Skyscraper City Forum banner
Status
Not open for further replies.
1 - 12 of 12 Posts

·
PAPITO
Joined
·
9,851 Posts
Discussion Starter · #1 ·
O IBGE liberou recentemente, em seu site, dados sobre a criação e extinção de empresas no Brasil, a partir de dados do Cadastro Central de Empresas para os anos de 2007 e 2008, numa pesquisa denominada de “Demografia das Empresas 2008”.
Estas informações mostram a vitalidade das economias estaduais e de suas capitais.
A seguir, alguns dados do Nordeste:

1)Estados do Nordeste – Saldo líquido de criação de empresas –anos 2007 + 2008

UF – Saldo - % no NE

AL = 2.449 – 5,76%
BA = 13.789 – 32,42%
CE = 5.495 – 12,92%
MA = 4.212 - 9,90%
PB = 3.619 - 8,51%
PE = 5.684 - 13,37%
PI = 996 - 2,34%
RN = 4.010 - 9,34%
SE = 2.272 - 5,34%
NE = 42.526 – 14,57% (em relação ao Brasil)
BR = 291.806

Comentário:

O número elevado da criação de novas empresas em 2007/2008 refletia o aquecimento da economia da época.
Estes números devem ter caído muito em 2009 com a crise mundial.

2)Capitais do Nordeste - Saldo líquido de criação de empresas –anos de 2007 + 2008

Capital/UF = Saldo - % da Cidade no Estado

São Luís/MA = 940 – 22,32%
Teresina/PI = 559 – 56,12%
Fortaleza/CE = 2.698 – 49,10%
Natal/RN = 1.864 – 46,48%
J. Pessoa/PB = 1.153 – 31,86%
Recife/PE = 1.044 – 18,37%
Maceió/AL = 446 – 18,21%
Aracaju/SE = 982 – 43,22%
Salvador/BA = 1.801 – 13,06%
Soma das Capitais = 11.487 – 27,01% do Nordeste

Comentário:

Taxas menores de criação de empresas nas capitais significam desconcentração espacial do desenvolvimento. O interior do Estado estaria criando mais empresas e com isto, retendo as populações, o que é muito bom. Este fato estava ocorrendo em 2007/2008 com maior intensidade na Bahia, Alagoas, Pernambuco e no Maranhão.
No caso da Bahia, este fato é uma política de Estado desde o início dos anos de 1990 com ACM, e mantida nos governos seguintes, tendo sido intensificada pelo atual governo do Estado, ao atrair mais empresas para o interior em detrimento da RMS.
Os números mostram o êxito da política de Estado e contribuem para o baixo crescimento populacional da RMS.

3)Empresas ativas registradas nos Estados em 31/12/2008

UF – Qtde. - % no NE

AL = 30.414 - 4,61%
BA = 207.974 - 31,49%
CE = 121.148 - 18,34%
MA = 49.324 - 7,47%
PB = 44.859 - 6,79%
PE = 105.212 - 15,93%
PI = 33.060 - 5,01%
RN = 45.036 - 6,82%
SE = 23.389 - 3,54%
NE = 660.416 - 15,03% (no Brasil)
BR = 4.394.182

Comentário:

A quantidade de empresas registradas por Estado é aproximadamente proporcional ao PIB de cada um e ao do Brasil como um todo.

4)Empresas ativas registradas nas Capitais do NE em 31/12/2008

Capital - 2008 - % no Estado

São Luís = 15.863 – 32,16%
Teresina = 14.486 – 43,82%
Fortaleza = 55.854 – 46,10%
Natal = 19.942 – 44,28%
João Pessoa = 13.895 – 30,97%
Recife = 33.788 – 32,11%
Maceió = 14.017 – 46,09%
Aracajú = 11.667 – 49,88%
Salvador = 52.444 – 25,22%
Soma Capitais = 231.956 – 35,12% s/NE
Nordeste = 660.416

Comentário:

Quanto maior a taxa de empresas na capital do Estado, maior a concentração espacial da atividade econômica, resultando em menor dinamismo da economia interiorana, incentivando o êxodo das populações para as RMs.


5)Empresas de alto crescimento e pessoal ocupado assalariado (empregados) nos Estados do NE em 31/12/2008

UF – Empresas (A) – Empregados (B) – Média (B)/(A)

MA = 722 - 69.905 - 97 empregados
PI = 432 - 26.952 - 63 empregados
CE = 1.678 - 129.337 - 77 empregados
RN = 922 - 67.593 - 73 empregados
PB = 618 - 34.936 - 57 empregados
PE = 1.932 - 151.990 - 79 empregados
AL = 469 - 22.427 - 48 empregados
SE = 434 - 35.765 - 83 empregados
BA = 2.805 - 202.103 - 72 empregados
NE = 10.012 - 741.008 - 74 empregados
BR = 67.560 - 4.505.237 - 67 empregados


Empresas de alto crescimento (IBGE/OCDE) – são aquelas que apresentam crescimento médio do pessoal ocupado assalariado maior que 20% ao ano, por um período de três anos, e têm pelo menos 10 pessoas assalariadas no ano inicial de observação. Essas empresas foram analisadas para o período 2005-2008, pelo IBGE.

