SkyscraperCity banner
1 - 6 of 6 Posts

·
Gyn Tônica
Joined
·
2,909 Posts
Discussion Starter · #1 ·
DM
Cidades (07/06/2008)

Perdigão vai instalar laticínio em Jataí



Oportunidade - Trabalhadores na unidade da Perdigão em Rio Verde: empresa está interessada na formação de novos postos de trabalho na região sudoeste do Estado

Marcelle Alves, DA EDITORIA DE ECONOMIA


O complexo industrial da Perdigão em Jataí vai contar com uma unidade de laticínios, além do abate de aves. O anúncio é do prefeito do município, Fernando Henrique Peres. De acordo com ele, a unidade deve industrializar inicialmente cerca de 300 mil litros por dia, que serão utilizados na fabricação de queijos, iogurtes e derivados do leite.

Localizada no sudoeste goiano, Jataí tornou-se um grande pólo de atração de investimentos. Estão instaladas em Jataí a Cosan, líder nacional no setor sucroalcooleiro, além de outros empreendimentos em curso, como a Usina de Açúcar e Álcool do Grupo Cabrera, a El Cana Goiás, a Usina Sinimbu, uma indústria de asfalto e uma montadora de equipamentos para usinas hidrelétricas. De 2004 até 2007, o município teve um incremento na arrecadação de cerca de 42%.

Segundo o prefeito, a Perdigão, uma das maiores companhias de alimentos da América Latina, vai ter um grande complexo industrial em Jataí, com três indústrias, sendo um laticínio. “Quando anunciou a nova unidade de abate de aves em Jataí, o presidente da Perdigão demonstrou interesse na formação de novos postos de trabalho. Conversando com ele, dei a idéia de aproveitar o complexo industrial na cidade e ele demonstrou interesse. Menos de um mês depois, o pessoal da empresa esteve em Jataí para verificar essa possibilidade”, comenta Fernando.

Obras

Dessa forma, além da unidade onde funcionava a Galé, que abaterá matrizes de Rio Verde, Mineiros e Jataí, a Perdigão começa no segundo semestre os investimentos de R$ 400 milhões na construção da nova unidade, que abaterá 280 mil aves/dia e uma terceira empresa, a indústria de laticínios. “A prefeitura está negociando a compra de uma área de 25 alqueires para esse conglomerado. Cerca de 2.500 empregos diretos serão gerados com as indústrias. No segundo semestre, já começa a construção, para em 2009 entrar em operação”, argumenta o prefeito.

De acordo com a assessoria da Perdigão, no plano estratégico da empresa que se estende até 2015, está prevista a construção de um posto de recebimento e resfriamento do leite em Jataí, cuja produção será estimulada junto aos produtores de frango. Entretanto, não há data prevista para sua construção. Esse leite seria processado em Itumbiara, onde, recentemente, a empresa incorporou a unidade de lácteos que pertencia à Eleva Alimentos. A planta produz leite UHT com a marca Elegê, leite em pó, creme de leite e manteiga.

Entretanto, de acordo com a Prefeitura de Jataí, o produto será industrializado no próprio município. “A indústria vai consumir 300 mil litros de leite por dia. E ele será industrializado aqui, o que agrega valor e nos beneficia com maior arrecadação de impostos”, diz o prefeito. Ele explicou também que a empresa irá fornecer todos os subsídios para os produtores. “Temos um mercado muito forte, com nossa pecuária e bacia leiteira. E a Perdigão vai incentivar esses produtores com subsídios como ração para o gado, por exemplo.”

Motivos

Vários fatores levaram a Perdigão a investir em Jataí. Um deles é a sinergia logística em função da proximidade com sua maior unidade, instalada em Rio Verde. Além disso, foram considerados a disponibilidade de grãos na região e o grande interesse de proprietários rurais da área em se integrarem ao sistema de produção da empresa.

Na próxima terça-feira, a GoiásFomento vai assinar contrato de parceria e cooperação técnica com a Adial-Brasil. Na solenidade, também serão liberados novos contratos de financiamentos de incentivos fiscais do Programa Produzir para sete empresas de médio porte instaladas em Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Goianira e Cidade Ocidental, que somam R$ 121 milhões.

Os projetos apresentados ao Produzir prevêem investimentos de R$ 6 milhões por parte dessas empresas, que devem gerar cerca de 400 empregos diretos e 1.200 indiretos. Seguindo a estratégia de valorizar as entidades parceiras do setor empresarial, a GoiásFomento sai de sua sede para esse novo evento em conjunto com uma entidade representativa do setor empresarial de Goiás. A solenidade será a partir das 11 horas, na sede da Asban, no Setor Sul, em Goiânia.

Pg. 24
http://www2.dm.com.br/digital/index.php?edicao=7519
 

·
Banned
Joined
·
27,387 Posts
^^ Nossa que milagre, um investimento na Cidade Ocidental, com certeza não é industrial, mas já é alguma coisa.
 

·
Gyn Tônica
Joined
·
2,909 Posts
Discussion Starter · #3 ·
^^ Nossa que milagre, um investimento na Cidade Ocidental, com certeza não é industrial, mas já é alguma coisa.
"sete empresas de médio porte instaladas em Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Goianira e Cidade Ocidental, que somam R$ 121 milhões."
 

·
Banned
Joined
·
27,387 Posts
^^ Como a noticia fala, empresas de médio porte, então não fala que é industrial, comercial, de serviços ou coisas do genero.
 

·
Gyn Tônica
Joined
·
2,909 Posts
Discussion Starter · #5 ·
São empresas que já existem que vão ganhar incentivos... já existem... mas vc diz que não existe nada lá...
E não é de ver que descobri que as marcas Albany (sabonete, shampoo,etc.) e Minuano (detergente, desinfetante, amaciante, sabão e sabão em pó), são do Grupo Friboi e tem sede no Entorno de Brasília, em Luziânia (GO)!!

É... e tem lugares bem piores Brasil afora que não tem nada...
 

·
Banned
Joined
·
27,387 Posts
^^ Mas se pegar o número de médias e grandes empresas do entorno é insignificante, tirando é claro o investimento de 3 bilhões de reais da Brasal em Luziânia, claro, sem incentivos do Governo de Goiás, e sim, do municipio de Luziania, pois se fosse para ter incentivos do governo estadual, o Osorio Adriano estava quase levando todo esse investimento para Unai.
 
1 - 6 of 6 Posts
Top