SkyscraperCity banner

141 - 160 of 165 Posts

·
Registered
Joined
·
1,522 Posts
É inevitável que sim, e tb por isso vai ser muito bom :yes:
Se no ano passado com 2 grandes tivemos grandes assistências, desta vez todos os (3) jogos vão ter casa cheia.

Ainda me lembro da primeira edição da final four no Algarve e a miséria que foi. Final Moreirense-Braga, nem 5 mil no estádio :nuts: :eek:hno:
 

·
Premium Member
Joined
·
71,549 Posts

·
Registered
Joined
·
3,230 Posts
Na zona dos camarotes VIP já foram feitos os melhoramentos. De resto não sei mais nada. A prioridade neste momento é a 2ª fase da academia.
 

·
Premium Member
Joined
·
71,549 Posts
O que acho incrível é existirem acordos, financiamento e depois vai tudo por águas abaixo. :wtf: este país :nuts:

Já há acordo para as obras no estádio do Sporting de Braga avançarem

Clube e autarquia vão dividir os custos dos trabalho a realizar.


O Estádio Municipal de Braga vai ser alvo de obras de melhoramento orçadas em cerca de 3,5 milhões de euros, projecto de Eduardo Souto Moura, arquitecto com quem a câmara bracarense tem um litígio por causa do mesmo recinto.

"Vamos rectificar obras que, no meu entender, foram mal feitas. O estádio, bem ou mal, está feito e agora compete-nos melhorá-lo", disse o arquitecto responsável pelo estádio construído para o Euro 2004 e que apresentou o plano de obras no auditório do recinto.

Serão cerca de 3,5 milhões de euros (2,850 milhões pelas obras e 550 mil pela intervenção na alameda do estádio), factura a dividir entre clube e autarquia, e que visam melhorar o recinto sobretudo nas acessibilidades e funcionalidades.

Na chamada alameda do estádio será colocada uma escultura evocativa do centenário do clube (2021), para a qual será lançada um concurso internacional.

Souto de Moura, que exige da Câmara Municipal de Braga (CMB) mais cerca de três milhões de euros de honorários do que entende ser a última parcela da obra, litígio que está em tribunal, foi convidado pelo presidente do clube, António Salvador, para fazer as rectificações e a CMB não colocou entraves, referiu o arquitecto.

O responsável, que ganhou com esta obra o Prémio Pritzker em 2011, explicou que, "quando foi para o Euro 2004, havia pouco tempo, à portuguesa, e não se sabia o dinheiro que havia".

"Na altura, a gestão da câmara [liderada pelo socialista Mesquita Machado] disse para não se fazer algumas obras, fez-se um determinado tipo de estádio e, na prática, verificou-se que tem deficiências sobretudo na circulação", disse.

O arquitecto lembrou que, entretanto, foram feitas obras por outras pessoas, algo que não gostou.

"Não fiquei nada agradado porque este estádio fui eu que o desenhei, tenho orgulho nele, a arquitectura portuguesa também tem orgulho, ganhei não sei quantos prémios, ou o estádio é que ganhou", disse.

Tendo em conta uma maior segurança dos adeptos, será criado um corredor para deslocar directamente os visitantes e as suas claques, por uma rampa, ao estádio.

Melhores acessos para deficientes e seus acompanhantes, para viaturas, reformulação das torres de televisões, criação de um conjunto de bares e equipamentos (fan zone), mais casas de banho e uma sala de convívio para os sócios na bancada nascente são algumas das obras a realizar.

Serão ainda reformulados - e construídos mais dois - elevadores, estando ainda prevista uma nova sala de imprensa.

António Salvador quer que, até final do ano, os projectos de execução estejam concluídos para lançar as obras no primeiro trimestre de 2018 e concluí-las no final do próximo ano/início de 2019.

"Já fizemos melhorias pontuais no passado, mas entendemos que é preciso mais. O arquitecto já disse que quando lhe encomendaram este estádio não foi para o futebol, mas para dar a conhecer a cidade ao mundo. Mas este estádio não estava preparado para o que o futebol moderno precisa", disse o líder "arsenalista".

Ainda que para o dirigente "o ideal teria de ser construído de raiz", este "é um estádio único, reconhecido internacionalmente: recebemos visitas de fora e acredito que, com estes melhoramentos, juntamente com a cidade desportiva, vamos ficar com uma obra impressionante".

O Estádio Municipal de Braga custou aos cofres municipais cerca de 150 milhões de euros, mais do dobro do que estava orçamentado, mas pode vir a custar mais.

Além do diferendo por resolver com Souto Moura, a CMB foi condenada, há pouco mais de um mês, pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, a pagar mais cerca de três milhões de euros por trabalhos a mais no Estádio Municipal.

Esta acção junta-se a uma anterior, superior a três milhões de euros e também por trabalhos a mais no mesmo estádio, igualmente interposta pelo consórcio que construiu o estádio, liderado pela Soares da Costa.

