SkyscraperCity banner
1 - 20 of 1272 Posts

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #1 · (Edited)
Modelo Institucional
O serviço de transporte público coletivo de passageiros da Região Metropolitana de Goiânia (RMG), constituída pela capital do Estado de Goiás e municípios do entorno que são ligados por interesses econômicos e sociais comuns, está organizado em uma rede de serviços denominada Rede Metropolitana de Transportes Coletivos – RMTC.
A Rmtc representa a atuação sistêmica dos agentes responsáveis pela prestação do serviço, com tratamento unificado das questões afetas aos deslocamentos da população pelos meios coletivos de transporte, em tudo aquilo que conforma um sistema de transporte, ou seja, na sua dimensão físico-espacial (vias, terminais, corredores); logística (linhas, trajetos, horários, meios e forma de integração); de modelo de operação e de acesso dos passageiros ao serviço (tarifas, forma de pagamento, forma de controle), assegurando a universalidade, a acessibilidade e a mobilidade da população servida pela Rede que abrange 18 municípios que formam a Região Metropolitana de Goiânia.
Na estrutura orgânica da RMTC estão dispostos os principais agentes públicos e privados que respondem pelos serviços, a saber:

Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos da Região Metropolitana de Goiânia (CDTC-RMG), órgão colegiado que constitui o Poder Concedente, composto por representantes do Estado de Goiás, da Capital do Estado e dos municípios que compõem a RMG, responsável pela formulação das políticas públicas do setor;
Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos – CMTC, empresa pública que ostenta o papel institucional de braço executivo da CDTC-RMG e que exerce a missão de entidade gestora pública da RMTC, cabendo-lhe, dentre outras atribuições, o gerenciamento, o controle e a fiscalização tanto da operação como da infra-estrutura do serviço;
Concessionárias: Rápido Araguaia Ltda., HP Transportes Coletivos Ltda., Viação Reunidas Ltda., Cootego – Cooperativa de Transportes do Estado de Goiás, e a estatal Metrobus Transporte Coletivo S.A., responsáveis pela produção e execução dos serviços ofertados na RMTC;
Consórcio da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos, que representa a atuação conjunta e consorciada das concessionárias privadas na operação da Central de Controle Operacional (CCO), na prestação do Serviço de Informação Metropolitano – SIM, e nas atividades de gestão, operação e manutenção dos Terminais de Integração da RMTC;
Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia – SETRANSP, entidade sindical representativa das concessionárias e agente responsável pela arrecadação tarifária da RMTC através da bilhetagem eletrônica integrada por meio do Sistema Inteligente de Tarifação de Passagens – SIT-PASS.

As concessionárias privadas acham-se vinculadas à prestação dos serviços na RMTC por força dos Contratos de Concessão celebrados em 25/03/2008, derivados da Concorrência CMTC nº 01/2007, estando todas as empresas, inclusive a estatal Metrobus, submetidas, ainda, aos termos do Regulamento Operacional aprovado pelo art. 3º da Deliberação CDTC-RMG nº 60, de 27/11/2007, e demais atos normativos baixados pela CDTC-RMG e pela CMTC.

Estrutura da Rede
A RMTC abrange, na forma da lei de sua instituição, o município de Goiânia e mais 17 municípios que formam o seu entorno, cuja área territorial somada é de 6.576km2.
Dos 18 municípios atendidos pela RMTC, destacam-se cinco deles, todos conurbados, com maior ou menor grau de conurbação: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade, Senador Canedo e Goianira. Nestes municípios residem 1.855.418 habitantes, representando 93% do total de habitantes dos municípios constituintes da RMTC.
A RMTC é formada por 257 linhas de ônibus, com um modelo de ampla integração físico-tarifária entre elas, estruturada através de 20 terminais de integração e de centenas de pontos de conexão eletrônica, distando os locais de integração no máximo 1.000 metros de qualquer residência, o que possibilita o atendimento de qualquer desejo de viagem, para qualquer destino em toda a RMG, pagando-se uma única tarifa integrada, fato este pioneiro no Brasil.
Área Operacional--alimentadora--direta--eixo--expresa--semi-urbana--total
Sul-Sudoeste...........77...............7.......32......7.............4...............127
Oeste-Noroeste........45...............3.......16......3.............7...............74
Leste-Norte.............32...............13......3.......1.............7...............56
Total......................154..............23......51.....11............18.............257

Além das linhas citadas na tabela acima, outras 10 linhas são operadas na RMTC pelo serviço complementar diferenciado, designado CITYBUS, cujas linhas formam uma rede que tem como ponto de encontro e ponto de integração de todas as linhas a Praça Cívica, no centro histórico de Goiânia.

