SkyscraperCity banner
1 - 20 of 88 Posts

·
phverano
Joined
·
1,536 Posts
Discussion Starter · #1 · (Edited)
PETRÓPOLIS MAIS PERTO
Duplicação de pista e novo túnel reduzirão tempo de viagem do Rio a Petrópolis

Publicada em 08/11/2010 às 23h51m

RIO - Um projeto audacioso promete reduzir em 20 minutos o tempo de viagem e dar mais segurança aos cerca de dois milhões de motoristas que trafegam mensalmente no trecho Rio-Petrópolis da BR-040 (Rio-Juiz de Fora). A concessionária Concer duplicará 20km da pista de descida - a nova via será usada para a subida -, incluindo a abertura de um túnel de 5km, o maior do Brasil numa rodovia. A previsão é que obras comecem em março de 2011 e terminem até o fim de 2013, a um custo de R$ 670 milhões. A antiga subida será preservada e se transformará numa estrada parque, voltada para turismo ecológico, educação ambiental e o lazer.

Veja o infográfico sobre a obra
http://oglobo.globo.com/fotos/2010/11/08/09_RIO_info_obra_petropolis.jpg

Computação gráfica mostra como será a duplicação. Assista
http://oglobo.globo.com/rio/video/2010/20935/-

O projeto vem ao encontro das necessidades do Rio para a Copa de 2014 e as Olimpíadas. Uma solução que vai beneficiar muita gente, com segurança e rapidez - diz o presidente da Concer, Pedro Jonsson.

A duplicação já estava prevista no contrato de concessão firmado em março de 1996. Os R$ 670 milhões poderão ser parcialmente financiados com recursos do BNDES. De acordo com o presidente da Concer, já existia verba destinada para fazer a nova subida da serra:

- Não vamos aumentar a tarifa. Caso haja necessidade de ajustes, será no tempo de concessão - garantiu, acrescentando que o contrato da Concer expira em fevereiro de 2021.

Em fase de elaboração do projeto executivo, a obra só depende da licença ambiental. A duplicação começará no Km 102, em Xerém, e terminará próximo à Rodoviária de Petrópolis. As duas faixas de descida, sentido Rio, ganharão vias laterais e novas alças de acesso. De Xerém até o Belvedere, o traçado da duplicação acompanhará a atual estrada de descida, aproveitando áreas degradadas. A partir do Belvedere, só na subida, será aberto o túnel, cujo projeto original sofreu modificações por exigência do Ibama.

- Ele estava desembocando dentro da área de proteção do Tinguá - explicou o presidente da Concer.

Novo trajeto será 5 km mais curto

O túnel e as curvas menos sinuosas da nova estrada encurtarão em 5km a viagem de 55km entre o Rio e Petrópolis. A uma velocidade média de 80km/h, o trajeto que antes era feito em cerca de uma hora poderá ser concluído em 40 minutos.

Ao longo dos 5km do túnel haverá ventilação mecânica, acostamentos e galeria de interligação com a pista de descida. O túnel se estenderá por quase o dobro do Rebouças (2,8km em duas galerias) e mais que o dobro do Covanca da Linha Amarela (2.187 metros). Segundo Jonsson, o túnel foi a solução de menor impacto ambiental.

- E, apesar da extensão, será menos claustrofóbico do que o Rebouças, por exemplo, onde o tráfego é mais pesado - afirma.

Na saída do túnel, haverá um novo acesso para Petrópolis, e a estrada ganhará um marco arquitetônico: um viaduto estaiado (sustentado por cabos de aço) no trecho final da nova subida da serra. Outra novidade é que o atual pedágio, hoje no Km 104, será transferido para o Km 102.

- A mudança resolve a situação dos moradores de Xerém, que não precisarão mais passar pelo pedágio para para ir até o centro de Caxias. Eles já não pagavam porque tinham passe livre - disse Jonsson.

Para garantir o bom fluxo de veículos, a estrada e o túnel terão câmeras, como já há no trecho ao longo da Baixada Fluminense. A Concer estuda um acordo com a Polícia Rodoviária Federal para ceder as imagens, reforçando a segurança. Além disso, a duplicação prevê melhorias no entorno da estrada, como a ligação entre os bairros Bingen e Quitandinha, diminuindo o tráfego no centro de Petrópolis. Estão previstas, ainda, alterações viárias no entorno do Belvedere e a reforma do monumento, hoje desativado.

