Anadia - Page 5 - SkyscraperCity
 

forums map | news magazine | posting guidelines

Go Back   SkyscraperCity > European Forums > Fórum Português > Arquitectura e Urbanismo > Centro > Imagens


Global Announcement

As a general reminder, please respect others and respect copyrights. Go here to familiarize yourself with our posting policy.


Reply

 
Thread Tools
Old July 25th, 2011, 09:05 PM   #81
Rui Caceiro
Registered User
 
Rui Caceiro's Avatar
 
Join Date: Feb 2011
Posts: 488
Likes (Received): 21

Outro museu do Berardo
__________________
Coimbra, mãe e madrasta do sonho da mocidade... Guardei-te na minha pasta p'ra ter sempre a mesma idade.
Mas um dia quando a abri, Coimbra, já lá não estava.
Chorando voltei para ti e vi que tambem chorava
Rui Caceiro no está en línea   Reply With Quote
Sponsored Links
Advertisement
 
Old July 27th, 2011, 03:58 AM   #82
Barragon
Barra for Friends
 
Barragon's Avatar
 
Join Date: Dec 2004
Location: Barreiro
Posts: 148,974
Likes (Received): 16804

Ficou muito bem
__________________
::: Portuguese Forum :::

Alcobaça :: Mosteiro de Alcobaça :: Batalha :: Leiria

Fat people are harder to kidnap
Barragon no está en línea   Reply With Quote
Old July 27th, 2011, 03:36 PM   #83
sergiomdias
Registered User
 
sergiomdias's Avatar
 
Join Date: Jun 2009
Location: Estarreja / Oliveira do Bairro / Anadia
Posts: 83
Likes (Received): 0

O conceito museológico é completamente desajustado, mas ok...
sergiomdias no está en línea   Reply With Quote
Sponsored Links
Advertisement
 
Old July 28th, 2011, 07:13 PM   #84
Lampiao2000
You may call me Lamp...
 
Lampiao2000's Avatar
 
Join Date: Feb 2008
Location: Lisboa-Amadora-Portimão
Posts: 11,734
Likes (Received): 76

Tambem nao conhecia, obrigado, Zip!
__________________
load " " enter

«Chove? Está frio? Está calor? O que importa? Nem que o jogo seja no fim do mundo, entre as neves das serras ou no meio das chamas do inferno. Seja pela terra, pelo mar ou pelo ar, eles aí vão, os adeptos do Benfica atrás da sua equipa... Grande, incomparável e extraordinária massa associativa!» - Bella Gutmann

Fotos novas de BARCELONA - 20/JULHO
Lampiao2000 no está en línea   Reply With Quote
Old July 28th, 2011, 07:22 PM   #85
Lampiao2000
You may call me Lamp...
 
Lampiao2000's Avatar
 
Join Date: Feb 2008
Location: Lisboa-Amadora-Portimão
Posts: 11,734
Likes (Received): 76

Sempre um bom museu para visitar!
__________________
load " " enter

«Chove? Está frio? Está calor? O que importa? Nem que o jogo seja no fim do mundo, entre as neves das serras ou no meio das chamas do inferno. Seja pela terra, pelo mar ou pelo ar, eles aí vão, os adeptos do Benfica atrás da sua equipa... Grande, incomparável e extraordinária massa associativa!» - Bella Gutmann

Fotos novas de BARCELONA - 20/JULHO
Lampiao2000 no está en línea   Reply With Quote
Old July 29th, 2011, 02:49 AM   #86
pauloluso
Metro Lisboa
 
pauloluso's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Aldeia Galega, Costa Azul
Posts: 8,505
Likes (Received): 271

E dá para provar vinhos? Onde é que andam as garrafas?
pauloluso no está en línea   Reply With Quote
Old July 29th, 2011, 01:13 PM   #87
Barragon
Barra for Friends
 
Barragon's Avatar
 
Join Date: Dec 2004
Location: Barreiro
Posts: 148,974
Likes (Received): 16804

deve dar
__________________
::: Portuguese Forum :::

Alcobaça :: Mosteiro de Alcobaça :: Batalha :: Leiria

Fat people are harder to kidnap
Barragon no está en línea   Reply With Quote
Old July 29th, 2011, 10:35 PM   #88
pauloluso
Metro Lisboa
 
pauloluso's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Aldeia Galega, Costa Azul
Posts: 8,505
Likes (Received): 271

