Skyscraper City Forum banner
1 - 13 of 13 Posts

·
Geógrafo
Joined
·
3,344 Posts
Discussion Starter · #1 ·
Procura de informáticos na região do Porto supera oferta

A procura de profissionais de tecnologias da informação supera em muito a oferta no Porto, devido ao crescimento dos quadros de pessoal de empresas como a Alert, disseram hoje à agência Lusa fontes do sector.
Só a Alert Life Sciences Computing, cuja nova sede será inaugurada terça-feira em Vila Nova de Gaia pelo Presidente da República, Cavaco Silva, no âmbito da quarta edição do Roteiro para a Ciência, tem já mais de 500 trabalhadores, quase todos da área da tecnologia.

Para fazer face ao crescimento acelerado da empresa, quer em volume de negócios quer em quadro de pessoal, a Alert transferiu-se recentemente da Rua Bessa Leite, no Porto, para Gaia, ocupando agora uma torre de nove andares do edifício Arrábida Lake Towers. Num distrito com uma das mais altas taxas de desemprego do país, o surgimento de novas empresas de tecnologia tem, por contraste, esgotado por completo a escassa oferta de profissionais.

«Temos recebido duas a três propostas de estágios por aluno. As empresas maiores apresentam pacotes com muitos estágios», disse à Lusa o director do curso de Engenharia Informática da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), Augusto Sousa.

Alert, PT Comunicações, PT Inovação, Continente, CPC, Indra, Accenture, Critical Software e Qimonda são algumas das empresas que mais procuram os alunos de Engenharia Informática da FEUP, acabando, na maioria dos casos, por os contratar após o estágio curricular, agora designado projecto/dissertação.

«Por ano, têm estado a sair à volta de 70 formados», disse Augusto Sousa, afirmando que a capacidade do curso, de cinco anos, aumentou de 50 para 100 alunos nos últimos anos, mas a média mínima de entrada manteve-se nos 14 a 15 valores.

16-05-2008
 

·
Geógrafo
Joined
·
3,344 Posts
Discussion Starter · #2 ·
Tecnologia: Alert prepara-se para concorrência da Microsoft com expansão internacional

Porto, 16 Mai (Lusa) - A Alert Life Sciences abrirá este ano um centro de desenvolvimento na Holanda para servir de âncora à expansão internacional da empresa e enfrentar concorrentes como a Microsoft, revelou hoje à agência Lusa o presidente da Alert, Jorge Guimarães.


"Temos grandes concorrentes fora de Portugal, como a Siemens e a norte-americana Cerner, e antevemos a chegada ao mercado da Microsoft", disse o presidente da empresa do Porto especializada em software de gestão para hospitais e centros de saúde.

Jorge Guimarães destacou também a concorrência em Portugal da Associação Nacional de Farmácias, que detém a Consiste, empresa que comprou recentemente a CPCHS - Companhia Portuguesa de Computadores, Healthcare Solutions.

"Temos de ser muito competitivos para sobreviver num mercado global", afirmou, manifestando-se, contudo, confiante no rápido crescimento da empresa nos próximos anos.

O empresário salientou que a Alert prevê duplicar novamente este ano a facturação e o quadro de pessoal, atingindo os mil trabalhadores, quase todos de áreas tecnológicas, nomeadamente da engenharia informática.

"Conseguir cerca de 500 engenheiros informáticos num curto prazo não é fácil", afirmou, reconhecendo que a escassez de técnicos desta área em Portugal contribuiu para a decisão da empresa de criar um centro de desenvolvimento na Holanda, onde já tem uma filial.

O empresário justificou a escolha da Holanda com o facto de se tratar de "um mercado interessante e uma boa localização geográfica".

Jorge Guimarães referiu que a expansão internacional da empresa, que será responsável este ano por metade da facturação prevista, próxima dos 50 milhões de euros, não tem sido isenta de dificuldades.

"Há sempre dificuldades nalguns mercados, especialmente o de Espanha e dos Estados Unidos, que têm características particulares", afirmou, realçando que, contudo, esses obstáculos não têm impedido o crescimento da empresa, que todos os anos duplica a facturação e o quadro de pessoal.

Para fazer face a este crescimento acelerado, a Alert transferiu-se recentemente da Rua Bessa Leite, no Porto, para Gaia, ocupando agora uma torre de nove andares do edifício Arrábida Lake Towers, que será inaugurada terça-feira por Cavaco Silva, no âmbito da quarta etapa do Roteiro para a Ciência do Presidente da República.

