SkyscraperCity Forum banner
21 - 40 of 71 Posts

· Registered
Joined
·
11,846 Posts
São Paulo era quase uma Ouro Preto. Da cidade colonial não sobrou quase nada. Demoliram tudo pra fazer uma cidade nova no lugar, que hoje é obsoleta.
Há algumas igrejas coloniais que ainda existem.


Igreja de São Francisco




Igreja da Ordem Terceira de São Francisco





Capela de São Miguel Arcanjo




Igreja da Ordem Terceira do Carmo




Igreja e Convento da Luz




Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte




Igreja de São Gonçalo




Capela dos Aflitos

 

· Registered
Joined
·
5,935 Posts
Desconhecia as 3 ultimas. Que horror que fizeram com a ultima. Um paredão atras. E ainda com decoração japonesa na rua, que não tem nada a ver com a igreja. Deve ser na Liberdade, não? Este pessimo urbanismo brasileiro. Bom saber que SP preservou algumas igrejas. Uma pena que do casario colonial não sobrou quase nada.
 

· Registered
Joined
·
64 Posts
O problema é que na época dessas demolições a ideia era destruir o passado colonial considerado como ultrapassado e pobre. E construir uma igreja nova, prédios novos, ou seja, uma cidade nova. Por isso pouco sobrou.
Isso acontece em cidades ricas. Ouro Preto sobreviveu porque foi mais interessante construir uma nova capital para MG do que "modernizar" a antiga.
Mas o pior de tudo é a reconstrução fake do Pátio do Colégio... melhor era deixar o Palácio como era!
 

· Registered
Joined
·
29,204 Posts
Um caso interessante... A Igreja da Sé, em Olinda foi erguida no Século XVI em estilo maneirista. Foi incendiada durante a ocupação holandesa e reconstruída. Nos Séculos XIX e XX passou por uma série de interferências e assumiu um estilo meio indefinido, pendendo para o neoclássico e o eclético. Na década de 1970, durante uma restauração descobriu-se o projeto original. Foi feita uma prospecção e encontraram a estrutura original por baixo dos adornos. Depois de mais de um século ela voltou a ser como era:

Como era até meados da década de 1970

http://spa.fotolog.com/photo/42/0/9/tc2/1228207695039_f.jpg

Como é hoje

http://www.baixaki.com.br/usuarios/imagens/wpapers/85424-19213-1280.jpg
 

· Registered
Joined
·
43,768 Posts
Não há como comparar... Ouro Preto já tinha sido a cidade mais rica e importante da colônia.

São Paulo era vila meia boca até metade do século 19
 

· Registered
Joined
·
24,261 Posts
Muito bom o thread, Bent! :)

Eu acho que o Rio foi o que perdeu mais o conjunto...



Foi uma catástrofe de guerra. Mas, por outro lado, o que vou falar tem muito a ver com o tema do thread...

Fico pensando que serventia teriam tantas igrejas coloniais numa cidade contemporânea. Os portugueses eram um povo muito depressivo, toda sua socialibilidade era feita dentro do templo religioso, havia poucos outros locais de encontros. Cada camada social tinha sua própria igreja específica.

Com o tempo tudo perdeu a razão de ser e mais a arquitetura e o valor histórico que a função religiosa mantém essas igrejas de pé atualmente...
 

· Registered
Joined
·
31,167 Posts
Não há como comparar... Ouro Preto já tinha sido a cidade mais rica e importante da colônia.

São Paulo era vila meia boca até metade do século 19

A respeito da população do Brasil no Século XIX, encontrei o que se segue no excelente livro 1822, do Laurentino Gomes.