Quote:
Originally Posted by Barragon View Post
deve dar
Mas nas fotos, só vejo quadros. Assim não incentiva a visita.
pauloluso no está en línea   Reply With Quote
Old July 29th, 2011, 11:10 PM   #89
sergiomdias
Registered User
 
sergiomdias's Avatar
 
Join Date: Jun 2009
Location: Estarreja / Oliveira do Bairro / Anadia
Posts: 83
Likes (Received): 0

Não dá!
sergiomdias no está en línea   Reply With Quote
Old August 1st, 2011, 07:35 AM   #90
zip95
... com piri-piri!
 
zip95's Avatar
 
Join Date: May 2008
Location: Düsseldorf / Samora Correia / Mangualde
Posts: 1,168
Likes (Received): 142

Quote:
Mas nas fotos, só vejo quadros.
In the first floor you can find temporarily and permanent art exhibition.

The basement has more an educational, highly informational purpose. You can find everything about the whole process of wine making. Step by step. And this is the concept: To show it station by station: From the grape to the ready product. You´ll find the tools, information about the "how-to-do" (multi medial presentation, well made), the wine makers of the region, a stunning collection of cork screws etc. etc. It´s really worth a visit.

Quote:
Assim não incentiva a visita
Don´t blame the museum, it´s my fault. I also took pictures down in basement, but due to low-light situation the most ones are simply crap.

Cumprimentos,
Zip
__________________
... com piri-piri!
zip95 no está en línea   Reply With Quote
Old August 2nd, 2011, 02:49 AM   #91
pauloluso
Metro Lisboa
 
pauloluso's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Aldeia Galega, Costa Azul
Posts: 8,505
Likes (Received): 271

Obrigado Zip pelas explicações. Acredito que deve ter partes interessantes. Estava a brincar com o tema.
Por acaso, até que fazia sentido ter umas salas deste tipo:



Fonte

Enganam bem com esta foto.
pauloluso no está en línea   Reply With Quote
Old August 2nd, 2011, 02:53 AM   #92
pauloluso
Metro Lisboa
 
pauloluso's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Aldeia Galega, Costa Azul
Posts: 8,505
Likes (Received): 271

Para ser um bocado mais serio, encontrei este interessantíssimo artigo da lifecooler.

http://www.lifecooler.com/edicoes/li...art=1722&rev=2

Museu do Vinho da Bairrada
Confunde-se com um museu de arte moderna. Interactivo, divertido e didáctico. Venha conhecer a nova coqueluche da Anadia.
N'Dalo Rocha
Um museu de Arte Moderna?

É um prédio rectangular que foge ao estereótipo do caixote. Bem enquadrado no terreno, tira partido da inclinação natural do mesmo para ocultar com souplesse a sua enorme volumetria. André Santos, o arquitecto que o projectou, aprimorou-lhe as formas, rasgando-lhe uma janela aqui ou abrindo-lhe um pátio acolá. Resumindo, é bonito, e confesso que superou em muito as minhas expectativas, pois esperava encontrar um edifício bem mais modesto.

Subi a pequena rampa de acesso e entrei. Ao que parece, a ergonomia também não foi esquecida. Aqui os visitantes em cadeira de rodas podem circular perfeitamente por entre as alas do museu. Enfim, uma forma de democratizar o acesso à cultura que só peca por defeito por esse país fora em espaços idênticos.

Lá dentro, no hall, não pude deixar de reparar na decoração minimalista. Amplo, a área é limpa de qualquer referência vinícola, não havendo a mínima alusão a garrafas, cartazes publicitários ou barricas de carvalho. O único elemento que se relaciona com o vinho fica no exterior e vê-se através das janelas. São as vinhas da Estação de Vinicultura da Bairrada.

De volta ao interior, notei que os tectos são altos e casam bem com os grandes janelões, permitindo que a luz penetre iluminando os salões. Por vezes, a perspectiva do olhar dava-me a sensação de que os corredores se estreitavam, afunilando-se. Pura ilusão óptica.