INFRA-ESTRUTURA
O sistema viário que serve de berço à operação dos serviços da RMTC, abrangendo trechos de linhas urbanas e trechos de linhas intermunicipais de características urbanas (linhas semi-urbanas), é totalmente revestido de pavimentação asfáltica, e suporta o tráfego compartilhado de veículos de transporte individual e coletivo, não havendo tratamento preferencial aos ônibus da RMTC.
O viário está hierarquizado com vias secundárias, nos bairros periféricos, por onde circulam os ônibus das linhas alimentadoras; vias arteriais por onde trafegam os ônibus das linhas de eixo; e rodovias, que são percorridas pelos ônibus das linhas semi-urbanas.
Nesta extensa malha viária, são nas vias arteriais que estão inseridos corredores de transporte coletivo, dentre os quais destacam-se: Corredor Estrutural Leste-Oeste, desenvolvido na Avenida Anhanguera; Corredor Estrutural Norte-Sul, desenvolvido nas avenidas Goiás, 84, 90, 4ª Radial e Rio Verde; Corredores das avenidas T-7, T-9, 85, Mutirão, dentre outros.
Em toda a rede são mais de 5.000 os pontos de parada de ônibus para embarque e desembarque de passageiros.
Como infra-estrutura de apoio à operação, as concessionárias contam com 8 instalações de garagens, cuja área somada é de 251.528m2. São 3 garagens da empresa Rápido Araguaia (111.424m2); 2 garagens da HP Transportes (64.104m2), e 1 garagem para cada uma das concessionárias Viação Reunidas (15.000m2), Cootego (21.000m2) e Metrobus (40.000m2).

OFERTA DO SERVIÇO
São ofertadas na RMTC, pelas cinco concessionárias, aproximadamente 393 mil viagens mensais considerando o mês médio do ano. As linhas alimentadoras e semi-urbanas respondem por 50% da oferta, sendo a outra metade ofertada em linhas estruturais, predominantemente nas linhas de eixo, com 45% das viagens.
Na média, nos dias úteis são ofertadas aproximadamente 14,6 mil viagens. Nos sábados, 11,2 mil e nos domingos 9,0 mil viagens.
A rodagem média mensal é de 8.712.235 km.
A frota patrimonial atual do conjunto das concessionárias é de 1.478 ônibus, sendo igual a 1.354 ônibus, nos dias úteis, a frota operacional.
http://www.rmtcgoiania.com.br/sobre/informacoes-institucionais

A marca



O símbolo construído expressa a própria modelagem de operação da instituição na espacialidade da Região Metropolitana de Goiânia. A definição de loteamento dos novos contratos, onde 3 áreas operacionais foram definidas de modo a atender as demandas da região central, foi um fator elementar de escolha.


Além de ser de notório conhecimento, tendo sido utilizado inclusive como marca de administração municipal, o traçado traz uma forma triangular que inscreve em cada um dos vértices “apontamentos” para os arcos operacionais. Essa foi uma feliz coincidência que jamais poderia ser descartada.



Para facilitar a compreensão dos nomes das regiões operacionais, uma síntese foi aplicada, onde adotamos finalmente os termos “Arco Sul”, “Arco Leste” e “Arco Oeste”.


A síntese se mostrou forte por seus vários aspectos de composição: a facilidade de aplicação, a contemporaneidade, a simplicidade, o equilíbrio de tensão visual, além de ser muito didática, podendo ter variações de cor para que informações pudessem ser associadas a cada arco de maneira que pudessem ser percebidas de forma instantânea.

central de controle operacional(CCO)


http://www.rmtcgoiania.com.br/blog/tag/controle-dos-onibus/

O transporte coletivo da RMTC, pioneiro na implantação da bilhetagem eletrônica, em 1998, investe em alta tecnologia na busca da regularidade e confiabilidade do serviço. A Central de Controle Operacional (CCO) é responsável pelo controle, ponto a ponto, 24 horas por dia, 7 dias por semana, o ano todo, dos 1371 ônibus da Rede. Com função semelhante a um Centro de Controle de Tráfego Aéreo, ela permite uma visão real da operação, desde o momento em que o veículo sai da garagem até seu retorno.



