Skyscraper City Forum banner
1 - 2 of 2 Posts

·
Registered
Joined
·
154 Posts
Discussion Starter · #1 ·
CPTM dobra número de usuários em 15 anos:cheers: :cheers:


Investimentos da ordem de R$ 6,4 bilhões, nos próximos quatro anos, deverão resultar na repetição deste feito em 2010. (28/05/07)



A CPTM completa 15 anos no próximo dia 28 de maio (segunda-feira). Apesar de herdar uma ferrovia carente de recursos até meados dos anos 1990 e transformá-la na mais moderna do Brasil, a empresa reconhece a urgência de modernizar seus serviços rapidamente. O sistema operado pela CPTM, servindo 22 municípios, se apresenta como a melhor alternativa para atenuar o problema da mobilidade na Região Metropolitana de São Paulo.



De olho no futuro, a companhia prevê investimentos da ordem de R$ 6,4 bilhões, nos próximos quatro anos, destinados à extensão de linhas, construção e reforma de estações, dinamização de infra-estrutura, bem como no aumento e recuperação da frota. Neste ano, uma parte desse montante será destinada às obras de modernização da Linha F (Brás - Calmon Viana), à extensão da Linha C (Osasco - Jurubatuba), aquisição de novos trens e modernização das unidades em operação.



Prioridade do Governo do Estado de São Paulo, a CPTM visa dobrar o número de 1,6 milhão de passageiros transportados diariamente, mas com significativa melhoria da qualidade dos serviços. Também estão inclusos nesses investimentos outros projetos de destaque, a exemplo da revitalização das Linhas A (Luz-Francisco Morato) e B (Júlio Prestes-Itapevi), o trem de Guarulhos/Expresso Aeroporto, Linha E/Extensão do Expresso Leste, Linha D (Luz-Rio Grande da Serra) / Expresso ABC e continuidade da Integração Centro.



2007 - Número de passageiros transportados alcança a marca de 1,6 milhão, o dobro da média de 1999. Intervalos dos trens nos horários de pico são de seis minutos no Expresso Leste e Linha C.



Extensão da Linha C - As obras promoverão melhorias na zona Sul de São Paulo. Além de três novas estações, os moradores locais terão o viário modernizado, a construção de novas pontes e recuperação das já existentes, muros, calçadas e manutenção de árvores em todo o entorno das vias da CPTM, até Grajaú.



Modernização da Linha F - estão previstas várias intervenções em quatro anos, com investimento de R$ 221 milhões, em 2007 e R$ 1,2 bilhão até 2010. Além de melhorar os padrões de confiabilidade do sistema, as condições de acessibilidade, o conforto e segurança, o projeto possibilitará a redução dos intervalos entre os trens de 10 para 6 minutos nos horários de pico.



Trem de Guarulhos / Expresso Aeroporto - Em 27 de abril de 2007, a STM (Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos) abre, em sessão pública, as propostas contendo os Estudos Técnicos, Econômicos e Financeiros do projeto, visando a elaboração de uma Parceria Público-Privada (PPP).



Trens revitalizados - O programa Boa Viagem, que envolve a reforma de 45 trens, até 2010, já devolveu quatro composições totalmente modernizadas para os usuários da zona leste (Linhas E e F). O último, de seis carros, foi entregue em maio e temos outro em teste.



Novos trens: Também estão em fabricação na Alstom (Lapa) 12 novos trens para a Linha C.



FIDC - CPTM: em operação inédita, companhia captou R$ 200 milhões no mercado financeiro para aplicar na execução das obras da Linha C e F.