Curiosamente esta ausência de simbologias, dificultou-me identificar o espaço como se exclusivamente de um museu de vinho se tratasse. Para mim, estava num foyer de um teatro moderno ou talvez nalguma galeria de arte.
Nas restantes salas fui inspeccionar as fotografias a preto e branco
de Duarte Belo e confesso que gostei. Retroescavadoras, estradas de terra batida, vinhas, floresta, igrejas da Anadia ou a linha do Norte, foram alguns dos exemplos que observei. Imagens bem definidas que se enquadram perfeitamente no tema a que a exposição se subordina.

E para terminar o andar, fui espreitar os “Monólogos da Memória” do também fotógrafo Rui Xavier. Trata-se de um delicioso levantamento antropológico com as gentes da terra. Ao todo, são 25 os depoimentos de pessoas diferentes nas suas origens sociais, mas unidas por um diapasão comum: o vinho e a região da Bairrada. E tudo isto gravado em formato de vídeo com menos de três minutos cada.

Os entrevistados permanecem de pé, imóveis como manequins, enquanto a sua voz se sobrepõe, contando alguma história do passado. Assim vi enólogos, vinicultores, tanoeiros, enxertadores e podadores que ali deixaram o seu testemunho, mas não só. Nos vídeos também há trabalhadores rurais, actrizes de teatro locais, músicos e até um criador de cavalos com 95 anos que se lembra com nostalgia das vindimas que existiam há 70 anos atrás.
As exposições provisórias

Constituído por dois pisos, o acervo do museu divide-se entre as exposições temporárias do primeiro andar e a exposição permanente sobre vinhos do piso zero.

Comecei pelo primeiro andar, aliás o piso onde se situa a porta de entrada e visitei em primeiro lugar a exposição “Novos Urbanismos, Novas Paisagens”, que congrega os trabalhos do fotógrafo Duarte Belo e da escultora Fernanda Fragateiro.

Começando pela última, visitei amplas salas adornadas apenas com as suas peças de aço inox. E da simplicidade das mesmas resultou uma elegância inesperada. A primeira escultura, uma espécie de grelha, está assente no chão e serve para ser pisada. Caminhei sobre ela e detive-me a meio para ler a legenda afixada na parede: “Existe um substituto para a experiência?”

Depois, no exterior, em pequenos pátios, quatro placas de inox distribuídas por quatro pátios diferentes, com nomes tão sugestivos como “Amanhecer” e “Entardecer”. Conjugadas apenas com a luz solar, produzem efeitos e cores únicas consoante a inclinação do sol. Um espanto.






2004-02-23

2ª Parte Museu do Vinho da Bairrada

N'Dalo Rocha
A exposição permanente

Descendo pela rampa que me leva ao piso zero, entrei na exposição do vinho propriamente dita. Na parede destacavam-se algumas fotografias dos finais do século XIX onde produtores portugueses e franceses celebravam em animadas jantaradas a introdução do método champanhês utilizado na produção dos espumantes da bairrada.
Depois, começa o “museu” por assim dizer numa exposição bem montada, interactiva e divertida para pequenos e graúdos. O bom é que se pode tocar em quase todas as peças do espólio, o que me fez despertar, e muito, a curiosidade sobre o assunto. E assim, não me contive e segurei a enorme prensa de vara do lagar de madeira do século XIX. Quase não se moveu de tão pesada que era, mas pelo menos tentei.

Ao lado, algum material de tanoaria, uma profissão que quase desapareceu, e o curioso destilador italiano que se assemelha a um aquecedor a óleo, pela quantidade de tubos retorcidos que tem. Ah, e é claro que este adereço não funciona sem a ajuda preciosa da caldeira, também ela um engenho complicado.

O próximo passo foi conhecer as seis salas temáticas onde a exposição explica de uma forma interactiva a importância do vinho como produto evolutivo desde a vinha até ao copo, o produto final.
Na primeira sala o tema era a vinha, na seguinte a vindima. Na terceira a vinificação ou a sala do espumante, e na quarta, a sala das caves e adegas. Aqui, mais uma vez não resisti a brincar com as velhas máquinas francesas de engarrafar, que já tiveram os seus dias de glória na Bairrada, assim como os antigos pulverizadores.

Seguiu-se a sala de provas, onde através de um vídeo os enólogos explicam como proceder. E tudo termina na sala de promoção turística.