ITS4mobility


O ITS4mobility é o sistema inteligente de transporte (ITS) da Volvo projetado para operações de ônibus em sistemas públicos e privados.

É composto de diversos serviços e funcionalidades nas áreas de Controle de Tráfego, Informação ao Passageiro e Gerenciamento de Frota.

Fornece acesso instantâneo a informações do veículo, informações de tráfego, posicionamento, leitura de dados operacionais, informação ao passageiro e uma ampla gama de serviços para autoridades, operadores, e passageiros.

O ITS4mobility é dividido em três áreas / módulos:

-Controle de Tráfego (TC): posicionamento dos veículos, acompanhamento individual de pontualidade, desvio de rota, etc...

- Informação ao Passageiro (TI): sinalização de destino, anúncio de próxima parada, informação de previsão de chegada de ônibus, etc....

- Gernciamento de Frota (FM): dados operacionais do veículo, modos de condução, consumo de combustível, planejamento do serviço, etc...

O sistema é composto dos seguintes subsistemas:

- Sistema Central: centro de controle com respectivos servidores, sistemas e aplicativos

- Sistema do Veículo: sistema a bordo do veículo

- Sistema de Comunicação: sistema de comunicação sem fio GSM-GPRS

Pode também integrar outros sistemas como: sistema de vigilância por vídeo, contagem automática de passageiros e bilhetagem eletrônica.

O ITS4mobility está no mercado há mais de 10 anos e tem suas origens no bem conhecido sistema de transporte de Gotemburgo, Suécia. Tem referências na Europa e nas Américas.

http://www.volvobuses.com/bus/brazi...S4mobilty/Pages/Referências ITS4mobility.aspx

serviço de informação metropolitano-SIM

Originário do novo Contrato de Concessão do Transporte Público, o SiM - Serviço de Informação Metropolitano foi projetado em 2008 e desenvolvido em 2009, tendo como base o que há mais de moderno sobre processos e tecnologias. Trata-se de um processo inovador no Brasil.

Gerir o relacionamento com as partes interessadas da Rmtc - Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (em 18 municípios), assegurando a integridade e disponibilidade de informações relevantes aos clientes, de modo a simplificar e facilitar a realização de viagens por meio de ônibus é a MISSÃO DO SiM.

O SiM é constituito de três grandes processos, abrangendo os seguintes produtos:

Gestão da Informação:

Displays Ponto de Parada;
Roteirizador de trajetos (Google Maps);
i-Center (Quiosque multimídia de informações);
Wap (Horários de viagens pelo celular);
SMS (Horários de viagens pelo celular);
Áudio nos ônibus e terminais;
Sinalização nos Terminais;
Mapas de linhas e da Rede;
Tabelas de horários;
Material informativo (Folders, Cartazes, Guia Impresso).

Gestão de Relacionamento
SAC (Call Center - 0800 e outros);
Site e Redes Sociais;
Ouvidoria;
Orientadores e Balcão de Atendimento nos Terminais.

Gestão da Marca
Branding;
Identidade Visual com o propósito de unificar a imagem corporativa;
Pesquisas de Satisfação e Avaliação de Imagem;

Campanhas Institucionais;
O SiM é um dos pilares de sustentação da implantação do novo sistema de transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia.

Por meio do SiM, podem os clientes da Rmtc, a partir do dia 19 de novembro de 2009, acessar, consultar e possuir informações operacionais relevantes (freqüências e horários de viagens, itinerários / trajetos de linhas, pontos de parada, notícias e outras), através de diversos canais de disponibilização de informações em tempo real ou não, dentre eles: Site Rmtc, Rmtc no Google Maps, Wap, SMS, Display Pontode Parada, iCenter e Call Center (0800 Rmtc).

http://www.rmtcgoiania.com.br/sim/sobre-sim



terminais de integração


terminal das bandeiras


http://www.goianiabr.com.br/2010/12/prefeitura-entrega-o-terminal-das.html

terminal do cruzeiro

http://www.aparecidanet.com.br/?pg=noticia&id=415

terminal garavelo


terminal senador canedo


foto:prefeitura de senador canedo

terminal maranata

foto:eek: popular

terminal izidoria


http://onibusrmtca.blogspot.com.br/2012/05/goiania-preso-suspeito-de-estuprar.html

terminais do eixo anhanguera


terminal praça A

http://onibusrmtca.blogspot.com.br/2010/01/goiania-metrobus-inicia-reforma.html


http://onibusrmtca.blogspot.com.br/2010/03/goiania-homem-molesta-mulher-no.html


https://www.google.com.br/url?sa=i&...EB6fPVQNlKzfT4nTRBfCCbfA&ust=1359338002555329

padre pelagio



por Arolldo Costa Oliveira




empresas:

HP TRANSPORTES COLETIVOS LTDA.

