Skyscraper City Forum banner
1 - 20 of 22 Posts

·
necropolitano
Joined
·
7,131 Posts
Discussion Starter · #1 · (Edited)
Fala, pessoal!

Então, eu e mais dois amigos desenvolvemos essa proposta para o projeto integrado do primeiro ano do curso.

Justamente por sermos novos na área e esse ser o nosso primeiro grande trabalho, gostaria de desculpar por supostos erros básicos.

Nesse trabalho, houve todo um regimento que infelizmente não poderei colocar aqui. Mas obrigava a construir, na Praça do Guabirotuba localizada em Curitiba, um espaço ecumênico de 200 m² + 1/3 do espaço em mezanino num plateau de 400 m² e 3 lavabos (masc., fem. e outro para deficiente). TUDO segundo as normas da ABNT.

Tivemos duas semanas para desenhar (à grafite) as plantas, cortes, elevações, perspectivas através pelo método dos arquitetos, implantação com as curvas retificadas, croquis (à mão e por sketch) e analise solar e dos ventos no quesito de conforto ambiental.

O resultado do nosso trabalho foi esse (desculpem pelo amadorismo dos renders):

Perspectiva artística:


Desafios

Integrar a construção sem interferir drasticamente na paisagem (busca pela harmonia arquitetônica);

Privilegiar o que há de melhor e mais interessante no terreno;

Neutralidade religiosa;

Função e intenção plástica em acordo.



Intenção Formal

Ambiente dinâmico, confortável, fortemente iluminado e flexível para todos os tipos de celebrações;

Espaços amplos e pessoais (escala humana);

Banheiros e sala de apoio separados da entrada e do salão;

Horizontalidade;

Mezanino integrado e de fácil acesso.



A forma foi baseada nos conceitos de duas escolas arquitetônicas: o desconstrutivismo (o beiral e arrimos desconstruídos) e o modernismo (com as empenas cegas perpendiculares a paredes de vidro com brises ritmizados).













Intenção Funcional:

Ambiente dinâmico, confortável, iluminado e flexível para todos os tipos de celebrações;

Espaços amplos e pessoais (escala humana);

Banheiros e sala de apoio separados da entrada e do salão;

Mezanino integrado e de fácil acesso.







Espero que tenham gostado! Dicas serão MUITO bem vindas! :cheers:

Mais tarde mostro as plantas.

Abraços.
 

·
necropolitano
Joined
·
7,131 Posts
Discussion Starter · #2 ·
Faltou mais perspectivas internas. Depois eu passo! :)
 

·
Registered
Joined
·
163 Posts
ficou bem legal...
mas essa cor em meio a todo esse verde ficou bem evidente. Mas, pelo fato de ser uma construção para fins religiosos, deve ficar estranho caso aja uma tonalidade diferente.
Parabens
 

·
necropolitano
Joined
·
7,131 Posts
Discussion Starter · #6 ·
ficou bem legal...
mas essa cor em meio a todo esse verde ficou bem evidente. Mas, pelo fato de ser uma construção para fins religiosos, deve ficar estranho caso aja uma tonalidade diferente.
Parabens
Ali era difícil ser algo diferente do branco/cinza. Uma das coisas mais difíceis nesse trabalho foi buscar a neutralidade religiosa, e colocar outra cor poderia interferir nisso. Obrigado!

bem moderno(más pra ser ecumenico não sei se seria apropriado
Era o mais apropriado. Aliás, qualquer coisa fora disso fugiria dos meus princípios e da proposta inicial (neutralidade religiosa).

Não há um caráter estético quando falamos de Espaço Ecumênico. Se falarmos capela, até vai, mas estamos lidando com um espaço disponível para qualquer religião.

Por exemplo, se posicionarmos os bancos linearmente, seria mais um resquício daquela ideia de igreja católica. Isso não pode existir. Para quebrar com isso, colocamos o mobiliário da Zaha Hadid onde você pode estar posicionado tanto para frente quanto para trás.