Porém, o que realmente nunca suspeitei que pudesse encontrar foi o espólio de António Oliveira Salazar. Sim, esse senhor mesmo, pois o que muita gente desconhecia é que para além da política, Salazar era um grande apreciador de vinhos. E como detinha alguns hectares de terreno em Santa Comba Dão, fez produção própria e algumas dessas garrafas e licores da sua adega pessoal resistiram até aos nossos dias. É claro que tudo só foi possível graças a um acordo entre o sobrinho-neto do ditador e o museu, o que permitiu que um total de 140 peças pudessem ser expostas. É obra.
Mas não é tudo, pois surpreendente também há uma colecção de saca-rolhas. Alguns são tão minúsculos e delicados que é quase necessário tirar um curso para poder manuseá-los correctamente.

Enfim, para além do óbvio, este museu tinha algumas surpresas como estes fait divers, sempre agradáveis de se apreciar.

Terminei a visita na enoteca, a última sala, onde apreciei, infelizmente apenas com o olhar, alguns dos melhores vinhos de quase todos os produtores da Bairrada. Espumantes, brancos, tintos ou licorosos, ou seja, vinhos de todas as marcas e qualidades. O critério da exposição fica assim a cargo dos produtores que publicitam os produtos que têm mais saída no mercado, independentemente do preço ou qualidade do mesmo.

Depois, passei pela loja e ainda ponderei comprar algum dos vários recuerdos existentes como as bonitas agendas ou os copos de prova cega. Quem sabe para uma próxima visita?






2004-02-23
pauloluso no está en línea   Reply With Quote
Old August 2nd, 2011, 02:37 PM   #93
Lino
'tou na lua...
 
Lino's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Coimbra
Posts: 39,715
Likes (Received): 5104

Bem, se dá para provas isso é um bom chamariz. Mas é interessante para promover o vinho da terra e aspectos culturais que giram em torno do vinho!
__________________
Força Portugal!!
Lino no está en línea   Reply With Quote
Old August 2nd, 2011, 10:33 PM   #94
pauloluso
Metro Lisboa
 
pauloluso's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Aldeia Galega, Costa Azul
Posts: 8,505
Likes (Received): 271

Quote:
Originally Posted by Lino View Post
Bem, se dá para provas isso é um bom chamariz. Mas é interessante para promover o vinho da terra e aspectos culturais que giram em torno do vinho!
Humm. Não leste bem ou sou eu que não percebi bem.

A foto engana. Pelo que percebi, faz parte de um video
Quote:
Seguiu-se a sala de provas, onde através de um vídeo os enólogos explicam como proceder. E tudo termina na sala de promoção turística.
Mas acho que fazia todo o sentido existir num museu do vinho.
pauloluso no está en línea   Reply With Quote
Old August 2nd, 2011, 11:20 PM   #95
zip95
... com piri-piri!
 
zip95's Avatar
 
Join Date: May 2008
Location: Düsseldorf / Samora Correia / Mangualde
Posts: 1,168
Likes (Received): 142

Quote:
Originally Posted by pauloluso View Post
A foto engana. Pelo que percebi, faz parte de um video
Hehe, multimedia!


Quote:
Originally Posted by pauloluso View Post
Mas acho que fazia todo o sentido existir num museu do vinho.
It gives an unique overview about the wines and wine makers of the region, e.g. ...
  • Caves Solar São Domingos
  • Luis Pato
  • Colinas de São Lourenço
  • Campolargo
  • Quinta do Encontro
  • Quinta das Bágeiras

May I clue you in (from my private stock ) ...

Old:


Experienced:


Young + wild:


Cheers,
Zip
__________________
... com piri-piri!
zip95 no está en línea   Reply With Quote
Old August 3rd, 2011, 01:49 AM   #96
Lino
'tou na lua...
 
Lino's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Coimbra
Posts: 39,715
Likes (Received): 5104

Bebi Luís Pato na semana passada, ultrapassou e bem as minhas expectativas sobre vinhos da Bairrada.
Mogofores, a terra do José Cid!

esse Preto | Branco deixou-me curioso. Pessoalmente adoro os vinhos alentejanos por serem suaves e um quê doces... os do Dão deixam a sensação de rolha na língua.
__________________
Força Portugal!!
Lino no está en línea   Reply With Quote
Old August 3rd, 2011, 07:38 AM   #97
pauloluso
Metro Lisboa
 
pauloluso's Avatar
 
Join Date: Oct 2007
Location: Aldeia Galega, Costa Azul
Posts: 8,505
Likes (Received): 271

Quote:
Originally Posted by zip95 View Post
Hehe, multimedia!