"...Havia receios de que a junta de governo de Minas Gerais estivesse preparando a separação da província do restante do Brasil. Era preciso agir rápido. Região mais populosa do país, com cerca de 600.000 habitantes, era também uma das mais poderosas do ponto de vista político e econômico..." (página 99)

"...A São Paulo que hospedou D. Pedro era ainda "uma pequena cidade, quase aldeia, acanhada e de ruas pouco extensas, estreitas e tortuosas", na descrição do historiador Afonso A. de Freitas. Com 28 ruas, dez travesssas, sete pátios, seis becos e 1.866 casas, o vilarejo abrigava na área urbana somente 6.920 habitantes. Incluindo os arrabaldes mais afastados e a zona rural, a população não passava de 20.000 pessoas..." (página 103).

"...Em 1822, a Bahia era um ponto estratégico crucial para a consolidação do nascente império brasileiro. Terceira província mais populosa, depois de Minas Gerais e Rio de Janeiro, tinha 765.000 habitantes, dos quais 524.000 eram escravos. Uma das cidades mais movimentadas do mundo, Salvador concentrava uma importante indústria naval, que até então produzira navios para diversas regiões do império colonial português. Era também um grande centro exportador de açúcar, algodão, tabaco e outros produtos agrícolas. Sua principal atividade, no entanto, era o tráfico negreiro. O missionário americano Daniel P. Kidder, que visitaria a capital baiana alguns anos depois, ficou impressionado com a quantidade de escravos nas ruas e com o aspecto geral da cidade, na sua interpretação mais africana do que brasileira..." (página 196).​
 

· Registered
Joined
·
5,935 Posts
Muito bom o thread, Bent! :)

Eu acho que o Rio foi o que perdeu mais o conjunto...



Foi uma catástrofe de guerra. Mas, por outro lado, o que vou falar tem muito a ver com o tema do thread...

Fico pensando que serventia teriam tantas igrejas coloniais numa cidade contemporânea. Os portugueses eram um povo muito depressivo, toda sua socialibilidade era feita dentro do templo religioso, havia poucos outros locais de encontros. Cada camada social tinha sua própria igreja específica.

Com o tempo tudo perdeu a razão de ser e mais a arquitetura e o valor histórico que a função religiosa mantém essas igrejas de pé atualmente...
As igrejas coloniais são hoje muito mais obras de arte do que locais de culto religioso ou social, em quase todo o ocidente. Há 2 anos atras estive em Lisboa e num domingo pela manha entrei numa igreja, linda, toda restaurada e tinha um padre sozinho, esperando um fiel pra rezar a missa dominical. Qdo entrei ele começou a ler o sermão. Fiquei tão constrangido que permaneci um pouco ali pra não decepcioná-lo :).

Este carater "depressivo" não era exclusivo dos portugueses. Todas as cidades coloniais ibericas (espanholas tb) são entupidas de igrejas. Já os anglos e franceses pouco importancia davam a templos suntuosos nas suas colonias. Napoles, na Italia tem mais de 400 igrejas antigas. È uma caracteristica católica latina, talvez (O francês é latino apenas na lingua).

Dificil saber quem perdeu mais acervo colonial. Ate a independencia Salvador, Recife e o Rio tinha populações quase equivalentes (~100 mil ha). O atual centro histórico de Salvador corresponde apenas a cerca de 20% da área da cidade colonial original. E por lei, no período colonial, toda construção tinha de ser em estilo portugues. Portanto, se parecia uma cidade africana era pela quantidade de negros nas ruas, pelo comercio ambulante e pela falta de higiene nas ruas (que não era privilegio da cidade). Fisicamente, era uma cidade portuguesa.

Desenhos, esboços e posteriormente fotos, não negam.
 

· carioca
Joined
·
9,459 Posts
As igrejas coloniais são hoje muito mais obras de arte do que locais de culto religioso ou social, em quase todo o ocidente. Há 2 anos atras estive em Lisboa e num domingo pela manha entrei numa igreja, linda, toda restaurada e tinha um padre sozinho, esperando um fiel pra rezar a missa dominical. Qdo entrei ele começou a ler o sermão. Fiquei tão constrangido que permaneci um pouco ali pra não decepcioná-lo :).