Achei bem inovador, eu só não gostei do desenho, mas a idéia não é dispensável:applause:
O desenho é, de fato, agressivo. Mas ele, por incrível que pareça, se adequou perfeitamente ao terreno. Daqui a pouco eu posto uma foto do terreno com a construção!

Não sei se isso foi exatamente um elogio, mas obrigado do mesmo jeito! :nuts:
 

·
Danielz - xdanielz
Joined
·
1,696 Posts
Para um trabalho de primeiro ano acho que o resultado foi bom. Tem coragem de arriscar-se tentando abordar algumas características de algumas correntes e também na forma dos espaços que propõe.
Acho que não deveria se preocupar com correntes arquitetonicas nesse momento, no momento certo voce vai entender essas manifestações, voce deveria se preocupar mais em desenvolver a sua capacidade de trabalhar com a tridimensionalidade, cheios e vazios, linhas e pontos, luz e sombra, implantação tudo isso através da exploração volumétrica seja por maquetes ou no desenho mesmo. No projeto por enquanto a crítica fica por conta das empenas cegas, acho que tem muita empena onde não deveria ter além de poder ter trabalhado mais o volume como um todo. Não vi as plantas ainda, não ficou claro como é o partido, como são os acessos, implantação e outras coisas. Há outras críticas mas não tem cabimento nem eu falar pois são coisas que você ainda não teve contato e não podem ser cobradas ainda. No mais, continue exercitando. :eek:kay:
 

·
Arquiteto e Urbanista
Joined
·
21,190 Posts
Estranho, pois adorei alguns ângulos, e odei outros (onde parece ser uma cabana, achei esteticamente ruins estas vistas). No geral, um projeto ousado, que aparenta ser fruto de investigações compositivas.

No geral, gostei, mas fiquei com um pé atrás e cheio de críticas. Acho que deves, neste momento do curso, treinar mais as questões de construção, deixando a desconstrução em si, e a inovação, para mais tarde. É um processo, primeiro se aprende a construir, para depois, com talento adquirido, descostruir.

Não digo que devas ser medíocre, no sentido projetual. Mas fazer coisas mais realistas, inovando na medida necessária. Não buscar que seus primeiros projetos sejam marcos, sejam icônicos.











Olha quem falando, eu mesmo que corro atrás da arquitetura do espetáculo. Esqueça tudo o que eu disse, sejas um louco, deboche da cara dos professores com projetos insanos, desenvolva, invente, pire. Se gostas da loucura desconstrutivista, assuma isso e não se deixe levar pelo pensamento neomodernista: sejas um louco, tarado, pirado, abrace a arquitetura, distorce tudo, chame a atenção. CHOQUE TODO MUNDO! Mas respeite o entorno, o sítio, o pré-existente. Pois sendo respeitoso, louco e revolucionário, serás ainda mais forte, e haverão menos argumentos que possam o derrubar.

Bem vindo à loucura! Faça como eu: ACABE COM O ÂNGULO DE 90 GRAUS, POIS ELE É A MAIOR REPRESENTAÇÃO DA MEDIOCRIDADE, DO VÍCIO, DA BANALIDADE. Arquitetura é para ser vivida, presenciada: crie perspectivas disformes, dinâmicas, faça com que as pessoas queiram percorrer o prédio para serem surpreendidas. Surpreenda elas. Choque elas. Ofenda elas. Cause emoção nelas. Acabe com o esperado. Acabe com a vulgaridade.
 

·
necropolitano
Joined
·
7,131 Posts
Discussion Starter · #12 ·
Para um trabalho do 1o ano eu achei excelente. Gostei bastante da forma, gosto de uma volumetria que te surpreende a cada ponto, fachadas diferentes.
Obrigado, Elisângela! Uma das intenções foi essa mesmo!