A antiga Rio-Petrópolis, aberta em 1928 pelo então presidente Washington Luís, foi considerada por muitos anos como uma das melhores estradas da América do Sul. Com o tempo, no entanto, suas condições foram piorando. Jonsson ressalta que, nos últimos anos, houve crescimento significativo do número de veículos pesados, que dividem a estrada, quase em igual proporção, com carros leves. Mensalmente, dos cerca de 2,13 milhões de veículos que passam pela rodovia, 1,1 milhão são pesados.

Segundo a Concer, o cronograma inicial da obra previa sua realização entre 2001 e 2006. O projeto sofreu revisões em 2000 e o cronograma de execução da nova subida da serra foi transferido para o período de 2017 a 2020. Numa segunda revisão, ainda de acordo com a concessionária, a obra passou para o período de 2012 a 2015. Uma terceira mudança fixou o atual período, entre 2011 e 2013, com redução de um ano para a execução de toda a obra, levando-se em conta o aumento do fluxo de tráfego no trecho e a proximidade da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016.

Para Peter Wanke, coordenador do Centro de Estudos de Logística do Coppead - instituto de pós-graduação e pesquisa em Administração da UFRJ -, o maior tráfego de caminhões está relacionado ao crescimento econômico, em especial do comércio exterior. O intenso fluxo de veículos pesados nessa rodovia se deve, em grande parte, ao Porto do Rio. Esse seria um corredor natural para as exportações de empresas de Minas Gerais e de outras regiões do país.

- Gargalos na infraestrutura do Porto de Santos, como filas no embarque e desembarque de contêineres e engarrafamentos na Dutra, reforçam a área de influência do Porto do Rio - explicou Wanke.

Arquiteto e urbanista, Andrés Cebrian é um dos moradores de Petrópolis que aprovam o novo trajeto para se chegar à Cidade Imperial. Ele apontou a pista de subida como a mais problemática, onde caminhões e carretas trafegam muito lentamente e têm dificuldade de se manter na pista da direita nas curvas fechadas.

- Já peguei engarrafamentos de três horas por causa de um caminhão tombado na estrada. Essa é uma solução paliativa, mas não definitiva. A única forma de resolver esse problema é investir em transportes de massa, como trens - avaliou o urbanista.

Túnel longo divide os moradores

Para José Afonso Vaz, sócio-administrador da Casa do Alemão, também seria importante limitar o tráfego de veículos pesados para determinadas horas do dia. Ele disse que nunca ocorreram acidentes com caminhões da empresa, mas afirma que tombamentos são comuns, principalmente em dias chuvosos. Assim como outros moradores da região, Vaz não gostou da ideia de percorrer um túnel de 5km.

- É mesmo um arrojo da engenharia rodoviária. Certamente existem pessoas que se sentirão mal de passar por um túnel dessa extensão. Eu mesmo não gosto nem de atravessar o Rebouças - comentou.

Para Flavia Braga, que mora em Juiz de Fora, mas passa os fins de semana no Rio, a possibilidade de encurtar o caminho e reduzir a sinuosidade da pista justifica a construção do túnel. Com dois filhos pequenos dentro do carro, as viagens são sempre acompanhadas do medo de acidentes.

- Há oito anos faço esse trajeto praticamente toda semana. No início, a estrada era vazia, mas, com o tempo, o número de caminhões e o tamanho deles aumentaram muito - disse Flavia.

fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/...is-promete-reduzir-trajeto-em-20-minutos.html
 

·
Banned
Joined
·
9,270 Posts
nossa adorei o video...já fui pra Petrópolis...mto legal, a estrada era meio decepcionante...estou muito feliz que isso vai mudar!!! Muito bom
 

·
Registered
Joined
·
3 Posts
Enquanto isso, a linha ferroviária que só precisa de mais 6 km (!) para chegar a Petrópolis nem sequer é levada em consideração...