Introdução e Histórico

A história da HP está intimamente ligada ao surgimento e desenvolvimento do sistema de
transportes coletivos urbano da cidade de Goiânia e sua região metropolitana. Em 1969, após
participação e vitória no processo de concorrência pública (CJ 01/ 69), a então HP Auto Peças Ltda.
expandiu suas atividades, contando com 32 veículos para atender parte de uma cidade ainda muito
jovem e com um único pólo de atração: o Centro. Em 1972, a empresa realizou uma reestruturação
interna, com o intuito de atender às novas demandas da capital e alterou sua razão social para HP
Transportes Coletivos Ltda.

Em 1976, quando na cidade de Goiânia foi adotado novo sistema de transporte coletivo, baseado no
modelo tronco alimentado, a HP investiu na compra de novos ônibus, melhoria de sua garagem e no
treinamento de pessoas, com o intuito de atender a essa nova demanda.
Com o desenvolvimento do 1º Plano Diretor de Transporte Urbano de Goiânia, em 1985, o qual
indicou extensão dos corredores, a empresa sofreu novo aumento de frota.
Em 2001, a empresa passou novamente por mudanças, ampliando frota, estrutura física e inovando
seu sistema de gestão, como forma de atender ao projeto de reestruturação do transporte coletivo
da RMG.
Atualmente, a empresa possui frota patrimonial de 373 veículos tipo ônibus convencional e 19
veículos tipo microônibus, operando 126 linhas atendidas pelos serviços convencionais e sete linhas
atendidas pelo serviço “Citybus” nas regiões centro, sul e sudoeste, de forma compartilhada.

VIAÇÃO REUNIDAS LTDA.

Introdução e Histórico

A Reunidas foi fundada em 17 de janeiro de 1973, data do arquivamento de seu contrato social,
tendo como objetivo inicial, o transporte coletivo urbano de passageiros, objetivo este que se
manteve inalterado ao longo de sua história.

A sociedade teve como sócios fundadores os Srs. Abadio Pereira Cardoso, Jorge Elias Abrão,
Manoel Vaz Teodoro, Mario Miguel, Latif Miguel, Fued Moisés, Décio Caetano Vieira e Juarez
Mendes Melo. No quadro societário ocorreram algumas mudanças, entretanto, os sócios que
compõem o quadro atual foram presenças constantes desde sua fundação.

A empresa sempre foi parte integrante do sistema de transporte coletivo urbano e, recentemente, foi uma
das quatro vencedoras do processo licitatório consubstanciado pela Concorrência CMTC nº 01/2007.

COOPERATIVA DE TRANSPORTE DO ESTADO DE GOIÁS – COOTEGO

Introdução e Histórico

Em 1997 um grupo de pouco mais de 20 pessoas desempregadas com baixas expectativas de
carreira devido à falta de oportunidades no mercado de trabalho, seja pela concorrência seja por
estarem na faixa dos 40 anos ou por falta de qualificação profissional, começou o então denominado
Transporte Alternativo. Circulavam com Kombis, Vans e outros veículos que não ofereciam conforto
aos passageiros, porém ofereciam a possibilidade de chegar ao emprego ou escola.
A aprovação do Transporte Alternativo pelo Poder Público passou por várias etapas, entre elas
várias manifestações, apreensão de veículos, derrotas do projeto tanto na Câmara Municipal quanto
na Assembléia Legislativa, duas greves de fome e a morte de um “perueiro”. Em março de 2000, a
CDTC e Agência Goiana de Regulação aprovaram o novo serviço e começaram a distribuir as
permissões provisórias. Em 2003, os poderes públicos Municipal e Estadual retiraram o Transporte
Alternativo da área do centro expandido de Goiânia, prometendo à população um modelo de
transporte moderno, mais confortável e eficiente.

