SkyscraperCity banner

2561 - 2580 of 2613 Posts

·
Registered
Joined
·
328 Posts
Governo busca atrair centro de distribuição da Amazon para o Estado

Empresa anunciou no ano passado primeiro centro de distribuição do Nordeste em Pernambuco. A secretária da Fazenda, Fernanda Pacobahyba, acredita que as duas unidades poderiam funcionar para servir diferentes estados da região



Ainda em conversas iniciais com a Amazon, o Governo do Ceará quer um centro de distribuição (CD) da empresa no Estado. De acordo com a secretária da Fazenda do Ceará, Fernanda Mara Pacobahyba, houve um encontro entre as duas partes para uma apresentação das condições tribuitárias que o Ceará oferece. A partir daí, é esperado um posicionamento da Amazon acerca da possibilidade.

A informação foi transmitida durante um encontro na tarde desta segunda-feira (3) com representantes do comércio varejista no Estado na sede da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL).

Fonte:https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/negocios/online/governo-busca-atrair-centro-de-distribuicao-da-amazon-para-o-estado-1.2206490?fbclid=IwAR3dVXhSAT7RA_rVmjHkyL_Dz2ENVntYswhL68iSZJT-9XjDqojpQzvHY5k
 

·
Registered
Joined
·
1 Posts
Klabin inicia operação em Horizonte

Unidade será responsável pela produção de embalagens de papelão ondulado e abastecerá os mercados das regiões Norte e Nordeste
Ceará, 13 de fevereiro de 2020 – A Klabin, maior produtora e exportadora de papéis para embalagens do País e líder nos mercados de embalagens de papelão ondulado e sacos industriais, deu início à produção de embalagens de papelão ondulado na sua nova unidade industrial, localizada em Horizonte, no Ceará. O primeiro pedido, entregue em janeiro deste ano, marca o começo da operação da companhia no Estado.

A fábrica foi adquirida pela Klabin em setembro do ano passado, com o objetivo de ampliar a produção da empresa na região, antevendo o atendimento ao crescente mercado de fruticultura no Nordeste do País. A estimativa é de que sejam gerados 240 empregos diretos e indiretos, hoje, a companhia conta com 10% desse quadro de colaboradores. O aporte anunciado para a Unidade foi de R$ 100 milhões, sendo que R$ 48 milhões já foram investidos.

“A região vem crescendo como grande exportadora de frutas e também tem se destacado no cenário industrial. Esse investimento fortalece a nossa parceria com os clientes das regiões Nordeste e Norte e possibilita diferenciais para os mercados. Estamos muito felizes por ampliar a nossa presença regional. Chegar ao Estado do Ceará e levar a Klabin para a região por intermédio de nossas pessoas, com o conhecimento, dedicação, tecnologia e sustentabilidade, mostra que somos muito além da embalagem”, afirma Douglas Dalmasi, diretor de Embalagens da Klabin.

Localizada a 35 quilômetros de Fortaleza e 90 quilômetros do Porto do Pecém, a fábrica receberá papel reciclado da Unidade Goiana, que fica em Pernambuco, e fibra virgem das unidades da Klabin do Paraná e Santa Catarina, estando preparada para atender a indústria do Ceará e região.

As embalagens de papelão ondulado, assim como as demais linhas de papéis e embalagens da Klabin, são produzidas a partir da celulose extraída das florestas plantadas e certificadas da companhia, ou seja, são provenientes de fontes sustentáveis e renováveis, além de serem totalmente recicláveis.

https://klabin.com.br/sala-de-noticias/press-release/klabin-inicia-operacao-em-horizonte-no-ceara/
 

·
Registered
Joined
·
328 Posts
Trazendo do Franquias:

^

Dono do Coco Bambu deve levar:

Menu australiano no prato dos cearenses

"A rede de restaurantes de frutos do mar Coco Bambu, do empresário cearense Afrânio Barreira, está negociando com dois fundos de investimentos para entrar no páreo da compra do Outback Steakhouse Brasil, especializada em culinária australiana. A informação está confirmada, mas os sócios ainda não revelam o nome dos fundos. Apenas confirmaram que os primeiros contatos para viabilizar a negociação já estão em estágio avançado.