Para um trabalho de primeiro ano acho que o resultado foi bom. Tem coragem de arriscar-se tentando abordar algumas características de algumas correntes e também na forma dos espaços que propõe.
Acho que não deveria se preocupar com correntes arquitetonicas nesse momento, no momento certo voce vai entender essas manifestações, voce deveria se preocupar mais em desenvolver a sua capacidade de trabalhar com a tridimensionalidade, cheios e vazios, linhas e pontos, luz e sombra, implantação tudo isso através da exploração volumétrica seja por maquetes ou no desenho mesmo. No projeto por enquanto a crítica fica por conta das empenas cegas, acho que tem muita empena onde não deveria ter além de poder ter trabalhado mais o volume como um todo. Não vi as plantas ainda, não ficou claro como é o partido, como são os acessos, implantação e outras coisas. Há outras críticas mas não tem cabimento nem eu falar pois são coisas que você ainda não teve contato e não podem ser cobradas ainda. No mais, continue exercitando. :eek:kay:
Obrigadão, Danzin! Ainda estou devendo as outras perspectivas (estão com meu amigo), mas estou mandando a planta baixa (sem precisão):



Com relação as empenas cegas, nós tínhamos um sério problema com relação ao excesso de luminosidade. Tinha muito vidro nas laterais. Por isso, optamos a princípio a utilização de brises e as empenas cegas.

Depois eu mostro um render com as empenas vistas de frente. :)
 

·
necropolitano
Joined
·
7,131 Posts
Discussion Starter · #13 ·
Estranho, pois adorei alguns ângulos, e odei outros (onde parece ser uma cabana, achei esteticamente ruins estas vistas). No geral, um projeto ousado, que aparenta ser fruto de investigações compositivas.

No geral, gostei, mas fiquei com um pé atrás e cheio de críticas. Acho que deves, neste momento do curso, treinar mais as questões de construção, deixando a desconstrução em si, e a inovação, para mais tarde. É um processo, primeiro se aprende a construir, para depois, com talento adquirido, descostruir.

Não digo que devas ser medíocre, no sentido projetual. Mas fazer coisas mais realistas, inovando na medida necessária. Não buscar que seus primeiros projetos sejam marcos, sejam icônicos.


Olha quem falando, eu mesmo que corro atrás da arquitetura do espetáculo. Esqueça tudo o que eu disse, sejas um louco, deboche da cara dos professores com projetos insanos, desenvolva, invente, pire. Se gostas da loucura desconstrutivista, assuma isso e não se deixe levar pelo pensamento neomodernista: sejas um louco, tarado, pirado, abrace a arquitetura, distorce tudo, chame a atenção. CHOQUE TODO MUNDO! Mas respeite o entorno, o sítio, o pré-existente. Pois sendo respeitoso, louco e revolucionário, serás ainda mais forte, e haverão menos argumentos que possam o derrubar.

Bem vindo à loucura! Faça como eu: ACABE COM O ÂNGULO DE 90 GRAUS, POIS ELE É A MAIOR REPRESENTAÇÃO DA MEDIOCRIDADE, DO VÍCIO, DA BANALIDADE. Arquitetura é para ser vivida, presenciada: crie perspectivas disformes, dinâmicas, faça com que as pessoas queiram percorrer o prédio para serem surpreendidas. Surpreenda elas. Choque elas. Ofenda elas. Cause emoção nelas. Acabe com o esperado. Acabe com a vulgaridade.
Flikr, devo admitir que isso confundiu (e continua confundindo) muito a minha cabeça. Eu, como amante da arquitetura desconstruída, quero já me abraçar nela. Mas também não posso ser muito precoce para não prejudicar o meu caminhar. Agi pelo impulso, emoção. Mas não me arrependo, pois gostei do resultado final e aprendi coisas fantásticas (inclusive aqui, através desse thread). Posso não ter sido unanimidade, mas fui valorizado do jeito que merecia.