Surgiu então a COOTEGO, nascida de um acordo político-administrativo que envolveu setores da
igreja, parlamentares, sindicato das empresas de ônibus e sindicato dos alternativos. O acordo
previa a criação de uma cooperativa com administração centralizada onde um grupo de diretores
escolhidos pela categoria gerenciaria todo o processo, acabando assim com a individualidade e
competição entre os motoristas autônomos integrantes do Transporte Alternativo.

A primeira diretoria assumiu o processo em setembro de 2003 e superou as dificuldades decorrentes
de uma frota com idade média elevada, altos custos de manutenção dos veículos; diversas
demandas trabalhistas e dívidas crescentes.
Em janeiro de 2005 assumiu a segunda diretoria da COOTEGO, e diante da situação de
dificuldades, os cooperados decidiram negociar cerca de 50% das linhas, que foram então
transferidas para a Rápido Araguaia e HP Transportes. Esta negociação permitiu o saneamento das
dívidas, resultando numa operação menor, de menor faturamento, porém compatível com as
possibilidades da cooperativa no momento.

Atualmente, tanto os fornecedores como os tributos estão sendo pagos. A COOTEGO conta com
uma frota de 133 ônibus e sete microônibus, e foi vencedora do processo licitatório que resultou no
Contrato de Concessão do Lote de Serviços do Arco Leste-Norte, assegurando estabilidade de
trabalho e renda para os cooperados por 20 anos, contado de 25 de março de 2008.

RÁPIDO ARAGUAIA LTDA.
Introdução e Histórico

A Rápido Araguaia, maior empresa de transporte coletivo urbano regular de passageiros da Região
Metropolitana de Goiânia, foi criada em janeiro de 1971 para se dedicar ao transporte intermunicipal
de passageiros. A mudança em sua área de atuação começou em 1979, quando a Rápido Araguaia
transferiu parte de suas linhas para a Viação Araguarina e passou a operar na região Oeste do
estado, ligando os municípios de Araguaçú, Formoso, Mutunópolis e Mundo Novo. Já em 1987,
todas as linhas intermunicipais da Rápido Araguaia tinham sido transferidas para a Viação
Araguarina, que por sua vez, cedeu as suas concessões de transporte coletivo urbano em Goiânia
para a Rápido Araguaia. A partir de então, a Rápido Araguaia passou a dedicar-se somente ao
transporte metropolitano, como faz atualmente.

Com o passar do tempo, a Rápido Araguaia realizou uma profunda reestruturação operacional,
modernizando e ampliando todos os seus setores. Investimentos e pesquisas de campo levaram ao
desenvolvimento de sistemas informatizados, buscando novas formas de dimensionar e melhorar
serviços, frota e pessoal.

Nestas mais de três décadas de atuação, a Rápido Araguaia tornou-se a empresa que, diariamente,
mais transporta passageiros em Goiânia. Para se ter uma idéia do porte da Rápido Araguaia e da
sua importância para os cidadãos goianienses, confira os números significativos contabilizados por
esta empresa:

(a) diariamente, são transportados em média 285 mil passageiros;

(b) cerca de 5,78 mil viagens são realizadas por dia; e

(c) são percorridos, diariamente, 142 mil quilômetros.

Para garantir que os usuários cheguem com conforto e segurança aos seus destinos, a Rápido
Araguaia conta com três garagens, destinadas às manutenções nos ônibus, aos treinamentos dos
motoristas e aos serviços de apoio às operações. As garagens são localizadas em pontos estratégicos
de Goiânia, o que favorece o apoio aos veículos em serviço, e facilita o atendimento ao passageiro.

A Garagem Oeste está localizada no Jardim Presidente, região sudoeste da cidade. Foi ela
inaugurada na década de 90 e é considerada uma das mais modernas do país, possuindo até
estação de tratamento de efluentes, com re-aproveitamento dessa água tratada. A Garagem Central,
situada no setor Aeroviário, abriga também a diretoria e área administrativa da empresa, enquanto a
Garagem Sul, situada próxima ao Jardim Botânico na região Sul, possui um moderno centro de
convivência, ambas contam também com estrutura para reciclagem de seus efluentes.

Para garantir ainda mais a qualidade do serviço prestado, todos os ônibus são submetidos a
manutenções preditivas, preventivas e corretivas, além de lavagem interna e externa diariamente.
Adicionalmente, os motoristas recebem treinamentos freqüentes, qualificando assim o desempenho
destes profissionais.

