SC Notícias X - Page 5 - SkyscraperCity
 

forums map | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Brasil > Fóruns Regionais > Sul > Notícias da Região


Closed Thread
 
Thread Tools
Old April 3rd, 2013, 12:01 AM   #81
Jlle
Registered User
 
Jlle's Avatar
 
Join Date: Jan 2013
Posts: 1,037
Likes (Received): 2020

SC lança nove centros de inovação
01 de abril de 2013

Com o propósito de impulsionar a inovação, uma ação conjunta do governo do Estado via Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS), universidades e prefeituras lança as bases para a abertura de nove centros de inovação, a serem instalados nas cidades de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Chapecó, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba e São Bento do Sul. A apresentação do programa será amanhã, às 15h30min, no gabinete do governador Raimundo Colombo, com os prefeitos dos municípios e reitores das instituições envolvidas. Segundo o secretário Paulo Bornhausen, da SDS, nesta primeira etapa estão sendo investidos R$ 42 milhões. O projeto foi elaborado e será implantado pela Inova, o braço de inovação do Estado. Lages não está nesta etapa porque já instalou o seu centro, e ascidades de Tubarão e Concórdia ainda não concluíram os respectivos planos.

Entre as instituições parceiras estão o Sapiens Parque, Univille, Univali, Unochapecó, Unesc, Unoesc e Furb. Na capital, o centro ficará no Sapiens. Conforme Bornhausen, o modelo segue o exemplo do implantado na Catalunha, Espanha, onde funciona com sucesso. Até o momento, foram investidos R$ 2 milhões na formação de gestores e o Estado investirá R$ 40 milhões para a construção dos espaços físicos. As cidades maiores terão prédios de 4,5 mil metros quadrados; e as menores, de 2,5 mil metros. Nesses centros com gestão local, haverá espaço para pesquisa e incubadoras.

A expectativa é de que, para equipar essas unidades, serão necessários mais cerca de R$ 60 milhões. A meta é iniciar as construções a partir de maio. A prefeituras vão doar terrenos, o Estado construirá os prédios e a Fapesc vai investir em pesquisas.

Cooperação


O projeto de centros de inovação, lançado pelo governo catarinense, é inédito no Brasil. A exemplo de qualquer empreendimento, vai exigir muito trabalho e consensos. Mas as regiões devem reunir esforços porque SC e o Brasil têm o desafio de inovar mais É preciso olhar a floresta e não as árvores.

http://wp.clicrbs.com.br/estelabenet...o=67,2,18,,,84
__________________

Geoce, ERapanos, jffaraco liked this post
Jlle no está en línea  
Sponsored Links
Advertisement
 
Old April 3rd, 2013, 12:21 AM   #82
Mr.Canello
Registered User
 
Join Date: Mar 2008
Posts: 7,168
Likes (Received): 1462

Quote:
Originally Posted by David de andrade View Post


Se isso vier ocorrer, existe alguma maneira legal de se impedir ? já está mais que na hora de uma "revolução", não aguento mais isso.
E naquela época das tragédias das chuvas em SC? Alguém se lembra daquele cara (ministro, senador, vagabundo, sei lá...) que puxou quase todos os recursos para a Bahia (estado que não havia ocorrido nenhuma tragédia)... Eu não me esqueço nunca!
Mr.Canello no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 01:10 AM   #83
EmyJaraguá
Emy não...Emerson
 
EmyJaraguá's Avatar
 
Join Date: Jul 2011
Location: Jaraguá do Sul, SC
Posts: 3,909
Likes (Received): 7137

Quote:
Originally Posted by Heinrich_sc View Post
Eitaaa...Jaragua cada vez maior.. emprego para dar e vender o ano inteiro.
Pois é, emprego tem de sobra aqui! São novos supermercados, redes, restaurantes, além das empresas aumentando a demanda. Só de exemplo, a WEG tem o plano 2020 que é duplicar o número de funcionários e quadruplicar o faturamento (hoje ela tem, só em Jaraguá e Guaramirim quase 20 mil empregados!) . Novas empresas estão ganhando mercado como a Trapp, CSM, Menegotti, Lunelli e Lunender, Zanotti, além das tradicionais.
Aliás, são todas empresas familiares, nenhuma empresa de fora, a própria força do empresarial local.
Agora só falta investir pesado em mobilidade urbana, porque o trânsito nos horários de pico é um caos, sem opção de fuga.
EmyJaraguá no está en línea  
Sponsored Links
Advertisement
 
Old April 3rd, 2013, 01:27 AM   #84
Barriga-Verde
Registered User
 
Barriga-Verde's Avatar
 
Join Date: Aug 2007
Location: Vale, SC
Posts: 18,597
Likes (Received): 51638

Quote:
Originally Posted by dberg242 View Post
Com isso o projeto ganhador do concurso nacional da ponte e passarela será ignorado, igual ao da imagem abaixo:



A passarela de pedestres tbem não será construída. O projeto Blumenau 2050 começa a ir pelos ares. Eu achava difícil um projeto desses resistir a várias gestões municipais de diferentes partidos e orgulhos.
E não é possível adaptar o design para a proposta da nova ponte?
Barriga-Verde no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 02:30 AM   #85
Geoce
Geoce
 
Geoce's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Florianópolis
Posts: 4,940
Likes (Received): 3196

Quote:
Originally Posted by FloripaNation View Post
Afffffff eu vi hoje no Jornal do Almoço que os projetos viários em SC podem estar comprometidos por causa de mudança de cadeira de ministros, parece que o novo tende a chupar recursos para a terra natal dele (Bahia).
Já recebem pouco dinheiro do Governo Federal né? Só que me faltava.
Geoce no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 02:39 AM   #86
copenhagenn
Registered User
 
Join Date: Sep 2012
Posts: 3,329
Likes (Received): 1547

A velha estratégia de prometer, não fazer e jogar a culpa em Brasília.
copenhagenn no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 04:53 AM   #87
Joinvilense 2011
Registered User
 
Joinvilense 2011's Avatar
 
Join Date: Dec 2010
Location: Joinville - SC
Posts: 1,851
Likes (Received): 153

Três novas ambulâncias do Samu estão paradas em Joinville por falta de combustível

Funcionário denuncia que veículos que estão sendo usados estão com pneus carecas e sem estepe




Apesar de três ambulâncias novas terem sido entregues ao Samu de Joinville no início de março, as equipes de emergência continuam trafegando com viaturas deterioradas. Os três modelos Mercedes Benz, que custaram ao governo federal R$ 122,7 mil (cada um) permanecem ao relento no pátio do órgão na Max Colin a espera da conclusão de trâmites burocráticos. Ainda não há data definida para as ambulâncias entrarem em funcionamento.

