Jacaré foi conversar com o presidente Vargas p/ reivindicar melhores condições de trabalho.
A viagem durou 61 dias, sem bússola.

Welles se encantou com o fato.....

10- Ida dos jangadeiros ao Rio, saíram de Iracema


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

11- Ufa! Eles chegaram depois de 61 dias de viagem!


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

12- Vargas recebe Jacaré...


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

13- Na volta p/ Fortaleza (CE). Foram de avião...11 horas de viagem


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

13-B: O pescador Jacaré fica famoso e dá entrevista em rádio local


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

3ª parte

CENAS DO FILME E A CHEGADA DE WELLES A FORTALEZA

14- Vargas recebe Welles


foto do livro "Pensamento vivo de Welles"

15- Foto rara de Orson Welles desembarcando em Fortaleza, 1942
Chegou de um avião da 'Navegação Aérea Brasileira', no aerodrómo
"Alto da Balança", uma parte do que é hoje o Aeroporto Internacional
Pinto Martins
Estava sorridente e engraçado, como sempre


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

16- Capa histórica do jornal "O Povo", mencionando a celebridade,
autor de "Cidadão Kane", chegando em Fortaleza


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

17- Welles e sua câmera portátil...


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

18- Filmagens nas dunas do Mucuripe. Hoje não existe mais esse cenário.


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

19- A orla de Fortaleza ao fundo e Welles no sol do Ceará


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

20- Baldes p/ formar ondas...Repare Welles


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

21- Casamento jangadeiro


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

22- Script e desenho, por Orson Welles


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

23- Um, dois, três gravando!
Claquete...


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

24- Welles preocupado...


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

25- Welles gravando ao lado de Calmon..


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

26- O Mucuripe ao fundo, o farol e Welles


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

27- Jacaré e Welles se divertindo. Uma das últimas fotos
de Jacaré, antes de falecer no mar de São Conrado-RJ


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

28- O astro Grande Otelo participou do filme...


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

29- Orson gravando, bela imagem de Chico Albuquerque



30- Welles e os jangadeiros



31- Welles na jangada presencia a força dos "verdes mares bravios"


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

32- Welles e os jangadeiros na praia


Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001

33- Os jangadeiros no Carnaval carioca




34- Welles vendo as cenas e as dunas do Mucuripe




35- Cenas do filme..."As velas do Mucuripe vão sair p/ pescar..."



36- "Verdes mares bravios de minha terra natal, onde canta a jandaia
nas frondes da carnaúba
" José de Alencar...



37- Símbolo cearense...




38- Mais cenas...



39- Jangadeiros se preparando...



40- Eles ficaram famosos nos anos 40



4ª parte

Curiosidades sobre o filme

Matéria na Revista Portuguesa 'O Século Ilustrado', de 1946

1-

2-Welles atento...



3- Cenas




4- Filme teve como fotógrafo, o cearense
Chico Albuquerque, da Aba-Film



5- Quem foi Chico Albuquerque



Um programa de boa vizinhança entre os Estados Unidos e o Brasil, em plena II Guerra Mundial, resultou no encontro de dois grandes mestres: o cineasta Orson Welles e o fotógrafo Chico Albuquerque.

O ano era 1942. Em busca de apoio local, após aportar em Fortaleza buscando imagens de um Brasil exótico, o cineasta norte-americano convidou o fotógrafo Chico Albuquerque, na época com 25 anos, para fazer a fotografia do filme “It´s All True”.

A parceria gerou imagens que mostram e enaltecem o maior ícone brasileiro do mar - o jangadeiro - como também uma relação de amizade, que resultou na troca de correspondências ao longo de muitos anos.

Segundo o próprio Chico Albuquerque, foi com Orson Welles que ele ouviu, pela primeira vez, falar em divisão áurea do retângulo. Dez anos depois, Chico Albuquerque, ainda com a fotografia e a luz do filme em mente, registra definitivamente as jangadas e os pescadores do Mucuripe.

Francisco Albuquerque nasceu em Fortaleza em 25 de abril de 1917. Iniciou a carreira de fotógrafo aos quinze anos, através do cinema, fazendo um documentário de curta-metragem.