Vendo os meus colegas do curso, achei que muitos optaram pelo "mesmismo". Cubos, meios cubos e o "simplório" (e não o "simples") dominaram. Talvez por isso que a minha banca tenha admirado o trabalho, pois fugimos do básico - dentro dos nossos limites, lógico.

Não gosto de comparar aos outros, mas muitos simplesmente criaram a sua forma num universo paralelo, jogaram no meio do terreno, criaram um platô quadradinho e retificaram no estilo "mamão com açúcar". Nós trabalhamos com arrimo justamente para tentar acompanhar mais naturalmente a declividade do terreno.

E, por favor, fale as críticas. Nada melhor do que um veterano para avaliar um trabalho. :)

Aliás, quais vistas (que você chamou de cabana) não gostou?

Valeu mesmo!
 

·
Arquiteto e Urbanista
Joined
·
21,190 Posts
Flikr, devo admitir que isso confundiu (e continua confundindo) muito a minha cabeça. Eu, como amante da arquitetura desconstruída, quero já me abraçar nela. Mas também não posso ser muito precoce para não prejudicar o meu caminhar. Agi pelo impulso, emoção. Mas não me arrependo, pois gostei do resultado final e aprendi coisas fantásticas (inclusive aqui, através desse thread). Posso não ter sido unanimidade, mas fui valorizado do jeito que merecia.

Vendo os meus colegas do curso, achei que muitos optaram pelo "mesmismo". Cubos, meios cubos e o "simplório" (e não o "simples") dominaram. Talvez por isso que a minha banca tenha admirado o trabalho, pois fugimos do básico - dentro dos nossos limites, lógico.

Não gosto de comparar aos outros, mas muitos simplesmente criaram a sua forma num universo paralelo, jogaram no meio do terreno, criaram um platô quadradinho e retificaram no estilo "mamão com açúcar". Nós trabalhamos com arrimo justamente para tentar acompanhar mais naturalmente a declividade do terreno.

E, por favor, fale as críticas. Nada melhor do que um veterano para avaliar um trabalho. :)

Aliás, quais vistas (que você chamou de cabana) não gostou?

Valeu mesmo!
Arquitetura é assim, tem que ter amor. Não tenha medo, mas não faça coisas surreais, pois às vezes te tira a chance de fazer algo fantástico, inédito, mas realista.

Bom, não gostei dessa perspectiva, ainda mais com esse pinheiro (foi um erro colocar ele), parece chalé de montanha:

http://img18.imageshack.us/img18/5976/novaideia36.png

Mas essa tá muito boa, nota-se a inpiração na Casa da Música, do Porto:

http://img221.imageshack.us/img221/8950/novaideia22s.png



Sobre o pinheirinho, gostaria de criticar teus renders: ou faça um bom entorno, realista, ou deixe tudo neutro, destacando o prédio. Um entorno pobre com um pinheirinho não ajuda na apresentação do projeto. Eu costumo usar para o entorno uma só cr, destacando o prédio, assim consigo fazer uma ambiantação simples rápida e leve para renderizar, sem parecer um prédio qualquer solto no espaço:

http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/pav1.jpg
http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/05-2.jpg
http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/10-2.jpg
http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/09-2.jpg

Só uma dica, mas não leve muito em consideração as imagens que eu mandei, do meu quarto semestre de faculdade...
 

·
Registered
Joined
·
5,655 Posts
Achei bem ousado. Gostei do interior e de alguns elementos da fachada, só achei que ficou massivo demais.

Eu optaria por fazer algo mais fragmentado ao redor do terreno, explorando o local onde a edificação foi implantada.

Eu acabei de completar meu primeiro ano de faculdade mas infelizmente ainda não tive disciplinas de estúdio. Estou muito ansioso para que comece logo.

Uma pergunta: foi você que fez os bancos? Achei eles muito interessantes!
 