Um funcionário do Samu, que prefere não se identificar, denuncia que as ambulâncias não estão rodando porque necessitam de um novo tipo de óleo diesel, o S10, que ainda não foi licitado pela Prefeitura, e por causa do seguro, que não ficou pronto.

Além disso, duas das viaturas vieram com problemas: uma está sem ar-condicionado e outra está com uma abertura no teto, o que faz com que entre água em dias de chuva.
Enquanto isso, as equipes têm de trafegar com as três ambulâncias antigas, que estão desgastadas e podem oferecer risco aos pacientes.

— É difícil, né? Tem ambulância que está com pneu careca, sem estepe. Estamos correndo o risco de chegar num cruzamento, frear e não conseguir parar, e ocasionar outro acidente —, desabafa o funcionário.

— O risco de não chegar está grande —, completa..

Contraponto

De acordo com o gerente da unidade administrativa e financeira da Secretaria da Saúde, Hamilton Augusto do Nascimento, a licitação do seguro já foi homologada, o que ainda está pendente é a licitação do novo tipo de óleo diesel.

— Dia 9 (de abril) vamos abrir a licitação. Aí temos que dar mais cinco dias úteis para recurso —, explica.

Ele esclarece que os novos modelos necessitam do diesel S10 porque os novos veículos da categoria estão sendo fabricados para funcionar com esse óleo ecológico, que reduz a poluição do ar, porém custa 20% a mais que o convencional.

Concluídas as licitações, ainda será necessário instalar o rádio nas três ambulâncias, o que, segundo Hamilton, leva pelo menos três dias. Fora os consertos na viatura que está sem ar-condicionado e na outra que está com uma abertura no teto.

Acredito que lá pelo dia 22 de abril elas estejam rodando, se tudo der certo —, prevê.

O coordenador do Samu em Joinville, Reginaldo Kolatzki, reconhece que os pneus das ambulâncias antigas estão carecas.

— Hoje (nesta segunda-feira) vão ser trocados os pneus dianteiros de duas ambulâncias, que estão em pior situação. De uma já tinha sido trocado há um mês —, informa.

Ainda segundo Reginaldo, ao invés do Samu devolver as três ambulâncias antigas ao governo do Estado, como estava previsto, assim que as novas entrarem em funcionamento, serão devolvidas apenas duas.

— Vamos ficar com uma ambulância de reserva para tentar suprir a demanda de reparos das que estarão em funcionamento —, esclarece.

Dessa forma, Joinville passará a contar com cinco viaturas, quatro rodando e uma de reserva.


Fonte: A Notícia


Se algum colega forista que atue nessa área tenha algo a comentar sobre esta denúncia, fique à vontade. Dica: quem sabe um amigo cujo nome nos faz lembrar o thread atual? rs
__________________
Blumenauense de berço, Joinvilense por adoção e ambas de coração!
São Chico - Aqui nasceu sc

Last edited by Joinvilense 2011; April 3rd, 2013 at 03:04 PM.
Joinvilense 2011 no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 05:16 AM   #88
Joinvilense 2011
Registered User
 
Joinvilense 2011's Avatar
 
Join Date: Dec 2010
Location: Joinville - SC
Posts: 1,851
Likes (Received): 153

Central de medicamentos de São Bento do Sul investe R$ 600 mil em três meses







Para atender os pacientes da Central de Medicamentos, a Prefeitura de São Bento do Sul já investiu nos últimos três meses, mais de R$ 600 mil. Atualmente são fornecidos 210 itens e apenas cinco não estão disponíveis devido a problemas na entrega por parte dos fornecedores, entre eles a Codeína e Glicozida. “Todos os meses ultrapassamos o orçamento com a compra de medicamentos. Investimos praticamente o dobro para atender toda a demanda” destacou o secretário de Saúde, Deodato Hruschka.



A Central de Medicamentos realiza a compra mensal dos itens, atendendo a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), que estabelece a lista básica, acrescida de outros medicamentos que atendem pacientes especiais. O cadastro de pacientes na Central chega a 2 mil, incluindo os pacientes com processos judiciais e de controle especial. “A maior movimentação acontece entre os dias 10 e 20 de cada mês”, lembrou a responsável pela Central, a farmacêutica Carla Grossl Diener.



Postos de Saúde – Para que os pacientes não precisem se deslocar até o Centro da cidade, onde está localizada a Central de Medicamentos, periodicamente são encaminhadas as remessas com os itens aos postos de saúde. O paciente retira o medicamento no posto do bairro em que reside, porém o controle é unificado e a pessoa só pode receber o medicamento em um só local, mediante receita médica emitida pelos médicos da rede SUS. “É um sistema on line eficiente, permitindo que o paciente retire o medicamento em um único lugar. A ferramenta facilita ainda, o monitoramento dos estoques” ressaltou Carla. A farmacêutica acrescenta que, de todos os itens disponibilizados pela Prefeitura, cerca de 20 são centralizados na Central, entres eles, medicamentos de uso oftálmico e antibióticos.



Planejamento Familiar – o programa proporciona o acesso à informação sobre os métodos contraceptivos. Como a atuação do programa acontece nos postos de saúde, os anticoncepcionais não são distribuídos na Central de Medicamentos, e sim, através do programa, que permite o acompanhamento da medicação junto às pacientes.