"Temos já três pisos ocupados, que passarão a seis no próximo mês, mas temos toda a torre reservada. Estas instalações deverão ser suficientes para os próximos dois anos e meio a três", afirmou Jorge Guimarães, admitindo que o crescimento da empresa possa vir a obrigar a nova mudança de instalações.

Jorge Guimarães referiu que vai aproveitar a visita do Presidente da República para anunciar o lançamento de um novo produto na área da saúde.

A Alert Life Sciences Computing tem a sua origem em 1998, quando o médico e investigador Jorge Guimarães venceu o Grande Prémio Bial de Medicina, um ano depois de ter concluído o doutoramento na Universidade do Porto e de ter rumado para os Estados Unidos, onde fez um pós-doutoramento na Universidade de Standford.

Com o dinheiro do prémio, investiu na criação, em Dezembro de 1999, de uma empresa, a MNI - Médicos Na Internet, dedicada a serviços de saúde através da Internet, área que a agora designada Alert ainda mantém e é auto-suficiente.

No ano seguinte, Jorge Guimarães reposicionou a principal actividade da empresa, investindo no desenvolvimento de software para os serviços de saúde.

Menos de 10 anos depois, os produtos Alert estão já em 639 hospitais e cerca de 8.000 centros de saúde, em Portugal e noutros 30 países, entre os quais Espanha, Itália, Holanda, Brasil, Estados Unidos, Singapura e Malásia.

A Alert, que já emprega mais de 500 trabalhadores da área tecnológica, facturou no ano passado 23,16 milhões de euros, resultado que prevê duplicar em 2008, conseguindo metade do volume de negócios fora de Portugal.

A administração da Alert integra três naturais de Viana do Castelo com ligações familiares, Jorge Guimarães, 40 anos, o irmão César Guimarães, 36 anos, licenciado em Economia, e o primo Miguel Rocha, 31 anos, licenciado em Farmácia.

FZ.

Lusa/Fim
 

·
Banned
Joined
·
5,848 Posts
:lol: deveriam prender quem escreve estas barbaridades.

Em Lisboa é que supera, no Porto não. ;) há uma crise em informática no Porto, a oferta é maior que a procura e os empregos que existem são de pouco valor acrescentado, o que tem levado à migração dos informáticos para Lisboa ou para o estrangeiro.

Sei do que falo!
 

·
Registered
Joined
·
702 Posts
:lol: deveriam prender quem escreve estas barbaridades.

Em Lisboa é que supera, no Porto não. ;) há uma crise em informática no Porto, a oferta é maior que a procura e os empregos que existem são de pouco valor acrescentado, o que tem levado à migração dos informáticos para Lisboa ou para o estrangeiro.

Sei do que falo!
Será certamente por causa da emigração das áreas das TIC que há falta de profissionais na região, principalmente com experiência profissional...

Pode ser que esta vaga de oportunidades ajude a fixar e a trazer de volta as pessoas mais qualificadas...
 

·
Registered
Joined
·
10,895 Posts
Óbvio! Concordo com o Pedro, faltar n faltam, faltam é mais empregos para manter quadros no Porto...
 

·
Banned
Joined
·
5,848 Posts
Será certamente por causa da emigração das áreas das TIC que há falta de profissionais na região, principalmente com experiência profissional...

Pode ser que esta vaga de oportunidades ajude a fixar e a trazer de volta as pessoas mais qualificadas...
Se o que estão cá querem sair, porque raio os que já sairam vao voltar? É que as condições não são boas, por mais falsas expectativas que estas noticias apresentam, pois está relacionada com a visita do presidente da republica ao Porto na proxima semana. Além de estas noticias agravarem a situação, pois transmitem a ideia FALSA de que há emprego em TI em abundância, quando se passa o inverso, afastando potenciais empregadores da região, logo agravando ainda mais a situação.

As empresas têm é que saber a realidade que há muita oferta, mas não virem ao Porto para recrutar ferozmente para irem para Lisboa ou estrangeiro como tem acontecido, mas incentivar as empresas a criarem emprego na região do Porto. O que se tem assistido é também uma fuga das próprias empresas do Porto para Lisboa, pois lá tem a vida mais facilitada relativamente as empresas para as quais trabalham, que tb estão lá sediadas.
 