Em 2019, a empresa brasileira chegou ao primeiro R$ 1 bilhão de faturamento, com a abertura de 39 lojas. Outras oito unidades estão prestes a abrir as portas."
 

·
Registered
Joined
·
164 Posts
Nova unidade da rede Assaí Atacadista está se instalando na cidade de Iguatu, Ceará. Ficará localizada na comercial Avenida Perimetral e a obra será tocada pela BCP Engenharia.

Fonte: Google maps, rs.
 

·
Registered
Joined
·
164 Posts
Iguatu é uma das cidades mais bem organizadas que já passei das vezes que fui até Fortaleza, saindo de Campos Sales. Têm grandes avenidas, comércio movimentado, além do fato de ser bem plana (amo cidades com este tipo de relevo, rs).
 

·
Registered
Joined
·
1,082 Posts
Eu aposto muito no potencial de Iguatu, Tianguá, Russas, Aracati, Limoeiro e Brejo Santo, acho que são cidades que não recebem a devida atenção do estado, no sentido da incrementação de seu desenvolvimento, a gente compreende a importância de Sobral e do Crajubar, mas, além da região metropolitana de Fortaleza, os investimentos ainda são muito voltado pra essas regiões, em detrimento das outras citadas acima.
 

·
Registered
Joined
·
164 Posts
Verdade. O governo do Ceará não pode nem deve concentrar suas atenções e investimentos somente nessas três regiões metropolitanas. Na lista de outras cidades apostas acrescento Tauá e Crateús (Região dos Inhamuns); Quixadá e Quixeramobim (Sertão Central); e Itapipoca também.
 
  • Like
Reactions: Will_NE

·
Registered
Joined
·
164 Posts
Vi na lista de threads que há um sobre a formação histórica, cultural e étnica do estado de Pernambuco. Acho super bacana termos um tópico assim sobre o Ceará também. Me interesso muito sobre cultura, história, personalidades influentes regionais e creio que o nosso estado é riquíssimo nesse aspecto. Independente de que modo cada um ver e aplica o campo da história, acredito que este espaço poderia servir para trocas entre cearenses, pessoas de outros estados que possuem interesse sobre aqui, etc.

Há muitas histórias que se repercutem em meu imaginário que ainda procurarei me informar com a devida atenção. Dentre eles destaco: Coronelismo, Campos de Concentração em grandes secas - popularmente conhecidos como "currais do povo" -, personalidades influentes - ex.: Bezerra de Menezes, a tradicional família Alencar -, cidades que em outros tempos tinham grande importância econômica e cultural - ex.: Icó, Aracati -, escravidão, povos originários - ex.: Kariris, Icós - grandes secas, religiosidade popular (Canindé e Juazeiro do Norte), literatura de cordel, a tradição do humor, enfim, assuntos não faltam.

O que vocês acham?
 

·
Registered
Joined
·
1,082 Posts
Verdade. O governo do Ceará não pode nem deve concentrar suas atenções e investimentos somente nessas três regiões metropolitanas. Na lista de outras cidades apostas acrescento Tauá e Crateús (Região dos Inhamuns); Quixadá e Quixeramobim (Sertão Central); e Itapipoca também.
Até concordo com as cidades que vc citou, e dentro desse grupo aí citaríamos Canindé? Acaraú? Morada Nova? Camocim? Mas olha, tenho uma visão um pouco arbitrária em relação a cada uma dessas citadas por vc.