Economia - Em março, a Prefeitura também realizou pregão para a compra de outros materiais e equipamentos para a Secretaria de Saúde. O valor inicial era de R$ 2.954.859,23, porém com a realização do pregão o valor gasto foi de R$ 1.426.540,20. Das 21 empresas participantes, 18 foram vencedoras no fornecimento de sondas, cadeira de rodas, máscara respiratória e água deionizada.


Fonte: http://www.saobentodosul.sc.gov.br/noticia/10221
__________________
Blumenauense de berço, Joinvilense por adoção e ambas de coração!
São Chico - Aqui nasceu sc
Joinvilense 2011 no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 02:01 PM   #89
DSoares
terra da buRRocracia
 
DSoares's Avatar
 
Join Date: Jan 2009
Location: Joinville
Posts: 3,435
Likes (Received): 624

Os primeiros planos para o Ernestão

Estádio receberá jogos até o fim do ano para marcar a despedida do local. Empresa proprietária só irá fazer obras a partir de 2014
A novela do Estádio Ernestão ganhou mais um capítulo na tarde de ontem. O palco, penhorado pela 4ª Vara da Justiça do Trabalho para pagar dívidas do Caxias, foi arrematado há 11 dias por R$ 10,6 milhões pela PCPA Administradora de Bens. De lá para cá, o local passou a conviver com o silêncio dos antigos e dos novos administradores, todos à espera de uma definição judicial. Na semana passada, o presidente do Caxias, Flávio Braga, quebrou o silêncio e finalmente se manifestou. Em entrevista exclusiva ao “AN”, revelou que tentaria impedir a concretização do leilão até as últimas esferas judiciais. Na segunda-feira, último dia para tentativa do embargo, o Caxias chegou a protocolar um recurso questionando os valores pagos pelo imóvel. Ontem, já no primeiro dia após o término do prazo de contestação judicial, foi a vez do novo proprietário quebrar o silêncio.

Em entrevista ao “AN”, Clademir José Koch, representante legal da PCPA Administradora de Bens, contou que a empresa pensa em realizar, até o fim do ano, jogos que marquem a despedida do estádio. “Quem sabe um combinado do Caxias contra o América, um jogo de veteranos entre o JEC e o Avaí. Seria uma boa maneira de nos despedirmos do estádio.” Clademir também garantiu que até o fim do ano não será feito nenhum tipo de obra no Ernestão. “Em 2013, ele fica como está”, assegura.

Só a partir de 2014 o cenário deve mudar. Até lá, a PCPA vai fazer um estudo aprofundado da área de 21 mil metros quadrados para decidir como aproveitá-la da melhor maneira possível. Entre os planos, está a construção de uma nova loja Milium, que será a referência da empresa na zona Sul da cidade. “Agora, precisamos saber o que podemos agregar a esta loja, um banco, outros tipos de lojas, enfim, não temos esta definição.”

Clademir descartou a hipótese de revender o estádio. De acordo com ele, a PCPA aproveitou uma oportunidade no mercado para fazer a aquisição, mas até o arremate não havia planos concretos para o aproveitamento da área. “Estávamos sem projeto. Decidimos entrar no leilão porque nos surgiu esta oportunidade e porque queríamos manter o local com alguém da cidade. Tinha muita gente de fora querendo o estádio”, lembrou.

Agora, a PCPA aguarda apenas o desfecho do recurso do Caxias. A empresa já depositou os R$ 10,6 milhões que deveriam ser pagos pela compra da área. Mas o Caxias entrou com embargo na Justiça do Trabalho para tentar impedir a concretização do leilão – leia mais no texto ao lado.
____________

dberg, foi você que deu a ideia para eles???

[IMG]http://t2.************/images?q=tbn:ANd9GcQcusH0jNp0tAysdeytRhxUHgtVdlNYP1dYq27LUHM94HMDH3ehJg[/IMG]
DSoares no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 02:20 PM   #90
dberg242
Santa Catarina
 
dberg242's Avatar
 
Join Date: Apr 2009
Location: Blumenau - SC
Posts: 3,991
Likes (Received): 1973

Quote:
Originally Posted by Barriga-Verde View Post
E não é possível adaptar o design para a proposta da nova ponte?
Infelizmente não, pois o custo da nova ponte é superior, pois ao contrário da ganhadora do concurso, agora vai ter de fazer pilares dentro do rio. O conceito de ponte muda de estaiada para comum. Além disso a verba tem que dar para fazer um viaduto, alças de acesso.
Querem fazer a nova ponte com 4 pistas. Vai ser um trambolhão.
E para completar, não há tempo para fazer novo concurso paisagístico. Então vai se optar pelo modelo padrão.
No outro projeto já foi gasto mais de R$ 1 milhão, literalmente rasgados e jogados fora. Assim como está sendo rasgado e jogado fora o projeto Blumenau 2050, que previa o planejamento da ponte para o projeto antigo, um binário que leva para a saída oeste da cidade (Rua Silvano Candido da Silva até a BR-470).

Quote:
Originally Posted by DSoares View Post
Os primeiros planos para o Ernestão

Só a partir de 2014 o cenário deve mudar. Até lá, a PCPA vai fazer um estudo aprofundado da área de 21 mil metros quadrados para decidir como aproveitá-la da melhor maneira possível. Entre os planos, está a construção de uma nova loja Milium, que será a referência da empresa na zona Sul da cidade. “Agora, precisamos saber o que podemos agregar a esta loja, um banco, outros tipos de lojas, enfim, não temos esta definição.”
___________

dberg, foi você que deu a ideia para eles???

[IMG]http://t2.************/images?q=tbn:ANd9GcQcusH0jNp0tAysdeytRhxUHgtVdlNYP1dYq27LUHM94HMDH3ehJg[/IMG]
Juro que não fui eu.