Este carater "depressivo" não era exclusivo dos portugueses. Todas as cidades coloniais ibericas (espanholas tb) são entupidas de igrejas. Já os anglos e franceses pouco importancia davam a templos suntuosos nas suas colonias. Napoles, na Italia tem mais de 400 igrejas antigas. È uma caracteristica católica latina, talvez (O francês é latino apenas na lingua).

Dificil saber quem perdeu mais acervo colonial. Ate a independencia Salvador, Recife e o Rio tinha populações quase equivalentes (~100 mil ha). O atual centro histórico de Salvador corresponde apenas a cerca de 20% da área da cidade colonial original. E por lei, no período colonial, toda construção tinha de ser em estilo portugues. Portanto, se parecia uma cidade africana era pela quantidade de negros nas ruas, pelo comercio ambulante e pela falta de higiene nas ruas (que não era privilegio da cidade). Fisicamente, era uma cidade portuguesa.

Desenhos, esboços e posteriormente fotos, não negam.
Não considero que o grande número de igrejas nas Colônias esteve um dia ligado a religão em sí. Já foi comprovado por inúmeros autores que, ná época, a construção de igrejas era uma das poucas formas de se conseguir "investir" no novo mundo, pois os colonos, principalmente Portugal, restringia qualquer investimento que não fosse gerar mais renda a eles a curto prazo. Toda verba era limitada e ia direto para a metrópole. E como era uma coisa "sagrada", construir igrejas era "permitido" então tornou-se a forma perfeita de lavagem de dinheiro, corrupção, desvios... Por isso as grandes cidades da época (Principalmente Salvador e Rio) possuem tantas igrejas, e o Brasil lidera o ranking em todo o continente. Nenhuma cidade sulamericana possiu tantas igrejas coloniais quanto Salvador.

Enfim, adorei o Thread, tentarei colaborar!
 

· carioca
Joined
·
9,459 Posts
Muito legal esse exemplo da Igreja da Sé, em Olinda. Quem olha nunca diria que ela já tão diferente de como é atualmente, e o trabalho de restauração foi incrível mesmo. Um bom exemplo para todo o país!
 

· . . . . . . . . .
Joined
·
4,636 Posts
Legal a ideia do thread.

Minha contribuição: Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, no Rio de Janeiro.

Faz pouco tempo que notei essa igreja. É grande e fica numa rua bastante movimentada do Centro do Rio, mas são tantas as igrejas históricas na região que uma ou outra acaba passando batida. Imaginando que, por ser antiga, teria um daqueles interiores que nos enchem os olhos, resolvi entrar. Que decepção. As paredes são lisas, brancas. Logo pensei que tivesse sofrido alguma alteração e uma breve pesquisa no Google confirmou isso.

Começou a ser construída por volta de 1.700, passou por reformas no século XIX e as últimas modificações, na fachada e no interior, são de 1967, quando a igreja sofreu um incêncio. Era a Catedral do Rio de Janeiro até a chegada da Corte Portuguesa e foi a primeira igreja visitada pelo Príncipe Dom João.



http://literaturaeriodejaneiro.blogspot.com.br/2010/11/igrejas-historicas-do-centro-do-rio.html (redimensionada)

^^

Fachada por volta de 1817/1818


http://oglobo.globo.com/rio/bairros/posts/2009/01/12/o-detalhe-pertence-igreja-do-rosario-152402.asp (redimensionada)

^^

Fachada atual


http://www.flickr.com/photos/claudiolara/478024334/in/photostream/ (redimensionada)

^^

Antigo interior decorado com talha dourada perdido com o incêndio de '67, infelizmente


http://www.flickr.com/photos/riotur/6006375994

^^

Interior atual
 
21 - 40 of 71 Posts
This is an older thread, you may not receive a response, and could be reviving an old thread. Please consider creating a new thread.
Top