...As duas dos Inhamuns são muito atrasadas, em comparação as que eu citei, especialmente em índices de desenvolvimento, economia e taxa de crescimento. Quixadá e Quixeramobim são mais "famosinhas" do que qualquer outra coisa, me parece que já tiverem seu momento de "auge", pra mim as duas deveriam ser "mais cidade", especialmente pelo fator importância histórica que ambas tem, se tu pegar a dobradinha Russas e Limoeiro como comparação, as cidades polo do Sertão Central atualmente ficam pra trás em tudo, mesmo sendo maiores. Itapipoca nem se fala, por seu porte populacional, deveria está em outro patamar, mas fica alí no meio campo entre Sobral e São Gonçalo, e apesar do comércio forte, a cidade é muito fraca em desenvolvimento, pra se ter uma ideia, até a frota de automóveis de Limoeiro (que tem 59 mil habitantes) é superior a de Itapipoca, Limoeiro tem ainda 4 milhões a mais de dinheiro aplicado em poupança que Itapipoca, e em comparação com as cidades de Iguatu e Crato, que tem tamanhos semelhantes, essas duas estão bem mais a sua frente. Porém, concordo totalmente com vc, na pulverização de investimentos entre as regiões do estado, e não somente em três.
 

·
Carlos Henrique
Joined
·
3,775 Posts
Também concordo Gessifagner, apesar de Itapipoca ter surpreendido com o 3º PIB do interior do Estado , ainda tem que se desenvolver bastante para acompanhar seu porte populacional. A cidade de Itapipoca é próxima a Sobral e é, de certa maneira por ser próxima, ofuscada por ela.
 

·
Registered
Joined
·
1,082 Posts
^^
Sim, Itapipoca teve esse destaque na ultima pesquisa do PIB, porém, o PIB Per capta sequer aparece entre os 15 maiores. Mas tem que se observar também, em quê isso se traduz ao município, vide Caucaia e Maracanaú, ambas ocupam a segunda e terceira posição no PIB do estado, enquanto parecem a Síria bombardeada.
 

·
Registered
Joined
·
164 Posts
Realmente, como gessifagner diz, PIB não significa muito coisa. Caucaia e Maracanaú que o digam. A primeira é tão ofuscada que muita gente acha que a segunda maior cidade do estado é Juazeiro do Norte. Caucaia, a única dessas duas que já visitei, parece ser uma cidade dormitório de Fortaleza. Muito espalhada, fica difícil o governo municipal acompanhar e levar os serviços básicos de saúde, moradia digna, segurança ou saneamento básico para quase 350 mil habitantes...
 

·
Brasil | Mexico
Joined
·
18,611 Posts
http://www.correiodopovo-al.com.br/index.php/noticia/2020/02/23/a-virada-do-nordeste-estados-controlam-contas-publicas-investem-mais-e-avancam-no-social

A virada do Nordeste: estados controlam contas públicas, investem mais e avançam no social

Mesmo administrados por partidos diferentes, entes atuam cada vez mais em coordenação e conseguem acelerar resultados

23/02/2020 por Cássia Almeida e Henrique Gomes Batista

RIO, SÃO PAULO E SALVADOR - Região menos desenvolvida do país, o Nordeste tem se destacado no cenário nacional com uma condição rara: boa situação fiscal, avanço acelerado de indicadores sociais e atração de investimentos privados. Fruto de ações que começaram anos atrás, os estados e as capitais da região, mesmo administrados por partidos diferentes, vivem momento semelhante e atuam cada vez mais em coordenação.

Estão conseguindo investir, feito invejável quando a maioria dos estados, principalmente os do Sul e do Sudeste, luta para manter as contas em dia. Os estados nordestinos estão em melhor situação fiscal e aceleram o passo para reduzir o atraso na área social, com destaque para a educação.

Apesar de avanços, a região ainda sofre com pobreza e taxas de desemprego mais altas que no resto do país. E a segurança pública é um desafio, mesmo com resultados positivos em Pernambuco e Paraíba.

Dos dez estados que mais investem hoje no país, cinco são do Nordeste, segundo dados de Claudio Hamilton Santos, coordenador de Políticas Macroeconômicas do Ipea, que vem acompanhando as finanças estaduais. Ceará e Alagoas despontam na primeira posição, destinando 8,8% e 8,5% de suas receitas ao investimento público.