Lançamento do projeto Ciclista Cidadão, que permite o acesso de bicicletas nos trens aos sábados, domingos e feriados; Implantação do Bilhete Fidelidade, que oferece desconto de R$ 4,00 na compra do lote de 20 passagens;



Operação "Portas Fechadas" acaba com a circulação de trens com portas abertas na Linha F, a única do sistema que ainda persistia com o problema;



Trajetória


Quem utiliza o sistema desde 1992 lembra da situação caótica herdada pela CPTM à época de sua fundação. Pingentes, surfistas, arrastões, longos intervalos, condições precárias das estações, trens e manutenção dos sistemas, além de ineficiência faziam parte do cotidiano dos usuários, mas o cenário mudou radicalmente com os investimentos de mais de 1,6 bilhão de dólares na modernização da companhia.



Nesse período, a companhia ganhou 11 novas estações, modernizou outras cinco, adquiriu 88 trens de última geração. Os intervalos entre as composições nos horários de pico passaram de 20 minutos em algumas linhas, no início dos anos 1990, para seis na Linha C e Expresso Leste. As ocorrências policiais caíram drasticamente graças à atuação firme das equipes de Segurança. Essas e outras iniciativas conquistaram a confiança da população, que adotou os trens metropolitanos como uma das melhores opções de transporte.



1992 - A CPTM teve sua criação autorizada pela Lei nº 7.861, segundo a qual a nova companhia deveria assumir os sistemas de trens da Região Metropolitana de São Paulo, operados pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos - CBTU (Superintendência de Trens Urbanos de São Paulo - STU/SP) e pela Ferrovia Paulista S/A - Fepasa, de forma a assegurar a continuidade e a melhoria dos serviços. Cenas de centenas de usuários pulando nas vias para passar de uma plataforma e outra, trens viajando de portas abertas e composições completamente depredadas eram bastante comuns. Neste ano, eram transportados diariamente 894 mil usuários.



1994 - A CPTM assumiu a CBTU - STU/SP (atuais Linhas A/D e E/F) e começou a operar, efetivamente, em abril desse ano. Intervalos nos horários de pico, em algumas linhas, são de 20 minutos. A frota herdada pela companhia se encontrava bastante deteriorada, o que leva a implantação do primeiro programa de modernização das composições (PQMRII), envolvendo mais de 500 carros. O número de passageiros transportados por dia cai para 800 mil.



1996 - A empresa assumiu a operação dos sistemas da Fepasa (atuais Linhas B/C). Trens partem com pingentes e surfistas. Para se ter uma idéia, neste ano, foram mortas 29 pessoas nas ocorrências com pingentes, 351 ficaram feridos e 3.656 acabaram retirados das portas das composições. Já o número total de surfistas foi de 459, com 9 pessoas mortas. Total de usuários diários volta a subir: 835 mil.



1998 - Começaram as obras de dinamização na Linha C com o "Projeto Sul de Trens Metropolitanos". Passageiros transportados caem novamente para 800 mil / dia. No ano seguinte, CPTM registra pior média: 766 mil usuários diários.



Chegam da Espanha 48 trens (três carros) reformados. Começaram a operar, inicialmente na Linha E, mas foram removidos para as Linhas D e C devido a atos de vandalismo.



2000 - Início da operação Expresso Leste, com novos trens equipados com ar-condicionado, bancos anatômicos e música ambiente e quatro modernas estações: Corinthians-Itaquera, Dom Bosco, José Bonifácio e Guaianazes. Média de usuários transportados retoma crescimento: 869 mil.



2001 - Projeto Integração Centro - Desenvolvido pela STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos), por intermédio da CPTM, abrange, num trecho de 7 km, três estações da empresa: Brás, Luz e Barra Funda, com o objetivo de facilitar o acesso da população ao eixo central da cidade. Companhia chega à marca de 1 milhão de usuários transportados / dia.



Linha C (Projeto Sul 1ª fase - Dinamização) - Com 24 quilômetros de extensão, recebeu várias melhorias. Entraram em operação novas estações (Socorro, Granja Julieta, Morumbi, Berrini, Cidade Jardim, Hebraica-Rebouças e Vila Olímpia). Essas estações juntaram-se a outras oito já existentes.



