SC Notícias X - Page 7 - SkyscraperCity
 

forums map | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Brasil > Fóruns Regionais > Sul > Notícias da Região


Closed Thread
 
Thread Tools
Old April 4th, 2013, 05:32 AM   #121
camboriu
Camboriú
 
camboriu's Avatar
 
Join Date: Aug 2009
Location: Balneário Camboriú - SC
Posts: 1,387
Likes (Received): 879

Quote:
Originally Posted by dberg242 View Post
O projeto é muito bonito. Mas eu não tinha visto que vão ter de fazer milhares de m² de aterro para sair o prédio. Achei que iam aproveitar só a parte de terra já existente no local.
Pelo aterro sou contra. Achei a explanação do prefeito bem razoável. Se liberar para um, todos que tem projetos de frente para o mar podem requerer o mesmo.
Acho que a Hantei consegue adaptar seu projeto para a parte de terra que lá existe sim. Diminui o volume e m² construídos, mas pelo menos a marina e uma torre de hotel podem sair. Ou isso ou nada, isso a construtora tem que se conscientizar.

edit: mas que foi erro crasso da Fatma em liberar projeto que é de competência do Ibama foi. É tanto órgão ambiental que nem sabem mais onde podem meter o bico e onde não.
É impressao ou falta de informaçao minha, mas so vejo falar de embargo a obras formais; e as informais? As invasoes como ficam?
camboriu no está en línea  
Sponsored Links
Advertisement
 
Old April 4th, 2013, 05:43 AM   #122
fewg
TOP FLOORS OF AL
 
fewg's Avatar
 
Join Date: Jun 2009
Location: Yachthouse, Santa Catarina
Posts: 8,759
Likes (Received): 3493

Quote:
Originally Posted by DSoares View Post
Porra cade Tecnologia de Informação em Joinville? Querem isolar em BNU e FLO, sendo que em Joinville tb é forte neste importante setor...
Em Joinville nasceram a Logocenter e a Datasul. A primeira se fundiu com a Microsiga formando a Totvs. Juntas adquiriram a Datasul.

A Totvs é de longe a maior empresa de softwares do país.
__________________
Brasil, não tem conserto!
fewg no está en línea  
Old April 4th, 2013, 05:45 AM   #123
camboriu
Camboriú
 
camboriu's Avatar
 
Join Date: Aug 2009
Location: Balneário Camboriú - SC
Posts: 1,387
Likes (Received): 879

Quote:
Originally Posted by Barriga-Verde View Post
Vai ser uma nova ponte do Tamarindo. A ponte do Badenfurt é nesse esquema também, né? Bom, estão perdendo uma ótima oportunidade de fazer um novo landmark e muito bem localizado. Era um "presente" para a posteridade, com certeza. Vão apressar o início das obras e depois enrolá-las eternamente, alguém duvida? :P
Uma pena que o projeto nao saia do papel, embora o prefeito eleito na sua campanha foi claro que nao queria esse projeto, já o candidato da administraçao anterior iria levar adiante. A populaçao de Blumenau teve oportunidade de avaliar o que seria melhor pra cidade , o resultado esta aí .
Fico triste quando vejo pontes feias de concreto espalhas pelas cidades brasileiras, e essa parece que vai ser apenas mais uma, poderia ser uma atraçao turistica para Blumenau, pelo que tudo indica nao vai ser e assim, a cidade vai ficando cada vez mais parecida com tantas outras .
camboriu no está en línea  
Sponsored Links
Advertisement
 
Old April 4th, 2013, 12:00 PM   #124
Joinvilense 2011
Registered User
 
Joinvilense 2011's Avatar
 
Join Date: Dec 2010
Location: Joinville - SC
Posts: 1,851
Likes (Received): 153

Quote:
Originally Posted by fewg View Post
Em Joinville nasceram a Logocenter e a Datasul. A primeira se fundiu com a Microsiga formando a Totvs. Juntas adquiriram a Datasul.

A Totvs é de longe a maior empresa de softwares do país.

Pois é, vejo que compartilhamos a mesma insatisfação. Não seria o caso de nossos políticos reivindicarem algo afim de tentar regularizar isto? O que vcs acham a respeito?
__________________
Blumenauense de berço, Joinvilense por adoção e ambas de coração!
São Chico - Aqui nasceu sc

Last edited by Joinvilense 2011; April 4th, 2013 at 12:18 PM.
Joinvilense 2011 no está en línea  
Old April 4th, 2013, 12:13 PM   #125
Joinvilense 2011
Registered User
 
Joinvilense 2011's Avatar
 
Join Date: Dec 2010
Location: Joinville - SC
Posts: 1,851
Likes (Received): 153

Sindicato e patronal avaliam redução na carga horária e dias de trabalho no setor têxtil de Blumenau

Trabalhadores reivindicam o fim do trabalho aos sábados com diminuição de horas semanais, mas classe empresarial argumenta que medida levará à perda de competitividade



Carga horária e dias de trabalho voltam a ser tema de discussão no setor têxtil em Blumenau. De um lado, trabalhadores defendem a mudança da carga horária de 44 para 40 horas semanais com o sábado livre, sem mudança nos salários, pela qualidade de vida. Do outro, a classe empresarial argumenta que a redução significará aumento de custos.