Segundo Santos, dos nove estados da região, sete já reformaram seus sistemas de Previdência e dois estão com projetos em tramitação. Alagoas, Bahia, Ceará, Piauí e Sergipe, além de aumentarem as alíquotas de contribuição para 14% (obrigação imposta pela reforma da Previdência federal), também fixaram idade mínima, avançando nas reformas. No Sudeste, só Espírito Santo o fez até agora.

— Em geral, os estados do Nordeste estão indo melhor que os do centro-sul e do Sudeste em particular (nas contas públicas). Bahia, Ceará e Alagoas são mais bem geridos. Como dependem mais da dinâmica agrícola, foram menos afetados pela recessão (em comparação com estados industrializados), e a arrecadação sofreu menos. Há estados nos quais a receita já está 10% maior que em 2014 (início da crise) — diz Santos.

Mais obras públicas

Fábio Klein, economista da Tendências Consultoria, afirma que Alagoas, Piauí, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte têm nota fiscal (que combina endividamento, poupança, liquidez, resultado primário e despesa com pessoal) acima da média nacional. O endividamento baixo da região ajuda nos outros fatores. Nos cálculos da consultoria, a estrela do país é o Espírito Santo. Logo em seguida, vem um estado nordestino, o Ceará.

— Pela nossa métrica, a estrela do Nordeste é o Ceará.

ACM Neto, prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, avalia que os políticos da região entenderam que, sem responsabilidade fiscal, ninguém se reelege:

— Os políticos do Nordeste, seja de qual partido, aprenderam que a responsabilidade fiscal é algo sério. Até por interesse eleitoral. Os eleitores punem os políticos irresponsáveis e populistas.

Manoel Vitório, secretário de Fazenda da Bahia, administrada pelo PT, concorda:

— Houve uma conscientização, que se intensificou na crise, de que é preciso ser responsável fiscalmente.

Com uma ação para racionalizar gastos públicos, a Secretaria baiana da Fazenda conseguiu, entre 2015 e 2019, economizar R$ 4 bilhões, o que representa 8% do orçamento do estado em 2019.

Nenhum dos nove estados do Nordeste tem classificação fiscal baixa no Tesouro Nacional. Três dos sete estados de Sul e Sudeste têm nota “D”. Só o Espírito Santo tem nota A.

Alagoas, que tem nota B, é um exemplo desse avanço. George André Santoro, secretário de Fazenda do estado, diz que as verbas de custeio estão no mesmo patamar que em 2014, menos em educação, saúde e segurança pública:

—Nas demais secretarias, há quase um teto de gastos. Passamos de D para B no Tesouro. Não somos A por causa do nosso endividamento, que ainda é alto.

A situação mais confortável permitiu ampliar investimentos públicos. No ano passado, foram R$ 600 milhões. Este ano, a previsão do governo alagoano, do MDB, é destinar R$ 700 milhões para obras como duplicação de estradas e a construção de cinco hospitais.

—Temos a pior relação entre leitos e população do país — diz Santoro.

A Bahia também está conseguindo fazer investimentos como a Ponte Ilhéus-Pontal, que ajuda na integração do sul do estado e deve ser inaugurada em março. O estado inicia agora o que é considerada a maior obra pública do país hoje: a ponte Salvador-Itaparica. O projeto de R$ 6 bilhões e 12,3 quilômetros — comparável à Ponte Rio-Niterói, com 14 quilômetros— é uma parceria com empresas chinesas.

Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, diz que o desafio foi grande durante a crise, mas que seu estado nunca deixou de cumprir o Plano de Ajuste Fiscal (PAF), firmado há cinco anos com o Tesouro, nem atrasou salários:

—Reduzimos o custo da gestão (foram R$ 300 milhões a menos em 2019), agimos com probidade, combatendo a corrupção, e ampliamos a receita.

