daily menu » rate the banner | guess the city | one on oneforums map | privacy policy (aug.2, 2013) | DMCA policy | flipboard magazine
Old May 18th, 2009, 09:24 PM   #1
dricobel
OFF
 
dricobel's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Belém - Pa
Posts: 37,378
Likes (Received): 1444

Sairé: cultura amazônica reunida em Santarém

Uma das principais cidades do Pará nos aspectos econômico, político ou cultural. Assim é Santarém, privilegiada, dentre outros motivos, pela sua diversidade cultural, cuja formação é resultado das contribuições trazidas pelos povos vindos das diferentes regiões do Brasil e de outras nações. Quando o assunto é cultura, Santarém se destaca, pois seu rico patrimônio cultural inclui elementos como, monumentos, construções antigas, peças arqueológicas, indumentárias, culinária, danças, religiosidade, mitos, crenças populares, música, artesanato, cerâmica, literatura e folclore.




Mas o principal elemento cultural é mesmo o povo santareno, também chamado de “mocorongo”. Sua formação, segundo a professora mestra em História da Amazônia, Terezinha Amorim, resulta da mistura entre índios, negros e europeus, com predominância da raiz indígena. Mas essa mistura vem sofrendo uma influência significativa por causa da chegada, sobretudo, dos nordestinos, dos confederados e até de asiáticos. O resultado disso é o surgimento de uma cidade multifacetada.

Uma mostra é a mistura de cores e de raças que, despida de qualquer preconceito, revela histórias como a do casal Raimundo Navarro (ex-vereador e professor aposentado) e Marilza Serique (professora universitária). Ele é natural na região do Tapajós, mas é neto de portugueses e espanhóis que chegaram ao Brasil no século passado. Ela também nasceu na região do Tapajós, mas é filha de judeus e de descendentes de índios da região.

ARTESANATO

Maria das Dores, Elves Costa, Gilmar Rego, Maria Benedita de Sousa e Mestre Izauro do Barro, são os mais expressivos artesãos da cerâmica santarena, com destaque para Mestre Izauro que é reconhecido mundialmente. Izauro é oleiro desde os 10 anos de idade e hoje com 90 anos, tem peças espalhadas pelo Brasil inteiro e até fora do país.

Uma das figuras mais conhecidas do mundo artístico paraense. Assim é a artesã, modista e estilista santarena Dica Frazão. No casarão antigo onde mora, há 62 anos, Dica criou um dos pontos turísticos de Santarém. Lá funcionam seu ateliê e museu particular, criado em 1999. Nascida Raimunda Rodrigues, no município de Capanema (PA), a estilista conta que suas criações já ganharam o mundo.

Das suas mãos nasceram peças que foram presenteadas à rainha da Bélgica, ao Papa João Paulo II, a Juscelino Kubitschek. O que faz de seu trabalho algo tão especial é a matéria- prima com a qual cria suas peças. São entrecascas de uma árvore misteriosa, cujo segredo é mantido a sete chaves pelos índios Mundurucus, fornecedores do produto; fibras extraídas do capim canarana; palha de buriti; sementes e raízes da Amazônia.

A cerâmica de Santarém também conhecida como cerâmica dos Tapajós, advém de uma cultura, “considerada como a de maior distribuição na bacia amazônica e, cronologicamente, aceita como protohistórica”. Estudos mostram que o grupo indígena Tapajós localizava-se na foz e ao longo do afluente da margem direita do Amazonas – o Rio Tapajós.



>> Sairé: 300 anos de manifestação cultural

A festa do Sairé é considerada a mais antiga manifestação da cultura popular da Amazônia. Ela existe há mais de 300 anos e sua origem remonta ao período da colonização, quando os padres jesuítas, na missão evangelizadora pela bacia do rio Amazonas, envolviam música e dança na catequese dos índios. Essa é a hipótese mais provável, pois antes da catequização, os indígenas não conheciam a religião cristã.

Com as mudanças ocorridas ao longo desses 300 anos, o Sairé foi ganhando novos contornos. Atualmente, é festejado em setembro e consiste em um ritual religioso que se repete durante o dia, culminando com a cerimônia da noite, quando acontecem as ladainhas e as rezas, seguida da parte profana da festa, representada pelos shows, com apresentações de danças típicas e pelo confronto dos botos Tucuxi e Cor-de-Rosa. Ao todo, são cinco dias de muita música, dança e rituais resultantes do entrelaçamento social e cultural entre os colonizadores portugueses e índios da região do Tapajós.

Mas a história dos 300 anos do Sairé é um tanto quanto “acidentada”. Sofreu uma paralisação de 40 anos, entre 1943 e 1973, voltando a ser realizada por iniciativa de moradores da vila de Alter do Chão. Até meados do século passado, a festa tinha significação puramente religiosa, celebrando a Santíssima Trindade, com um semicírculo (o Sairé) de cipó torcido, envolvido por algodão e enfeitado com fitas e flores coloridas. O símbolo possui três cruzes dentro do semicírculo e outra na extremidade, representando as três pessoas da Santíssima Trindade e um só Deus. E foi uma criação indígena com base nos escudos portugueses.

Em lugar da cruz de Cristo que adornava os símbolos portugueses, o Sairé, possivelmente inspirado por algum missionário católico, associou o mistério da Santíssima Trindade, utilizando a imagem da pomba que representa o Espírito Santo. Esse estandarte segue à frente da procissão, conduzido por uma mulher, que recebe o nome de Saraipora. (Diário do Pará)

http://www.diariodopara.com.br/notic...hp?idnot=44036
__________________
Belém

Last edited by dricobel; May 18th, 2009 at 09:32 PM.
dricobel no está en línea   Reply With Quote

Sponsored Links
 
Old May 19th, 2009, 02:00 AM   #2
Scantlebury2
/lixa
 
Scantlebury2's Avatar
 
Join Date: Dec 2008
Location: Belém - Brasil / Paris - France
Posts: 3,377
Likes (Received): 25

O certo é "Çairé" hehe...é a única palavra da língua portuguesa que começa com "ç".

Deve ser muito lindo esse festival do Çairé visto de perto. Tenho vontade de ir pra Santarém pra assistir
__________________
..............


facebook
Instagram: scantlebury
Email: victorscantlebury@hotmail.com
Scantlebury2 no está en línea   Reply With Quote
Old May 19th, 2009, 03:19 AM   #3
FranciscoMileo
Clube do Remo
 
FranciscoMileo's Avatar
 
Join Date: Mar 2009
Location: Belém
Posts: 950
Likes (Received): 30

mudaram, antes era com Ç, mas agora é com S hheoauisheoasui

quando eu tinha uns 11 anos eu fui pra ver, era pequeno dormi o festival inteiro ;/
FranciscoMileo no está en línea   Reply With Quote
Reply

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 02:25 AM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.8 Beta 1
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like v3.2.5 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

vBulletin Optimisation provided by vB Optimise (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2014 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us | privacy policy | DMCA policy

Hosted by Blacksun, dedicated to this site too!
Forum server management by DaiTengu