Em 1934, profissionalizou-se como retratista, transferindo-se em 1945 para São Paulo. Pioneiro na foto publicitária do País, Chico Albuquerque inovou em 1948, registrando modelo e produto para uma campanha da Johnson & Johnson, assinada pela agência J.W. Thompson.

Visonário, importou em 1958 o primeiro equipamento de flashs eletrônicos do Brasil. O fotógrafo que fez o still do filme “It´s All True”, de Orson Welles (1942), ficou para sempre marcado pela luz do Ceará, pela simplicidade da jangada e pela capacidade de expressar, em seus trabalhos, a força expressionista do brasileiro.

Participou de inúmeras exposições e mostras nacionais e internacionais de fotografia, obtendo Medalhas de Ouro em Frankfurt, Turim e Buenos Aires.

Considerações:

Welles ficou no Ceará por 06 semanas. O filme fazia parte da política da Boa Vizinhança, uma forma de os EUA manter sob-tutela os países latino-americanos.
Muitos rolos do filme foram jogados em alto-mar...
Com locações no Rio, Fortaleza, Bahia, pedaços de São Luís, Recife, e México, e com a maior parte da locação feita na ponte-aérea RJ-CE, sobraria a montagem póstuma do material considerado perdido, realizado por Welles, em 1942
O episódio cearense, “Quatro homens numa jangada”, mostrar-se-ia o mais completo daquilo a ser resgatado. São 46 minutos buscando respeitar o roteiro original, com uma folha de 12 cenas principais.
O público brasileiro teve acesso ao filme, pela primeira vez na história, somente em 1986 e 1994. Em 1985 o público de Fortaleza assistira o longa “Nem tudo é Verdade”, de Rogério Sganzerla, recriação dramatizada da passagem de Welles pelo Brasil. Nessa época, o Globo Repórter também apresentou as cenas.
Já em 1994, o público viu as imagens editadas que Welles fez dos jangadeiros; o trabalho reúne depoimentos antigos sobre o inacabado filme, resgatando imagens cariocas do Carnaval, jangadeiros cearenses, com 42 minutos e o segmento mexicano do filme “My friend bonito”.
Welles ficou hospedado no Excelsior Hotel, o primeiro arranha-céu de Fortaleza, levantado em 1931. Bebeu guaraná e fazia reuniões no Jangada Club, primitiva construção, infelizmente demolida nos anos 80. Lá, se encontrava, nas paredes, autógrafos do cineasta. Uma pena.

Foto do Jangada Club, do Museu de Imagem e do Som (MIS-CE)



Welles soube da existência do Dragão Mar (José do Nascimento), o herói abolicionista cearense que se recusava a desembarcar os escravos. Sabe-se que o Ceará foi o primeiro Estado a abolir a escravatura, por isso, chamado de “Terra da Luz”.

Curiosidades:

Welles foi um dos dez maiores cineastas de todos os tempos.
Cidadão Kane (1941) um dos maiores ícones do cinema, filme de Welles.
“It’s all true”: Para Welles seria o melhor filme do mundo, mas “este foi o desastre de minha história”

Foto:


crédito: Diário do NE

A notícia de que marcianos haviam chegado à Terra e estavam em Nova Jersey foi transmitida com imenso realismo pela rádio CBS no dia 1o de novembro de 1938 (Halloween). Milhares de pessoas entraram em pânico e começaram a fugir de suas casas ao ouvir os boletins, narrados por Orson Welles. Tudo não passava de pura brincadeira, a leitura dramatizada do texto de ''A Guerra dos Mundos'', um clássico da ficção científica de H.G. Wells.

Créditos deste trabalho:
- Livro“Pensamento Vivo” de Orson Welles, uma coleção dos pensadores, da Martin Claret Editores (1986).
Livro “Orson Welles no Ceará”, de Firmino Holanda, Edições Demócrito Rocha, 2001
Arquivo Nirez / Arquivo Firmino Holanda
Banco de Dados O Povo
Casa Pirata de Fortaleza
Sites, Revistas, Jornais:
filme http://www.lmm.jussieu.fr/~lagree/DI...ngadaINDX.html
http://www.arkepix.com/kinok/DVD/WEL..._all_true.html
Multiply.com (by Isabel)
Diário do Nordeste
Estadão
Educação UOL
Reportagem de Welles (Revista Antiga Portuguesa, 'O século Ilustrado, de 1946'))