Em 2005, a frota da Rápido Araguaia foi ampliada e modernizada. Hoje, 685 ônibus, sendo 653 ônibus
e 32 microônibus, cobrem praticamente todas as linhas do transporte coletivo urbano de Goiânia.

metrobus

empresa de economia mista do estado de goiás,criada em 29 de dezembro de 1997 para substituir a antiga transurb.

opera a linha 001 eixo anhangüera transportando cerca de 180 mil passageiros por dia com mais de 100 ônibus articulados.

vídeo sobre a RMTC

1a parte


2a parte

 

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #2 · (Edited)
frota atual do sistema.








METROBUS





imagens antigas

viação araguarina que depois passou o serviço para a Rápido Araguaia uma das concessionárias atuais.


micro ônibus da Rápido Araguaia veio para concorrer com o transporte alternativo isso já deve ter uns 12 anos.



pintura da década de 90 e inicio dos anos 2000




pintura das linhas alimentadoras da decada de 90


pintura dos eixos



o melhor ônibus já adquirido para Goiânia que nunca rodou aqui



hp transportes,rodou até 2008


primeiro e único ônibus piso baixo a rodar em Goiânia

 

·
Wesley Recifense
Joined
·
1,386 Posts
Alguém tem novidades do BRT do Corredor Norte-Sul de Goiânia, que ligaria a Av. Goiás até o Terminal Isidória?
 

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #7 ·
Alguém tem novidades do BRT do Corredor Norte-Sul de Goiânia, que ligaria a Av. Goiás até o Terminal Isidória?
a prefeitura de Goiânia esta em busca de recursos tanto junto a CAF(confederação andina de fomento) e junto ao ministério das cidade, a prefeitura e o estado devem estar elaborando projetos para conseguir parte daqueles 18 bilhões no PAC 2.

mais acredito que agora ele sai por que o prefeito e do PT, o presidente da compania de transportes foi um dos principais nomes do governo LULA na área de transportes.

o corredor norte-sul já existe só que é um corredor de ônibus comum a ideia e transformar em BRT
 

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #8 ·
fotos das avenidas por onde vai passar o corredor norte sul:

RUA 90

creditos:carlos antonio coelho

rua 84

creditos: Esio luiz

avenida goiás

creditos:carlos antonio coelho

avenida goiás norte

creditos: xola
 

·
Registered
Joined
·
15,767 Posts
A RMTC é formada por 257 linhas de ônibus, com um modelo de ampla integração físico-tarifária entre elas, estruturada através de 20 terminais de integração e de centenas de pontos de conexão eletrônica, distando os locais de integração no máximo 1.000 metros de qualquer residência, o que possibilita o atendimento de qualquer desejo de viagem, para qualquer destino em toda a RMG, pagando-se uma única tarifa integrada, fato este pioneiro no Brasil.

O descrito não seria originário de Curitiba, da década de 70?
 

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #10 ·
A RMTC é formada por 257 linhas de ônibus, com um modelo de ampla integração físico-tarifária entre elas, estruturada através de 20 terminais de integração e de centenas de pontos de conexão eletrônica, distando os locais de integração no máximo 1.000 metros de qualquer residência, o que possibilita o atendimento de qualquer desejo de viagem, para qualquer destino em toda a RMG, pagando-se uma única tarifa integrada, fato este pioneiro no Brasil.

O descrito não seria originário de Curitiba, da década de 70?

pelo que eu sei, o sistema de curitiba e integrado mais se voçe utilizar duas linhas que não se integram nos terminais ou nos tubos, terá que pagar outra passagem já que la não existe a integração eletrônica.

aqui em Goiânia,como diz o texto qualquer desejo de viajem pode ser feito com apenas uma unica tarifa.
 

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #11 ·
GOIÂNIA INSCRITA NO PAC 2 MOBILIDADE GRANDES CIDADES

O objetivo é obter junto ao governo federal recursos para melhorar a mobilidade urbana da capital.

Desde o dia 3 de abril Goiânia está inscrita no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 Mobilidade Grandes Cidades, do Ministério das Cidades. O objetivo é obter junto ao governo federal recursos para melhorar a mobilidade urbana da capital.

O PAC 2 selecionou cidades em todo o país que se enquadrem nas exigências de três grupos distintos: Mobe 1, Mobe 2 e Mobe 3 que tratam de cidades e regiões metropolitanas e número de habitantes. Goiânia e mais cinco municípios foram selecionados para o Mobe 3 que atende cidades entre 1 e 3 milhões de habitantes.