Cheers,
Zip
Obrigado Zip
pauloluso no está en línea   Reply With Quote
Old August 9th, 2011, 06:00 AM   #98
Barragon
Barra for Friends
 
Barragon's Avatar
 
Join Date: Dec 2004
Location: Barreiro
Posts: 148,974
Likes (Received): 16804

que belo vinho
__________________
::: Portuguese Forum :::

Alcobaça :: Mosteiro de Alcobaça :: Batalha :: Leiria

Fat people are harder to kidnap
Barragon no está en línea   Reply With Quote
Old September 14th, 2011, 01:00 PM   #99
Ana_Rita
Registered User
 
Ana_Rita's Avatar
 
Join Date: Apr 2010
Posts: 570
Likes (Received): 193

Vale da Mó - Anadia

Contigua às faldas da Serra do Caramulo, a 250 metros de altitude, no meio de denso arvoredo, quase no extremo leste da Bairrada, surge a pequena aldeia de Vale da Mó com o seu grande tesouro – as Termas de Água Férrea.

O Vale é uma tortuosa faixa de terreno apertado entre montes opulentamente vestidos de pinheiros e medronheiros com rara mescla de sobreiros, oliveiras, acácias e eucaliptos, irrompendo do solo, tapetado da mais variada vegetação rasteira, tornando Vale da Mó num lugar aprazível para tratamento de cura e repouso, de microclima muito seco, sem nevoeiros e temperado, donde se desfruta de um panorama lindíssimo e variado.

A sua localização, longe do burburinho e da agitação citadina, convida ao repouso fundamental para a cura de estados de depressão nervosa e fadiga, tão comuns nos nossos dias.

Vale da Mó encontra-se à distância de 5Km da cidade de Anadia e, por isso, próximo de grandes pólos de desenvolvimento como Aveiro (35Km) e Coimbra (30 km).
in http://www.cm-anadia.pt/index.php?op...194&Itemid=558

A Fonte de Vale da Mó



parque de merendas


por trás do edifício principal




Província hidromineral: B / Bacia hidrográfica do Rio Vouga

Zona geológica:
No limite do Maciço Hespérico (Zona Centro-Ibérica) com as Orlas Mezo-Cenozóicas, no vale da falha geológica que define as duas zonas.

Fundo geológico: Rochas metamórficas (xistos)

Dureza águas subterrâneas: 200 e 300 mg/l de CaCO3

Natureza: Hipossalina, ferruginosa, hipotermal. Bicarbonatada sódica, hipossalina

Mineralização total: 166,497 mg/ l ( HCO3 – 87,08 mg/l; Mg – 14 mg/l ; Fe – 8,8mg/l )

Temperatura: 16,1º; pH – 6,38

Indicações: Anemias, clorose, hipercloridrias. Doenças do sangue (anemias e outras por carência de ferro); Doenças gastro-hepáticas (gastro-duodonais e hepatopatias); anorexias e convalescenças.

Citadas por Frei Cristóvão dos Reis (1779), a sua descoberta é atribuída ao Padre Manuel Almeida, que casualmente as descobriu em 1730. Este participou a sua descoberta a um irmão que era desembargador em Lisboa, onde a notícia rapidamente se espalhou, sendo então considerada das melhores águas férreas do país. A concorrência aumentou, recebendo mesmo a visita do ministro José Seabra (de D. João), e foi sempre aumentando até 1862, diminuindo a partir dessa data até 1867, segundo informação dada aos Quesitos de 1867, citado por Acciaiuoli (1994,IV: 332-3) A comprovar essa fama temos as referências anuais no Almanaque, publicação anual de grande divulgação no século XVIII.
Em 1912 foi feito o pedido de concessão. As análises químicas são da responsabilidade de Bonhorst (1912) e o relatório de reconhecimento de Torres (1916).
Na temporada de 1999 as termas foram encerradas por ordem do IGM e da Direcção Geral de Saúde, por falta de “ condições higiénicas”. Não havia sanitários e a velha buvete apresentava-se degradada.
No ano seguinte o concessionário, Osvaldo Martins, vendeu as termas à CM da Anadia pelo preço simbólico de 12.500$00.
Depois de várias obras, de que se encarregou a nova concessionária, as termas reabriram em 1 de Agosto de 2003.