O assunto é colocado há seis anos no rol de reivindicações dos trabalhadores têxteis de Blumenau. A discussão ganhou corpo diante dos últimos movimentos, com a intervenção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Blumenau, Gaspar e Indaial (Sintrafite).

A Cremer reduziu a carga horária para 42,9 horas e diminuiu o número de sábados trabalhados para seis ao ano, em vigor desde segunda-feira. A Cia. Hering passa a ter jornada de 43 horas semanais nas unidades de Blumenau e Indaial para o setor produtivo, com trabalho em sábados alternados a partir de 1º de maio. O terceiro turno passa a ter alternância de domingos.
A presidente do Sintrafite, Vivian Bertoldi, afirma que ano passado a entidade conversou com as maiores empresas, mas as negociações não avançaram. Agora, o sindicato faz trabalhos junto aos operários em cada empresa, por meio de operação tartaruga – reduzindo a produtividade, como ocorreu anteriormente na Cremer e na Cia. Hering – e de assembleias para pressionar a retomada das conversas.
Diretor executivo do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau e Região (Sintex) e presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico, Renato Valim explica que o caso da Cremer é diferente das demais, por trabalhar com artigos para saúde. Específica também é a situação da Cia. Hering, segundo o Sintex, que tem focado no varejo.
O fim do trabalho aos sábados para os operários é sinônimo de mais tempo com a família, alívio às mães que dependem da rede municipal de ensino para deixar os filhos e mais tempo de descanso contínuo, argumenta Vivian.

Por outro lado, Valim destaca que o sábado e a redução de jornada são assuntos distintos, que não deveriam ser discutidos de forma unificada. Para ele, apesar de as empresas estarem preocupadas com o bem-estar dos trabalhadores, não podem abrir mão da jornada de 44 horas. A redução significaria máquinas paradas, produção menor e mais cara. O que refletiria inevitavelmente no preço do produto, explica Valim, reduzindo a competitividade das empresas instaladas em Blumenau.

As consequências seriam o desinteresse da instalação de novas empresas, menos investimentos e a possibilidade de desindustrialização, que afetaria a economia da cidade.
Vivian acredita que todas as empresas consigam, senão reduzir, diluir as quatro horas feitas aos sábados para os dias úteis. Entretanto, Valim explica que, por conta da sobreposição de horários onde há terceiro turno, em certos casos é impossível fazer 44 horas em cinco dias.

Porém, algumas empresas que trabalham em dois turnos e têm maior possibilidade de abrir mão dos sábados, especialmente confecções, já praticam este modelo.
A Cremer preferiu não se manifestar sobre a decisão. A Hering informou que a redução da jornada ocorreu após um processo de amadurecimento, que se enquadrou com os objetivos da empresa em relação à competitividade e ao bem-estar dos colaboradores.


Fonte: JORNAL DE SANTA CATARINA
__________________
Blumenauense de berço, Joinvilense por adoção e ambas de coração!
São Chico - Aqui nasceu sc
Joinvilense 2011 no está en línea  
Old April 4th, 2013, 01:57 PM   #126
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,635
Likes (Received): 5361

Quote:
Originally Posted by Joinvilense 2011 View Post
Wellington Moreira Franco demonstrou preocupação ao saber que o aeroporto de Joinville continua sedo campeão em cancelamentos no país (...)
Eu queria saber se há algum estudo de quantos passageiros por dia e destino procuram aeroportos fora de Joinville para fazer seus trajetos, ou ainda melhor, quantos partiriam de Joinville caso aqui tivesse determinado voo. Por exemplo, entre Curitiba - Belo Horizonte tem 15, 20, 70, 80 pessoas de Joinville por dia/semana, pra saber quais destinos seriam justificáveis para nossa cidade.
xistracinho no está en línea  
Old April 4th, 2013, 02:50 PM   #127
DSoares
terra da buRRocracia
 
DSoares's Avatar
 
Join Date: Jan 2009
Location: Joinville
Posts: 3,435
Likes (Received): 624

Quote:
Originally Posted by xistracinho View Post
Eu queria saber se há algum estudo de quantos passageiros por dia e destino procuram aeroportos fora de Joinville para fazer seus trajetos, ou ainda melhor, quantos partiriam de Joinville caso aqui tivesse determinado voo. Por exemplo, entre Curitiba - Belo Horizonte tem 15, 20, 70, 80 pessoas de Joinville por dia/semana, pra saber quais destinos seriam justificáveis para nossa cidade.
Creio que é um número elevado. Vou viajar no final de abril com a minha família e a operadora de turismo nem sequer levou em consideração a saída de Joinville.
DSoares no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:23 PM   #128
Rech
Catarinense
 
Rech's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Orleans
Posts: 2,246
Likes (Received): 719

SATC ABRE NOVA FASE NA PESQUISA SOBRE O CARVÃO MINERAL



O primeiro “prédio verde” da região Sul de Santa Catarina será inaugurado nesta quinta-feira. O Prédio Um abriga o Centro Tecnológico do Carvão Limpo (CTCL), que adotando o programa PROCEL, foi projetado e construído para ter mais eficiência energética, adquirindo o selo verde em eficiência. A edificação recebeu a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia, emitida pela Eletrobrás, sendo um dos cinco primeiros a recebê-lo.

O empreendimento recebeu investimentos na ordem de R$ 3,8 milhões. Os recursos são provenientes da Satc/Siecesc, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e da Agência Brasileira de Inovação (Finep). No espaço de 3 mil metros quadrados de área construída, estão instalados pesquisadores que desenvolvem projetos para a indústria carbonífera.

Um dos focos são os projetos de recuperação ambiental da bacia carbonífera de Santa Catarina. “Com a ampliação de espaços para o CTCL temos condições de ampliar projetos para atender a uma demanda regional. Também estamos ampliando as parcerias com outras entidades brasileiras e internacionais”, explica o diretor executivo da Satc, Fernando Zancan.

Visita antecipada

Nesta quinta-feira, o ministro em exercício do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antônio Rodrigues Elias, faz uma visita especial ao CTCL, a partir das 9h30min. O Ministério repassou recursos, via Finep, para a construção do prédio.

Fonte

Muito bom para nossa região e estado! Não sei se há algo semelhante na bacia carbonífera no RGS!
__________________
===============================================
Criciúma Esporte ClubeO Time de Santa Catarina
===============================================
Orleans - Brusque - Rio de Janeiro - Garopaba - Criciúma: 1 e 2

falves liked this post
Rech no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:24 PM   #129
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,635
Likes (Received): 5361

Quote:
Originally Posted by DSoares View Post
Creio que é um número elevado. Vou viajar no final de abril com a minha família e a operadora de turismo nem sequer levou em consideração a saída de Joinville.
Pois é. Eu fico bastante curioso pra saber quais voos poderiam sair daqui. Tem alguns casos que nem vale mais à pena ir de Curitiba, que antes, além de mais oferta tinha menores preços. Agora em muitos casos o preço para sair daqui e de lá para ir a São Paulo é o mesmo, com muita sorte aqui fica mais barato - vi mês passado para maio ou julho e partindo de Joinville ficava R$1 mais barato. R$199 contra R$200.
xistracinho no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:26 PM   #130
Rech
Catarinense
 
Rech's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Orleans
Posts: 2,246
Likes (Received): 719

Festa Ritorno Alle Origini terá festival de música

Poderão participar somente músicos que se apresentarem em língua italiana

A 13ª edição da festa Ritorno Alle Origini terá o I Concorso Musicale, um festival de música que será realizado em maio, em Urussanga. A competição, em língua italiana, pretende promover a integração social e cultural. Poderão participar somente músicos que se apresentarem em língua italiana.
A fase eliminatória acontecerá no dia 24 de maio, no palco principal do Parque Municipal Ado Cassettari Vieira, em Urussanga, durante a edição deste ano da Ritorno Alle Origini, e os finalistas se apresentarão no dia seguinte, 25 de maio, a partir das 18h30min. Serão seis finalistas escolhidos pela Comissão Julgadora, que avaliará a letra, a interpretação e a música, em língua italiana.

Haverá três premiações, sendo que o 1º lugar ganhará R$ 1 mil, o 2º colocado será contemplado com R$ 300 e o 3º lugar com R$ 200. Todos os ganhadores receberão troféu e certificado de participação.
As inscrições vão até o dia 20 de maio no valor de R$ 30 e devem ser feitas na Farmacentro de Urussanga. Mais informações sobre o I Concorso Musicale podem ser obtidas no site www.urussanga.sc.gov.br ou pelo telefone (48) 3465-4052, com Eduardo Barbosa.

Colaboração: Comunicação Festa Ritorno Alle Origini

Fonte

Iniciativa muito boa!
__________________
===============================================
Criciúma Esporte ClubeO Time de Santa Catarina
===============================================
Orleans - Brusque - Rio de Janeiro - Garopaba - Criciúma: 1 e 2

Leozord, falves liked this post
Rech no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:31 PM   #131
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,635
Likes (Received): 5361

Financiamento do BNDES garante duplicação da Santos Dumont em Joinville
Verba de R$ 3 bilhões ao governo do Estado será distribuída em algumas obras de impacto na região Norte


Primeiro trecho da duplicação da Santos Dumont custará R$ 47,9 milhões Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS


O mais novo contrato de financiamento do Pacto por Santa Catarina, que será assinado no fim da tarde desta quinta-feira, responde por 32% do valor total do programa. É o maior recurso previsto para a iniciativa e o maior financiamento já firmado na história do governo do Estado: R$ 3 bilhões vindos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Do montante de investimentos liberados com a assinatura, algumas obras de impacto para Joinville estão garantidas. Entre elas, o financiamento oficializa os R$ 47,9 milhões necessários para a primeira parte da duplicação da avenida Santos Dumont, no trecho de oito quilômetros de extensão entre a rua Dona Francisca e o aeroporto.

Criado em meados do ano passado, o Pacto por Santa Catarina pretende resolver os grandes gargalos que hoje emperram o desenvolvimento do Estado, como reformas em escolas e hospitais e a revitalização de estradas e vias urbanas. Devido à dimensão do programa, o governo o dividiu em oito grandes áreas de abrangência– infraestrutura, justiça e cidadania, segurança, saúde, educação, proteção social, secas e cheias.

Mesmo assim, o Pacto ainda não está fechado. Até junho, uma nona – e última – área deve ganhar força: o Pacto pela Inovação, que deve investir cerca de R$ 30 milhões em formação empresarial.

A solenidade de assinatura do contrato está prevista para ocorrer às 18h, no Teatro do CIC, em Florianópolis, na presença do governador Raimundo Colombo e do presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Com essa verba, o governo garante quase a totalidade dos R$ 9,4 bilhões previstos para o Pacto. Depois disso, restam apenas dois financiamentos pendentes, que devem ser assinados até junho deste ano.

O primeiro, de R$ 1 bilhão, vindo do Banco do Brasil, prevê o repasse às estradas e às obras de contenção de enchente. O outro, de R$ 540 milhões, envolve recursos da União e será repassado aos municípios para investimento em pavimentação urbana.

O cronograma do Pacto por SC é ousado: em até dois meses, o governo pretende transformar cerca de 60% dos editais em ordens de serviço, autorizando o início das obras.



Governo quer mais recursos

Segundo o secretário de Planejamento, Murilo Flores, coordenador-geral do Pacto, 70% dos R$ 9,4 bilhões já terão sido usados até o fim do ano que vem.

— Temos metas muito ousadas, com grandes obras que até hoje não passaram de promessa. Para organizar tudo, estamos fazendo reuniões semanais com todas as áreas para firmar um cronograma detalhado das ações. Tudo para tirar as obras, de fato, do papel —, promete.

O encaminhamento, porém, não impede o governo de buscar novos recursos. De acordo com Flores, o Pacto não é uma iniciativa fechada. Ao longo dos próximos anos, novas demandas poderão ser incluídas. A ideia, porém, é focar a busca de verba em convênios que não necessitem de reembolso. Hoje, dos R$ 9,4 bilhões iniciais do Pacto, apenas R$ 6,5 milhões vêm de convênio.

— O Pacto não para —, diz.

Fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/ec...e-4095549.html

Boas notícias.
O Hospital Regional com uma torre de oito andares! Vai ficar interessante aquela região, com oito andares no HRHDS e aquela torre da Pró-Rim. Nada mal, agora só falta resolver a questão dos funcionários.

Falta também a PMJ conseguir desapropriar os terrenos da Santos Dumont. Aí começa a ficar bom.
__________________

Jlle liked this post
xistracinho no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:32 PM   #132
xistracinho
Registered User
 
Join Date: Apr 2008
Posts: 8,635
Likes (Received): 5361

Rech quer disputar espaço comigo aqui hoje.
__________________

Rech liked this post
xistracinho no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:36 PM   #133
thiagohsp
Ilha de Santa Catarina
 
thiagohsp's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Location: Florianópolis
Posts: 1,507
Likes (Received): 676

Pacto por SC dá novo passo a investimento de R$ 9 bilhões

Assinatura de financiamento com o BNDES nesta quinta-feira garante a aplicação de R$ 3 bilhões


O mais novo contrato de financiamento do Pacto por Santa Catarina, que será assinado no fim da tarde desta quinta-feira, responde por 32% do valor total do programa. É o maior recurso previsto para a iniciativa e o maior financiamento já firmado na história do do Estado: R$ 3 bilhões, emprestados do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que começarão a ser quitados em sete anos.

Criado em meados do ano passado, o Pacto pretende resolver os grandes gargalos que hoje comprometem o desenvolvimento do Estado, como reformas em escolas e hospitais e a revitalização de estradas e vias urbanas. Devido à dimensão do programa, o governo o dividiu em oito grandes áreas. Mesmo assim, o Pacto ainda não está fechado. Até junho, uma nona – e última – área deve ganhar força: o Pacto pela Inovação, que deve investir cerca de R$ 30 milhões em formação empresarial. Será o fechamento do ciclo.

Nesta quinta, a solenidade de assinatura do contrato, às 18h, no Teatro do Centro Integrado de Cultura (CIC), terá a presença do governador Raimundo Colombo e do presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Com essa verba, o governo garante quase a totalidade dos R$ 9,4 bilhões previstos para o Pacto. Depois disso, irão restar dois financiamentos – que devem ser assinados até junho. O primeiro, de R$ 1 bilhão, do Banco do Brasil, prevê repasse às estradas e às obras contra enchentes. O outro, de R$ 540 milhões, de recursos da União, será repassado aos municípios para investimento em pavimentação.

Dois meses para liberar as ordens de serviço

O cronograma do Pacto é ousado: em até dois meses, o governo pretende transformar cerca de 60% dos editais em ordens de serviço, autorizando o início das obras. Segundo o secretário de Planejamento, Murilo Flores, coordenador-geral do Pacto, 70% dos R$ 9,4 bilhões já terão sido usados até o fim do ano que vem.

A confirmação dos R$ 9,4 bilhões, porém, não impede o governo de buscar novos recursos. De acordo com Flores, que participará de chat a ser realizado nesta quinta-feira pelo DC, a partir das 14h30min, o Pacto não é uma iniciativa fechada, com início, meio e fim. Ao longo dos próximos anos, novas demandas poderão ser incluídas, conforme novos convênios forem se confirmando. A ideia, porém, é focar a busca de verba em convênios que não necessitem de reembolso. Hoje, dos R$ 9,4 bilhões iniciais do Pacto, apenas R$ 6,5 milhões são oriundos de convênio.
fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com...s-4095275.html
thiagohsp no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:40 PM   #134
thiagohsp
Ilha de Santa Catarina
 
thiagohsp's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Location: Florianópolis
Posts: 1,507
Likes (Received): 676

Diretor de construtora de hotel na Ponta do Coral diz que já foram investidos mais de R$ 22 milhões

Executivo diz que prefeitura cometeu equívoco ao cancelar autorização para empreendimento


Alegando que o cancelamento do alvará que autoriza a construção do Parque Hotel Marina Ponta do Coral é um equívoco, o Grupo Hantei anunciou ontem que irá recorrer à prefeitura de Florianópolis para reaver a autorização para iniciar as obras.

Se não houver consenso pela via administrativa, os empreendedores estão dispostos a ir à Justiça. A insistência não é à toa. Até agora, houve gasto de R$ 22 milhões com pré-projetos, taxas e profissionais. O investimento total é de R$ 350 milhões.

Entre as razões para o cancelamento do alvará citadas pelo prefeito Cesar Souza Junior (PSD) está a necessidade de realização de aterro de 33 mil metros quadrados. Parecer da Procuradoria-geral do Município apontou falta de interesse público do projeto, que foi retirado da Superintendência do Patrimônio da União. O pedido de aterro tem de ser feito pela prefeitura e não pelo empreendedor.

— Há equívocos que têm de ser esclarecidos. Nenhum centímetro quadrado do aterro vai ser usado para o empreendimento: é uma área para uso público — disse o diretor-executivo do Grupo Hantei, Aliator Silveira.

Para os empreendedores, a obra está respaldada pela Lei Complementar 180, aprovada em 27 de julho de 2005 pela Câmara da Capital. A legislação autoriza o aterro na Ponta do Coral e cria uma série de contrapartidas aos investidores, como instalação de ciclovia, calçadas e ajardinamento.

— E esses investimentos não caracterizam a existência de interesse público? Estamos convictos de que foi um equívoco e vamos pedir uma audiência com o prefeito — disse o advogado Marcos Saes.

Em nota, a prefeitura reiterou que a desistência do pedido de aterro naquela área foi determinada por “razões jurídicas relativas à impossibilidade legal de o poder público ser propositor de aterro para fins privados”. No mesmo comunicado, ressalta estar segura da decisão, mas se coloca à disposição para ouvir a defesa dos envolvidos.

A polêmica foi parar no Legislativo municipal. O vereador Afrânio Boppré (PSOL) está recolhendo as oito assinaturas que precisa para pedir a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI). O objetivo é investigar a regularidade e a tramitação dos pedidos de alvarás para construções em Florianópolis.

ENTREVISTA

Aliator Silveira, diretor-executivo da Hantei

"Investimento já passa dos R$ 22 milhões"

Em coletiva no início da tarde desta quarta-feira, o empresário defendeu a viabilidade do empreendimento e classificou de equivocado o argumento da prefeitura de Florianópolis que fala na "falta de interesse público" para a construção de um aterro no local. Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista aos jornalistas.

Quais são os passos de agora em diante?
Aliator Silveira — Mesmo sem notificação, vamos buscar uma autoridade, quem sabe o próprio prefeito, para mostrar que há alguns equívocos no que foi dito ontem (terça-feira). Senão, após notificados, vamos apresentar a nossa defesa e aguardar o julgamento da prefeitura.

Se não houver entendimento, a Hantei pode recorrer à Justiça?
Silveira — Se a prefeitura da Capital disser que não há entendimento, vamos obviamente avocar a lei para fazer valer o nosso direito. Até porque investimos muito dinheiro no empreendimento.

Até agora, quanto foi gasto?
Silveira — Nosso investimento, até agora, ultrapassa a casa dos R$ 22 milhões.

Há uma questão política?
Silveira — Não consigo avaliar. Quero crer que não. Nunca fui filiado a partido nem sei das movimentações políticas.

O Grupo Hantei não avalia a possibilidade de desistir do empreendimento?
Silveira — Não. Seria um preço muito alto para Florianópolis e para SC. Enquanto outras empresas têm de receber incentivos para se instalar, somos daqui e não pedimos nada, não pedimos um centavo de incentivo a ninguém e estamos construindo, gerando emprego e renda e numa indústria limpa, que é o turismo.
fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com...s-4095098.html
__________________

Geoce, Thina liked this post
thiagohsp no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:41 PM   #135
Rech
Catarinense
 
Rech's Avatar
 
Join Date: Sep 2007
Location: Orleans
Posts: 2,246
Likes (Received): 719

Quote:
Originally Posted by xistracinho View Post
Rech quer disputar espaço comigo aqui hoje.
Nem te esquenta, as notícias de Criciúma e região já se acabaram... hahaha
__________________
===============================================
Criciúma Esporte ClubeO Time de Santa Catarina
===============================================
Orleans - Brusque - Rio de Janeiro - Garopaba - Criciúma: 1 e 2

xistracinho liked this post
Rech no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:44 PM   #136
thiagohsp
Ilha de Santa Catarina
 
thiagohsp's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Location: Florianópolis
Posts: 1,507
Likes (Received): 676

Empreendedores do hotel na Ponta do Coral irão recorrer contra cancelamento do alvará pela Prefeitura

Decisão foi anunciada em coletiva realizada na sede do Sinduscon nesta quarta-feira


Os empreendedores do Parque Hotel Marina Ponta do Coral vão recorrer administrativamente ao cancelamento do alvará que autorizava o início das obras. A decisão foi anunciada no início da tarde desta quarta-feira, em coletiva realizada na sede do Sinduscon, em Florianópolis.

- Há vários equívocos nessa decisão que tem de ser esclarecidos - disse o diretor Aliator Silveira, um dos sócios do Grupo Hantei.

Entre as razões para o cancelamento do alvará citadas pelo prefeito Cesar Souza Junior está a necessidade de realização de aterro de 33 mil metros quadrados em área da União. Parecer da Procuradoria Geral do Município apontou falta de interesse público do projeto. No entendimento da Superintendência do Patrimônio da União em Santa Catarina, há incompatibilidade no pedido de aterro, uma vez que está claro o conflito entre os fins público e privado.

Para o advogado Marcos Saes, assessor jurídico do Grupo Hantei, o aterro está assegurado pela Lei Complementar 180, aprovada pela Câmara de Vereadores de Florianópolis em 27 de julho de 2005. A legislação autoriza o aterro e cria uma série de contrapartidas aos investidores.

- A partir do momento que a gente receber a notificação, no prazo de 15 dias nos dirigiremos a prefeitura com o objetivo de desfazer esses equívocos. Tudo nos leva a crer, vendo o parecer, que houve uma decisão equivocada - disse o advogado.

Em nota, a prefeitura de Florianópolis reiterou que a desistência do pedido de aterro naquela área foi determinada por "razões jurídicas relativas à impossibilidade legal do poder público ser propositor de aterro para fins privados". No mesmo comunicado, a administração municipal ressalta estar segura da decisão, mas se coloca a disposição para ouvir a defesa daqueles que se sentiram prejudicados pela medida.
fonte:http://diariocatarinense.clicrbs.com...a-4094709.html
-------------------------------------------------------------------------

Vai ter muita ''briga'' isso ainda e no fim se perderem , é capaz de processaram a Prefeitura por prejuízo e danos morais .
__________________

Geoce, Thina liked this post
thiagohsp no está en línea  
Old April 4th, 2013, 03:50 PM   #137
SeptumTempus
Registered User
 
SeptumTempus's Avatar
 
Join Date: Sep 2012
Location: Blumenau, SC
Posts: 2,146
Likes (Received): 2585

Sobre os centros de inovação, posso estar enganado, mas acho que não é levada somente as empresas locais em consideração para avaliar o tipo de inovação que vai ter. Acredito que colocaram bastante em consideração as entidades de educação e pesquisa já existentes nessas cidades.
SeptumTempus no está en línea  
Old April 4th, 2013, 04:46 PM   #138
ERapanos
Catarinense
 
ERapanos's Avatar
 
Join Date: Mar 2012
Location: Serra/Ilha
Posts: 2,174
Likes (Received): 1142

ENTREVERO DO MOHA - O FESTIVAL
Como entendo mais de nativismo e Sapecada,
com a palavra o filho, Fabian, que conhece melhor o tema:


'Esta é a line-up (programação) do Moha Festival. A relação de atrações está na linha das grandes festas que acontecem nos maiores centros do País, inclusive superando o que se vê e ouve na temporada de Floripa. Unica diferença é que lá em Floripa normalmente tem um headliner (principal) mais forte. Mas está excelente a programação'.

Fonte: www.edsonvarela.zip.net

Esse vale a pena ir
__________________
Querer tapar o Sol com a peneira é feio demais.
ERapanos no está en línea  
Old April 4th, 2013, 08:15 PM   #139
FloripaNation
Não creio no que não vejo
 
FloripaNation's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Location: País da Musa Paradisiaca
Posts: 22,081
Likes (Received): 23755

Quote:
Originally Posted by xistracinho View Post
Financiamento do BNDES garante duplicação da Santos Dumont em Joinville
Verba de R$ 3 bilhões ao governo do Estado será distribuída em algumas obras de impacto na região Norte


Primeiro trecho da duplicação da Santos Dumont custará R$ 47,9 milhões Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS


O mais novo contrato de financiamento do Pacto por Santa Catarina, que será assinado no fim da tarde desta quinta-feira, responde por 32% do valor total do programa. É o maior recurso previsto para a iniciativa e o maior financiamento já firmado na história do governo do Estado: R$ 3 bilhões vindos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Do montante de investimentos liberados com a assinatura, algumas obras de impacto para Joinville estão garantidas. Entre elas, o financiamento oficializa os R$ 47,9 milhões necessários para a primeira parte da duplicação da avenida Santos Dumont, no trecho de oito quilômetros de extensão entre a rua Dona Francisca e o aeroporto.

Criado em meados do ano passado, o Pacto por Santa Catarina pretende resolver os grandes gargalos que hoje emperram o desenvolvimento do Estado, como reformas em escolas e hospitais e a revitalização de estradas e vias urbanas. Devido à dimensão do programa, o governo o dividiu em oito grandes áreas de abrangência– infraestrutura, justiça e cidadania, segurança, saúde, educação, proteção social, secas e cheias.

Mesmo assim, o Pacto ainda não está fechado. Até junho, uma nona – e última – área deve ganhar força: o Pacto pela Inovação, que deve investir cerca de R$ 30 milhões em formação empresarial.

A solenidade de assinatura do contrato está prevista para ocorrer às 18h, no Teatro do CIC, em Florianópolis, na presença do governador Raimundo Colombo e do presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Com essa verba, o governo garante quase a totalidade dos R$ 9,4 bilhões previstos para o Pacto. Depois disso, restam apenas dois financiamentos pendentes, que devem ser assinados até junho deste ano.

O primeiro, de R$ 1 bilhão, vindo do Banco do Brasil, prevê o repasse às estradas e às obras de contenção de enchente. O outro, de R$ 540 milhões, envolve recursos da União e será repassado aos municípios para investimento em pavimentação urbana.

O cronograma do Pacto por SC é ousado: em até dois meses, o governo pretende transformar cerca de 60% dos editais em ordens de serviço, autorizando o início das obras.



Governo quer mais recursos

Segundo o secretário de Planejamento, Murilo Flores, coordenador-geral do Pacto, 70% dos R$ 9,4 bilhões já terão sido usados até o fim do ano que vem.

— Temos metas muito ousadas, com grandes obras que até hoje não passaram de promessa. Para organizar tudo, estamos fazendo reuniões semanais com todas as áreas para firmar um cronograma detalhado das ações. Tudo para tirar as obras, de fato, do papel —, promete.

O encaminhamento, porém, não impede o governo de buscar novos recursos. De acordo com Flores, o Pacto não é uma iniciativa fechada. Ao longo dos próximos anos, novas demandas poderão ser incluídas. A ideia, porém, é focar a busca de verba em convênios que não necessitem de reembolso. Hoje, dos R$ 9,4 bilhões iniciais do Pacto, apenas R$ 6,5 milhões vêm de convênio.

— O Pacto não para —, diz.

Fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/ec...e-4095549.html

Boas notícias.
O Hospital Regional com uma torre de oito andares! Vai ficar interessante aquela região, com oito andares no HRHDS e aquela torre da Pró-Rim. Nada mal, agora só falta resolver a questão dos funcionários.

Falta também a PMJ conseguir desapropriar os terrenos da Santos Dumont. Aí começa a ficar bom.

__________________
O Firefox é meu navegador e nada me faltará...
FloripaNation está en línea ahora  
Old April 4th, 2013, 08:19 PM   #140
FloripaNation
Não creio no que não vejo
 
FloripaNation's Avatar
 
Join Date: Mar 2011
Location: País da Musa Paradisiaca
Posts: 22,081
Likes (Received): 23755

Quote:
Originally Posted by thiagohsp View Post
Diretor de construtora de hotel na Ponta do Coral diz que já foram investidos mais de R$ 22 milhões

Executivo diz que prefeitura cometeu equívoco ao cancelar autorização para empreendimento


Alegando que o cancelamento do alvará que autoriza a construção do Parque Hotel Marina Ponta do Coral é um equívoco, o Grupo Hantei anunciou ontem que irá recorrer à prefeitura de Florianópolis para reaver a autorização para iniciar as obras.

Se não houver consenso pela via administrativa, os empreendedores estão dispostos a ir à Justiça. A insistência não é à toa. Até agora, houve gasto de R$ 22 milhões com pré-projetos, taxas e profissionais. O investimento total é de R$ 350 milhões.

Entre as razões para o cancelamento do alvará citadas pelo prefeito Cesar Souza Junior (PSD) está a necessidade de realização de aterro de 33 mil metros quadrados. Parecer da Procuradoria-geral do Município apontou falta de interesse público do projeto, que foi retirado da Superintendência do Patrimônio da União. O pedido de aterro tem de ser feito pela prefeitura e não pelo empreendedor.

— Há equívocos que têm de ser esclarecidos. Nenhum centímetro quadrado do aterro vai ser usado para o empreendimento: é uma área para uso público — disse o diretor-executivo do Grupo Hantei, Aliator Silveira.

Para os empreendedores, a obra está respaldada pela Lei Complementar 180, aprovada em 27 de julho de 2005 pela Câmara da Capital. A legislação autoriza o aterro na Ponta do Coral e cria uma série de contrapartidas aos investidores, como instalação de ciclovia, calçadas e ajardinamento.

— E esses investimentos não caracterizam a existência de interesse público? Estamos convictos de que foi um equívoco e vamos pedir uma audiência com o prefeito — disse o advogado Marcos Saes.

Em nota, a prefeitura reiterou que a desistência do pedido de aterro naquela área foi determinada por “razões jurídicas relativas à impossibilidade legal de o poder público ser propositor de aterro para fins privados”. No mesmo comunicado, ressalta estar segura da decisão, mas se coloca à disposição para ouvir a defesa dos envolvidos.

A polêmica foi parar no Legislativo municipal. O vereador Afrânio Boppré (PSOL) está recolhendo as oito assinaturas que precisa para pedir a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI). O objetivo é investigar a regularidade e a tramitação dos pedidos de alvarás para construções em Florianópolis.

ENTREVISTA

Aliator Silveira, diretor-executivo da Hantei

"Investimento já passa dos R$ 22 milhões"

Em coletiva no início da tarde desta quarta-feira, o empresário defendeu a viabilidade do empreendimento e classificou de equivocado o argumento da prefeitura de Florianópolis que fala na "falta de interesse público" para a construção de um aterro no local. Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista aos jornalistas.

Quais são os passos de agora em diante?
Aliator Silveira — Mesmo sem notificação, vamos buscar uma autoridade, quem sabe o próprio prefeito, para mostrar que há alguns equívocos no que foi dito ontem (terça-feira). Senão, após notificados, vamos apresentar a nossa defesa e aguardar o julgamento da prefeitura.

Se não houver entendimento, a Hantei pode recorrer à Justiça?
Silveira — Se a prefeitura da Capital disser que não há entendimento, vamos obviamente avocar a lei para fazer valer o nosso direito. Até porque investimos muito dinheiro no empreendimento.

Até agora, quanto foi gasto?
Silveira — Nosso investimento, até agora, ultrapassa a casa dos R$ 22 milhões.

Há uma questão política?
Silveira — Não consigo avaliar. Quero crer que não. Nunca fui filiado a partido nem sei das movimentações políticas.

O Grupo Hantei não avalia a possibilidade de desistir do empreendimento?
Silveira — Não. Seria um preço muito alto para Florianópolis e para SC. Enquanto outras empresas têm de receber incentivos para se instalar, somos daqui e não pedimos nada, não pedimos um centavo de incentivo a ninguém e estamos construindo, gerando emprego e renda e numa indústria limpa, que é o turismo.
fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com...s-4095098.html

César foi duro demais em cancelar sumariamente e sem choro o projeto...

Mas que droga de gente que só enxerga defeitos, isso é CEGUEIRA + ECOXITÍSSE desculpem...
__________________
O Firefox é meu navegador e nada me faltará...

Christina Aguilera liked this post
FloripaNation está en línea ahora  
Sponsored Links
Advertisement
 


Closed Thread

Tags
balneário camboriú, blumenau, california brasileira, chapecó, florianópolis, itajaí, itapema, jaraguá do sul, joinville, lages, neve

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 12:33 AM. • styleid: 14


Powered by vBulletin® Version 3.8.11 Beta 4
Copyright ©2000 - 2019, vBulletin Solutions Inc.
vBulletin Security provided by vBSecurity v2.2.2 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2019 DragonByte Technologies Ltd.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2019 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us