Entrevista com Firmino Holanda, autor de Orson Welles no CE

***Orson Welles entre nós – Matéria Diário do Nordeste, 2001
No primeiro semestre de 1942, Orson Welles veio ao Brasil, com passagem pelo Ceará, para produzir um filme que retratasse a realidade da América Latina. A primeira vista, o projeto se revestia de um caráter oficial - era fruto de uma aproximação cultural intensa entre o governo norte-americano e os países do Cone Sul. Indomável como sempre, Welles rodava um filme sobre a América Latina sim, mas ao seu estilo, sem concessões. A ousadia lhe custou os incentivos e a concretização do filme. Findado os episódios, sobram especulações e faltam explicações detalhadas sobre a aventura do cineasta por estas plagas. Crítico de cinema e historiador, Firmino Holanda tenta jogar uma luz neste nevoeiro em “Orson Welles no Ceará”, livro que será lançado hoje, às 18h, na Casa Amarela Eusélio Oliveira. Na obra, o autor reconstrói a controversa passagem do cineasta pelo Estado, seus contatos com os jangadeiros e os pormenores desta relação. Na ocasião, serão apresentadas as cenas cearenses de “It's All True”. Caderno 3 - Como surgiu a idéia de produzir um livro sobre a passagem de Orson Welles no Ceará?Firmino Holanda - Eu sempre pesquisei cinema cearense, desde o final dos anos 70, e no caso do Orson Welles especificamente - que é um assunto fascinante, um gênio filmar aqui em Fortaleza -, eu me motivei quando li um texto do Alex Vianni, crítico de cinema, no Jornal do Brasil. Então me interessei e passei a pesquisar, a juntar os fragmentos dessa história que nunca foi contada no todo. Inclusive esse meu livro, que eu saiba, é o primeiro livro do Orson Welles no Brasil. Então desde os anos 80, eu junto material, escrevo. A matriz mesmo foi um pequeno ensaio que eu publiquei na revista “Nação Cariri”, em 1986, em que eu juntava os primeiros fragmentos coletados. Apenas para avançar: eu preparo há muitos anos um livro sobre a história do cinema no Ceará - tudo que foi filmado aqui, por nós particularmente. Aí o Orson Welles entrou também na história. Mas eu tinha um certo pudor porque ele é um estrangeiro. Mas quando eu vi o filme mesmo, as imagens de Orson Welles no Ceará - um filme de 46 minutos, mostrando a nossa vida, a nossa realidade - eu disse que este filme é nosso mesmo. Então, nesse meu livro tem um capítulo sobre Orson Welles, mas que se detém aos aspectos cinematográficos. Como a pesquisa estava crescendo, eu preferi fazer um livro separado. Fisguei o capítulo - não o retirei do livro - e o ampliei ao máximo: fiz uma análise comparando ele ao Eisenstein, aprofundei a questão da política da boa vizinhança, a questão do Mucuripe, os causos em torno do diretor. Fiz um livro maior e recebi o convite para publicá-lo. Caderno 3 - O fato aconteceu no início dos anos 40, durante a chamada “política da boa vizinhança”. Você poderia explicar por que Welles decidiu vir para o Ceará?Firmino Holanda - A interferência norte-americana no continente sempre ocorreu, através da violência ou não. Quando chega a década de 30, essa coisa se atenua, tem a diplomacia do dólar, o panamericanismo, outra formas de se chegar na América Latina sem ser no “canhão”. Quando estoura a Segunda Guerra Mundial, o Brasil vivia o Estado Novo, a ditadura de Getúlio Vargas, que namorava com a Alemanha nazista. Mas os Estados Unidos queriam estender a sua influência sobre o continente por questões econômicas, militares. Então, eles pressionavam o governo Vargas para ceder as suas bases e também se juntar com os aliados contra o fascismo. Cria-se, então, um birô interamericano, liderado por Nelson Rockfeller, um magnata e dono de estúdio com pretensões de ser presidente. Este birô vai traçar uma política de aproximação cultural com a América Latina, com um segmento ligado ao cinema - até então, os filmes feitos sobre a América Latina eram folclorizantes. Orson Welles vem nesse bojo: “coloquemos o homem que fez Cidadão Kane para realizar um filme latino-americano de qualidade”. Mas os problemas surgiram porque a visão dele não era condizente com a visão turística, atenuada da realidade. Ele mostrava negros dançando carnaval, favelas, os pescadores pobres e isto criou um mal-estar junto à censura do Estado Novo, atribulou a política da boa vizinhança. Caderno 3 - Por conta deste choque de interesses, ele teve as verbas do filme suspensas e seguiu para o Rio de Janeiro. Como foi o encontro com os pescadores? Firmino Holanda - Ele chegou primeiro no Rio de Janeiro, no carnaval de 1942, para filmar a festa, criar uma história sobre o carnaval. Quando terminou, ele veio à Fortaleza para manter os primeiros contatos com os jangadeiros, porque ele tinha interesse em filmar a história dos jangadeiros cearenses que viajaram, durante 61 dias, até o Rio de Janeiro, para chamar a atenção pública paras as condições de vida dos pescadores - era um ato político. Ele queria filmar este episódio, que foi matéria na revista Time. O Orson Welles leu este artigo e ficou encantado. Ele levou alguns jangadeiros para o Rio, para filmar a cena da chegada deles - ele começou pelo final. Ele filmou as cenas e foi quando aconteceu o acidente que fez desaparecer o Jacaré, um dos jangadeiros. O filme ficou num impasse, mas Welles estava decidido a finalizá-lo. Em junho ele retornou à Fortaleza para concluir as filmagens. O filme “It's All True” ficou inacabado, mas ele filmou tudo. O problema era a questão da censura, tanto do estúdio RKO quanto do Estado Novo. Eu sei que boa parte do filme ficou escondida, tem aquela história de que muita coisa foi jogada ao mar. Caderno 3 - Mas alguma parte deste material foi recuperada? Firmino Holanda - O Orson Welles morreu em 1985, mas pouco antes, um pesquisador encontrou os negativos no acervo da Paramount - a RKO já não existia mais. Depois da morte do Welles, eles começaram a fazer uma recuperação destas imagens e ainda bem que a parte cearense ficou preservada, pelo menos é o que se percebe no documentário “It's All True” sobre o filme inacabado. A parte cearense está completa, com pouco mais de 40 minutos, sem cortes. O documentário mostra o Mucuripe, os pescadores construindo jangadas, fazendo redes, a história da viagem, a passagem por Recife e Salvador, a chegada ao Rio de Janeiro.


