SkyscraperCity banner

1 - 20 of 442 Posts

·
Registered
Joined
·
9,588 Posts
Moradores do Bairro Azul em Lisboa exigem plano de pormenor

O Bairro Azul é um bairro de Lisboa, edificado na década de 1930. Pertence à freguesia de São Sebastião da Pedreira.

Nele situa-se a Mesquita Central de Lisboa, a Escola E.B. 2,3 Marquesa de Alorna, o hospital SAMS, entre outros importantes edifícios.

O Bairro Azul foi o primeiro a ser classificado como conjunto urbano de interesse municipal.


https://pt.wikipedia.org/wiki/Bairro_Azul



Os moradores do Bairro Azul, em Lisboa, consideram que aquele conjunto urbano deveria ser integrado no anunciado plano de pormenor para a Praça de Espanha e Avenida José Malhoa. Desta forma, seria possível avançar para a reabilitação e revitalização do edificado que se encontra, asseguram, bastante degradado. Porém, acusa Ana Sousa, da Comissão de Moradores, o presidente da Câmara não deu "qualquer resposta" ao pedido.

Em contraste com a pacatez que há uns anos marcava a vida do Bairro Azul - que aguarda classificação como Património da Cidade - o clima que se vive actualmente no local é "verdadeiramente caótico", garante Ana Sousa, que adianta "Estamos sitiados, com o Corte Inglés de um lado e o edifício do Totta, onde trabalham cerca de duas mil pessoas, do outro".

Além dos problemas de trânsito e de estacionamento que o aumento de trabalhadores e de utentes dos serviços ali criados provoca, a população do Bairro Azul queixa-se de "falta de segurança e de desertificação", sendo que "mais de 10% dos fogos estão abandonados". Além disso, "o comércio tradicional está em declínio".

Segundo a Comissão de Moradores, "já foram estabelecidos contactos com empresas que, eventualmente, estarão interessadas em patrocinar a reabilitação do bairro, de acordo com um regulamento que deverá ser urgentemente elaborado pela autarquia".

O JN tentou obter explicações sobre os projectos da autarquia para a zona, mas até à hora de fecho desta edição não foi dada resposta.

Propostas

Tráfego condicionado

As questões relacionadas com o trânsito e estacionamento continuam a ser preocupantes. Os moradores defendem a criação de zonas de circulação condicionada.

Coesão urbanística A construção de uma rotunda em frente ao edifício do BNC, para desviar o tráfego do interior do bairro, permitiria também a reintegração da Rua Ramalho Ortigão.

Logradouros Comisssão de Moradores propõe o aproveitamento dos logradouros, onde existem 90 lugares de estacionamento, preparados para receber parquímetros.

Classificação Acelerar o processo de classificação do Bairro Azul enquanto Conjunto Urbano de Interesse Concelhio, entregue há bastante tempo.

fonte:JN
 

·
Uma dúzia de anos disto..
Joined
·
30,728 Posts
O Corte Inglês veio de facto transformar a zona e "enclausurar" o Bairro Azul, que é, IMO, 1 dos melhores/preferidos bairros da cidade, para além de lhe tirar a pacatez natural... É de facto urgente fazer 1 planeamento essencialmente ao nível do transito/estacionamento tal como diz na peça...:eek:kay:
(só 1 questão: tenho andado a dar voltas à cabeça e não estou realmente a ver onde raio é o tal edificio do BNC onde queriam fazer a rotunda. Alguém sabe?)
 

·
Moderator
Joined
·
179,455 Posts
Eles querem construir uma rotunda para integração da rua ramalho ortigão.... mas estou confuso... será que é essa rua ou a Av. Rossano Garcia

 

·
Registered
Joined
·
9,588 Posts
Discussion Starter · #4 ·
Classificação do Bairro Azul em Lisboa tem ordem para avançar

A Câmara (CML) decidiu avançar com o processo de classificação do Bairro Azul, em Lisboa, e estudar a possibilidade de integrar o conjunto urbano de São Sebastião da Pedreira no plano de pormenor da Praça de Espanha e da Avenida José Malhoa. Duas boas notícias para os moradores do bairro que, há quase três anos, lutam por uma classificação que permita fazer face à pressão urbanística que afecta a zona e evitar a destruição daquele património, construído nos anos 30 e que inclui projectos de arquitectos conceituados como Cassiano Branco e Norte Júnior.

Ao que o JN apurou junto do pelouro da Cultura da CML, o despacho de abertura do processo foi assinado, esta semana, pela vereadora Maria Manuel Pinto Barbosa, estando a classificação a cargo do Departamento de Património Cultural da autarquia. Quanto à eventual inclusão no plano de pormenor da Praça de Espanha (ver texto em baixo), está a ser estudada pelo Departamento de Urbanismo, responsável pela elaboração do documento.

Fonte do gabinete da vereadora da Cultura explicou ao JN que "houve sempre receptividade quanto à intenção de proteger o conjunto", só que "alguma hesitação quanto ao modelo que melhor se adapta à salvaguarda do bairro" acabou por atrasar a decisão. A mesma fonte admitiu que, ainda hoje, a autarquia não sabe qual será a melhor classificação a dar à zona, até porque ainda não foi regulamentada a lei que regula as classificações a dar pelas autarquias.

