SkyscraperCity banner

1 - 20 of 28 Posts

·
Jeito de Mato
Joined
·
19,457 Posts
Discussion Starter · #1 · (Edited)

1488045

Perkins & Will
O renomado escritório global assina seu primeiro empreendimento em Campo Grande, trazendo a expertise do design biofílico e arquitetura urbana que promove a integração do espaço com o entorno, criando obras que incorporam grandes significados.


Paisagismo por Rodrigo Oliveira
Ambiente orgânico que inspira a sensação de habitat natural. O estilo naturalista e marcante desperta a beleza genuína do verde, transformando-o em um refúgio em meio a cidade.


Engenharia Sofisticada
Para construir um marco

O Maya é um marco não só pelo design exclusivo, mas pela engenharia sofisticada com arquitetura minimalista que remetem ao Brutalismo e à Biofilia, privilegiando e unindo materiais nobres como concreto aparente, madeira e vegetação.




Design Biofílico
Conexão humana com a natureza de forma consciente. Carrega em seu ecossistema conformto emocional e bem-estar



Avenida Afonso Pena
Entrada Secundária Dr. Zerbini


 

·
Registered
Joined
·
8,425 Posts
Adorei o projeto!
 

·
Jeito de Mato
Joined
·
19,457 Posts
Discussion Starter · #12 · (Edited)
Estúdio Global de Arquitetura e Design assina o primeiro empreendimento vertical nos altos da Afonso Pena
O nome escolhido, Maya, que em sânscrito significa "água" ou "mãe", conhecida como a "deusa da terra"

Campo Grande terá o primeiro prédio assinado pelo estúdio global de arquitetura e design Perkins&Will, o residencial "Maya Parque das Nações", que será lançado pela HVM Incorporadora. O nome escolhido, Maya, que em sânscrito significa "água" ou "mãe", conhecida como a "deusa da terra", sintetiza a proposta do empreendimento, que é proporcionar aos moradores conexão íntima com a natureza. Uma experiência que será possível graças ao conjunto que reúne localização privilegiada, engenharia sofisticada e arquitetura minimalista com a expertise da Perkins&Will.

A decisão de inovar no mercado de alto padrão de Mato Grosso do Sul veio para suprir uma lacuna. "O que nos perguntamos ao iniciar o projeto foi quanto o consumidor está disposto a captar do valor que gostaríamos de entregar. Ficamos felizes em concluir que existe um público que está ávido por consumir o que tem de melhor. É um grupo de pessoas que têm hábitos de consumo distintos, que viajam com frequência e valorizam ao máximo a experiência de viver bem. O Maya será um produto transformador", diz o diretor executivo da HVM Incorporadora, Rodolfo Luiz Holsback.

O empreendimento será o primeiro do tipo vertical na região dos altos da Afonso Pena, em frente ao Parque das Nações Indígenas. A HVM inaugura em Mato Grosso do Sul o conceito de residências suspensas, "A ideia é trazer o parque para dentro do edifício e proporcionar aos moradores uma experiência de respiro e bem-estar", explica o arquiteto Douglas Tolaine, Diretor de Design da Perkins&Will e líder do projeto. "Aproveitamos a proximidade do parque e de sua extensa área verde para criar essa integração com o Maya, usando materiais naturais e criando ambientes surpreendentes nas áreas comuns".

O paisagismo ficará a cargo de Rodrigo Oliveira (SP), que tem em seu currículo projetos como a Casa Fasano e se inspira na liberdade da própria natureza, reunindo texturas e volumes verdes, que ganham colorido ao seu tempo pelas floradas. O estilo naturalista e marcante desperta a beleza genuína do verde, transformando o Maya em um refúgio em meio à cidade.

Residências suspensas
O Maya Parque das Nações entrega ao mercado imobiliário de MS um alto padrão, em que as definições de exclusividade e apartamentos superluxo serão atualizadas. São poucas unidades, com extensa área verde tanto em seu entorno, quanto no recuo, de 40 metros, de forma a proporcionar tranquilidade aos moradores. As plantas, todas com pé direito elevado, são flexíveis e apresentam várias possibilidades de distribuição, com poucas divisórias e cômodos amplos, proporcionando a sensação de estar morando em uma casa.

O projeto conta com espaço delivery, elevador de carga, pet care, quadra de squash, bicicletário, sala de jogos, brinquedoteca e playground, espaço gourmet e espaço para eventos, praça, espaço fitness, SPA, sauna, piscina coberta e piscina descoberta, com borda infinita e vista para o Parque das Nações Indígenas. (...)

Sobre a Perkins&Will
Estúdio multidisciplinar de arquitetura e design baseado em pesquisas, a Perkins&Will foi fundada em 1935 sob a crença no poder do design de transformar vidas. Guiados pelos valores de excelência em design, diversidade e inclusão, pesquisa, resiliência, propósito social, sustentabilidade e bem-estar, comprometidos com a missão de projetar um mundo melhor e mais bonito. A Perkins&Will foi eleita pela revista norte-americana Fast Company uma das Mais Inovadoras Empresas de Arquitetura e figura entre os principais rankings globais dos líderes no setor. Os 26 estúdios da Perkins&Will ao redor do mundo contam com mais de 2.300 profissionais para oferecer serviços de arquitetura, design de interiores, ambientes de marca, design urbanístico e paisagismo. Para mais informações, visite www.perkinswill.com.

