SkyscraperCity banner

4101 - 4120 of 4187 Posts

·
Ilha do amor
Joined
·
8,509 Posts

·
Engineer.ma
Joined
·
648 Posts
Tá na hora desse tema entrar na pauta. ITZ precisa começar a pensar em espaços verdes e em um projeto de arborização da cidade.
Seria um sonho. Infelizmente sem una iniciativa de empresas privadas. O poder público jamais olhara para esse lado ta O cedo. Infelizmente ações assim não geram votos.
 

·
Engineer.ma
Joined
·
648 Posts
20200628_140624.jpg

Imperatriz cada vez mais se firmando como um polo em saúde.
Fora anunciado a pouco tempo a implantação do Socorrao 2 ( alguém pelo amor de Deus avisa aos governantes e ao povo que esse nome é feio e brega).
Esse ano se iniciaria a primeira turma de medicina na UEMASUL.
E agora mais um hospital na região.
Hospital de câncer de Barretos.
Conhecido como hospital do amor.
 

·
Registered
Joined
·
29 Posts
Estão trabalhando naquele terreno da Av Guajajaras que fica entre a Duvel Caminhões e a Subestação da Equatorial Energia, em frente a construção do Mix Mateus .
Este terreno é bem grande, parece ser bem maior que o terreno do Mix Mateus que está em construção.
Se não me engano, já vi um anúncio de vende-se pintado na parede falando que ele tem 12 mil metros quadrados.
Pessoal da obra do Mateus ali em frente disse que ele foi alugado pra servir de ponto de apoio. Como vão começar a erguer a estrutura, o terreno vai ficar sem espaço.
 

·
São Luis - Ma
Joined
·
3,444 Posts
It Gourmet na Holandeses, infelizmente, encerrou suas atividades. Grupo Fribal comprou o ponto para colocar outros negócios (ainda em definição). Tomara que ampliem a loja atual ou um bom restaurante. Deram sorte de arrumar um vizinho bom de mercado.
Era do dono da cabana...felizmente não ficará desocupado que seria o pior cenario
 

·
Registered
Joined
·
7,046 Posts
Justiça Federal reafirma legalidade da obra de prolongamento da Avenida Litorânea
30/06/2020

A Justiça Federal, através da 8ª Vara Ambiental e Agrária da SJMA (Seção Judiciária do Maranhão), decidiu extinguir o processo movido pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o Estado do Maranhão, que tem como objeto a obra de prolongamento da Avenida Litorânea. Segundo o processo, o MPF pedia licenciamento autônomo e completo com base em Estudo e Relatório de Impacto Ambiental e a anulação da adição da extensão da Avenida Litorânea ao licenciamento ambiental da obra de reestruturação da Avenida dos Holandeses (MA-203).

De acordo com o MPF, o Estado solicitou o aditamento do licenciamento ambiental referente à reestruturação da Avenida dos Holandeses, que tramita desde o ano de 2012, para incluir a obra referente à extensão da Avenida Litorânea. No entanto, diz o MPF, o Estado não apresentou “os estudos ambientais necessários para viabilizar o novo projeto” e incluiu a Avenida Litorânea como um ramal Rodovia Estadual (MA-203) para facilitar a realização das novas obras.

Em defesa do Estado, a Procuradoria Geral do Estado do Maranhão (PGE/MA) informou o pedido de tutela não tinha mais razões de existir, uma vez que já havia sido solicitada a abertura de processo de licenciamento ambiental autônomo e houve perda do objeto da ação, pois a autoridade estadual do meio ambiente (SEMA) rejeitou o pedido de aditamento do licenciamento em curso.

Com base nas alegações de ambas as partes, o juiz Ricardo Felipe Rodrigues Macieira decidiu extinguir o processo. Ele ressaltou que, em 2017, poucos dias antes do ajuizamento da ação civil pública movida pelo MPF, o Estado apresentou, à SEMA, o pedido de licença prévia, referente à obra conhecida como “Extensão da Avenida Litorânea”, para início do licenciamento ambiental do empreendimento. “Nessas circunstâncias, parece forçoso reconhecer a falta de interesse processual da parte, uma vez que que a pretensão jurídica que se almejava tutelar já não existia antes mesmo da proposição da demanda”, disse o juiz, ao reconhecer que o Governo do Estado não deixou de seguir a legalidade.