Projetos Grafite - Importantes projetos vêm sendo criados pela CPTM ao longo dos últimos anos (como Projeto Grafite, Rock nos Trilhos, Fala aí Comunidade) a fim de aproximar os usuários e as comunidades que moram no entorno das suas linhas. O objetivo é ganhar a população como "parceira" da empresa e a colaboração para diminuir uma série de problemas, a exemplo do vandalismo. Casado às ações de segurança, o Projeto Grafite da CPTM virou referência no país.



2002 - A primeira etapa do Projeto Sul (1ª fase) - Dinamização da Linha C e Construção da Linha 5 - Lilás terminou com a entrada em operação da Linha 5 - Lilás do Metrô. Essa linha construída pela CPTM tem 9,4 quilômetros de extensão, dos quais 7 quilômetros de vias elevadas, 800 metros de subterrâneas e 1,6 quilômetro de vias de superfície.



2003 - trens do Expresso Leste começaram a chegar até a Estação da Luz; antes paravam na Estação Brás;



Adotada Gestão Corporativa para Prestação de Serviço, modelo focado na melhoria os indicadores de desempenho que interferem na qualidade do transporte oferecido aos usuários;



Implantado sistema de monitoramento por 802 câmeras de CFTV nas 83 estações comerciais, que auxiliou na redução das ocorrências e na solução de vários casos policiais.



2004 - início da integração gratuita no subsolo da Estação da Luz, beneficiando os usuários das linhas da CPTM e do Metrô.



Empresa deu início às obras de modernização das estações Osasco, Presidente Altino e Jurubatuba.



Inauguração da 1ª Estação Referência: projeto-modelo de estação, que prioriza a gestão para alcançar alto padrão na qualidade dos serviços. A primeira foi inaugurada em janeiro/04.



2005 - início da construção de três novas estações na Linha F: Jardim Helena, Jardim Romano e USP Leste. Além de outras três estações na Linha C: Autódromo, Interlagos e Grajaú.



Bilhete Único - Assinado convênio entre Estado e Município para viabilizar a implantação do Bilhete Único no sistema de transporte sobre trilhos, dentro da região metropolitana paulista. A parceria CPTM/Metrô/SPTrans foi iniciada com a implantação do Bilhete Único nas linhas C da CPTM e na 2-Verde do Metrô.



Início do Programa Boa Viagem: o programa prevê investimento de R$ 388 milhões para a recuperação, reforma e modernização de 45 trens, o equivalente a um terço da frota.



Começa processo de informatização das 83 estações em julho. Toneladas de papel impresso, formulários preenchidos à mão, lentidão na contabilização de passageiros, pedidos de bilhetes via malote, anotações em antiquados livros de registro passam a ser feitos eletronicamente.



2006 Foram entregues os primeiros trens do Programa Boa Viagem;



Inaugurado o Museu da Língua Portuguesa, na Estação da Luz - a CPTM cedeu o espaço para a instalação do museu, criado em sistema de parceria entre a Secretaria de Estado da Cultura e Fundação Roberto Marinho.



Aquisição do veículo de manutenção da rede aérea e socorro do material rodante, Geismar, um dos mais modernos das ferrovias brasileiras;



Inaugurado novo CCO (Centro de Controle Operacional) na Estação Brás, que unificará gradativamente o controle das seis linhas da CPTM.



Centro de Formação Profissional Eng° James C. Stewart recebe uma réplica do trem atualmente em fabricação pesando três toneladas e com 7,8 metros de comprimento e um Simulador de Controle de Tráfego, para reproduzir as atividades diárias do Centro de Controle Operacional
 

·
Crucismogiensis
Joined
·
8,409 Posts
Muito legal esta reportagem e parabéns à CPTM!

Só uma curiosidade: quando implantaram o Expresso Leste, em 2000, a operação dos trens espanhóis vinha até Mogi, operando no trecho que hoje é a extensão da Linha E (Guaianazes - Estudantes).
 
1 - 2 of 2 Posts
Top