Embora esta água “ferruginosa” seja sobretudo utilizada por ingestão, a Câmara Municipal projecta a construção de balneários* ao fundo do terreiro, defronte da fonte, onde serão administrados alguns tratamentos balneoterápicos, para este tipo de águas.

Instalações/ património construído e ambiental:
Sobre o local da nascente foi construído um “templete” ao gosto da década de 30, de formas rectangulares, tendo inscrito no frontão a palavra "FONTE”.
Esta fonte faz parte de um parque arborizado, vizinho da aldeia de Vale de Mó, que dos “sete casebres” do século XVIII, cresceu como “aldeia de águas” para dar resposta à procura das suas águas Férreas.
Em 2003 a Câmara Municipal da Anadia construiu num plano superior um pequeno edifício que serve de consultório, enfermaria, sala de espera/descanso e outros serviços.
in http://www.aguas.ics.ul.pt/aveiro_valemo.html
__________________
"... se não houvesse tristeza nem miséria, se em todo o lugar corressem águas sobre as pedras, se cantassem aves, a vida podia ser apenas estar sentado na erva, segurar um malmequer e não lhe arrancar as pétalas, por serem já sabidas as respostas, ou por serem estas de tão pouca importância, que descobri-las não valeria a vida duma flor." José Saramago in Memorial do Convento
Ana_Rita no está en línea   Reply With Quote
Old September 14th, 2011, 01:06 PM   #100
Ana_Rita
Registered User
 
Ana_Rita's Avatar
 
Join Date: Apr 2010
Posts: 570
Likes (Received): 193

Mais algumas informações antes das restantes fotos:

Trata-se de uma água férrea que é única no património hidrológico português e apenas na Turquia existem águas semelhantes.

Segundo o laboratório da Direcção Geral de Geologia e Energia, a água mineral das Termas do Vale da Mó nasce bacteriologicamente pura, sem cheiro e de sabor ligeiramente férreo. Trata-se de uma água hipotermal, fracamente mineralizada, “moderadamente doce”, mas de reacção ácida.

As Termas funcionam durante a época termal (1 de Junho a 31 de Outubro) de segunda a sábado, das 8 às 12 horas e das 16 às 19 horas. Aos domingos, funcionam das 8 às 12 horas e as 15h30 às 18 horas.
As consultas são às segundas e quintas-feiras, das 14h30 às 16 horas.
O preço dos tratamentos varia entre 36 euros (14 dias) e 53 euros (21 dias).
A inscrição, com direito a duas consultas, custa 24 euros.

in http://bairradadigital.pt/blog/2010/...e-da-mo-abrem/
__________________
"... se não houvesse tristeza nem miséria, se em todo o lugar corressem águas sobre as pedras, se cantassem aves, a vida podia ser apenas estar sentado na erva, segurar um malmequer e não lhe arrancar as pétalas, por serem já sabidas as respostas, ou por serem estas de tão pouca importância, que descobri-las não valeria a vida duma flor." José Saramago in Memorial do Convento
Ana_Rita no está en línea   Reply With Quote
Sponsored Links
Advertisement
 


Reply

Tags
anadia, arcos, avelãs, bairrada, caminho, cima, mogofores, moita, monsarros, sangalhos, vale da mó

Thread Tools

Posting Rules
You may not post new threads
You may not post replies
You may not post attachments
You may not edit your posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off



All times are GMT +2. The time now is 11:09 PM.


Powered by vBulletin® Version 3.8.11 Beta 4
Copyright ©2000 - 2020, vBulletin Solutions Inc.
vBulletin Security provided by vBSecurity v2.2.2 (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2020 DragonByte Technologies Ltd.
Feedback Buttons provided by Advanced Post Thanks / Like (Pro) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2020 DragonByte Technologies Ltd.

SkyscraperCity ☆ In Urbanity We trust ☆ about us