“Essas razões me levam a considerar insustentável o prosseguimento desta ação civil pública para analisar as alegações sobre supostas irregularidades nos estudos ambientais […] confeccionados”, diz outro trecho da decisão. “Vale dizer, com isso, que a extinção deste processo é medida que se impõe, considerando a comprovação da existência de licenciamento ambiental autônomo da obra de “Extensão da Avenida Litorânea”, finaliza.

 

·
Ilha do amor
Joined
·
8,509 Posts
E eu que pensei que depois dele Santa Inês ia começar um processo de verticalização mais acentuado.
 

·
Registered
Joined
·
6,492 Posts
Discussion Starter #4,119
Conversei com o dono da construtora que levantou ele,que por sinal é o mesmo dono da Agronor, aquela grande empresa de frango daqui. Pois bem, na época, por volta de 2013 quando conversamos, ele me informou que tinha mais 2 terrenos para construir condomínios. Um na MA-320 sentido Pindaré e outro no Bairro Jardim Brasília e que não sabia se fazia horizontal ou vestical. Até hoje só foi construído o condomínio da MA320, o Residencial Araçagy, condomínio de casas mesmo. Depois disso a Agronor cresceu muito e desde então tão construindo só os berçários e a abatedouro dela. Acredito que depois que essas obras dela cessarem ele retorne ao ramo imobiliário daqui. Os demais prédios são baixos, 3 ou no máximo 4 pavimentos, só o João Rolim e o do SENAC que chegaram a 5 pavimentos, nada que forme um skyline.
 

Attachments

·
Registered
Joined
·
6,492 Posts
Discussion Starter #4,120
Ainda sobre construção civil em Santa Inês. Que Santa Inês tá se tornando um polo educacional isso já não é novidade pra ninguém aqui no fórum, mas nunca falei das faculdades a distância que se instalaram na cidade pois são várias. Porém, recentemente percebi uma mudança na Unopar. A Unopar chegou aqui tem uns anos já, funcionava em um local alugado no centro, mas notei que esse ano nos outdoors tinha um novo endereço, fui ao site da instituição e vi que realmente há novo endereço. Ao jogar no maps, aponta exatamente para um prédio que estava meio que abandonado o primeiro pavimento e várias lojinhas no térreo, em frente ao hospital municipal. No final do ano passado pintaram uma placa de aluga-se e depois que voltei a morar em Sta Inês, percebi que o prédio tinha sido totalmente demolido e posto tapumes ao redor. Será que a Unopar vai construir um prédio próprio agora por aqui, assim como fez em São Luís e Palmas??


____

Outras obras, hoje finalmente dei uma volta de carro na cidade (que por sinal está praticamente tudo normal) e notei outras 3 novas obras:
  • Praça de alimentação tipo vila food;
  • Um empresarial de 3 pavimentos;
  • Perto dessa possível obra da Unopar estão construindo um empresarial (?) de 2 pavimentos, vi uma postagem do engenheiro de estruturas sobre ela e parece ser bem bacana, mas não tem muitas informações apenas o nome: Prime Office
  • Ao lado do cinema ano passado também tinha um galpão com terreno bem grande com uma placa de aluga-se/vende-se e que esse ano também está rodeada de tapumes, mas sem nenhuma informação;
  • Também sem nenhuma informação está rodeado de tapumes uma área de quase 1hc na bifurcação entre a Castelo Branco e o Contorno da 316.
O ruim de Santa Inês é a falta de informações nas obras, não tem nada, as vezes no máximo o nome do engenheiro/arquiteto responsavel e proprietário e só.
 

Attachments

4101 - 4120 of 4187 Posts
Top