Na verdade é um modelo de negócio que funciona. Você coloca sua loja de renome como âncora (é o caso da Milium) e agrega diversos serviços que atraem pessoas. Coloca uma praça de alimentação com restaurantes com preços justos e umas 800 vagas de estacionamento. Pronto ! Logo vai virar uma referência no bairro e região. Simples e funciona.
Melhor ainda se colocar isso tudo em um prédio moderno com bom design. Para melhorar ainda mais, coloque um hotel bonito no mesmo terreno, de uma bandeira nacional reconhecida. Faça o estacionamento arborizado e ajardinado. Aí é o sonho. Seria uma ótima aplicação para o terreno ao meu ver.

edit: pelo tamanho do terreno, dá para fazer um hotel bonito envidraçado e tal de uns 20 andares e harmonizar com o centro comercial, tendo um entrada direta do hotel para a alameda de serviços do centro comercial. O que mais um hóspede ia querer ? Já aproveita e faz a alameda de serviços 24 horas. Bom né ?
__________________
Edifícios de Blumenau em http://www.blumenauvertical.com.br

"Construa alto, mas construa com qualidade e bom gosto. Sem ferir os olhos de quem olha e sem ofuscar a natureza em volta."
dberg242 no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 02:54 PM   #91
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,636
Likes (Received): 5361

Eu ia comentar todos os comentários de vocês sobre, mas agora nem vou quotar mais nada.

PS: dberg são as iniciais de Clademir José Koch.

Não vou negar que fiquei surpreso com o gasto de R$10 milhões num terreno para construir "apenas" uma Milium e seus agregados. A minha única desconfiança de que a Milium poderia ser construída ali e sair da Procópio é que percebi que aquele imóvel não está no nome da PCPA Administradora de Bens. Pode ser que o proprietário seja da família proprietária do grupo, mas achei interessante que o terreno da Max Colin e o da Iririú sejam do grupo, e aquele de uma outra pessoa física. E pelo jeito esse pequeno percentual se concretizou. Mas não tem problema, não era uma torcida minha, apenas considerações acerca de um boato que ouvi algumas pessoas falando.

Quote:
Originally Posted by DSoares View Post
- Duvido muito em uma grande filial da Milium. Acho um investimento arriscadíssimo pagar mais de 10 milhoes em um terreno para construir uma loja deles.
Era o que eu pensei também. Mas vamos ver também quanto que essa nova loja ocupará. Às vezes podem fazer algo tipo o Big da Beira Rio, que boa parte são lojas e alameda de serviço.

Quote:
Originally Posted by ceap.jec View Post
Mas pra dizer a verdade, eu gostaria de ver algo de diferente nessa cidade, não sei o que ainda, talvez um novo hotel de alto padrão com um projeto arquitetônico moderno, envidraçado, enfim, não tenho ainda uma ideia formada.
No projeto de shopping que eu fiz na minha cabeça, fiz de um shopping anexo à torres comerciais e hotel, todos com belos projetos arquitetônicos. Do tipo uma torre comercial e uma torre de hotel, por exemplo. A ideia também seria anexar um teatro, como se encontra em outros shoppings por aí (o Eldorado, em São Paulo, ou o Estação, em Curitiba), com diversas salas de cinema. Não fiz nem pensando muito em lojas, confesso.
xistracinho no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 03:21 PM   #92
ceap.jec
Registered User
 
ceap.jec's Avatar
 
Join Date: Aug 2011
Location: Joinville
Posts: 287
Likes (Received): 50

Quote:
Originally Posted by DSoares View Post
Os primeiros planos para o Ernestão

Estádio receberá jogos até o fim do ano para marcar a despedida do local. Empresa proprietária só irá fazer obras a partir de 2014
A novela do Estádio Ernestão ganhou mais um capítulo na tarde de ontem. O palco, penhorado pela 4ª Vara da Justiça do Trabalho para pagar dívidas do Caxias, foi arrematado há 11 dias por R$ 10,6 milhões pela PCPA Administradora de Bens. De lá para cá, o local passou a conviver com o silêncio dos antigos e dos novos administradores, todos à espera de uma definição judicial. Na semana passada, o presidente do Caxias, Flávio Braga, quebrou o silêncio e finalmente se manifestou. Em entrevista exclusiva ao “AN”, revelou que tentaria impedir a concretização do leilão até as últimas esferas judiciais. Na segunda-feira, último dia para tentativa do embargo, o Caxias chegou a protocolar um recurso questionando os valores pagos pelo imóvel. Ontem, já no primeiro dia após o término do prazo de contestação judicial, foi a vez do novo proprietário quebrar o silêncio.

Em entrevista ao “AN”, Clademir José Koch, representante legal da PCPA Administradora de Bens, contou que a empresa pensa em realizar, até o fim do ano, jogos que marquem a despedida do estádio. “Quem sabe um combinado do Caxias contra o América, um jogo de veteranos entre o JEC e o Avaí. Seria uma boa maneira de nos despedirmos do estádio.” Clademir também garantiu que até o fim do ano não será feito nenhum tipo de obra no Ernestão. “Em 2013, ele fica como está”, assegura.

Só a partir de 2014 o cenário deve mudar. Até lá, a PCPA vai fazer um estudo aprofundado da área de 21 mil metros quadrados para decidir como aproveitá-la da melhor maneira possível. Entre os planos, está a construção de uma nova loja Milium, que será a referência da empresa na zona Sul da cidade. “Agora, precisamos saber o que podemos agregar a esta loja, um banco, outros tipos de lojas, enfim, não temos esta definição.”

Clademir descartou a hipótese de revender o estádio. De acordo com ele, a PCPA aproveitou uma oportunidade no mercado para fazer a aquisição, mas até o arremate não havia planos concretos para o aproveitamento da área. “Estávamos sem projeto. Decidimos entrar no leilão porque nos surgiu esta oportunidade e porque queríamos manter o local com alguém da cidade. Tinha muita gente de fora querendo o estádio”, lembrou.

Agora, a PCPA aguarda apenas o desfecho do recurso do Caxias. A empresa já depositou os R$ 10,6 milhões que deveriam ser pagos pela compra da área. Mas o Caxias entrou com embargo na Justiça do Trabalho para tentar impedir a concretização do leilão – leia mais no texto ao lado.
____________

dberg, foi você que deu a ideia para eles???