Sinceramente? Uma bela babaquice esse projeto. Muito dinheiro gasto pra pouco benefício. Isso sem contar que a parte mais bonita do trajeto será substituída por um claustrofóbico túnel, impactando o meio ambiente e trazendo míseros 5km a menos de estrada.
 

·
phverano
Joined
·
1,536 Posts
Discussion Starter · #4 ·
^^

uma coisa não exclui a outra. eu tenho casa em Petropolis e sempre achei o caminho de subida muito sinuoso e antiquado. Os investimentos serão todos bancados pela concessionaria, que tem todo o interesse em tornar sua rota atrativa e competitiva para o transporte de cargas.

Atualmente, muitas pessoas e transportadoras optam por ai para o Centro-Oeste por São Paulo, devido às melhores condições das estradas, que trazem maior segurança e conforto.

A questão da estrada de ferro, ela ainda necessita de estudos mais detalhados sobre investimentos, demanda e impacto ambiental (fora as desapropriações). Mas eu creio que com o TAV na Leopoldina, ha a chance dela e outras linhas serem reativadas (não necessariamente pelo mesmo percurso que ja existe).... e também pode ser feita essa reativação pro meio de uma concessão, com a Supervia, ALL, MRS, ou outro interessado...
 

·
on the road
Joined
·
34,555 Posts
Enquanto isso, a linha ferroviária que só precisa de mais 6 km (!) para chegar a Petrópolis nem sequer é levada em consideração...

Sinceramente? Uma bela babaquice esse projeto. Muito dinheiro gasto pra pouco benefício. Isso sem contar que a parte mais bonita do trajeto será substituída por um claustrofóbico túnel, impactando o meio ambiente e trazendo míseros 5km a menos de estrada.
Post desinformado. A Europa tem vários e vários túneis rodoviários não apenas com 5, mas 10km de extensão, até 16km de extensão. "No big deal". Túnel moderno nào é claustrofóbico. Basta observar os T1, e T3 da "Nova Imigrantes" - bem ilimunados, pé-direito alto e paredades semi-cicrulares (e não ovaladas como no Rebouças).

A parte "mais bonita" do trajeto" continuará lá, provavelmente como uma terceira via reversível ou via de mão dupla vetada para caminhões. Quem não quiser o túnel, provavelmente poderá utilizar a via local de mão dupla.

O túnel não está sendo projeto só para o tráfego em Petrópolis! Boa parte do movimento da BR-040 segue para Minas Gerais ou para a BR-393.

Os 6km de ferrovia que faltam, de qualquer forma, custam muito mais do que qualquer túnel rodoviário, já que o gradiante aceitável em ferrovias MODERNAS (não nos padrões dos tempos do Barão de Mauá) é muito menor do que em rodovias, e os raios de curva muito maiores, exigindo soluções como túneis helicoidais ascendentes ou extensíssimos cortes e aterros e viadutos.

O dinheiro é privado, de concessionário de pedágio. Resolve um gargalo específico. A via é uma artéria de importância nacional. O projeto não tem nada de "babaca", a não ser para quem acha que Ministério dos Transportes deve se comportar como reunião da federação de ferromodelismo.
 

·
Registered
Joined
·
6,706 Posts
Vídeo Concer

Esse vídeo é melhor!!


Sem dúvida essa importante ligação entre Rio-MG tava precisando de uma nova subida. A atual é perigosa e horrível. No alto da Serra se tem uma das estradas mais bonitas do Brasil e moderna também, vai ficar ainda melhor.

Precisa a BR-040 ser totalmente duplicada até Brasília.

Vale ainda lembra da construção da 3° faixa (para subida) na Rio-Teresópolis.
http://www.crt.com.br/
 

·
Registered
Joined
·
913 Posts
Melhor você se informar direito. O túnel está sendo construído exatamente para não impactar o meio ambiente e preservar a mata acima.

Os Europeus constroem tanto túneis ferroviários e rodoviários e torto e direito...


Enquanto isso, a linha ferroviária que só precisa de mais 6 km (!) para chegar a Petrópolis nem sequer é levada em consideração...

Sinceramente? Uma bela babaquice esse projeto. Muito dinheiro gasto pra pouco benefício. Isso sem contar que a parte mais bonita do trajeto será substituída por um claustrofóbico túnel, impactando o meio ambiente e trazendo míseros 5km a menos de estrada.
 

