SkyscraperCity banner

681 - 700 of 705 Posts

·
"Chewie, we're home"
Joined
·
8,016 Posts
Bela vista da Serra do Mar...
 

·
Registered
Joined
·
3,132 Posts
Discussion Starter #685
Os prédios são no centro de Santo André, a foto destaca a parte norte/leste da cidade e um pedacinho da ZL (Sapopemba), e mais pro fundo dá pra ver Polo Petroquímico Capuava como dito pelo Hello_World. E lá atrás a gigantesca Billings!
Valeu!!! :)
 

·
Registered
Joined
·
4,124 Posts
Planejamento urbano metropolitano

Aprovado na Câmara e aguardando a sanção na íntegra, ou com vetos pelo Executivo municipal, o plano diretor da cidade de Sorocaba determinará como será o desenvolvimento da nossa cidade nos próximos anos. Com exaustivas discussões nos últimos dois anos, cada participante, dentro do processo de convencimento, fez o que acreditou ser o melhor para nossa cidade.
Exceto em uma audiência pública ocorrida no final de 2012 em que esteve presente a prefeita de Araçoiaba da Serra, na época ainda não empossada, não presenciei em nenhum outro momento a discussão regional de nossa legislação.

Mesmo antes da criação oficial da Região Metropolitana de Sorocaba, deveríamos discutir regionalmente qual a melhor forma de ocupar o território, tanto urbano quanto rural. Agora temos inclusive o foro para a discussão acontecer, e é chegado o momento de ordenarmos o crescimento regional, com planejamento urbano inteligente e com exemplos de sucesso e fracasso espalhados por todo o globo.
Alfonso Vergara, urbanista da Fundacion Metropoli com sede em Madrid, que esteve em uma Convenção Secovi alguns anos atrás, criou o conceito dos ""diamantes urbanos"", uma forma de explicar a conurbação de grandes cidades do mundo e planejar o uso e ocupação de seus territórios de forma inteligente buscando a vocação de cada região para melhor desenvolvimento econômico e levando mais qualidade de vida para seus habitantes.

Fazemos parte hoje de uma macro-metrópole com 30 milhões de habitantes com centro do quadrilátero na cidade de São Paulo e com as regiões metropolitanas do Vale, Campinas, Baixada e Sorocaba sendo cada ponto deste território.
Estive recentemente na Emplasa, empresa ligada ao governo de Estado, para conhecer o ótimo projeto da macro metrópole paulista e que tem o objetivo de planejar as regiões metropolitanas de São Paulo. Mas precisamos discutir também dentro das regiões metropolitanas e, principalmente, integrar o planejamento urbano.

Precisamos antes que seja tarde fomentar e agilizar as discussões das regiões metropolitanas não somente de Sorocaba, mas de nosso Estado para que ainda consigamos tentar recuperar erros decorrentes da falta do planejamento de algumas regiões.
Uma boa qualidade de vida necessita principalmente de acesso pleno à saúde, à educação, à segurança, ao emprego; e para isso o crescimento econômico é fundamental. As decisões de investimento cada vez mais globalizadas e que trazem ou tiram esse crescimento para regiões está cada vez mais levando a competição aos detalhes.

O planejamento urbano integrado e inteligente é fundamental para atingirmos esse objetivo, pois competimos diariamente com regiões de todo o mundo. Precisamos, através do planejamento, atender a diminuição de custos com uma logística inteligente de produção e transporte do produto; com habitações construídas com qualidade, custo acessível e próximas dos locais de trabalho com um sistema de mobilidade eficiente.

Dessa forma poderemos ser regionalmente competitivos, mas com uma visão do todo, de uma forma macro e ampla. Cada município ou região com a sua vocação e integrada, sem competição e com complementariedade.
Temos cidades ou regiões com vocações agrícolas, industriais, preservação ambiental, educacional, logística, turística, serviços.
Temos que começar rapidamente a discutir dentro de nossa região metropolitana, com a liderança de Sorocaba, qual a vocação de cada cidade e ao mesmo tempo fomentar a discussão dentro da macro-metrópole para que esse planejamento traga resultados efetivos e cada vez mais nossa qualidade de vida seja aprimorada.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul
Gostaria de saber quais são estes planos de integração. Sei que os Trens Regionais fazem parte deste, porém certamente não são as únicas medidas em estudo.
 