Muito obrigado
Abs
Se tiver lento, vai clicando em ‘atualizar’, p/
carregar todas as imagens

Last edited by Fortal; October 7th, 2008 at 04:27 PM.
Fortal no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
Old October 7th, 2008, 03:22 AM   #2
Luis_RiodeJaneiro
Registered User
 
Luis_RiodeJaneiro's Avatar
 
Join Date: Jan 2006
Location: Rio de Janeiro
Posts: 4,760
Likes (Received): 75

Fortal !!! Fantástico !!!!
Essa história da morte do Jacaré sempre me impressionou !!
e agora você a historiou de forma detalhada !!!
Eu não sabia que tinha sido em São Conrado !
Nem que Vargas tinha chegado a se encontrar com o Jacaré !

Orson Welles, com a história da " Invasão dos Marcianos " , com " Cidadão Kane" ,
e essa história impressionante dos jangadeiros e a morte comovente de Jacaré,
é uma das personagens mais importantes da história do cinema !
E você, um grande repórter da História !!
Luis_RiodeJaneiro no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 03:37 AM   #3
Belcity
Carioca
 
Belcity's Avatar
 
Join Date: May 2006
Location: Belém - Pará - Amazônia
Posts: 16,063
Likes (Received): 214

Fortal como sempre arrasando nos threads historicos
__________________
PARÁ - OBRA-PRIMA DA AMAZÔNIA
Belcity no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 03:46 AM   #4
amazongate
Sub Lege Progrediamur
 
amazongate's Avatar
 
Join Date: Feb 2008
Location: Belém-PA
Posts: 3,125
Likes (Received): 2160

Égua fortal!