·
Registered
Joined
·
524 Posts
Este projeto deveria servir de inspiracao para a descida da serra das araras na Dutra, ela a muito pior que a subida da serra de Petropolis.
A Dutra toda em si e muito congestionada, deveriam era levar a Carvallho Pinto ate o Rio, restringindo o fluxo de caminhoes (que usariam somente a Dutra),isso sim seria perfeito!!!
 

·
Reset
Joined
·
7,774 Posts
Enquanto isso, a linha ferroviária que só precisa de mais 6 km (!) para chegar a Petrópolis nem sequer é levada em consideração...

Sinceramente? Uma bela babaquice esse projeto. Muito dinheiro gasto pra pouco benefício. Isso sem contar que a parte mais bonita do trajeto será substituída por um claustrofóbico túnel, impactando o meio ambiente e trazendo míseros 5km a menos de estrada.
1) Um túnel afeta menos a mata do que uma estrada em nível, por motivos óbvios.

2) O dinheiro é da concessionária, não é público, e sem contrapartida de aumento de pedágio? Por mim se quisessem fazer da estrada um único e imenso viaduto-túnel sem curvas, do Rio a Petrópolis, tava ótimo. Ladrilhado de pedrinhas de brilhantes.
 

·
Reset
Joined
·
7,774 Posts
Este projeto deveria servir de inspiracao para a descida da serra das araras na Dutra, ela a muito pior que a subida da serra de Petropolis.
A Dutra toda em si e muito congestionada, deveriam era levar a Carvallho Pinto ate o Rio, restringindo o fluxo de caminhoes (que usariam somente a Dutra),isso sim seria perfeito!!!
A Dutra congestiona nas RMs e na descida das Araras. Não faz sentido gastar dinheiro e pôr abaixo árvores e propriedades privadas no resto do trajeto, duplicando a Ayrton Senna, basta fazer uma nova descida da serra (a subida já é OK) e fazer com que haja alternativas a ela (ou, quando for o caso, duplicá-la) nas RMs. Ia ser interessante uma nova descida da serra, em especial por conta dos acidentes, e porque não creio que houvesse obra que fizesse com que os engarrafamentos na saída de SP ou do Rio acabassem.

Com esse túnel da Washington Luís, mais os da Covanca e da Transolímpica, mais os do TAV, haja tatu comendo gneiss pelo Rio nos próximos anos.
 

·
In Obedientia Veritatis
Joined
·
1,929 Posts
Gente, me esclareçam uma dúvida pro favor.
Já andei pela br-040 entre o Rio e Juiz de Fora, e pelo que eu me lembre, todo esse trecho era duplicado, inclusive nos treços em que as pistas de sentido contrário passavam bem longe uma da outra, mas de acordo com essa reportagem, vão duplicar um segmento dessa rodovia.
A pista é realmente simples em algumas partes? Ou esse duplicar seria apenas juntar as pistas dos dois sentidos?
 

·
Reset
Joined
·
7,774 Posts
Ela é "duplicada" no sentido de ter pistas segregadas por canteiro, em toda sua extensão, que me lembre (mas não me cite, a última vez que passei por lá foi há séculos). Acho que duplicação aqui é no sentido literal mesmo, de dobrar o número de faixas por sentido de 2+a para 4+a. Mas o mais importante parece ser a retificação do traçado, que por enquanto é muito sinuoso mesmo; aliás acho que só não retificam mais para não ficar como a pista de descida da Imigrantes, com o gradiente muito alto para descida de caminhões. (Aliás, talvez também seja por isso que o túnel só servirá para a pista de subida.)
 

·
Registered
Joined
·
6,706 Posts
^^^^

Sim ela já é toda duplicada nos dois sentidos até juiz de fora. Duas faixas de rolamento por sentido. Só q as pistas seguiam caminhos bem distantes uma da outra até Petrópolis. Agora vão usar as margens da pista de descida, duplicando as faixas de rolamento do local, para serem usadas como pista subida! A pista de descida deve ser modificada parcialmente e certamente em alguns trechos serão distantes uma da outra até a entrada do novo túnel.
 