·
UFABC User
Joined
·
5,628 Posts
^^ O problema é que o material linkado é relativamente atual. A apresentação do PAM em formato aberto do PowerPoint faz um resumo para o horizonte 2013-2040, já que o documento relacionado tem quase 100 páginas.

Eu ando lendo uma série da Emplasa com seis volumes, achei muito bacana, principalmente o sexto volume (Dinâmica Territorial), mas você precisa acessar a biblioteca virtual e baixar mediante cadastro. Basta procurar por "série território" na busca de projetos. Ela é datada de 2011.

Na mesma biblioteca virtual existem algumas outras coisas sobre o PAM também.
 

·
Registered
Joined
·
4,124 Posts
^^ O problema é que o material linkado é relativamente atual. A apresentação do PAM em formato aberto do PowerPoint faz um resumo para o horizonte 2013-2040, já que o documento relacionado tem quase 100 páginas.

Eu ando lendo uma série da Emplasa com seis volumes, achei muito bacana, principalmente o sexto volume (Dinâmica Territorial), mas você precisa acessar a biblioteca virtual e baixar mediante cadastro. Basta procurar por "série território" na busca de projetos. Ela é datada de 2011.

Na mesma biblioteca virtual existem algumas outras coisas sobre o PAM também.
Consegui abrir o PPT, e deu para ver que eles atualizaram os dados com a RMS.
Gostei de ver que o enfoque foi na infraestrutura ferroviária e nos recursos hídricos em geral. Mas ví pouco sobre a expansão dos aeroportos (somente Sorocaba e São José dos Campos) e menos ainda sobre planos ambientais e de energia.
 

·
Registered
Joined
·
229 Posts
Consegui abrir o PPT, e deu para ver que eles atualizaram os dados com a RMS.
Gostei de ver que o enfoque foi na infraestrutura ferroviária e nos recursos hídricos em geral. Mas ví pouco sobre a expansão dos aeroportos (somente Sorocaba e São José dos Campos) e menos ainda sobre planos ambientais e de energia.
Pela introdução do Plano de Ação da Macrometrópole Paulista, a mensagem do nosso Governador, do Secretário-Chefe da Casa Civil, e do Diretor-Presidente da Emplasa, deu a entender que querem desenvolver a região "nivelando" as RMs. Talvez isso explique o enfoque na expansão do aeroporto de São José dos Campos e Sorocaba, que são/eram/continuam sendo os mais atrasados da Macrometrópole.
 

·
Registered
Joined
·
4,124 Posts
Pela introdução do Plano de Ação da Macrometrópole Paulista, a mensagem do nosso Governador, do Secretário-Chefe da Casa Civil, e do Diretor-Presidente da Emplasa, deu a entender que querem desenvolver a região "nivelando" as RMs. Talvez isso explique o enfoque na expansão do aeroporto de São José dos Campos e Sorocaba, que são/eram/continuam sendo os mais atrasados da Macrometrópole.
Pode ser, mas se fosse mesmo assim seria mais coerente se um aeroporto da Baixada Santista também fosse incluído nesse plano, além do adiantamento da duplicação da Raposo Tavares para que cada RM tenha duas rodovias duplicadas para São Paulo.
 

·
Registered
Joined
·
229 Posts
^^ Eu, particularmente, não tenho muito conhecimento sobre a RM de Santos, mas no tópico sobre os aeroportos do interior/litoral consta uma postagem sobre a aviação em Santos:

Projeto em Guarujá atrai quatro grupos privados

Pelo menos quatro grupos estão interessados na construção e exploração do aeroporto civil de Guarujá (SP), que deverá ser licitado no primeiro semestre de 2015, com dois anos de atraso sobre o cronograma original. Conforme o Valor apurou, um deles é a Libra Aeroportos, do grupo Libra, que apresentou uma sugestão de modelo de concessão.

