SkyscraperCity banner

821 - 825 of 825 Posts

·
Registered
Joined
·
798 Posts
Substituição e alargamento de passeios?
É aproveitar e passar toda a cablagem que está nas fachadas para o subsolo. É um principio de facelifts.

As zonas antigas da Amadora são exatamente iguais ás zonas antigas de todas as cidades da margem Sul e da margem Norte da AML, inclusive da própria cidade de Lisboa. São reveladoras do quão pobre e atrasado era Portugal nos anos 50/60/70/80. No concelho de Lisboa, que construções/bairros desses anos merecem ser destacadas como as referências de arquitectura e urbanisticas? Alvalade? Campo de Ourique? Benfica? Avenidas Novas? Belém? Eram os bairros onde viviam os mais previligiados da época, que eram muito poucos. Como toda a restante população também tinha que ter uma casa onde habitar, então começaram a ganhar forma os aglomerados populacionais da Amadora, Loures, da margem Sul, entre outros. Era para onde ia viver os operários,os menos previligaidos, os mais pobres.
 

·
Registered
Joined
·
230 Posts
Eu acho estes bairros operários do anos 60 e 70 da região de Lisboa bastante simpáticos, práticos e funcionais. Bem melhores a que aquelas torres sem sentido na Reboleira, Chelas, Cacém ou Rio de Mouro. Isso sim tem de ser evitado e demolido. A crise de Habitação que hoje vivemos é em parte porque deixámos de os construir. E o crescimento demográfico praticamente estagnou desde os anos 90.
 

·
Registered
Joined
·
198 Posts
Daqui a uns anos vais dizer o mesmo da Avenida 5 de Outubro e Avenida Defensores de Chave, em Lisboa. De avenidas, reduzidas a ruas de bairro com apenas 2 vias. Mas o nome fica. Nascem avenidas, mas com a falta de estacionamento ou a necessidade de ciclo vias perdem o seu perfil e tornam-se meras ruas de bairro.
Podiam não ter sequer uma única via para automóveis que não era por isso que deixavam de ser avenidas e de ter perfil de avenidas.
 

·
Moderator
Joined
·
161,585 Posts
Substituição e alargamento de passeios?
É aproveitar e passar toda a cablagem que está nas fachadas para o subsolo. É um principio de facelifts.

As zonas antigas da Amadora são exatamente iguais ás zonas antigas de todas as cidades da margem Sul e da margem Norte da AML, inclusive da própria cidade de Lisboa. São reveladoras do quão pobre e atrasado era Portugal nos anos 50/60/70/80. No concelho de Lisboa, que construções/bairros desses anos merecem ser destacadas como as referências de arquitectura e urbanisticas? Alvalade? Campo de Ourique? Benfica? Avenidas Novas? Belém? Eram os bairros onde viviam os mais previligiados da época, que eram muito poucos. Como toda a restante população também tinha que ter uma casa onde habitar, então começaram a ganhar forma os aglomerados populacionais da Amadora, Loures, da margem Sul, entre outros. Era para onde ia viver os operários,os menos previligaidos, os mais pobres.
Estes planeados nestas cidades suburbanas de Lisboa são de facto para os operários. Há no Barreiro (todo), Amadora (venteira, mina, damaia, buraca), Almada (centro), Odivelas (centro), etc. Em Lisboa só me recordo talvez de Campolide, Benfica, São Domingos de Benfica.
 

·
Registered
Joined
·
230 Posts
Estes planeados nestas cidades suburbanas de Lisboa são de facto para os operários. Há no Barreiro (todo), Amadora (venteira, mina, damaia, buraca), Almada (centro), Odivelas (centro), etc. Em Lisboa só me recordo talvez de Campolide, Benfica, São Domingos de Benfica.
Literalmente toda a freguesia dos Olivais em Lisboa é um grande bairro operário. Quase maior que a Amadora e Odivelas, é um município só por si. E na Ajuda, o que não faltam são estes bairros.
 
821 - 825 of 825 Posts
Top