[IMG]http://t2.************/images?q=tbn:ANd9GcQcusH0jNp0tAysdeytRhxUHgtVdlNYP1dYq27LUHM94HMDH3ehJg[/IMG]
Acho que tem gente da Milium infiltrada aqui no SSC-SC Notícias...
__________________
Simplesmente Joinvilense !
ceap.jec no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 03:26 PM   #93
thiagohsp
Ilha de Santa Catarina
 
thiagohsp's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Location: Florianópolis
Posts: 1,507
Likes (Received): 676

Prefeitura de Florianópolis vê problemas na maioria das construções

Governo resolve endurecer a liberação de licenças e sindicato do setor reclama de prejuízo que chegaria a R$ 500 milhões


Somente 27 dos 150 alvarás para construções concedidos no último semestre de 2012 em Florianópolis não tem problemas, segundo relatório divulgado ontem pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (SMDU).

A reavaliação dos processos, resultado de 200 horas de trabalho da comissão comandada pelo secretário Dalmo Vieira Filho, levou a administração municipal a anular 33 alvarás e suspender temporariamente 90 empreendimentos. O prejuízo, nas contas Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), se aproxima de R$ 500 milhões em três meses, tempo em que estão canceladas as concessões de alvarás para empreendimentos com mais de dois mil metros quadrados ou dois pavimentos.

— A farra acabou — disse o prefeito Cesar Souza Júnior (PSD) ontem.


Administração afirma que fiscalização será intensificada

Identificados os problemas, que vão desde o uso irregular da área até a falta de licenças, a administração municipal anunciou o endurecimento das regras para a autorização de novas obras na cidade. O decreto que suspendeu a análise dos pedidos de novos alvarás perdeu a validade ontem.

A partir de agora, baseados no atual Plano Diretor e no Código de Obras, os técnicos da administração municipal vão levar em conta questões como o impacto ambiental e a mobilidade urbana na hora de dar o aval para o início de uma obra. Questões de vizinhança, como a falta de vagas para o estacionamento, entram neste novo check-list.
Houve ainda o anuncio de que, até a aprovação do novo Plano Diretor de Florianópolis, não serão autorizadas novas obras na Lagoa da Conceição. A medida, na prática, é válida para as construções com mais de dois mil metros quadrados e com mais de dois pavimentos.

O Sinduscon aprovou o cerco às obras irregulares, mas criticou as medidas, consideradas pouco claras.

— Os critérios têm de ser melhor definidos. Não podemos simplesmente dizer que uma área acima de dois mil metros é mais ou menos prejudicial do que uma de mil metros ou menos. Se não pode construir, não pode construir nem um metro — disse o presidente Helio Bairros.

O ex-prefeito Dário Berger (PMDB) não foi localizado para falar do caso.


Ponta do Coral fica só no papel

Na lista dos 33 alvarás anulados está o que autorizava a construção do Parque Hotel Marina Ponta do Coral. O empreendimento, do Grupo Hantei, prevê um investimento de cerca de R$ 350 milhões. Entre as razões para o cancelamento está a necessidade de realização de aterro de 35 mil metros quadrados em área da União.

O pedido tem de partir da administração municipal, desde que a justificativa seja de que a intervenção é de interesse público. Ainda na gestão Dário Berger (PMDB), houve a solicitação de aterro, que acabou sendo negada pela Superintendência do Patrimônio da União em SC.

Parecer da Procuradoria do Município, pedido pelo prefeito Cesar Souza Junior, também apontou a falta de interesse público do projeto.

A prefeitura não pode ser propositora de um aterro hidráulico para fins privados — disse o prefeito ao justificar a decisão de retirar o pedido de aterro e anular o alvará dado pelo governo passado ao Hantei.

O grupo responsável pelo hotel não falou sobre o caso. Informou, via assessoria de imprensa, que ainda não foi notificado e convocou para o início da tarde de hoje uma coletiva.

image hosted on flickr

fonte:http://diariocatarinense.clicrbs.com...s-4094202.html
-------------------------------------------------------------------------

É parece que pelo menos por agora já era o projeto da Ponta do Coral
__________________

Geoce, Thina liked this post
thiagohsp no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 03:42 PM   #94
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,636
Likes (Received): 5361

Quote:
Originally Posted by Joinvilense 2011 View Post
(...) A Central de Medicamentos realiza a compra mensal dos itens, atendendo a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), que estabelece a lista básica, acrescida de outros medicamentos que atendem pacientes especiais. O cadastro de pacientes na Central chega a 2 mil, incluindo os pacientes com processos judiciais e de controle especial. “A maior movimentação acontece entre os dias 10 e 20 de cada mês”, lembrou a responsável pela Central, a farmacêutica Carla Grossl Diener.

Postos de Saúde – (...) “É um sistema on line eficiente, permitindo que o paciente retire o medicamento em um único lugar. A ferramenta facilita ainda, o monitoramento dos estoques” ressaltou Carla. A farmacêutica acrescenta que, de todos os itens disponibilizados pela Prefeitura, cerca de 20 são centralizados na Central, entres eles, medicamentos de uso oftálmico e antibióticos. (...)
Em Joinville, a são disponibilizados aproximadamente 130 medicamentos no "elenco básico", além dos aproximadamente 100 disponibilizados na Farmácia Escola da Univille (mantida pela Univille e PMJ, com medicamentos vindos da Secretaria de Estado da Saúde e da Secretaria Municipal da Saúde também). Estes últimos são do elenco de medicamentos excepcionais, que geralmente custam realmente muito caro, coisa de R$6.000 uma injeção.

Além disso, nos últimos meses aumentou muito, mas muito mesmo a demanda por medicamentos judiciais. Quase toda semana são uns cinco novos. E o ruim desses medicamentos judiciais é que muitas vezes o juiz não permite a compra dos medicamentos genéricos, porque o médico prescreve pelo nome comercial. Aí a busca e compra do produto fica sempre mais complicada, principalmente pela questão financeira.

