SkyscraperCity banner
1 - 2 of 2 Posts

·
Banned
Joined
·
3,705 Posts
Discussion Starter · #1 ·
PIB da indústria foi da ordem de R$ 15,5 bi, em 2007
07-Jun-2008

A projeção otimista para 2008 é reflexo dos bons resultados da indústria registrados no primeiro trimestre do ano Para o cálculo, foram considerados um crescimento médio de 7% para 2006 e 2007 e uma inflação acumulada no biênio, medida pelo IPCA, de 7,73%.



Adriana Costa e Jonária França
Equipe do Em Tempo



O Pólo Industrial de Manaus (PIM) teve, em 2007, uma contribuição direta no Produto Interno Bruto (PIB) do Amazonas da ordem de R$ 15,53 bilhões, segundo projeções feitas para o EM TEMPO pelo economista e auditor-fiscal da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), Afonso Lobo.
Para atingir a estimativa, o economista colocou na ponta do lápis os últimos dados disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referentes ao valor adicionado da indústria, em 2005, quando somou R$ 12,3 bilhões. Naquele exercício, o setor industrial alcançou uma fatia de 37% do bolo total do PIB do Estado (R$ 33,4 bilhões).
Para o cálculo, Lobo considerou como variáveis as seguintes premissas: crescimento médio de 7% ao para 2006 e 2007 e uma inflação acumulada no biênio, medida pelo IPCA, de 7,73%. Com esses pressupostos e mantendo-se constantes as demais variáveis, contabilizou para o ano passado um PIB aproximado para o Amazonas de R$ 41,2 bilhões, e para a indústria de R$ 15,53 bilhões.
Segundo o economista, dos 100% do faturamento do parque fabril de Manaus em 2007 — R$ 49,72 bilhões, o valor adicionado pela indústria representa algo em torno de 43 pontos percentuais. “É um nível substantivo de agregação local se considerarmos a presente tendência da economia mundial”, analisou.
Em valores, isso quer dizer que somente R$ 21,37 bilhões foi o valor adicionado. A diferença corresponde às compras de insumos por parte da indústria.

Otimismo

Os números expressivos projetados para o PIB da indústria em 2007 serão superados em 2008. “Se a indústria mantiver o ritmo de crescimento do primeiro trimestre para o resto do ano, podemos esperar um resultado positivo”, salientou Afonso Lobo. Nem mesmo a greve dos auditores fiscais da Receita Federal deve abalar esse desempenho. “A expectativa é por um crescimento econômico bem superior ao registrado nos últimos três anos”, frisou. O otimismo é reflexo da alta no faturamento na casa de dois dígitos, em comparação ao trimestre do ano passado, dos ‘carros-chefes’ do PIM: setor de duas rodas (23,59%) e eletroeletrônicos (17,61%).

Indústria superada

Mesmo com a representativa participação na economia do Amazonas, a indústria não supera o setor de serviços. Formado pelo comércio atacadista, varejista, transporte, comunicações, intermediação financeira (banco), aluguéis, entre outros, o segmento de serviços agregou R$ 17,3 bilhões, segundo as mesmas projeções. A diferença é de cinco pontos percentuais frente à participação do PIM na economia.
Ainda assim, o economista Afonso Lobo enfatizou a importância da indústria. “É o elemento propulsor do crescimento do Estado. Se existe serviço é porque a indústria gera emprego, salário, impostos, o que implica na geração de demanda por consumo para o ramo de serviços”, explicou, ao salientar que, em economia, é o chamado ‘elemento virtuoso’. “A contribuição indireta do setor industrial para os demais segmentos é vital. Sem ele, o comércio, o setor público e o primário ficariam profundamente afetados”, completou. Não menos importante, a administração pública (lê-se participação de impostos menos subsídios) contribuiu com R$ 6,8 bilhões no ano de 2007, representando 16,49%.

Média do PIB industrial

A estimativa de participação do PIM no PIB estadual, em 2007, está bem próxima ao nível registrado no período de 2003 a 2005. Pelos cálculos de Lobo, a partir dos dados do IBGE, a indústria ficou com uma fatia média de 37,7% do total da riqueza produzida pelo Estado. Em montante, o PIB estadual teve elevação representativa a cada ano. Em 2003, somou R$ 9,44 bilhões, passando para R$ 11,62 bilhões em 2004, até atingir os R$ 12,3 bilhões no ano de 2005.
Na contrapartida, o segmento de serviços teve uma contribuição elevada no mesmo período de 41,7%, contra 16,77% do governo e apenas 4,43% da agricultura.

Entenda como é cálculo do PIB
Folhapress

O PIB (Produto Interno Bruto) é um dos principais indicadores de uma economia. Ele revela o valor de toda a riqueza gerada no país.
O cálculo do PIB, no entanto, não é tão simples. Imagine que o IBGE queira calcular a riqueza gerada por um artesão. Ele cobra, por uma escultura, de madeira, R$ 30. No entanto, não é esta a contribuição dele para o PIB.
Para fazer a escultura, ele usou madeira e tinta. Não é o artesão, no entanto, que produz esses produtos — ele teve que adquiri-los da indústria. O preço de R$ 30 traz embutido os custos para adquirir as matérias-primas para seu trabalho.
Assim, se a madeira e a tinta custaram R$ 20, a contribuição do artesão para o PIB foi de R$ 10, não de R$ 30. Os R$ 10 foram a riqueza gerada por ele ao transformar um pedaço de madeira e um pouco de tinta em uma escultura.
O IBGE precisa fazer esses cálculos para toda a cadeia produtiva brasileira. Ou seja, ele precisa excluir da produção total de cada setor as matérias-primas que ele adquiriu de outros setores.
Depois de fazer esses cálculos, o instituto soma a riqueza gerada por cada setor, chegando à contribuição de cada um para a geração de riqueza e, portanto, para o crescimento econômico
 

·
Banned
Joined
·
3,705 Posts
Discussion Starter · #2 ·
Sinceramente, acho que o estado cresceu bem mais que isso, mas se pelo menos essa estimativa se confirmar, está ótimo!!!:banana:

Se considerarmos a população de 3.221.327 hb, contabilizada pelo IBGE em 2007, então o Amazonas possui um PIB per capita de aproximadamente R$12.790,00!!!:banana:
 
1 - 2 of 2 Posts
Top