·
Registered
Joined
·
6,706 Posts
Nova Rio-Petrópolis levanta polêmica
Publicada em 09/11/2010 às 23h32m
Jaqueline Ribeiro e Carla Rocha

RIO - Com previsão de início em março, o projeto de duplicação da Rio-Petrópolis, a partir do alargamento da pista de descida da serra e da construção de um túnel de 5km, foi bem recebido por autoridades e entidades petropolitanas. Elas acham, contudo, que o assunto precisa ser mais debatido. O prefeito Paulo Mustrangi, por exemplo, se mostrou preocupado com o futuro da estrada parque em que será transformada a atual pista de subida:


- A estrada parque, por exemplo, precisará de invertimentos em infraestrutura, manutenção e fiscalização. Vamos exigir que a Concer assuma esta responsabilidade, pelo menos durante um certo período.

O presidente do Instituto Civis, Mauro Correa, teme o adensamento provocado pela redução da distância entre o Rio e a cidade serrana e a possível favelização da atual pista de subida:

- É preciso evitar que ela se transforme numa União e Indústria, que está abandonada, ou numa Serra Velha da Estrela, que foi totalmente invadida.

Presidente da comissão da Câmara que faz a revisão do Plano Diretor, o vereador Thiago Damasceno tem outra preocupação:

- Esse projeto traz benefícios com a ligação Bingen-Quitandinha, mas a entrada da cidade passa a ser por Duarte da Silveira, e isso muda o fluxo de viagens na cidade. O Bingen, onde está prevista a nova entrada, é um bairro residencial e, em termos de infraestrutura, não está adequado.

Para o representante do Sindicato do Comércio e Petrópolis (Sicomércio) e da Associação de Lojistas da Rua Teresa, Marcelo Fiorini, a obra é uma revolução. Ele sugere, no entanto, a restrição de horário para a circulação de carretas.

O projeto da Concer foi um dos assuntos mais lidos no site do GLOBO e o que mais gerou comentários. Os internautas se mostraram divididos. Um participante, que se identificou como Tony Tony, disse que o futuro acesso a Petrópolis, mais facilitado pela nova subida e o túnel, pode atrair bandidos para a região. Já Adilson Seiberth Neumann elogiou a iniciativa, mas, no fim de seu comentário, alfinetou a Concer: "Até que enfim a concessionária resolve se mexer, pois, ao longo de mais de dez anos não fez nadaaaaaa nesta rodovia, só mamou o dinheiro da população desta cidade".

- O projeto vem ao encontro das necessidades do Rio para a Copa de 2014 e as Olimpíadas. Uma solução que vai beneficiar muita gente, com segurança e rapidez - diz o presidente da Concer, Pedro Jonsson.

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/11/09/nova-rio-petropolis-levanta-polemica-922992085.asp
 

·
In Obedientia Veritatis
Joined
·
1,929 Posts
Valeu pela resposta galera, estava bem ''encucuado'' com isso.
Agora é torcer para a privatização do treço Juiz de Fora-Brasília sair, e que dupliquem todas as pontes entre BH E JF. É um perigo do jeito que está. A pista é duplicada, mas todas as pontes ainda não, e como são muitas, a chance de acontecer um acidente por encurtamento de pista é bem grande
 

·
Registered
Joined
·
913 Posts
A BR 040 está para ser concedida em sua totalidade há anos pela ANTT. Eles deram uma parada no processo por questão ideológica (véspera de eleição, não queriam dar mais munição para o PSDB). Já rolou inclusive fase de audiências públicas, tem projeto já das obras de arte necessárias em toda extensão da via, etc.

Agora é a vez da ANTT se mexer de uma vez...

Valeu pela resposta galera, estava bem ''encucuado'' com isso.
Agora é torcer para a privatização do treço Juiz de Fora-Brasília sair, e que dupliquem todas as pontes entre BH E JF. É um perigo do jeito que está. A pista é duplicada, mas todas as pontes ainda não, e como são muitas, a chance de acontecer um acidente por encurtamento de pista é bem grande
 

·
on the road
Joined
·
34,555 Posts
^^ Para esclarescer e resumir, a pista da BR-040 entre o final da baixada até próximo de Itapaiva hoje é assim:

Pista velha: 2 faixas, usada para subida, impossível dirigir com segurança em curvas a mais de 60 ou 70 km/h em várias delas. Há casas próximos da pista em alguns bairros, caminhões sofrem com as curvas e os assaltos. USada para o sentido Rio - Juiz de Fora.