A autarquia liderada por Ricardo Rio recorreu de ambas as decisões judiciais.

Fonte: https://www.publico.pt/2017/10/26/desporto/noticia/ja-ha-acordo-para-as-obras-no-estadio-do-sporting-de-braga-avancarem-1790377
 

·
Premium Member
Joined
·
71,549 Posts
EURO 2004: CUSTOS COM O ESTÁDIO DE BRAGA PODEM ASCENDER A 192M€


O Estádio Municipal de Braga poderá ter um custo final de 192 milhões de euros para o Município, sendo que até ao momento a autarquia já investiu mais de 175 milhões de euros no equipamento construído a propósito da organização do Campeonato da Europa de Futebol, que se realizou em Portugal no ano de 2004.

De acordo com os dados apresentados pela autarquia, que constam de um relatório elaborado pelo município liderado por Ricardo Rio, é hoje possível separar o custo directo de construção do estádio dos restantes custos para a sua concretização – como o projecto ou a aquisição dos terrenos que, não sendo contabilizados como custos de construção, são “valores incontornáveis que devem ser imputados ao custo final do estádio”.

“É importante explicar aos Bracarenses de quanto dinheiro estamos a falar. Estes números revelam que o Estádio Municipal custou mais que o Hospital Central e mais 1,5 vezes que o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL). O que se gastou no Estádio dava para intervir 10 vezes na variante do Cávado e no Nó de Infias; representa 15 vezes o que se gastou no Forum Braga; mais de 30 vezes o valor que iremos gastar no Mercado Municipal ou até mesmo 50 vezes o valor gasto na requalificação do Parque Desportivo da Rodovia”, sustentou Ricardo Rio, defendendo que esta é “uma relação de valores completamente esmagadora” e que não há maneira de “ficar insensível à dimensão desproporcionada deste investimento em contraponto com o benefício aos Bracarenses”.

Só na componente directa da construção, a infra-estrutura representou um custo superior a 152M€ – quando o valor inicialmente previsto era de 65 milhões. Os números, dados a conhecer durante a Reunião de Executivo Municipal, explicam detalhadamente todas as parcelas relativas aos custos inerentes ao Estádio Municipal.

“Numa lógica de lealdade política e de total transparência e responsabilidade, temos de perceber que quando falamos nos 65M€ que foram apresentados como estimativa inicial, e que derraparam para mais do dobro, esse número é referente apenas à construção e não ao custo total do estádio”, explicou Ricardo Rio.

Estes 152M€ dizem respeito às verbas inerentes à construção do Estádio Municipal e infra-estruturas de apoio – não incluindo o conjunto das verbas relativas à componente do Parque Norte -, assim como às sentenças em que o Município tem sido visado e que dizem respeito a trabalhos a mais de construção.

Os valores apenas fazem referência à parte da construção do estádio. A esta componente, é necessário acrescentar o projecto e os honorários do arquitecto já pagos (mais de 4 milhões) e os reivindicados (mais 2,6 milhões acrescidos de juros de 2006) – que já teve decisão favorável no tribunal com o Município a interpor recurso –, a aquisição dos terrenos do Parque Norte (5M€), cujas expropriações acabaram por custar 10 vezes mais que a proposta inicial e os juros dos empréstimos bancários (25M€).

Tudo somado, e adicionando estas três componentes ao custo directo de construção, o Estádio Municipal já custou mais de 175M€, faltando ainda somar o que vier a ser apurado nas sentencias judiciais e com os devidos juros. Esses valores poderão ultrapassar os 11 milhões de euros e a estes terão de se somar os custos financeiros finais que serão suportados pelo Município até ao final do empréstimo. “No pior dos cenários e a contar todas as parcelas, o custo do Estádio pode ultrapassar os 192M€”, adiantou Ricardo Rio.

Fonte: https://www.construir.pt/2019/10/25/euro-2004-custos-com-o-estadio-de-braga-podem-ascender-a-192me/?fbclid=IwAR3MtdACNmgVXM47T830J0AgcQOW-mkwak5-UpPjzB1miHcECnUxtAK_kUI
 

·
Registered
Joined
·
11 Posts
Imagens do ante projeto do Estádio . Procurei durante muito tempo estas imagens. Só agora por acaso as consegui encontrar na página do LinkedIn do Engenheiro João Varanda. é incrível a oportunidade que Braga perdeu se ter um estádio moderno e funcional. É incompreensível a opção tomada na altura. Agora temos um estádio bonito , mas não acessível
 

·
the mitty
Joined
·
10,956 Posts
só tenho uma imagem desse estadio, em especie de desenho que vinha na saudosa revista "Mundial", com os restantes ante-projetos de todos os estadio.

obrigado pelo achado
 
141 - 160 of 165 Posts
Top