Deve ter dado um trabalho imenso esse thread!

Parabéns pelo empenho,o thread como todos os outros que você faz,ficou excelente,de altíssimo nível!
__________________
Clique aqui para ver meus threads
amazongate no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 04:15 AM   #5
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

Muito obrigado, Luis, Belcity e Amazongate: eu que agradeço os comentários!
Foi dignificante fazer este trabalho. Começou na sexta-feira, quando comprei o livro.
Hoje, comecei desde desde cedo, montando os textos, escaneando as fotos e fazendo o thread..hehe. Ah, ..mas é muito dignificante!!! adorei fazê-lo!
Achei que ficou muito grande, mas quis colocar a entrevista inteira do autor do livro e os fatos mais importantes. Dividi o thread em partes de como era a cidade, a viagem dos jangadeiros e depois Welles. Ficou extenso, mas acho que necessário. Peço desculpas pelo tamanho e o excesso de informações. Acabei de ler o livro hoje, em três dias devorei mais de 200 páginas...hehe

A história é emocionante, mesmo. Talvez um dos fatos mais marcantes que a cidade teve, especialmente essa praia do Mucuripe, eternizada por Ellis Regina, Fagner.

Last edited by Fortal; October 7th, 2008 at 04:24 AM.
Fortal no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 04:07 PM   #6
Manilov
Registered User
 
Manilov's Avatar
 
Join Date: Nov 2007
Location: Fortaleza
Posts: 1,483
Likes (Received): 399

Fabuloso!!!!

Sem duvidas um de seus mais marcantes threads, Fortal.

Estou meio sem tempo ultimamente, mas depois volto pra apreciar isso aqui com mais calma, blz?

Por enquanto só tenho a dizer que a saga desses quatro jangadeiros, e as tomadas mostradas no video foram fenomenais Todas aquelas jangadas unidas singrando os verdes mares... fantasticas.

Com certeza, são um símbolo daqui. Já inspiraram músicos, fotógrafos, pintores (Raimundo Cela), e cineastas (lembram-se daquela jangadeira que fez um filme?).

E que foto IMPACTANTE aquela do porto do Mucuripe!

So tenho a lamentar a devastaçao da paisagem natural. A cidade poderia ter preservado, pelo menos, aquela area. Hoje só restou uma fração mínima do bucolismo do Mucuripe.

Mas felizmente ficaram essas imagens. E tudo graças a bravura dos jangadeiros que atrairam a atençao do aclamado cisneasta. Assim, a praia foi eternizada, como era originalmente. Esses são registros extremamente preciosos pra cidade. Obrigado, Fortal, por traze-los a tona.


Parabens pelo belissimo e, sobretudo, interessantissimo trabalho.
__________________
Roma e Esparta foram durante muitos séculos armadas e livres. Os suiços são armadíssimos e extremamente livres. Maquiavel, 1532.
Manilov no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 04:20 PM   #7
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

Quote:
Originally Posted by Manilov View Post
Fabuloso!!!!

Sem duvidas um de seus mais marcantes threads, Fortal.

Estou meio sem tempo ultimamente, mas depois volto pra apreciar isso aqui com mais calma, blz?

Por enquanto só tenho a dizer que a saga desses quatro jangadeiros, e as tomadas mostradas no video foram fenomenais Todas aquelas jangadas unidas singrando os verdes mares... fantasticas.

Com certeza, são um símbolo daqui. Já inspiraram músicos, fotógrafos, pintores (Raimundo Cela), e cineastas (lembram-se daquela jangadeira que fez um filme?).

E que foto IMPACTANTE aquela do porto do Mucuripe!

So tenho a lamentar a devastaçao da paisagem natural. A cidade poderia ter preservado, pelo menos, aquela area. Hoje só restou uma fração mínima do bucolismo do Mucuripe.

Mas felizmente ficaram essas imagens. E tudo graças a bravura dos jangadeiros que atrairam a atençao do aclamado cisneasta. Assim, a praia foi eternizada, como era originalmente. Esses são registros extremamente preciosos pra cidade. Obrigado, Fortal, por traze-los a tona.