Contudo, a mesma fonte salienta que, com a abertura do processo de classificação, "o conjunto fica desde já salvaguardado, visto que qualquer pedido de obra ou intervenção naquela zona tem de ser submetido à apreciação do Departamento de Património".

Ana Alves de Sousa, membro da comissão de moradores do Bairro Azul e grande impulsionadora desta classificação, congratulou-se pela decisão da autarquia e disse ao JN que, no seu entender, o bairro deverá ser classificado como "conjunto urbano de interesse concelhio". Além da classificação, a moradora defende que a CML deverá elaborar um regulamento que esclareça a população relativamente ao valor patrimonial do bairro e defina critérios para intervenções futuras.


Disciplina urbanística é um objectivo há muito adiado

Após mais de uma década de estudos e deliberações no sentido de dar à Praça de Espanha e área envolvente uma maior disciplina urbanística, a Câmara voltou a colocar a questão na ordem do dia, dando luz verde, em Janeiro, à elaboração de um novo projecto urbano. Na gaveta, ficou, por exemplo, um estudo do arquitecto Siza Vieira (1989).

A fraca qualidade urbana do espaço, à luz dos actuais princípios da disciplina urbanística, e os compromissos que impendem sobre as parcelas de terrenos disponíveis, estão entre os argumentos invocados pela autarquia para justificar um novo estudo, abrangendo a Praça de Espanha, Avenida José Malhoa e eventualmente o Bairro Azul.

A própria Câmara admite que a praça "é um imenso espaço urbano sem configuração precisa", com acentuado tráfego viário e muitos edifícios que, apesar de dominarem a paisagem, não se relacionam entre si.

O objectivo traçado é dotar a praça de maior qualidade urbanística, criando equipamentos de lazer, restauração e ditando as regras de ocupação dos terrenos edificáveis e volumetrias. Entre as mudanças planeadas está a criação de estacionamento e a relocalização do teatro "A Comuna", aproveitando as instalações. Sem solução está a deslocalização do terminal de autocarros da Transportes Sul do Tejo e do mercado de rua.

As potencialidades da zona estão qualificadas como Centro Terciário Superior desde 1994, quando foi elaborado o Plano Director Municipal de Lisboa, ainda em vigor.

fonte:JN
 

·
Uma dúzia de anos disto..
Joined
·
30,728 Posts
O Bairro Azul é, sem duvida, um dos bairros com mais interesse arquitectonico em Lisboa (basta que tenha projectos de 2 dos melhores arquitectos portugueses da 1ª metade do seculo XX). A meu ver, a localização do El Corte Ingles mesmo ao lado veio tirar 1 pouco da harmonia e tranquilidade do bairro, tendo-lhe dado por outro lado 1 maior visibilidade. Essa classificação já é há muito merecida e devida!;)
Quanto à Praça de Espanha, já muito foi debatido sobre isto num thread há coisa de 2 meses atrás. De salientar apenas a mais precisa, directa e veridica frase que já ouvi sobre aquele local: "é um imenso espaço urbano sem configuração precisa, com acentuado tráfego viário e muitos edifícios que, apesar de dominarem a paisagem, não se relacionam entre si" É exactamente isto que eu penso!!! :eek:kay:
 

·
Moderator
Joined
·
17,867 Posts
Eles vao requalificar aquilo? E uma granda confusao de carros em cima dos passeios mesmo quando o Corte Ingles tem montes de estacionamento subterraneo! Eu por acaso nao entedo porque que e que as pessoas estacionam em cima dos passeios! Eu nunca tive necessidade de tal coisa e ja andei por muitos lados, mas as vezes ate ferraris porsches e lamborghinis se veem mal estacionados com parques a dois metros!! Nao me vao dizer que e para poupar a moedinha!!
 

·
Future after Past
Joined
·
1,515 Posts
Fern said:
mas as vezes ate ferraris porsches e lamborghinis se veem mal estacionados com parques a dois metros!! Nao me vao dizer que e para poupar a moedinha!!
É uma questão de habito, a verdade é que só muito recentemente é que as novas edificações obrigam a existencia de parques subterraneos, o que sempre obrigou as pessoas a usarem os estacionamentos a superficie, ora actualmente nem existem já passeios disponiveis para estacionar quanto mais lugares a beira dos passeios.
 

·
Moderator
Joined
·
17,867 Posts
Sim, mas antigamente nao se estacionava em cima do passeio que alias acho tremendo desrespeito para com os peoes!! Por causa disso a minha avo por exemplo ja se magoou gravemente e podem ter a certeza que se me acontecer a mim o carro vai ficar em mau estado!!
De qualquer maneira referia-me aqueles casos quando existem parques com lugares disponiveis nas redondezas mas as pessoas estacionam em cima do passeio. Por acaso fiquei-me a rir as gargalhadas quando a policia correu tudo a multa durante um jogo em Alvalade e outra vez na Avenida da Liberdade qd estavam varios espetaculos a decorrer ao mesmo tempo!!
 

