SkyscraperCity banner
1 - 1 of 1 Posts

·
Subway and train Forever!
Joined
·
17,073 Posts
Discussion Starter · #1 ·
SÃO PAULO - A integração do metrô com o Bilhete Único fez a população economizar com o transporte público, mas a novidade, que aliviou o bolso, trouxe desconforto. O Metrô está transportando 300 mil passageiros a mais por dia. A situação é mais crítica na linha vermelha, que faz a ligação leste-oeste. São 72 mil passageiros por hora da estação Itaquera, na zona leste até a estação da Sé, no centro.
Desde o início do ano, o Bilhete Único passou a integrar ônibus e metrô. Com R$ 3, durante duas horas, o passageiro pode utilizar três ônibus e ainda embarcar em qualquer estação do metrô.

- Economiza bastante. Antes eu gastaria R$ 10, agora eu gasto R$ 3 - conta uma usuária.
Por isso, a procura pelo serviço aumentou e o metrô hoje transporta ao todo 2,8 milhões de pessoas por dia. Nos horários de pico, os passageiros se empurram e mesmo assim demoram para embarcar na linha vermelha.
- Demora umas cinco ou seis vezes para entrar - diz um passageiro.
Nas 54 estações da capital, há 338 validadores do Bilhete Único e a novidade também tem provocado filas antes mesmo das catracas. As máquinas travam quando o passageiro não usa o cartão corretamente.

Apesar da lotação toda, a administração do metrô afirma que cabe mais gente dentro de cada vagão. No horário de pico, sete pessoas dividem um metro quadrado dentro de cada vagão. Em Tóquio, na mesma área cabem dez pessoas. Portanto, aqui no Brasil ainda há espaço onde parece não ter, diz o presidente do metrô.
- Ainda não atingimos o pico que existem em alguns outros países, como por exemplo em Moscou, no Japão - diz Luis Carlos David.
Ele ainda afirma que a lotação é o preço que se paga pela integração do Bilhete Único. Mas o fim do sufoco é uma questão de tempo.

- O espaçamento teórico entre trens no mundo é considerado quase que perfeito quando você atinge 90 segundos. O metrô de São Paulo está com uma ordem prática de 100 segundos. É possível ainda diminuir alguma coisa - explica ele.
Para tentar evitar problemas como este, representantes do Estado e do município dividiram nesta quarta-feira a mesma mesa e criaram o Comitê Diretor de Transporte Integrado, formado pelo secretário estadual de Transportes Metropolitanos, pelo secretário municipal de Transportes e pelos representantes da SPTrans, CET, Metrô, CPTM e EMTU.
Os principais objetivos são discutir em conjunto os projetos de trânsito e unificar as mudanças nos sistemas de transporte do Estado e do município de São Paulo. Para não dizer que o Comitê vai ficar só nas discussões, o grupo já afirmou que a primeira atitude vai ser propor mudanças no corredor Brooklin-Diadema, na zona sul.

- Vamos acabar, por exemplo, com essa falta de orientação para quem trafega entre as cidades. Há também que se fazer muito em termos de sinalização universal na região metropolitana de São Paulo - afirma o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.
São Paulo, SP TV, O Globo, 24/05/2006.
 
1 - 1 of 1 Posts
Top