Parabens pelo belissimo e, sobretudo, interessantissimo trabalho.
--------------

Muito obrigado, Manilov
Que legal que vc gostou!
Realmente concordo com vc, poderiam preservar,
só restou o bucolismo.
Na minha concepção o Jangada Club nunca deveria ser
demolido, pois ali tinha a passagem de Welles nas paredes.
Esse primeiro vídeo é muito legal. Vc se imagina saindo
de jangada em alto-mar. A construção da jangada tb impressiona
vc viu quantas pessoas necessitam p/ levantá-la?
nossa, fiquei fascinado com o vídeo, o som das ondas
e Welles comentando.
Muito obrigado mesmo, pelos comentários, sempre
culturais e fantásticos!
Fortal no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 04:24 PM   #8
Maceió NE
JÚLIO PLECH
 
Maceió NE's Avatar
 
Join Date: Feb 2008
Location: MACEIÓ
Posts: 2,940
Likes (Received): 78

Arduoso, mas finalizado temos isto. Um fantástico thread, Fortal! Me empolguei, lendo do início ao fim!

Parabéns!
__________________
MACEIÓ LIGHT - www.maceiolight.ml
Maceió NE no está en línea   Reply With Quote
Old October 7th, 2008, 04:39 PM   #9
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

Muito obrigado, Maceió NE, que legal que vc gostou. Sua terra tb é famosa pelas jangadas, especialmente em Pajuçara. E essa força que vem do mar, só mesmo os jangadeiros p/ contar. Tanto que Welles se apaixonou pelas jangadas...
Fortal no está en línea   Reply With Quote
Old October 8th, 2008, 05:44 PM   #10
Thina
Registered User
 
Thina's Avatar
 
Join Date: Jan 2005
Location: Litoral Catarinense
Posts: 12,791

Ótimas fotos antigas pra comparação. A roupa dos homens, mulheres e crianças era uma graça.
Thina no está en línea   Reply With Quote
Old October 8th, 2008, 07:21 PM   #11
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

Muito obrigado, Thina!
Fortal no está en línea   Reply With Quote
Old October 8th, 2008, 09:57 PM   #12
Driano MG
Mineiro da Mata
 
Driano MG's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Juiz de Fora
Posts: 10,551
Likes (Received): 2110

Caramba não sabia desse passado cinematográfico de Fortaleza, mto legal sem contar a saga dos jangadeiros e de como a cidade tinha um ar de inocência nos anos 40, aliás a primeira foto aérea mostra tudo, não existia urbanização na orla, deveria ser um paraíso tudo ainda mto preservado.

Fortal esse seu thread ficou maravilhoso, deve ter dado um pouco de trabalho mas valeu mto a pena, ficou belíssimo, vc já vem fazendo um excelente resgate histórico a um bom tempo e acho isso mto importante, parabéns!
Driano MG no está en línea   Reply With Quote
Old October 8th, 2008, 11:13 PM   #13
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

Quote:
Originally Posted by Driano MG View Post
Caramba não sabia desse passado cinematográfico de Fortaleza, mto legal sem contar a saga dos jangadeiros e de como a cidade tinha um ar de inocência nos anos 40, aliás a primeira foto aérea mostra tudo, não existia urbanização na orla, deveria ser um paraíso tudo ainda mto preservado.

Fortal esse seu thread ficou maravilhoso, deve ter dado um pouco de trabalho mas valeu mto a pena, ficou belíssimo, vc já vem fazendo um excelente resgate histórico a um bom tempo e acho isso mto importante, parabéns!
Muito obrigado, Driano! eu que agradeço seu comentário!
vc tem razão, Driano, em relação ao cinema!
Foi até legal vc tocar no assunto sobre o passado do cinema
em Fortaleza. Victor di Maio, um dos pioneiros que trouxe aqui no Brasil o cinema, morou em Fortaleza. A cidade tinha muitos cinemas, como o Diogo, este da foto, sem contar com o Majestic Palace, um prédio lindo de 3 andares, de 1917, que pegou fogo, nos anos 50, mais precisamente em 1955, infelizmente. Tinha o Cine Moderno, sem falar que em 1958, foi aberto o cine São Luiz, prédio tombado e que se constituía, num dos mais belos salões do país!
Atualmente, na modernidade, o Ceará está presente em vários filmes, através do Cine Ceará, muitas produções são feitas no Estado.
Fortal no está en línea   Reply With Quote
Old October 8th, 2008, 11:37 PM   #14
Tito
:)
 
Tito's Avatar
 
Join Date: Nov 2007
Location: Aracaju (Brasil) / Puerto Madryn (Argentina)
Posts: 18,494
Likes (Received): 711

Nossa, que thread completíssimo hein?! Parabéns!