Desde que entrei na SMS, em 2010, eu ouço que vão informatizar os postos de saúde através de um único sistema. Em 2012 foi contratado um novo software de gestão para toda a PMJ que, pra ser bem sincero, é detestável. Não pela funcionalidade, até deve ser interessante. Só que vive dando problemas e o suporte não tem capacidade pra resolver. É incrível! Estamos com a digitação das saídas (que hoje é feita manualmente) de produtos paradas há mais de um mês por incompetência da empresa que não consegue resolver o problema. Quando finalmente resolve um, aparece outro. Não se pode confiar no número que tem no sistema, e assim é impossível fazer um planejamento preciso. A ideia é que num futuro breve as unidades de saúde façam as suas solicitações de medicamentos todas através deste sistema, e a saída aqui seja atendida já direto no programa. Pouparia tempo, esforço e dinheiro - pois quanto mais manualmente são feitas as coisas, menos precisas são e mais erros de lançamentos existem, e consequentemente a contagem dos produtos é feita de forma imprecisa. Não que seja este o problema das faltas de medicamentos, mas é um problema que não deveria existir.

A compra de computadores para a informatização de toda a rede municipal já foi feita, já foram recebidos. Agora, se não me engano, o grande entrave é a instalação da fibra ótica ligando tudo, e talvez dos novos servidores - porque esse sistema novo é bastante pesado. Tem unidades de saúde que nem telefone tem e que não pega celular - se não me falha a memória é o caso da unidade Vila Nova Rural, que fica na Rodovia do Arroz. Quero ver chegar a fibra ótica lá, hehehe.

Hoje temos 12 medicamentos em falta, mas a maior parte deles não é sentida nos postos de saúde, nem pelos pacientes. São sentidos lá os medicamentos que estão em falta há um mês aqui. Às vezes nem isso, porque tem medicamentos que os postos possuem estoque para dois, três meses. A menor parte destes problemas são acarretados pela falha nos lançamentos no sistema, que por ser feita manualmente pode ter algum problema (digitar um 0 a menos ou a mais, por exemplo). Outro problema que acontece é no processo licitatório. Tem produtos que fracassam numa licitação, aí é convocada outra licitação, fracassa nessa nova licitação, aí tem que efetuar uma compra sem licitação. Nisso tudo perdem-se dias, e nem sempre é encontrado o produto. Mais um problema é o orçamento, que em geral não é o ideal. Nas administrações anteriores tinha o mesmo problema, e aí começava a bola de neve, pois não tinha dinheiro real, só virtual, e esse virtual não vinha, e a coisa ia ficando feia. Nessa nova administração, até onde sei, o objetivo é evitar isto, desconsiderar esse orçamento virtual e falso, para não ter problemas com pagamento de fornecedores - como acontecia bastante na administração passada, e assim este não entregava os produtos até que as dívidas fossem saldadas. Outro problema que acontece, e está acontecendo neste instante com um produto, é a falta de matéria prima para a produção dele. Não há matéria prima, o laboratório não consegue produzir, a distribuidora não consegue fornecer, o posto de saúde não recebe e o paciente é prejudicado. E outro problema é com o fornecedor que não entrega o produto. Eles tem um estoque na distribuidora, vende para um município por um valor X, para outro pelo valor 2X, e dá prioridade para entregar o que vendeu mais caro. Antes era comum que fosse feito isso, pois não eram punidos por isso. Hoje uma comissão de punição está implantada, ainda caminhando a passos curtos, mas já reduzindo bastante os problemas. Os prazos contratuais tem que ser observados, sob riscos das penalidades que a lei impõe. Mas tem alguns servidores que ainda possuem um receio com isso, pois tem medo que as empresas punidas não queiram mais participar das licitações do Município, e com isso no futuro a gama de participantes seja reduzida e os preços elevados.

Nisso tudo, pelo menos cinco setores da SMS estão envolvidos.

Trabalhar na área pública não é fácil, ainda mais quando você está envolvido diretamente com a população. São entraves fiscais, burocracias legais, orçamento reduzido, colaboradores descomprometidos, etc. Não vou negar que é um pouco estressante ter vontade de trabalhar e ficar de mãos atadas em muitas coisas.
xistracinho no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 04:13 PM   #95
ERapanos
Catarinense
 
ERapanos's Avatar
 
Join Date: Mar 2012
Location: Serra/Ilha
Posts: 2,174
Likes (Received): 1142

Quote:
Originally Posted by Jlle View Post
SC lança nove centros de inovação
01 de abril de 2013

Com o propósito de impulsionar a inovação, uma ação conjunta do governo do Estado via Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS), universidades e prefeituras lança as bases para a abertura de nove centros de inovação, a serem instalados nas cidades de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Chapecó, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba e São Bento do Sul. A apresentação do programa será amanhã, às 15h30min, no gabinete do governador Raimundo Colombo, com os prefeitos dos municípios e reitores das instituições envolvidas. Segundo o secretário Paulo Bornhausen, da SDS, nesta primeira etapa estão sendo investidos R$ 42 milhões. O projeto foi elaborado e será implantado pela Inova, o braço de inovação do Estado. Lages não está nesta etapa porque já instalou o seu centro, e ascidades de Tubarão e Concórdia ainda não concluíram os respectivos planos.


http://wp.clicrbs.com.br/estelabenet...o=67,2,18,,,84
Mas olha só!
__________________
Querer tapar o Sol com a peneira é feio demais.
ERapanos no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 04:19 PM   #96
David de andrade
Joinville-SC
 
David de andrade's Avatar
 
Join Date: Nov 2004
Location: Joinville
Posts: 4,667
Likes (Received): 1948

Quote:
Originally Posted by xistracinho View Post
Em Joinville, a são disponibilizados aproximadamente 130 medicamentos no "elenco básico", além dos aproximadamente 100 disponibilizados na Farmácia Escola da Univille (mantida pela Univille e PMJ, com medicamentos vindos da Secretaria de Estado da Saúde e da Secretaria Municipal da Saúde também). Estes últimos são do elenco de medicamentos excepcionais, que geralmente custam realmente muito caro, coisa de R$6.000 uma injeção.

