Skyscraper City Forum banner
Status
Not open for further replies.
1 - 2 of 2 Posts

·
MA meu tesouro,meu torrão
Joined
·
4,445 Posts
Discussion Starter · #1 ·
Maranhão no Festival de Cinema de Boston
Curta de Joaquim Haickel concorre hoje a prêmio de melhor filme nos EUA


FÉLIX ALBERTO LIMA

Especial para o Alternativo



Um tributo ao mais feminino dos sentidos humanos. Assim é Pelo Ouvido, o curta-metragem do maranhense Joaquim Haickel que participa hoje da 13ª sessão competitiva do Festival Internacional de Cinema de Boston, nos Estados Unidos. O filme, única produção brasileira selecionada para o festival, é baseado em conto homônimo de Haickel publicado no livro A Ponte, em 1991, pelo selo Edições Guarnicê.

Pelo Ouvido é visceral e ao mesmo tempo suave e terno. Tem pegada técnica com uma linguagem universal, envolvente. São 17 minutos de uma história que surpreende, de roteiro inteligente, trilha sonora original impecável e recursos cenográficos sob medida. Pelo Ouvido, o conto, foi escrito em 1984, quando Haickel integrava a equipe de redatores e agitadores culturais da revista Guarnicê e ainda ensaiava os primeiros passos na política.

A história se passa quase que totalmente dentro de um apartamento de uma grande cidade, que tanto pode ser São Paulo, Londres ou São Luís. Pelo Ouvido cabe em qualquer parte porque prende a atenção e transcende tempo e espaço. O filme conta a história de Katie (Amanda Acosta) e Charlie (Eucir de Souza). Charlie é vítima de um grave acidente que o deixa com seqüelas irreparáveis. Cego, surdo e mudo, Charlie mergulha no silêncio de um mundo que nem sempre satisfaz as fantasias da jovem Katie. Há poucos minutos para compreender – ou pelo menos para tentar decifrar – os desdobramentos dessa relação. Katie e Charlie se entendem.

O curta-metragem, a rigor, sugere uma discussão, traz uma mensagem subliminar, defende um ponto de vista, documenta uma história, revela passagens de ficção, fragmentos da história. Esqueça tudo isso. Pelo Ouvido é um curta sem maiores pretensões, uma provocação desinibida sobre um tema que, entre quatro paredes, salta aos olhos da indiferença. Joaquim Haickel não quis escrever um réquiem aos amores servis. Katie e Charlie se dão de presente, na cama, na banheira, no tato, na poesia, no telefone. Para gemer cada vez mais alto, Katie precisa ouvir o que Charles é incapaz de pronunciar.

Pelo Ouvido foi rodado em São Paulo entre setembro de 2007 e maio de 2008. Com roteiro de Joaquim Haickel e Arturo Sabóia, o filme é dirigido pelo autor do conto e tem produção executiva de Ana Mendonça e Coi Belluzzo. Cerca de 40 pessoas, entre técnicos, atores e assistentes, participaram da produção que arrebatou lugar de destaque no Festival Internacional de Boston. O curta consumiu na produção aproximadamente R$ 150 mil, com equipamentos, pagamento de cachês e custos com locação.

Eucir de Souza, o Charlie, é ator da nova geração do teatro paulista. Em 2007, encenou o monólogo O Incrível Menino Na Fotografia, com texto de Fernando Bonassi. No cinema, participou de curtas como Riso-Hiena, O Tempo dos Objetos e Fim de Caso. Mais recentemente fez o curta-metragem Palíndrome. Em Pelo Ouvido, Eucir interpreta com a alma um artista (poeta, músico e escultor) preso no silêncio cego de seu apartamento.

A bela Amanda Acosta, que interpreta Katie, tem passagens pela TV, publicidade, cinema e teatro. Nos palcos,encenou Rapsódia dos Divinos, As mulheres da Minha Vida, Os Sete Gatinhos, O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá. Marcante foi sua interpretação de Elisa Doolittle na inteligente comédia My Fair Lady. Na música, Amanda Acosta foi uma das vozes do famoso Trem da Alegria, grupo que embalou sonhos de muitas crianças Brasil afora. Voz afinada e de repertório luxuoso, Amanda dá vida à música O Segredo, feita especialmente para o filme Pelo Ouvido.
 
1 - 2 of 2 Posts
Status
Not open for further replies.
Top