A empresa já opera dois ativos: o aeroporto internacional de Cabo Frio e a aeroporto de Angra dos Reis (RJ). Entre os demais interessados, há empresas estrangeiras de construção e operação de aeroportos.

"Prefiro manter os nomes em sigilo. Estamos entregando as últimas versões de minutas do edital e do contrato até o fim de outubro à Secretaria de Aviação Civil [SAC]", disse a prefeita de Guarujá, Maria Antonieta Brito (PMDB).

O município poderá ou não incorporar, parcial ou totalmente, as sugestões de modelos de concessão apresentados pela iniciativa privada para a construção e exploração do empreendimento. O vencedor da licitação ressarcirá quem contratou os estudos de viabilidade técnica e econômica que subsidiaram o modelo de concessão.

Prestes a bater o martelo sobre esse modelo, a Prefeitura adiantou que ele será diferente do originalmente pensado, devido à perspectiva de aumento da demanda em ritmo mais acelerado.

A movimentação de 1 milhão de passageiros/ano deverá ser alcançada entre o 5º e 8º ano de operação do aeroporto e não mais no 10º, conforme o projeto inicial. A estrutura também será maior, consequentemente, o investimento saltará dos originais R$ 80 milhões para aproximadamente R$ 150 milhões.

Além do novo cenário de exploração de petróleo e gás, a perspectiva de aumento do turismo provocou a revisão dos números.
"Estamos buscando dar robustez ao aeroporto para torná-lo mais competitivo", disse Maria Antonieta. A ideia é que o prazo contratual seja de 30 anos com possibilidade de renovação.

O aeroporto será construído em um terreno de 275 mil metros quadrados cedido à Prefeitura pela Força Aérea Brasileira (FAB), onde funciona um aeródromo de uso militar - foi nele que o avião em que morreu o candidato Eduardo Campos (PSB) tentou aterrissar antes de arremeter, em agosto. E há possibilidade de que mais área seja, futuramente, incorporada para expansão do negócio.

O terminal, por exemplo, que originalmente ocuparia 5 mil m2, será ampliado. A Prefeitura ainda não revela em quanto. Num segundo momento, a pista do aeródromo, que hoje tem 1.390 metros, receberá mais 200 metros, passando a contar com 1.600 metros de extensão. O edital irá prever investimentos em navegabilidade.

Sobre as supostas dificuldades em aterrissar e decolar no aeródromo em dias de mau tempo, Maria Antonieta diz que os investimentos em tecnologia irão garantir a modernização da operação.

Uma vez que a SAC aprovar o plano de exploração aeroportuária enviado pela Prefeitura, pode ser aberta a licitação. A meta do município é licitar a construção e exploração do aeroporto no primeiro semestre de 2015.

Em 2012, quando recebeu da FAB a cessão da área, a Prefeitura estimava abrir a licitação em 2013 para ter o aeroporto pronto para a Copa do Mundo. "Esse era o melhor dos mundos, mas a outorga não saiu. Sonhamos com a outorga em 2012 e isso não aconteceu", explica Maria Antonieta.

A administração da área para implantação do aeroporto civil metropolitano de Guarujá foi repassada pelo governo ao município em dezembro de 2013 e, na sequência, a Prefeitura deu início aos estudos ambientais (EIA-Rima) necessários à implantação do empreendimento.

http://www.valor.com.br/empresas/3736998/projeto-em-guaruja-atrai-quatro-grupos-privados
 

·
eo.rodriguez43
Joined
·
337 Posts
Mercadao Paulistano

Oi minha gente, este forum de Sao Paulo é muito difícil de entender (tem sei lá 200 threads diferentes). Nao consegui encontrar a página do Mercadao assim que vou botar estas fotos cá. Tomara que curtam estas fotos deste bogotano (de Bogotá, Colômbia) que ama Sampa como se fosse sua propria cidade. Saudade dessas "coxinha" e comprimentos desde a Colômbia deste paulistano de coração.







 

·
Grande Campinas (S.Paulo)
Joined
·
41,559 Posts
show o vídeo....
 
  • Like
Reactions: LFellipe
681 - 700 of 705 Posts
Top