·
Registered
Joined
·
61 Posts
Cara quanto ao projeto:

Ja que vc utilizou o terreno, vc poderia ter feito o "mezanino" na parte mais alta e o outro andar na parte mais baixa, podendo ter entrada na capela pelos dois lados (o mais baixo e o mais alto), e fizesse com que isso aparese-se na volumetria do projeto,

Não sei se tua intenção era deixar tudo branco, mas acho que uma diversidade de materiais iriam dar um "tcham" a mais para o projeto,

Mas eh isso ai cara, chega da mesmise, no segundo os professores vao te "presionar" a fazer aquelas msmas merdas de sempre, faça aquilo que te de vontadade que te de prazer,

Falo isso pq estou indo pro 3º ano da facul, aqui em ctba tbm, e dois projetos meus desse ano eu "segui" a mesmise, e ficaram uma merda,

Ja no ultimo projeto do ano (uma casa), eu fiz aquilo que tive vontade, apesar dela ser toda em angulos de 90º ela ficou diferente, enquanto ums 75% da turma seguiram as mesmas coisinhas, tudo do mesmo jeitinho...


Se gostas da loucura desconstrutivista, assuma isso e não se deixe levar pelo pensamento neomodernista: sejas um louco, tarado, pirado, abrace a arquitetura, distorce tudo, chame a atenção. CHOQUE TODO MUNDO! Mas respeite o entorno, o sítio, o pré-existente. Pois sendo respeitoso, louco e revolucionário, serás ainda mais forte, e haverão menos argumentos que possam o derrubar.

Crie espaços espetaculares, incriveis, inovadores (aqui acho dificil pois ja existe qse tudo), como o flicK falou, só discordo do entorno,

Voce tem q respeitar seu terreno, a insolação, ventos dominantes, etc... não limite seu projeto pelo que ja existe em volta, vc vai ver qndo tiver um projeto perto/do lado de um edificio antigo, os professores vão vim com o bla-bla-bla de seguir as linhas da outra edificação e etc...

LESS IS A BORE!!!
 

·
Arquiteto e Urbanista
Joined
·
21,190 Posts
^^ Respeitar não significa limitar. Podemos ousar muito, inovar, sem desrespeitar o entorno, seja ele natural, urbano, ou alguma edificação em específico (antiga ou não).



Erick, gostei da ideia dele de não utilizar mais cores e materiais. Acho que isso ajuda na concentração, importante para um espaço desse tipo.
 

·
necropolitano
Joined
·
7,131 Posts
Discussion Starter · #20 ·
Arquitetura é assim, tem que ter amor. Não tenha medo, mas não faça coisas surreais, pois às vezes te tira a chance de fazer algo fantástico, inédito, mas realista.

Bom, não gostei dessa perspectiva, ainda mais com esse pinheiro (foi um erro colocar ele), parece chalé de montanha:

http://img18.imageshack.us/img18/5976/novaideia36.png

Mas essa tá muito boa, nota-se a inpiração na Casa da Música, do Porto:

http://img221.imageshack.us/img221/8950/novaideia22s.png



Sobre o pinheirinho, gostaria de criticar teus renders: ou faça um bom entorno, realista, ou deixe tudo neutro, destacando o prédio. Um entorno pobre com um pinheirinho não ajuda na apresentação do projeto. Eu costumo usar para o entorno uma só cr, destacando o prédio, assim consigo fazer uma ambiantação simples rápida e leve para renderizar, sem parecer um prédio qualquer solto no espaço:

http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/pav1.jpg
http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/05-2.jpg
http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/10-2.jpg
http://i483.photobucket.com/albums/rr200/meuphotobucketlegal/Faculdade/09-2.jpg

Só uma dica, mas não leve muito em consideração as imagens que eu mandei, do meu quarto semestre de faculdade...
Esse pinheirinho na verdade já existia no terreno e não pode tirá-lo dali. Eu até pensei na possibilidade de uma replantação, mas é melhor não se arriscar. Eu também não gosto dele no render. :nuts:
 
1 - 20 of 22 Posts
Top