Com autorização da Prefeitura de Goiânia a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) atua como partícipe e apresentou duas propostas ao PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades – Ministério das Cidades. Caso a capital tenha aprovação de suas propostas, os recursos serão liberados após aprovação dos projetos e que tem prazo final em 12 de junho.

As propostas apresentadas pela CMTC tratam da implantação de terminais de integração e estações de conexão ao longo do BRT Norte/Sul e implantação dos corredores preferenciais.

A prioridade para Goiânia é o corredor BRT Norte/Sul que tem 22 km de extensão e contará com 36 novas estações e seis terminais de integração ao longo dele. O valor do repasse pleiteado para o BRT Norte/Sul é de R$ 98 milhões e 137 mil reais, sendo o valor da contrapartida da Prefeitura de Goiânia de R$ 4 milhões e 900 mil. Sendo contemplada, a CMTC terá um prazo de 24 meses para executar as obras desse corredor, entre elas: a adaptação do Terminal de Integração Cruzeiro do Sul, a reformulação do Terminal de Int. Isidória, a construção do Terminal Int. Rodoviária (que terá ligação com o Terminal Rodoviário), a construção do Terminal de Int. Correio, a construção do Terminal de Int. Perimetral e a reformulação do Terminal de Int. Recanto do Bosque.

Corredores preferenciais
A segunda proposta trata da priorização do transporte coletivo em 13 corredores, num total de 106,1 quilômetros (veja quadro). Para atender melhor o usuário a CMTC prevê para esses trechos a aquisição de 546 novos abrigos para pontos de embarque e desembarque (novo modelo) e a construção de três novas estações de conexão (Guanabara, Trindade e Laranjeiras) que favoreça os deslocamentos.

Ao longo dos corredores tanto nos abrigos dos pontos de embarque e desembarque (PED) quanto nos pontos de travessia de maior fluxo de pedestres terão estrutura identificada mediante a padronização de calçamento, sinalização, iluminação, comunicação visual, grupos focais para pedestres e acessibilidade universal: sinalização para deficientes visuais (piso podotáctil), rebaixamento de guias e construção de rampas de acesso.

O investimento será na ordem de R$ 124 milhões e 62 mil, sendo o valor da contrapartida da Prefeitura de Goiânia de R$ 6 milhões 203 mil.

Os corredores receberão ainda tratamento no pavimento das pistas de rolagem, sinalização horizontal/vertical e adequação de sinalização semafórica com controladores. A proposta é criar para os corredores uma identidade que caracterize o serviço preferencial do transporte coletivo.


CORREDORES PREFERENCIAIS

Corredor Avenida 85 (Praça Cívica/ Laudelino Gomes)

2,7 km

Corredor T-9 (Praça da Bíblia/T. Garavelo)

19,5 km

Corredor 3ª Radial (Av. 3ª Radial/Pq. Atheneu)

9,4 km

Corredor T-7 (T-7/Av. Itália/ Av.C-8/Sudoeste)

10,4 km

Corredor Castelo Branco/Mutirão (Av. Dom Vital até a Av. Rio Verde)

10,5 km

Corredor 24 de Outubro (Av. Anhanguera até a Rua 13 St. Aeroviário).

3,1 km

Corredor Independência (Praça A ao Praça da Bíblia)

6,7 km

Corredor São Francisco/Aeroporto (Av. Independência até a Av. das Indústrias Jd. Guanabara; com ramal até o Aeroporto)

9,3 km

Corredor T-63 (Av. Aragoiânia/Parque Anhanguera até o T. Isidória)

11,0 km

Corredor Pio XII (Bandeiras ao Praça A)

6,6 km

Corredor Consolação(Av. Anhanguera até o Parque Oeste)

Corredor T-10 (T-9 até a 105 no Jardim Goiás)

5,1 km



6,4 km

Corredor Mangalô (Pe. Pelágio ao Recanto do Bosque)

5,4 km
 

·
25º25'S 49º15'W
Joined
·
469 Posts
pelo que eu sei, o sistema de curitiba e integrado mais se voçe utilizar duas linhas que não se integram nos terminais ou nos tubos, terá que pagar outra passagem já que la não existe a integração eletrônica.

aqui em Goiânia,como diz o texto qualquer desejo de viajem pode ser feito com apenas uma unica tarifa.
Em Curitiba tem integração com cartão, sim. No entanto, esse tipo de integração está restrito a um número limitado de linhas. Por exemplo, sei que a linha 666/Vila Velha integra com as linhas 22, 23 e 702 no tubo Santa Quitéria. Há outras poucas possibilidades de integrar com o cartão, mas essa é a única que eu sei de cabeça.
 