·
I Love You... Soraia
Joined
·
27,934 Posts
pedro, se isso te acalma. a zona que actualmente constroi mais ABL de escritorios, e cujos escritorios mais valorizam, é a zona do Porto. Está a haver uma grande explosão do terciário ao longo de alguns concelhos da AMP, e até fora dela. E essa da fuga pra Lisboa ja era. Ha quanto tempo nao ha uma "fuga pra Lisboa". o caso mais recente de "fuga" ate foi ao contrario. Uma cena de Lisboa que vem para o Porto. akela cena do Zon, ou lá o que é. E várias empresas com sede em Lisboa, estão agora a abrir uma sede no Porto. (Vodafone, EDP, etc). e depois eh so ver edificios de escritorios e parques empresariais a crescer como cogumelos. a vida empresarial do Porto é hoje já bastante ampla, e está a crescer muito rapidamente.

Quanto à área da informática, realmente há IMENSOS informáticos a ser formados, e se a procura superta a oferta, é muito bom sinal, quer dizer que esta área ainda precisa de mais, logo MAIS empregos do terciário se irão gerar. As notícias são evidentes. Depois há aqueles com o complexo do costume. Mas eu não faço parte desse grupo. Faço grupo dos realistas que acreditam no futuro, baseando-se na realidade. A única coisa em que realmente o Porto está péssimo é pelo facto de não haver um governo na cidade. Uma cidade destas precisa de autonomia política total e absoluta. Nisso estamos realmente mal, com um estado-nação, quando deveriamos ter uma nação com vários estados.
 

·
Banned
Joined
·
5,848 Posts
Não sei o que vai acontecer, mas até hoje, o titulo

Procura de informáticos na região do Porto supera oferta

é MENTIRA.
Senao as empresas não se davao ao luxo dos fracos salarios, de exigir tudo e mais alguma coisa, mas dão-se porque tem uma bíblia de currículos na secretaria.

motivos para isto?

-> Estamos em Maio altura das candidaturas ao ensino superior. mais dinheiro de propinas.

-> flores para a visita do cavaco ao Porto nesta semana.

-> ou uma empresa zarolha que nunca ouviu falar nos anúncios do JN.

Quem é engenheiro informático/sistemas, sabe que não há motivo para sorrir. Mas continua-se a pintar nos jornais a profissão maravilhosa.
 

·
Registered
Joined
·
702 Posts
A verdade é que as grandes empresas tecnológicas estão a investir no Norte, mesmo as empresas de Lisboa, ou com sede em Lisboa...

Chipidea abriu filial na Maia.

Siemens abriu laboratório em Aveiro.

EDP vai concentrar as actividades de R&D no Porto, área das renováveis e contadores.

etc ...
 

·
Registered
Joined
·
761 Posts
Po acaso Pedro, apesar de estar a leste do mercado laboral para os informáticos, já me tinham dito há dois meses que essa empresa tinha ocupado a torre toda e que o volume de negócios crescia.

Fiquei surpreendido e até um pouco céptico, pois tenho visto 3 andares da tal torre permanetemente iluminados, mas parece que afinal a informação é correcta.
 

·
I Love You... Soraia
Joined
·
27,934 Posts
as empresas no Porto estao a crescer de caralho :lol: venha quem quiser dizer o contrario, a REALIDADE ninguem demove :eek:kay:

eu, melhor que muita gente, deverei saber, já que sigo a par e passo a evolução da cidade que amo.
 

·
Registered
Joined
·
10,895 Posts
Chipidea abriu filial na Maia.
Sim, uma coisa mto recente :lol:

Daniel, o que o Pedro disse é a verdade. Relativamente a outras profissões, ainda há trabalho para engs e informáticos. Mas infelizmente há mtos q vão lá para fora pq os empregos no Porto ou são mal pagos ou são pouco aliciantes.
Isto é a realidade actual, e nesta área eu sei bem do que falo!
 

·
Registered
Joined
·
10,895 Posts
Quem é engenheiro informático/sistemas, sabe que não há motivo para sorrir. Mas continua-se a pintar nos jornais a profissão maravilhosa.
Por enquanto ainda vai sendo das profissões com menos taxa de desemprego. N é o que era, ganha-se menos, mas n vais para as caixas do supermercado...
E tens boas oportunidades no estrangeiro, na pior das hipóteses!
 
1 - 13 of 13 Posts
Top