Skyscraper City Forum banner
1 - 1 of 1 Posts

·
Moderator
Joined
·
38,511 Posts
Discussion Starter · #1 ·
ALL quer quadruplicar movimentação de cargas

23/06/2008 - Gazeta Mercantil

A América Latina Logística (ALL) tem a meta de chegar a 2020 com produção de 150 bilhões de TKU (tonelada por quilômetro útil), mantendo o investimento atual de R$ 700 milhões por ano, um montante, em 12 anos, de R$ 8,4 bilhões. A capacidade seria mais que quadruplicada, já que a operadora logística encerrou o ano passado com 35 bilhões de TKU. A estimativa para este ano, segundo Bernardo Hees, presidente da operadora de logística, é atingir um consolidado de 40 bilhões de TKU.

Trecho em negociação

"Ainda estamos sofrendo com o ‘paro’ agrícola na Argentina, com a rodovia sem operação, mas a previsão é voltar à normalidade esta semana", conta Hees. Ele acredita que não haverá impacto no resultado do ano, já que a participação é pequena - 4% do Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) com 7 mil km de malha, do total de 20 mil km - e a companhia tem compensado o volume de negócios no Brasil. Este ano a operadora adicionou 50 locomotivas e 1,5 mil vagões à capacidade de distribuição.

Os planos de expansão da companhia, que tem 80% do capital pulverizado e mantém entre os principais acionistas GP Investments, Previ, Delara e BNDESPar, podem ganhar mais agilidade quando o Projeto Rondonópolis sair do papel. A ALL é apenas operadora e não constrói ferrovias, por isso busca parceiros que o façam. No caso da linha que vai do Alto Araguaia para Rondonópolis, dois grupos de investidores, cujos nomes são mantidos em sigilo, estão avaliando o projeto, que demandará entre R$ 700 milhões e R$ 800 milhões. A América Latina Logística fica como espécie de locatária, pagando por 25 anos sobre o número de toneladas transportadas.

"A ferrovia é para 2011 a princípio e deve atender especialmente demanda de carga de soja, cana, combustível e frigorificados", adianta Hees.

Em 2006, a companhia se fundiu com a Brasil Ferrovias, que tinha uma operação deficitária, mas agregou malha, tornando-se a maior operadora logística com base ferroviária da América Latina.

Fonte: Revista Ferroviária - Clipping
Link: http://www.revistaferroviaria.com/index.asp?InCdEditoria=2&InCdMateria=6242
 
1 - 1 of 1 Posts
Top