6)Empresas Gazelas e pessoal ocupado assalariado (empregados) nos Estados do NE em 31/12/2008

UF – Empresas (A) – Empregados (B) – Média (B)/(A)

MA = 254 - 18.874 - 75 empregados
PI = 159 - 6.667 - 42 empregados
CE = 667 - 40.204 - 61 empregados
RN = 277 - 14.900 - 54 empregados
PB = 230 - 11.002 - 48 empregados
PE = 702 - 37.978 - 54 empregados
AL = 173 - 8.407 - 49 empregados
SE = 154 - 10.977 - 72 empregados
BA = 1.011 - 64.676 - 64 empregados
NE = 3.627 - 213.685 - 59 empregados
BR = 20.979 -1.260.658 - 60 empregados


Empresa Gazela – segundo o IBGE, é uma empresa de alto crescimento, com até 8 anos de idade no ano de referência (2008). Sua presença numa economia é um indicativo de prosperidade continuada da mesma.

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/demografiaempresa/2008/default.shtm
 

·
.
Joined
·
177,610 Posts
@PAPITOBA e os dados da região! :)
Gostei de ver que a política de desconcentração economica promovida pela Bahai está gerando resultado. Como nosso território é muiot grande, nada mais saudável do que criar multiplos pólos de desenvolvimento.
 

·
PAPITO
Joined
·
9,851 Posts
Discussion Starter · #5 ·
Destaque para os empreendedores de Salvador, Fortaleza e Natal surpreendente!
Parabéns a esses cidadãos anônimos que não se acomodam, que geram riquezas e fazem acontecer!
 

·
Ilha do amor
Joined
·
8,998 Posts
Números interessantes.

Falta uma análise mais correlata do número de empresas com os números de empregos, pois conforme se infere, alguns estados e/ou cidades, mesmo com um menor número de empresas, acabam gerando mais empregos.

É até uma conclusão simplória, eis que não se pode comparar uma empresa que gera 100 empregos com uma que gera 1000.
 

·
PAPITO
Joined
·
9,851 Posts
Discussion Starter · #8 ·
A grande maioria são micro e pequenas empresas que empregam muito porém, oferecem salários menores que as grandes empresas.
O importante é que a criação das empresas denota efervescência na economia e espírito empreendedor no povo!
Lembrem-se também, que muitas das atuais grandes empresas começaram pequenas.
Por exemplo, a Refinaria de Mataripe (RLAM) começou refinando 2.500 barris/dia em 1950 (antes de existir a PETROBRÁS), o mesmo que a recém inaugurada Refinaria DAX em Camaçari.
Hoje a RLAM processa 327.000 barris/dia, sendo a 2ª maior unidade do Brasil e a mais complexa da PETROBRÁS vez que, produz uma grande gama de derivados de petróleo.
 

·
Alagoas Estrela Radiosa
Joined
·
483 Posts
Muito boa essa descentralização em AL.

Quanto ao tamanho das empresas, precisamos cada vez mais de micro e pequenas, pois são elas que absorvem a mão de obra menos qualificada, ainda predominante aqui.
 

·
Registered
Joined
·
6,925 Posts
^^
Bahia e Alagoas estão no caminho certo levando os investimentos para o interior, que é justamente onde as micro-empresas tem chances de crescerem e é aonde o povo mais necessita. Por outro lado os número de Piauí e Ceará se concentraram bastante na capital.
 

·
Registered User
Joined
·
5,193 Posts
Um sinal de que a Paraíba está bem distribuída, é a porcentagem de João Pessoa em relação ao estado no quesito quantidade de empresas abertas.
 

·
PAPITO
Joined
·
9,851 Posts
Discussion Starter · #12 ·
É preciso criar infraestrutura nas cidades médias (acima de 50.000 habitantes), principalmente saneamento, boas estradas, energia elétrica, gás natural, escolas técnicas, hospitais, etc. e oferecer incentivos para a instalação de novas empresas, ainda que sejam pequenas.
Isto ajudará a fixar as pessoas na sua terra e "desinchará" as regiões metropolitanas, já saturadas como já é o caso de Fortaleza, Recife e Salvador.
 
1 - 12 of 12 Posts
Status
Not open for further replies.
Top