Sobre a HVM
A HVM Incorporadora é uma empresa sul-mato-grossense que atua há 10 anos no mercado imobiliário, com certificações pela qualidade e sustentabilidade de seus projetos (• ISO 9001-2015 • PBQP-H • selo AQUA-HQE do edifício Vertigo Premium Studios, emitido pela Fundação Vanzolini).

O estilo naturalista e marcante desperta a beleza genuína do verde, transformando o Maya em um refúgio em meio à cidade

 

·
Jeito de Mato
Joined
·
19,457 Posts
Discussion Starter · #19 ·
Perkins&Will assina residencial no MS
Projeto do Maya HVM aproveita proximidade com Parque das Nações Indígenas e propõe conexão com a natureza para moradores

O estúdio global de arquitetura e design Perkins&Will assina a arquitetura e o design de interiores do Maya HVM, novo residencial da HVM Incorporadora, de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O Maya fica localizado na Av. Afonso Pena, em frente ao Parque das Nações Indígenas, com extensa área verde.

O edifício também ficará próximo a relevantes pontos culturais e de conveniência da região, como o MARCO – Museu de Arte Contemporânea do MS; e do Museu das Culturas Dom Bosco, além do Shopping Campo Grande.

Cartão postal de Campo Grande, o Parque das Nações Indígenas, com 119 hectares de vegetação nativa e um lago, foi uma das inspirações para o projeto, cuja principal proposta é uma intensa conexão com a natureza e a sensação de morar em uma casa, mesmo em um edifício de apartamentos.

“A ideia é trazer o parque para dentro do edifício e proporcionar aos moradores uma experiência de respiro e bem-estar”, explica o arquiteto Douglas Tolaine, Diretor de Design da Perkins&Will e líder do projeto. “Aproveitamos a proximidade do parque e de sua extensa área verde para criar essa integração com o Maya, usando materiais naturais e criando ambientes surpreendentes nas áreas comuns”.

O projeto tem materiais naturais como pedras e madeira combinados com o concreto aparente, além de um abundante paisagismo, assinado por Rodrigo Oliveira.

Na entrada principal, espelhos d’água fazem alusão ao parque enquanto túneis e espaços vazios proporcionam experiências acolhedoras e surpreendentes aos moradores.

“O acesso social tem contato com o nível do pedestre e conta com uma grande marquise que abrirá o prédio para o caminho até o parque. Os vazios trarão mais ventilação e iluminação natural para esse volume”, conta Douglas.

Um desafio do projeto foi a questão térmica: “Campo Grande é uma cidade em que as temperaturas elevadas prevalecem ao longo do ano, então os estudos térmicos foram cruciais para o desenvolvimento de um edifício que realmente proporcionasse conforto e qualidade de vida aos moradores. A partir desse estudo, entendemos a melhor forma de configurar os espaços internos e a torre em si dentro do terreno”, explica Tolaine.

Para driblar as altas temperaturas, os arquitetos setorizaram toda a circulação do prédio na fachada oeste da torre, que recebe o maior volume de insolação. Desta forma, a área serve como proteção para os apartamentos, que também têm brises para amenizar o calor. Com 24 pavimentos, o Maya terá uma unidade residencial de 400m² por andar.

Cada unidade conta com um grande terraço com vista eterna para o Parque das Nações Indígenas e floreiras com vegetação para colaborar na proteção contra o calor. A área de lazer complementa a conexão com o parque com a piscina localizada na parte frontal da torre, possibilitando a vista para o verde.

A decisão de empreender no mercado de alto padrão de Mato Grosso do Sul veio para suprir uma lacuna, explica o diretor executivo da HVM Incorporadora, Rodolfo Luiz Holsback. “O que nos perguntamos ao iniciar o projeto foi quanto o consumidor está disposto a captar do valor que gostaríamos de entregar. Ficamos felizes em concluir que existe um público que está ávido por consumir o que tem de melhor. É um grupo de pessoas que tem hábitos de consumo distintos, que viajam com frequência e valorizam ao máximo a experiência de viver bem. O Maya será um produto transformador”.

Uma vez com o briefing em mãos e objetivo traçado, a HVM iniciou uma pesquisa e elegeu a Perkins&Will como parceira. “Nos identificamos muito com a Perkins&Will que tem projetos icônicos no Brasil e no mundo, com muitas referências que tornam o produto final muito interessante. Já nas primeiras ideias que nos apresentara tivemos uma impressão muito positiva, era o que buscávamos”, conta Rodolfo Luiz.


Perkins&Will assina residencial no MS

 
1 - 20 of 28 Posts
Top