Além disso, nos últimos meses aumentou muito, mas muito mesmo a demanda por medicamentos judiciais. Quase toda semana são uns cinco novos. E o ruim desses medicamentos judiciais é que muitas vezes o juiz não permite a compra dos medicamentos genéricos, porque o médico prescreve pelo nome comercial. Aí a busca e compra do produto fica sempre mais complicada, principalmente pela questão financeira.

Desde que entrei na SMS, em 2010, eu ouço que vão informatizar os postos de saúde através de um único sistema. Em 2012 foi contratado um novo software de gestão para toda a PMJ que, pra ser bem sincero, é detestável. Não pela funcionalidade, até deve ser interessante. Só que vive dando problemas e o suporte não tem capacidade pra resolver. É incrível! Estamos com a digitação das saídas (que hoje é feita manualmente) de produtos paradas há mais de um mês por incompetência da empresa que não consegue resolver o problema. Quando finalmente resolve um, aparece outro. Não se pode confiar no número que tem no sistema, e assim é impossível fazer um planejamento preciso. A ideia é que num futuro breve as unidades de saúde façam as suas solicitações de medicamentos todas através deste sistema, e a saída aqui seja atendida já direto no programa. Pouparia tempo, esforço e dinheiro - pois quanto mais manualmente são feitas as coisas, menos precisas são e mais erros de lançamentos existem, e consequentemente a contagem dos produtos é feita de forma imprecisa. Não que seja este o problema das faltas de medicamentos, mas é um problema que não deveria existir.

A compra de computadores para a informatização de toda a rede municipal já foi feita, já foram recebidos. Agora, se não me engano, o grande entrave é a instalação da fibra ótica ligando tudo, e talvez dos novos servidores - porque esse sistema novo é bastante pesado. Tem unidades de saúde que nem telefone tem e que não pega celular - se não me falha a memória é o caso da unidade Vila Nova Rural, que fica na Rodovia do Arroz. Quero ver chegar a fibra ótica lá, hehehe.

Hoje temos 12 medicamentos em falta, mas a maior parte deles não é sentida nos postos de saúde, nem pelos pacientes. São sentidos lá os medicamentos que estão em falta há um mês aqui. Às vezes nem isso, porque tem medicamentos que os postos possuem estoque para dois, três meses. A menor parte destes problemas são acarretados pela falha nos lançamentos no sistema, que por ser feita manualmente pode ter algum problema (digitar um 0 a menos ou a mais, por exemplo). Outro problema que acontece é no processo licitatório. Tem produtos que fracassam numa licitação, aí é convocada outra licitação, fracassa nessa nova licitação, aí tem que efetuar uma compra sem licitação. Nisso tudo perdem-se dias, e nem sempre é encontrado o produto. Mais um problema é o orçamento, que em geral não é o ideal. Nas administrações anteriores tinha o mesmo problema, e aí começava a bola de neve, pois não tinha dinheiro real, só virtual, e esse virtual não vinha, e a coisa ia ficando feia. Nessa nova administração, até onde sei, o objetivo é evitar isto, desconsiderar esse orçamento virtual e falso, para não ter problemas com pagamento de fornecedores - como acontecia bastante na administração passada, e assim este não entregava os produtos até que as dívidas fossem saldadas. Outro problema que acontece, e está acontecendo neste instante com um produto, é a falta de matéria prima para a produção dele. Não há matéria prima, o laboratório não consegue produzir, a distribuidora não consegue fornecer, o posto de saúde não recebe e o paciente é prejudicado. E outro problema é com o fornecedor que não entrega o produto. Eles tem um estoque na distribuidora, vende para um município por um valor X, para outro pelo valor 2X, e dá prioridade para entregar o que vendeu mais caro. Antes era comum que fosse feito isso, pois não eram punidos por isso. Hoje uma comissão de punição está implantada, ainda caminhando a passos curtos, mas já reduzindo bastante os problemas. Os prazos contratuais tem que ser observados, sob riscos das penalidades que a lei impõe. Mas tem alguns servidores que ainda possuem um receio com isso, pois tem medo que as empresas punidas não queiram mais participar das licitações do Município, e com isso no futuro a gama de participantes seja reduzida e os preços elevados.

Nisso tudo, pelo menos cinco setores da SMS estão envolvidos.

Trabalhar na área pública não é fácil, ainda mais quando você está envolvido diretamente com a população. São entraves fiscais, burocracias legais, orçamento reduzido, colaboradores descomprometidos, etc. Não vou negar que é um pouco estressante ter vontade de trabalhar e ficar de mãos atadas em muitas coisas.
Essa injeção a minha mãe adquire, é o único remédio que faz efeito para ela, da artrose que ela tem, são 2 injeções mensais, isso é 12 mil reais por mês. Para chegar a tomar esse remédio, ela teve que passar por um longo processo, tomando dos remédios mais baratos até chegar nele.
__________________
willkommen Joinville-SC
David de andrade no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 04:34 PM   #97
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,636
Likes (Received): 5361

Eu tenho uma familiar que recebe essa injeção também. Imagina se tivesse que comprar.
xistracinho no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 05:11 PM   #98
Jlle
Registered User
 
Jlle's Avatar
 
Join Date: Jan 2013
Posts: 1,037
Likes (Received): 2020

Parque Rolf Colin de Joinville
03 de abril de 2013

O Parque Rolf Colin não será mais exatamente no Parque Rolf Colin. Na campanha, o então candidato Udo Döhler citou a área de 16,3 km como ideal para a instalação de um parque.

A área de preservação até vai receber trilhas, mas o parque propriamente dito vai ficar fora porque a área do Rolf Colin é muito acidentada. De proteção integral, o parque ecológico foi criado em 1992 e não é aberto à visitação.