·
Eng. Tráfego e Designer
Joined
·
13,970 Posts
pelo que eu sei, o sistema de curitiba e integrado mais se voçe utilizar duas linhas que não se integram nos terminais ou nos tubos, terá que pagar outra passagem já que la não existe a integração eletrônica.

aqui em Goiânia,como diz o texto qualquer desejo de viajem pode ser feito com apenas uma unica tarifa.
Lembrando que isso é válido apenas para as passagens pagas no valor inteiro da vigente na RM (R$ 2,25)...

Os que pagam R$ 1,15 (valor do eixo Anhanguera) só podem fazer integração com esse valor dentro de GYN e Aparecida... para os outros municípios integrantes da Rede Metropolitana deve-se realizar o complemento da passagem nos terminais de transbordo...

.
 

·
.
Joined
·
13,730 Posts
^^

Para as periferias conurbadas de Trindade e Senador Canedo, também há a integração sem o complemento, por exemplo, Trindade II inteira.
 

·
.
Joined
·
13,730 Posts
Bruno, seu thread ficou ambiguo, essas imagens dos ônibus antigos misturadas a dos novos provoca confusão, a maioria acha que todos esses continuam rodando...

Coloque imagens da frota atual no 1° post em destaque, e no outro post coloque a frota antiga. :eek:kay:
 

·
Registered
Joined
·
13,984 Posts
Primeiramente parabéns pelo thread Bruno, faltava algo do gênero para retratar a rede de TC de Goinânia, que é certamente uma das mais interessantes e organizadas do Brasil.
Só acho que você poderia colocar mais informações, imagens e videos :)

Bruno, seu thread ficou ambiguo, essas imagens dos ônibus antigos misturadas a dos novos provoca confusão, a maioria acha que todos esses continuam rodando...

Coloque imagens da frota atual no 1° post em destaque, e no outro post coloque a frota antiga. :eek:kay:
ah.. da pra ver bem quais ônibus já foram aposentados e quais ainda rodam.

Mas olha essa imagem aqui:


frota antiga e atual

putz.. hsuahsuahsuahsuahsuahsuahsa
que coisa bizarra é aquela na frente do ônibus? :lol::lol:
 

·
Registered
Joined
·
7,794 Posts
Discussion Starter · #18 ·
Primeiramente parabéns pelo thread Bruno, faltava algo do gênero para retratar a rede de TC de Goinânia, que é certamente uma das mais interessantes e organizadas do Brasil.
Só acho que você poderia colocar mais informações, imagens e videos :)



ah.. da pra ver bem quais ônibus já foram aposentados e quais ainda rodam.

Mas olha essa imagem aqui:




putz.. hsuahsuahsuahsuahsuahsuahsa
que coisa bizarra é aquela na frente do ônibus? :lol::lol:
a gatinha parou o transito literalmente :lol:
 

·
Eng. Tráfego e Designer
Joined
·
13,970 Posts
Bruno, seu thread ficou ambiguo, essas imagens dos ônibus antigos misturadas a dos novos provoca confusão, a maioria acha que todos esses continuam rodando...

Coloque imagens da frota atual no 1° post em destaque, e no outro post coloque a frota antiga. :eek:kay:
Num tem nada ambíguo não.. é só ler e que está bem definido o q é FROTA ANTIGA e o q é FROTA ATUAL... e na parte de frota atual.. todos q foram mostrados estão rodando.. aliás, se partimos pra Aparecida de Goiânia, encontramos até alguns q estão em Frota Antiga rodando ainda...
 

·
Eng. Tráfego e Designer
Joined
·
13,970 Posts
^^

Para as periferias conurbadas de Trindade e Senador Canedo, também há a integração sem o complemento, por exemplo, Trindade II inteira.
Mas estava falando da integração de Centro-Centro... e não apenas de bairros desses municípios q estão mais colados em GYN q nos respectivos "centros urbanos" de seus municípios...

:eek:kay:
 
1 - 20 of 1272 Posts
Top