Foco na mobilidade

Dados da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos mostram que, em 2019, o Nordeste tinha o mesmo número de projetos do setor que o Sudeste: três. Mas, enquanto o VLT e o metrô de Fortaleza estavam em obras e o monotrilho de Salvador dependia apenas de licenças ambientais para funcionar, duas das três expansões do metrô de São Paulo estavam paradas, aguardando solução de problemas legais e licitações, e a terceira estava em fase final de conclusão.

Outro ponto que favorece o avanço da região é a articulação entre governadores, independentemente da cor partidária. Mais que um fórum político, o Consórcio Nordeste, que reúne os nove estados, dá frutos econômicos. Em bloco, os estados oferecem ao exterior licitações em transporte, saneamento e serviços públicos, que podem gerar R$ 33 bilhões em contratos.

Em 2019, empresas investiram R$ 15 bilhões em Pernambuco, de montadoras ao centro de distribuição da Amazon. Para o governador do estado, Paulo Câmara (PSB), gestão responsável atrai investimento privado:

— As empresas investem mais em estados fiscalmente responsáveis.

Cláudio Frishtak, sócio da Inter.B Consultoria, avalia que a pobreza histórica levou a região a ter compromisso fiscal mais forte. O economista destaca ainda o fim de oligarquias que dominavam os estados:

—O Nordeste vive a antítese da “doença holandesa” (quando há dependência de uma única atividade econômica). É o inverso do Rio. O Nordeste agora vive um boom de energia, com eólica e solar.

Energia limpa

Enquanto o Sudeste explora o petróleo do pré-sal, o Nordeste aposta na energia limpa. A geração eólica já responde por 49,5% da demanda da região e gera renda.

— Se no Sudeste falavam do pré-sal, no Nordeste podemos dizer que vivemos o “pré-vento”. Pequenos produtores rurais viviam, às vezes, com R$ 150 reais de Bolsa Família. Agora, recebem R$ 1.500 por mês por cada aerogerador em sua propriedade, e continuam com espaço para sua plantação—diz Elbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica.

Segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS), em 6 de setembro de 2019, o setor bateu recorde de geração, suprindo 88,8% da demanda da região, que concentra 80% dos parques eólicos do país. Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará lideram, com 66% da potência instalada. Na energia solar, 70% da capacidade estão no Nordeste.

— O Nordeste é a grande estrela da energia solar do Brasil. Se colocarmos um mesmo equipamento no Japão ou no Nordeste, a geração do Nordeste será o dobro da japonesa — compara Rodrigo Sauaia, presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Fonte: O Globo.com
https://oglobo.globo.com/economia/a-virada-do-nordeste-estados-controlam-contas-publicas-investem-mais-avancam-no-social-24266510
 

·
Registered
Joined
·
1,082 Posts
Iguatu é uma das cidades mais bem organizadas que já passei das vezes que fui até Fortaleza, saindo de Campos Sales. Têm grandes avenidas, comércio movimentado, além do fato de ser bem plana (amo cidades com este tipo de relevo, rs).
Pra vc que gosta de cidade plana, uma imagem noturna de Limoeiro do Norte.

 

·
Carlos Henrique
Joined
·
3,775 Posts
Iguatu é uma das cidades mais bem organizadas que já passei das vezes que fui até Fortaleza, saindo de Campos Sales. Têm grandes avenidas, comércio movimentado, além do fato de ser bem plana (amo cidades com este tipo de relevo, rs).

Limoeiro do Norte e Parnaíba, no Piauí, são as cidades, por onde andei, que achei bem planas. Em Limoeiro vi muitas pessoas utilizando bicicletas, não sei se hoje as pessoas ainda utilizam muito esse equipamento.
 

·
Registered
Joined
·
1,082 Posts
^^
Não é a toa que Tabuleiro do Norte se chama assim, desmembrada de Limoeiro, e distante 10km do centro da mesma, tem como característica , situar-se na planície do rio Jaguaribe, assim como sua cidade-mãe. E sim, o uso da bicicleta é muito comum na cidade, que já foi bem conhecida por ser a terra das bicicletas.
 
2561 - 2580 of 2613 Posts
Top