Nos próximos dias, Fundema e Ippuj vão fazer um sobrevoo no entorno do Rolf Colin para identificar a área passível de receber o parque. A esperança é encontrar uma área da própria Prefeitura ou de outro órgão público. O parque naquele ponto não entrou na lista do Fonplata e nem há outra fonte de financiamento prevista. Tem de correr atrás.

http://wp.clicrbs.com.br/saavedra/?topo=84,2,18,,,84
---------------------------------------------------------
Apesar de ser distante da mancha urbana, acho interessante a ideia de fazer um parque de verdade na cidade. Não simplesmente cimentar uma área e chamar de parque.
Jlle no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 05:14 PM   #99
Jlle
Registered User
 
Jlle's Avatar
 
Join Date: Jan 2013
Posts: 1,037
Likes (Received): 2020

UFC de Jaraguá do Sul pode trazer novos eventos para a cidade
Arena Jaraguá já foi sondada por produtores da Ivete Sangalo, Circo Soleil e Balé da Rússia

Toda a ação tem uma reação. E o efeito que o Ultimate Fighting Championship (UFC), antes mesmo de o evento ocorrer, já é percebido na cidade. A primeira indicação é no que diz respeito à agenda da Arena Jaraguá. O local, considerado pela própria organização do UFC como o terceiro melhor equipamento para shows do Brasil, recebeu visitas técnicas de outros promotores de eventos. As apresentações não estão confirmadas, mas Jaraguá do Sul foi sondada por profissionais ligados a Ivete Sangalo, Circo Soleil, Balé da Rússia e uma produtora de shows nacionais e internacionais.

Apenas a produção da Ivete Sangalo bloqueou o dia 28 de junho como uma possível data para a apresentação da cantora, mas a reserva não foi efetivada ainda, segundo informa o diretor de Turismo da Prefeitura, Fenísio Pires Júnior.

— O que existe é um namoro com a produção desses eventos. Mas o mais importante é que os grandes produtores descobriram a cidade. Vai existir uma Jaraguá do Sul antes e outra depois do UFC. É uma nova era para a cidade — , acredita.

Um evento confirmado para os dias 12 a 14 de julho será o Festival de Balonismo.

Seminário

A preparação para receber os turistas no dia 18 de maio começa hoje em Jaraguá do Sul. A Fundação Municipal de Esportes e Turismo e o Vale dos Encantos Convention & Visitors Bureau promove o seminário "Bem Receber", a partir das 16 horas, no pequeno teatro da Scar. Segundo Fenísio, a cidade vai receber naquela semana mais de oito mil turistas e tudo tem que estar programado para atender bem as pessoas.

— Teremos demanda que não estamos acostumados e precisamos estar preparados —, destaca.

A mediadora do seminário será a consultora Vaniza Schuler, gerente nacional de Turismo e Eventos da Embratur e diretora do Ministério do Turismo. O evento vai reunir profissionais de empreendimentos ligados às áreas de hotelaria, gastronomia e serviços em geral.

— Será uma força tarefa entre donos de bares, restaurantes, hotéis, taxis, fretamento, para por a cidade para funcionar. Será quase uma operação de guerra — , brinca Fenísio.

Lotação quase total para receber os turistas

A gerente de marketing do hotel Kairós, Juliana Salvador, informa que para o fim de semana do UFC, dos 47 apartamentos do hotel apenas dois estão disponíveis. Por isso, a expectativa é de lotação máxima durante o UFC e também nas duas semanas que antecedem o evento.

Para melhor receber os turistas e estar alinhada com o que ocorre na cidade, a gerente participa hoje do seminário "Bem Receber". Juliana disse que está empolgada com nova realidade para o turismo da cidade.

— Não somente a rede hoteleira, mas todos devem se mobilizar. O UFC será uma divisor de águas, mas tudo vai depender de nós —, salienta.

http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/ge...e-4093457.html

Last edited by Jlle; April 4th, 2013 at 12:21 AM.
Jlle no está en línea  
Old April 3rd, 2013, 07:10 PM   #100
Jlle
Registered User
 
Jlle's Avatar
 
Join Date: Jan 2013
Posts: 1,037
Likes (Received): 2020

Colombo virá a Joinville
03 de abril de 2013

O governador Raimundo Colombo virá a Joinville nesta sexta-feira. Um dos assuntos em questão é a assinatura de ordem de serviço para iniciar o trabalho de cabeamento subterrâneo de fiação elétrica em ruas centrais da cidade.

Plano estratégico de inovação chega ao Norte de SC
03 de abril de 2013

Dentro do programa Nova Economia, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável do governo do Estado junto com o Sebrae, executa investimentos de aproximadamente R$ 150 milhões de reais (juro zero, polos industriais e economia verde) para apoiar micro e pequenas empresas.

E o governo estadual ainda agrega um programa voltado aos municípios. Eles vão desenvolver um plano de desenvolvimento sustententável a partir das práticas da boa gestão, trabalhando o plano estratégico e gestões de saúde, educação e finanças para melhorar a capacidade de investimentos próprios.

Será uma parceria do governo estadual, Sebrae, Centro de lideranças públicas, (que é responsável, junto com a Economist pelo ranking de competitividade dos estados brasileiros publicado anualmente pela revista Veja) e Instituto Brava (leia-se empresário Beto Sicupira,, do grupo Inbev), com o apoio e supervisão do empresário Jorge Gerdau.

Na primeira leva os municípios de Garuva, Araquari, Jaraguá do Sul, Itajaí, São José, Chapecó serão contemplados.

http://wp.clicrbs.com.br/loetz/?topo=84,2,18,,,84
Jlle no está en línea  
Sponsored Links
Advertisement
 


Closed Thread

Tags
balneário camboriú, blumenau, california brasileira, chapecó, florianópolis, itajaí, itapema, jaraguá do sul, joinville, lages, neve

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 10:58 AM. • styleid: 14


Powered by vBulletin® Version 3.8.11 Beta 4
Copyright ©2000 - 2019, vBulletin Solutions Inc.
vBulletin Security provided by vBSecurity v2.2.2 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2019 DragonByte Technologies Ltd.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2019 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us