Pista nova: construída na década de 60, corre separada, em alguns casos por até 4km, da pista de subida, e tem muito menos curvas, uma velocidade diretriz de 80km/h, acostamento dos dois lados etc. Usada para o sentido Juiz de Fora - Rio.

2 curiosidades:

- em um pequeno trecho de 4km, a pista ascendente (norte) "cruza" sobre a pista sul e a rodovia, se vista de uma foto aérea, dá a entender que estamos na Inglaterra porque à esquerda (mas em um grande desnível longitudinal e vertical) corre a pista norte, "invertendo" a ordem normal.

- o cenário é o oposto da Serra das Araras na BR-166/Dutra em Piraí, onde a pista mais antiga é usada para descida, e a mais nova para subida.

Com a duplicação da pista nova + túnel, a pista velha passará a ser uma via de mão dupla, uma estrada parque. Hoje, dependendo de onde vc vai, é preciso andar vários quilômetros até um ponto onde essas estradas se encontram/cruza para retornar. ISso vai acabar.
 

·
Mineiro da Mata
Joined
·
11,254 Posts
Notícia que saiu no Tribuna...

Obra na 040 reduzirá viagem entre Rio e JF

A implantação de uma nova pista de subida da BR-040 entre Xerém (distrito de Duque de Caxias) e Petrópolis deve reduzir o tempo de viagem do Rio de Janeiro a Juiz de Fora. Atualmente, o motorista que trafega em velocidade média de 80 km/h gasta em torno de duas horas e meia para cumprir o percurso de 180 quilômetros. Com a intervenção, esse tempo tende a ser reduzido em cerca de 20 a 30 minutos.

Parte do novo trajeto, que terá curvas menos sinuosas, será instalado ao lado da pista de descida da rodovia, de modo que a obra consistirá basicamente na duplicação de cerca de 20 quilômetros a partir do Km 102, em Xerém, com acostamentos em toda a sua extensão.

O projeto também prevê a instalação do maior túnel rodoviário do Brasil, entre Belvedere e a entrada de Petrópolis, com cerca de cinco quilômetros de extensão, com adaptações para redução de ruídos e do risco de deslizamentos.

As intervenções, que terão início em março do ano que vem, já estavam previstas no contrato de concessão firmado em 1996. No entanto, foram inicialmente programadas para o período de 2001 a 2006, sofrendo sucessivos adiamentos. O projeto original foi revisto e as obras devem, finalmente, sair do papel, com previsão de término em 2013, atendendo a demanda de infraestutrura da Copa 2014 e das Olimpíadas, dois anos depois.

Os trabalhos estão orçados em R$ 670 milhões. Conforme a assessoria da Concer, há expectativa de obter o restante dos recursos por meio de financiamento do BNDES.
Além da instalação da nova pista e do túnel, a Concer prevê a construção de um viaduto estaiado (sustentado por cabos de aço), no final da passagem subterrânea, para dar acesso a Petrópolis. A estrada e o túnel deverão ser monitorados por câmaras. Um acordo da concessionária com a Polícia Rodoviária Federal deve viabilizar a cessão das imagens para reforçar a segurança.

Mudança
Outra novidade anunciada é a transferência da praça de pedágio do Km 104 para o Km 102. A Concer informa que a nova localização visa oferecer à comunidade do distrito de Xerém uma ligação direta com o Centro de Duque de Caxias.

Atualmente, os moradores são obrigados a passar pelo pedágio, embora tenham direito à gratuidade. A empresa informa ainda que, logo que o novo traçado for aberto, a rodovia atual será desativada e passará a ser uma estrada parque, voltada para turismo ecológico, educação ambiental e lazer.

Aproximadamente 25,6 milhões de veículos leves e pesados trafegam anualmente pela rodovia. A Concer estima que com a redução na distância e, consequentemente, na queima de combustível, cerca de oito mil toneladas a menos de gás carbônico deixem de ser emitidos por ano.

 
1 - 20 of 88 Posts
Top