·
Registered
Joined
·
2,011 Posts
Lisboa - Fundação Calouste Gulbenkian

Uma das melhores coisas que lisboa tem...

Um thread dedicado à Fundação Gulbenkina.. nunca vi fotos aqui, nem discussões sobre o acervo, nem nada, por isso decidi-me a criar este thread
 

·
Uma dúzia de anos disto..
Joined
·
30,728 Posts
Fazes muito bem, Petronius! Era para ja ter feito um, porque é o sitio de Lisboa que mais adoro e tenho adiado...:(
Acho é que o thread deve ser transferido para o "forum" e peço ao Marco que o faça, sff...;)
 

·
Uma dúzia de anos disto..
Joined
·
30,728 Posts
Obrigado Marco. Pelas fotos e por teres passado para aqui!;)
Vou tambem tentar arranjar algumas, se bem que da "minha pena" não tenho nenhuma...:(
 

·
Uma dúzia de anos disto..
Joined
·
30,728 Posts
Ahhh. Por isso é que há aquele livro "Do Estádio Nacional até ao Jardins Gulbenkian"...;)
 

·
Whatever
Joined
·
45,866 Posts
que eu tenho:lol:
foi escrito em parte pela minha chefe!:D até fui ver a exposição na gulbenkian e tudo com direito a visita guiada!:D
 

·
Registered
Joined
·
2,011 Posts
alguém faz uma idea do acervo completo?, era egnraçado fazermos um listing de tudo o que a Gulbenkian possui em termos de arte.

Lembro-me de ver

Almada Negreiros
Paula Rego
Cezariny
....
 

·
Registered
Joined
·
2,011 Posts
Um pouco sobre o fundador, tirado do website oficial

CALOUSTE SARKIS GULBENKIAN
A viagem

O jovem Calouste Sarkis Gulbenkian iniciou os seus estudos em Kadikoy (Calcedónia), primeiro na escola Aramyan-Uncuyan, depois na escola francesa de St. Joseph. Prosseguiu os estudos na Europa, primeiro em Marselha, onde aprofundou os conhecimentos de francês, depois no King's College de Londres, onde se diplomou, com distinção, em engenharia (1887).

Aos 22 anos, Calouste Gulbenkian viajou pela Transcaucásia e visitou os campos petrolíferos de Baku. Corria o ano de 1891. A jornada inspirou a escrita de um livro – «La Transcaucasie et la Péninsule d'Apchéron - Souvenirs de Voyage» – e de vários artigos para a «Revue des Deux Mondes» entre os quais «Le pétrole, source d' énergie».

Estes artigos atraíram a atenção do ministro de Minas do Governo Otomano, que pediu ao jovem Gulbenkian para elaborar um relatório sobre os recursos petrolíferos do Império Otomano, especialmente na Mesopotâmia.
 

·
Registered
Joined
·
2,011 Posts
O visionário

Numa época em que a importância estratégica e económica do Médio Oriente era desconhecida, Gulbenkian soube antecipar o valor das reservas de petróleo e mobilizar investidores internacionais, assim como o governo Otomano, para a necessidade de organizar racionalmente toda a exploração.
Participa na criação do Royal Dutch Shell Group, estabelece relações com as indústrias petrolíferas americana e russa e dá o primeiro impulso a esta indústria no Golfo Pérsico.

A par do papel determinante que desempenhou nas mais altas esferas dos meios do petróleo e das finanças, Gulbenkian foi levado a assumir importantes responsabilidades em matéria política. Inicialmente, servirá os interesses da sua pátria, o Império Otomano. Em 1898, é nomeado conselheiro financeiro junto das embaixadas otomanas em Paris e Londres.

Em 1902, Calouste Gulbenkian adquire a nacionalidade britânica, trunfo que lhe vai permitir associar os interesses das duas pátrias, tendo em conta a grande influência que os britânicos exercem sobre o Império Otomano.

Depois da I Guerra Mundial, Gulbenkian é nomeado representante comercial e diplomático da Pérsia em Paris – cargo que exercerá durante 24 anos. A França ficará a dever-lhe infatigáveis esforços para proteger os interesses do país a nível petrolífero. No fim da I Guerra Mundial, teve um importante papel nas negociações que conduziram, em 1920, à assinatura do Tratado de Sèvres e depois, em 1923, à do Tratado de Lausanne.
 

·
Uma dúzia de anos disto..
Joined
·
30,728 Posts
Petronius said:
alguém faz uma idea do acervo completo?, era egnraçado fazermos um listing de tudo o que a Gulbenkian possui em termos de arte.

Lembro-me de ver

Almada Negreiros
Paula Rego
Cezariny
....
Nem vale a pena! A colecção tem lá taaaaaaaaanto autor conhecido!:drool:
Mas pronto, junto mais um à lista: 1 colecção possui uma quantidade inacreditavel de obras de joalharia de Lalique, que sao das coisas mais bonitas que ja tive oportunidade de ver!!!:drool::drool::drool:
 
1 - 20 of 442 Posts
Top