SkyscraperCity banner

121 - 129 of 129 Posts

·
Registered
Joined
·
6,567 Posts
Essa proposta americana durante o governo FHC era uma piada. :bash:

Sinceramente? Acho que o governo brasileiro nem deveria falar com os americanos sobre isso agora, façam primeiro propostas para os chineses, russos, indianos e japoneses. Os EUA deveria ser o último país a ser contactado.

Fico imaginando esses "políticos" jumentos nos anos 40, eles iriam direto para a barra da saia dos americanos/aliados sem nenhuma negociação $$$.
O Brasil quer money. Botar russo e chinês aqui não vai adiantar de nada. Porque quase todos os satélites comerciais possuem peças controladas pelo governo americano por meio do ITAR. Se eles verem que os chineses estão competindo com eles a partir de Alcântara, eles vetam os lançamentos a partir daqui.
 

·
Registered
Joined
·
7,372 Posts
Acordo Brasil-EUA nos anos FHC
Em 2000, o governo Fernando Henrique Cardoso negociou uma parceria sobre Alcântara com os EUA, mas o pacto foi rejeitado por parlamentares brasileiros. Na época, políticos contrários à parceria argumentaram que o documento feria a soberania nacional.

Em 2004, após a rejeição do acordo fechado por FHC, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva negociou uma parceria com a Ucrânia para explorar o centro. O país da Europa Oriental herdou tecnologias espaciais dos tempos em que integrava a União Soviética. A parceria foi anulada em 2015 em meio a críticas aos altos custos e poucos resultados da iniciativa.

Em 2017, o Brasil enviou uma sugestão de texto para os EUA, que responderam em 2018.

https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2019/03/polemicas-sobre-o-acordo-entre-brasil-e-eua-para-uso-do-centro-espacial-de-alcantara.html

---

Brasil tenta há 2 anos encerrar parceria com Ucrânia que custou R$ 483 mi e não lançou foguete - 15/02/2018

A empresa binacional ACS (Alcântara Cyclone Space) foi criada em 2003 e custou R$ 483 milhões aos cofres públicos brasileiros sem nunca ter lançado um foguete ao espaço... ... O governo brasileiro tenta sem sucesso, desde 2016, o encerramento de uma empresa binacional entre Brasil e Ucrânia criada para lançar foguetes produzidos no país do Leste Europeu a partir do CLA (Centro de Lançamento de Alcântara), no Maranhão. Os ucranianos não concordam com o fim das atividades da binacional e prometem cobrar uma multa que pode chegar a R$ 2 bilhões se o Brasil seguir em frente com o rompimento do acordo de forma unilateral....

https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/02/15/tcu-critica-projeto-brasileiro-que-custou-r-483-mi-e-nao-lancou-foguete-fragil-e-otimista.htm

---

Entregar pra Ucrania com os desvios de sempre, ok para os esquerdistas. Pros Eua, aí não... interessante.

abc
 

·
Registered
Joined
·
20,598 Posts
Alcântara. Turismo, limitações de infra e abertura de mercado.


Isso da base de Alcântara pode gerar muito turismo, né?
Com certeza, se os lançamentos de grandes foguetes se tornarem comuns vai atrair muita gente pra vê-los.

Quero só ver o povo pegando as barcaças e encarando a travessia da Baia de São Marcos, é pra quem tem estomago! Eu já fiz umas 2 vezes de boas,mas tem gente que bota os bofes pra fora..... Ah de carro é muito mais longe tem que dar um volta de um dia inteiro saindo de São Luiz, tbm já fiz esse caminho.
Muito não, mas um volume considerável. Alcantrará já tem um turismo porque é historica e as prais de SLZ não são tão boas. Mas tem que encarar uma balsa xexelenta. A Base de brasileira não é lá grandes coisas. As bases da Guiana e Russia não atraem muita gente. Não se compara as bases no Texas e Florida da Nasa, mas lá além do tamanho você o Saturno V para ver.


Não existe este investimento que você inventou no Texto. Lá fala em 15 bilhões desde os anos 90 em valor pago por lançamento. O governo brasileiro não via gastar isso e muito menos o americano. Eles estão planejando uma viagem tripulada para Marte, não vão gastar com uma base brasileira. A Nasa e o Pentágono pagam para a space X usar seus foguetes que não são aptos a voar do Brasil.

Uma coisa que não deve entrar na cabeça sua e de outros. O mais importante do acordo é que libera o uso de tecnologia americana pelo Brasil, ou seja uma empresa do Chile pode agora pagar para usar a base e usar componente americanos que são cerca de 70% da industria aeroespacial. O acordo de 1 bilhão com a Ucrânia fracassou e um dos motivos é que os ucranianos que devido a falta do acordo de salvaguarda com os EUA não podiam usar peças aqui.

O segredo são os veículos lançadores. O sem o acordo com os EUA fica difícil entrar no mercado.
Não só turismo, terá de ser construído porto, estradas e sem falar nos técnicos que virão para cá com suas famílias, o padrão de consumo do americano é bem alto, isto pode revolucionar aquele local.

Comprar terreno em Alcântara é um excelente negócio.
Para o pessoal de Alcântrara porque acreditar que os americanos iram investir pesado em uma base que eles não precisam mais, ainda mais porque privatizaram o setor e estão lucrando com os voos no centro Espacial Kennedy que não precisa de obras bilionárias para funcionar.

Tem que ser muito inocente para isso. Ou terraplanista e ignorar o mercado aeroespacial.
Alcântara é importante porque fica na linha do Equador, diminuindo custos com o combustível por exemplo. É uma base bastante estratégica.
Não compensa o custo de das obras e de transportar dos EUA os foguetes. A legislação não permite a SPACE X construir no Brasil. Sem contar que os custos de Construção e lançamento caíram desde os anos 90 o que faz com que os custos de transporte e da infra-estrutura não pague o ganho da posição.

A capacidade da base Brasileira não é capaz de suprir nem um foguete auxiliar dos Falcons da SPACE X. O tempo passou e janela também.

O acordo de salvaguarda permitirá que o Brasil firme contrato com outros países que não tem bases. Mas para os americanos fica difícil.

Mas é uma opção repetir o discurso dos anos 90 sem levar em conta a evolução de mercado e o fato que os EUA hoje pagam para empresas americanas que atuam em solo americano para lançar.

Sobre Alcântara,

Com uma base desse porte ativa é preciso Porto, aeroporto e rodovias é fundamental, o que vai determinar o tamanho da infra é o tipo de foguetes que serão lançados lá.

A Space X não vem para o Brasil,ela já confirmou oficialmente , os Falcon Heavy são imensos, algo descomunal e pra quem já tem base de lançamento não compensa investir em outra.

Porém há o mercado de foguetes menores, e este mercado é atrativo e tem previsão de crescer nos próximos anos, provavelmente este será o foco da base de Alcântara e nesse cenário é o governo que vai bancar parte da estrutura do local, que nada mais é do que um porto, rodovias, e a base propriamente dita, o resto segue o curso natural, a vantagem deste acordo é que com ele há possibilidade de haver demanda para justificar o investimento.


 
121 - 129 of 129 Posts
Top