Muito interessante essa história dos jangadeiros da praia de Iracema. Imagina viajar 2 meses sem alguma bússola que viesse a servir de apoio após uma tempestade? Imagino que eles navegaram perto da costa, mas numa tesmpestade poderiam ter sido jogados para alto-mar.

Fortal, não tem nem palavras que possam expressar quão rico e informativo é este teu thread. Espero que mais pessoas possam o observar e comentar.

Parabéns mais uma vez!
__________________


Veja fotografias e informações sobre destinos e atrativos turísticos brasileiros e argentinos em minha página clicando aqui.

Acesse também e curta a fanpage no Facebook



> > > Minhas fotos de cidades e lugares no Brasil | My photos from places and cities in Brazil < < <
Tito no está en línea   Reply With Quote
Old October 9th, 2008, 12:20 AM   #15
Cerrado
Baiano sim senhor!
 
Cerrado's Avatar
 
Join Date: Aug 2006
Location: Palmas-TO/Itabuna e Salvador-BA
Posts: 38,667
Likes (Received): 7081

Simplesmente sensacional!
Cerrado está en línea ahora   Reply With Quote
Old October 9th, 2008, 01:42 AM   #16
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

@TITO: Muito obrigado, eu que agradeço seu comentário! como vc gosta de postais antigos, assim como eu, registrei como era a cidade nos anos 40. Esse postal antigo, número 9, das jangadas, é um dos mais significativos p/ mim! A saga dos jangadeiros realmente foi destaque internacional, tanto que Welles veio correndo registrar o acontecimento e transformou isso no filme.
@Cerrado: muito obrigado, que legal que vc gostou.
Fortal no está en línea   Reply With Quote
Old October 10th, 2008, 08:24 PM   #17
Manilov
Registered User
 
Manilov's Avatar
 
Join Date: Nov 2007
Location: Fortaleza
Posts: 1,483
Likes (Received): 399

Quote:
Originally Posted by Tito View Post
Muito interessante essa história dos jangadeiros da praia de Iracema. Imagina viajar 2 meses sem alguma bússola que viesse a servir de apoio após uma tempestade? Imagino que eles navegaram perto da costa, mas numa tesmpestade poderiam ter sido jogados para alto-mar.
Sim, Tito. Mas eles já pescam em alto-mar (ou depois da linha, como falam) Passam dias vendo somente água, pra todos os lados. Tenho um amigo que foi da marinha mercante e ele disse que é o maior perigo um navio passar por cima delas (é raro mas acontece) e que só não é pior porque cada jangada tem uma luzinha própria, que fica acesa à noite.
__________________
Roma e Esparta foram durante muitos séculos armadas e livres. Os suiços são armadíssimos e extremamente livres. Maquiavel, 1532.

Last edited by Manilov; October 10th, 2008 at 09:20 PM.
Manilov no está en línea   Reply With Quote
Old October 10th, 2008, 08:59 PM   #18
Caruaruense
Agreste Pernambucano
 
Caruaruense's Avatar
 
Join Date: Nov 2007
Posts: 18,186
Likes (Received): 3795

Fortal, impressionante! Mais uma vez fico surpreso com suas descobertas!
Caruaruense no está en línea   Reply With Quote
Old October 11th, 2008, 01:21 AM   #19
Fortal
O Show é aqui!
 
Fortal's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: São Paulo
Posts: 5,738
Likes (Received): 23

@Manilov: Obrigado pelas explicações, sempre de cunho didático e cultural.
@Caruaruense: Muito obrigado, que legal que vc gostou!
Fortal no está en línea   Reply With Quote


Reply

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off

Related topics on SkyscraperCity


All times are GMT +2. The time now is 04:51 PM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.11 Beta 4
Copyright ©2000 - 2017, vBulletin Solutions Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2017 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2017 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu