Porto do Espadarte (Projeto) - Pará - O maior calado do Norte - Page 5 - SkyscraperCity
 

forums map | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > Latin American & Caribbean Forums > Brasil > Fóruns Gerais > Infraestrutura e Transporte > Infraestrutura e Transporte > Transporte Aquaviário


Global Announcement

As a general reminder, please respect others and respect copyrights. Go here to familiarize yourself with our posting policy.


Reply

 
Thread Tools Rating: Thread Rating: 5 votes, 5.00 average.
Old April 29th, 2011, 11:42 PM   #81
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 7,774
Likes (Received): 3137

Quote:
Originally Posted by dricobel View Post
Quem falou que será exportado apenas minério de ferro?
OK - em que o estado ganharia com a exportação de "outros produtos" através desse porto (ao invés dos de Belém, Itaqui, e Vila do Conde)? Que produtos?
__________________
Aufere trucidare rapere, falsis nominibus imperium. Atque, ubi solitudinem faciunt, pacem apellant. - Tácito
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Sponsored Links
Advertisement
 
Old April 29th, 2011, 11:55 PM   #82
Bethlen
BANNED
 
Join Date: Jan 2011
Posts: 13
Likes (Received): 1

Tomara que esse porto de Curuçá saia logo. O Pará perdeu muito durante muito tempo com o escoamento da sua produção pelo vizinho estado. Com tanto litoral que nós temos, chega às raias do absurdo que a nossa produção não seja escoada em nosso próprio estado. Mas isso foi uma dobradinha Jader-Sarney que nem é bom mencionar. O fato é que a construção de Espardate poderemos entrar numa era era em termos de exportação de nossas riquezas.
Bethlen no está en línea   Reply With Quote
Old April 30th, 2011, 12:01 AM   #83
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 7,774
Likes (Received): 3137

Vamos lá de novo: que o minério de ferro sair pelo Maranhão é prejudicial ao Pará? Se tal não acontecesse, o Pará ganharia

Divisas? Não. Exportação não paga imposto.
Empregos? Muito poucos. O terminal de Ponta da Madeira tem menos de 600 empregos diretos, e menos de 3000 indiretos. Mesmo assumindo-se um efeito multiplicador maior pela distância de aglomerados urbanos, 5000 empregos no total não é tanta coisa assim.
Reflexos econômicos? Nenhum, assim como não os houve no Maranhão.

O que, então?
__________________
Aufere trucidare rapere, falsis nominibus imperium. Atque, ubi solitudinem faciunt, pacem apellant. - Tácito
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Sponsored Links
Advertisement
 
Old April 30th, 2011, 02:26 AM   #84
dricobel
...
 
dricobel's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Belém
Posts: 43,837
Likes (Received): 4352

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
OK - em que o estado ganharia com a exportação de "outros produtos" através desse porto (ao invés dos de Belém, Itaqui, e Vila do Conde)? Que produtos?

Infra estrutura portuaria para exportar o que aqui se produz! Que mais?! Geração de emprego para população local, mesmo que durante um certo periodo, já que o porto será construido, consequentemente isso irá gerar empregos, mesmo que não seja em números significativos!!! Não concorda?!

Credu parece que o desenvolvimento de determinados lugares é motivo de encomodo!


Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
Vamos lá de novo: que o minério de ferro sair pelo Maranhão é prejudicial ao Pará? Se tal não acontecesse, o Pará ganharia

Divisas? Não. Exportação não paga imposto.
Empregos? Muito poucos. O terminal de Ponta da Madeira tem menos de 600 empregos diretos, e menos de 3000 indiretos. Mesmo assumindo-se um efeito multiplicador maior pela distância de aglomerados urbanos, 5000 empregos no total não é tanta coisa assim.
Reflexos econômicos? Nenhum, assim como não os houve no Maranhão.

O que, então?

Já foi!! Quando levaram a ferrovia de Carajás rumo ao porto maranhense, como chorar sobre o leite derramado não vai mudar nada!
Se temos condições de exportar o que aqui é produzido, pq não fazer?! Se isso vai ou não refletir na econômia não importa, o que de fato importa é que tenhamos nossa própria estrutura logistica sem ter que depender dos outros!

Além do minério de ferro, Espadarte serveria para exportar Aluminio, bauxita, soja, provavelmente bioodisel produzido pela vale e com a implantação da Alpa em Marabá, chapas de aço!!

Sem falar na possibilidade de se levar perna da ferrovia norte-sul até o futuro porto!!

Qualquer investimento na esturura do estado será bem vinda, mesmo que isso não reflita $ diretamente no crescimento! Temos que nos valer de uma boa estrutura! Para quem sabe futuramente atrair outros investidores!!

Last edited by dricobel; April 30th, 2011 at 03:29 AM.
dricobel no está en línea   Reply With Quote
Old April 30th, 2011, 03:28 AM   #85
Guajará
from Belém-Pa
 
Guajará's Avatar
 
Join Date: Jun 2009
Location: Porto Alegre
Posts: 27,633
Likes (Received): 1357

não dá pra somar as perdas que o Pará já teve com esses desvios!
Guajará no está en línea   Reply With Quote
Old April 30th, 2011, 07:49 PM   #86
renatoeng
Registered User
 
renatoeng's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Ananindeua(PA) - São LUIS(MA)
Posts: 3,124
Likes (Received): 130

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
Vamos lá de novo: que o minério de ferro sair pelo Maranhão é prejudicial ao Pará? Se tal não acontecesse, o Pará ganharia

Divisas? Não. Exportação não paga imposto.
Empregos? Muito poucos. O terminal de Ponta da Madeira tem menos de 600 empregos diretos, e menos de 3000 indiretos. Mesmo assumindo-se um efeito multiplicador maior pela distância de aglomerados urbanos, 5000 empregos no total não é tanta coisa assim.
Reflexos econômicos? Nenhum, assim como não os houve no Maranhão.

O que, então?
Engraçado, de onde é sua fonte?Porque não é isto que vejo o porto da madeira com relação ao numero do empregos.
A titulo de informação o porto esta sendo ampliado assim como toda a operação da VALE, sem contar com a ALUMAR e outras empresas presentes no porto de ITAQUI que também ampliando sua operações .

O Porto de espardarte vai é uma necessidade do BRASIL , assim como outros portos pois com um pouco de percepção o litoral norte e nordeste esta mais proximo de seus clientes.

Quando aos produtos que SÂO EXPORTADOS , existe o boi vivo, soja e outros.Onde são exportados pelos portos da região.

e completando com a conclusão da ferrovia norte sul os PORTOS DA REGIÃO serão mais competitivos.
renatoeng no está en línea   Reply With Quote
Old April 30th, 2011, 09:39 PM   #87
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 7,774
Likes (Received): 3137

Eu tenho uma razoável certeza de que sei mais detalhes sobre a ampliação do Sistema Norte da Vale do que você, obrigado. E também sei que um sistema de extração mineral moderno tem muito poucos efeitos sobre a economia circuncidante, que o digam Zâmbia ou Moçambique. É isso que estou questionando: os efeitos reais de desenvolvimento de um porto desses, que justifiquem tal empolgação. Um terminal de granéis não é uma montadora de automóveis, que tem essa sim reflexos na economia local.

Todas as cargas que vocês mencionaram, fora os granéis, podem ser mais facilmente exportadas pelos portos existentes, ou por uma ampliação de VdC. Os granéis são cargas de baixo valor agregado (isso é, não levam "desenvolvimento"), e a diferença de preço/vantagem competitiva entre levar eles para Espadarte ou Itaqui é bem pequena, e inteiramente absorvida pela diferença de que Itaqui já foi amortizado.
__________________
Aufere trucidare rapere, falsis nominibus imperium. Atque, ubi solitudinem faciunt, pacem apellant. - Tácito
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old April 30th, 2011, 11:42 PM   #88
renatoeng
Registered User
 
renatoeng's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Ananindeua(PA) - São LUIS(MA)
Posts: 3,124
Likes (Received): 130

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
Eu tenho uma razoável certeza de que sei mais detalhes sobre a ampliação do Sistema Norte da Vale do que você, obrigado. E também sei que um sistema de extração mineral moderno tem muito poucos efeitos sobre a economia circuncidante, que o digam Zâmbia ou Moçambique. É isso que estou questionando: os efeitos reais de desenvolvimento de um porto desses, que justifiquem tal empolgação. Um terminal de granéis não é uma montadora de automóveis, que tem essa sim reflexos na economia local.

Todas as cargas que vocês mencionaram, fora os granéis, podem ser mais facilmente exportadas pelos portos existentes, ou por uma ampliação de VdC. Os granéis são cargas de baixo valor agregado (isso é, não levam "desenvolvimento"), e a diferença de preço/vantagem competitiva entre levar eles para Espadarte ou Itaqui é bem pequena, e inteiramente absorvida pela diferença de que Itaqui já foi amortizado.
No minimo vc deve trabalhar na VALE pra saber mais que eu.

Quanto ao transporte de graneis os portos do sudeste estão saturados, frete caro.


Agora vc comparar países africanos é simplesmente exagero e também é não ter o mínimo de conhecimento da região.

Quanto a "empolgação", não não vejo assim.São obras e serviços(porto em funcionamento) que geram empregos e o desenvolvimento da região com toda certeza.


Quanto ao transporte de produtos que não seja minério pelos portos da região, naturalmente que não serão transportados produtos originalmente da região sudeste e sim do centro-oeste
renatoeng no está en línea   Reply With Quote
Old May 1st, 2011, 01:36 AM   #89
dricobel
...
 
dricobel's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Belém
Posts: 43,837
Likes (Received): 4352

Quote:
Originally Posted by Thuin View Post
Eu tenho uma razoável certeza de que sei mais detalhes sobre a ampliação do Sistema Norte da Vale do que você, obrigado. E também sei que um sistema de extração mineral moderno tem muito poucos efeitos sobre a economia circuncidante, que o digam Zâmbia ou Moçambique. É isso que estou questionando: os efeitos reais de desenvolvimento de um porto desses, que justifiquem tal empolgação. Um terminal de granéis não é uma montadora de automóveis, que tem essa sim reflexos na economia local.

Todas as cargas que vocês mencionaram, fora os granéis, podem ser mais facilmente exportadas pelos portos existentes, ou por uma ampliação de VdC. Os granéis são cargas de baixo valor agregado (isso é, não levam "desenvolvimento"), e a diferença de preço/vantagem competitiva entre levar eles para Espadarte ou Itaqui é bem pequena, e inteiramente absorvida pela diferença de que Itaqui já foi amortizado.



Ahhh, que otimo, então compartilhe conosco essa "razoável certeza"!!
dricobel no está en línea   Reply With Quote
Old May 1st, 2011, 01:38 AM   #90
dricobel
...
 
dricobel's Avatar
 
Join Date: Dec 2007
Location: Belém
Posts: 43,837
Likes (Received): 4352

Quote:
Originally Posted by renatoeng View Post
Engraçado, de onde é sua fonte?Porque não é isto que vejo o porto da madeira com relação ao numero do empregos.
A titulo de informação o porto esta sendo ampliado assim como toda a operação da VALE, sem contar com a ALUMAR e outras empresas presentes no porto de ITAQUI que também ampliando sua operações .

O Porto de espardarte vai é uma necessidade do BRASIL , assim como outros portos pois com um pouco de percepção o litoral norte e nordeste esta mais proximo de seus clientes.

Quando aos produtos que SÂO EXPORTADOS , existe o boi vivo, soja e outros.Onde são exportados pelos portos da região.

e completando com a conclusão da ferrovia norte sul os PORTOS DA REGIÃO serão mais competitivos.


Não havia lembrado do boi vivo!!
dricobel no está en línea   Reply With Quote
Old May 2nd, 2011, 03:08 PM   #91
Thuin
Reset
 
Thuin's Avatar
 
Join Date: Sep 2010
Location: São Paulo
Posts: 7,774
Likes (Received): 3137

Quote:
No minimo vc deve trabalhar na VALE pra saber mais que eu.
Na Vale não; com portos, sim.

Quote:
Quanto ao transporte de graneis os portos do sudeste estão saturados, frete caro.
Sem sombra de dúvida. Mas o que tem isso a ver com o questionamento da vantagem comparativa de um novo terminal um pouco mais próximo a ser construído vs. Itaqui (para minério de Carajás) ou Vila do Conde (para outras cargas)?
Quote:
Agora vc comparar países africanos é simplesmente exagero e também é não ter o mínimo de conhecimento da região.
O que exatamente você acha que eu quis dizer ao falar da Zâmbia, ou você simplesmente acha que a comparação com a África é um insulto? O Brasil, em muitos aspectos, se parece muito com a África, sim. Um deles é o tipo de operação praticada em Carajás (e também no Sistema Sul).
Quote:
Quanto a "empolgação", não não vejo assim.São obras e serviços(porto em funcionamento) que geram empregos e o desenvolvimento da região com toda certeza.
O que eu estou questionando é justamente essa "certeza." Me explique como eles geram o desenvolvimento da região. Que eu saiba, grandes terminais offshore, e atividades de extração mineral em geral (a não ser que haja apropriação pelo estado de parte da renda, o que não é o caso no Brasil) geram dividendos de desenvolvimento pífios (e mais ainda se você pensar em termos de incrementos de renda e emprego, não em números do PIB). É o caso do Sistema Norte atualmente; o Maranhão não apenas não recebe grandes benefícios de Ponta da Madeira como é dos estados mais pobres do Brasil.
Quote:
Quanto ao transporte de produtos que não seja minério pelos portos da região, naturalmente que não serão transportados produtos originalmente da região sudeste e sim do centro-oeste.
Mas quem falou em produtos da região Sudeste em algum momento? O que comentei foi que não há produtos, do Centro-Oeste ou do Pará, que não possam ser escoados por Belém ou Vila do Conde, ou cujo escoamento por Espadarte fosse significativamente mais vantajoso do que por Itaqui (assumindo-se que o preço do terminal novo fose pago pelos usuários, e não uma benesse do Estado brasileiro (seja a União ou o Governo do Pará), que tem gente mais merecedora em quem depositar seu dinheiro do que empresários exportadores de commodities). A diferença de comprimento percorrido por ferrovia não é grande o bastante para compensar o preço do investimento novo em um terminal offshore. (Incluindo o acesso terrestre - ferrovia, rodovia, dutovia).

Vocês falaram de boi vivo. Vila do Conde tem 12,20m de calado, enquanto os maiores navios que transportam animais vivos não passam de 10m. Qual a vantagem de um terminal mais distante (e essa distância seria vencida por caminhão, não trem), cujo investimento enorme (offshore e não abrigado) teria que ser amortizado, contra Belém e Vila do Conde?
__________________
Aufere trucidare rapere, falsis nominibus imperium. Atque, ubi solitudinem faciunt, pacem apellant. - Tácito
Thuin no está en línea   Reply With Quote
Old May 2nd, 2011, 08:36 PM   #92
lusorod
LUSOROD
 
lusorod's Avatar
 
Join Date: Mar 2008
Location: SAO PAULO/LONDON
Posts: 9,056
Likes (Received): 1857

Eu acho que essa discussao entre Espadarte e Itaqui e' meio sem nexo. No Brasil precisamos de portos e os portos tem de ser maiores e melhores conforme a nossa economia for crescendo. Com a ferrovia Norte-Sul, Oeste Leste .....ambos os portos serao grandes alternativas de escoamento da Agricultura e Pecuaria para exportacao. Nao vamos esquecer tb que Goias possiu diversas fabricas de carro que podem exportar por ambos os portos. No fim das contas ambos serao complementares entre si. So quero que a Norte-Sul intercepte-se com a ferrovia transnordestina
__________________
LUSOROD

((((((((((MUITO AMOR NA SUA ALMA))))))))))))))))
lusorod no está en línea   Reply With Quote
Old May 3rd, 2011, 04:57 PM   #93
açaicomcarnedesol
Registered User
 
açaicomcarnedesol's Avatar
 
Join Date: Jun 2008
Location: Ntl/Bel
Posts: 93
Likes (Received): 0

Concordo com o amigo ai de cima.
Aliás, de qualquer forma, a tendência é ter mais necessidade de infra-estrutura, tanto para importação qto para exportação de produtos mais diversos.
Até os portos do Pará já encontram-se perto dos seus limites.
Neste ponto julgo ser mais interessante para o Brasil construir portos com vetores de escoamento apontando para os destinos e não com uma curva ou uma espécie de vai-e-vem, onde o produto sai do MT vai para o PR pra chegar nos EUA.
Os próprios produtos q são produzidos no Sudeste, muitos deles, poderiam ser embarcados no Norte. Basta que haja infra-estrutura para esse produto chegar lá.
Em último caso, se não fosse necessário ou viável, a VALE não estaria prospectando.
Em termos de desenvolvimento, pode não ser assim lá uma grande diferença. Mas, é melhor ter.
__________________
Amazônia, Pantanal, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica para sempre!
açaicomcarnedesol no está en línea   Reply With Quote
Sponsored Links
Advertisement
 


Reply

Thread Tools
Rate This Thread
Rate This Thread:

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off


Similar Threads
Thread Thread Starter Forum Replies Last Post
(DF) Brasília | Projeto proposto para o Setor Hoteleiro Norte Pesquisadorbsb Centro-Oeste 36 September 2nd, 2008 02:00 PM
Está avançando o projeto de lazer para o porto de Porto Alegre RVpoa Notícias da Região 3 January 23rd, 2008 06:21 PM


All times are GMT +2. The time now is 01:59 AM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.11 Beta 4
Copyright ©2000 - 2019, vBulletin Solutions Inc.
vBulletin Security provided by vBSecurity v2.2.2 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2019 DragonByte Technologies Ltd.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2019 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us