SkyscraperCity banner
1 - 20 of 103 Posts

·
Brasil
Joined
·
1,367 Posts
Discussion Starter · #1 ·
Ranking do crescimento relativo das 51 cidades mais populosas do Brasil - IBGE 2008/2009


Dados: IBGE 2008 - 2009(antes que me perguntem, os dados que estão no sitio do Datasus conferem com os dados do IBGE apresentados nos anos anteriores.)

^^^^Observamos que o crescimento relativo nas grandes metrópoles brasileiras estão levadas a estagnação. Rio, São Paulo, BH, Porto Alegre serão as primeiras cidades em 2020 a decrescer (quando está previsto pelo IBGE o pico máximo que a população brasileira vai chegar e apartir daí, começar a diminui), Santos por exemplo já está vivendo isso, assim como aconteceu e ainda acontece em Detroit, Pittsburgh, Atlanta, Washington, além das várias cidades da Europa. Suas regiões metropolitanas vão crescer, mas em um rítimo bem menor que antes. Estamos atingindo um nível de crescimento baixíssimo, que aos poucos não será mais possível a reposição populacional (hoje isso já acontece no Sudeste/Sul, que é de 1,7 filhos por mulher, onde para repor seria dois filhos por mulher).

Minha análise desses dados me mostram que apartir de agora as cidades do Norte e Nordeste que vão sustentar o crescimento populacioal do Brasil até 2020, digo pelas taxas de natalidade. Já as cidades do Sul/Sudeste, como Uberlândia, Florianópolis, Sorocaba, São José do Rio Preto, Juiz de Fora...que obtiveram crescimento relativo acima da do brasileiro é devido a imigração, são as novas metrópoles em formação, são aquelas que não chegaram ao 1 milhão de habitantes mas se tornaram metrópoles devido ao seu conjunto de serviços da atualidade, oferecendo qualidade de vida ao mesmo tempo. Já Brasília, a imigração tem um peso grande no crescimento da cidade, a capital oferece altos salários, abriga a sede do governo federal, além de oferecer uma boa qualidade de vida e um pujante crescimento econômico.

Metrópole não é poluição, congestionamento, prédios...a nova metrópole brasileira, a metrópole do futuro, é aquela que vai oferecer qualidade de vida e todos os serviços que uma metrópole possa ter hoje, serão essas citadas acima, as cidades entre 500 e 1 milhão.

Diante disso, percebo que estamos caminhando muito rápido para o melhoramento do IDH, ou seja, a qualidade de vida que nos levará a ser um país desenvolvido, estamos longe, mas estamos caminhando a passos largos para isso, é esperar para ver, ainda estaremos vivos!:nuts: O Brasil reagiu rapidamente ao crescimento econômico e social acelerado dos últimos anos, cito como exemplos o aumento dos programas de controle de natalidade e o crescente enriquecimento da população brasileira, diria isso como o principal causa da queda da taxa de natalidade. Caiu no Brasil inteiro, mais sensivelmente no Sul e Sudeste devido as condições econômicas típicas das regiões.
:)
 

·
Registered
Joined
·
16,240 Posts
Ah tah beleza! Realmente é muito trabalho! Mas faça mesmo vei towww super curioso pra ver a colocação das minhas cidades : Juazeiro BA e Petrolina PE! ;)
 

·
Brasil
Joined
·
1,367 Posts
Discussion Starter · #6 ·
Assim que estiver pronto coloco aqui pra todos apreciarem...
Sou só eu que tem paixão por dados de cidades?
 

·
Brasil
Joined
·
1,367 Posts
Discussion Starter · #8 ·
As novas metrópoles que eu disse já começaram a surgir. O Governo Federal quer a criação de novos pólos regionais e a intensificação dos investimentos nessas cidades para repolarizar o Brasil, aumentando a oferta de serviços nas mesmas, ou seja, dar um "empurrão" para eleva-las ao status de metrópoles regionais. Um estudo muito recente dessa nova fase do Brasil foi apresentado no final do ano passado pelo Ministério do Planejamento.

Estudo sugere o desenvolvimento de sete novos pólos regionais

Brasília, 12/11/2008 – O Estudo do Planejamento Territorial, que começou a ser divulgado hoje pelo Ministério do Planejamento, sugere a intensificação de políticas públicas para o desenvolvimento de sete novos pólos regionais nas cidades de Uberlândia, Porto Velho, Palmas, Belém, São Luís, Campo Grande e Cuibá, e em mais 20 outras cidades consideradas subpólos.

O trabalho, desenvolvido pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) para o Ministério do Planejamento, está sendo apresentado no Seminário Internacional de Planejamento Territorial no Brasil, que começou hoje e vai até quinta-feira (13/11) no Hotel Gran Bittar no Setor Hoteleiro Sul, de Brasília.

De acordo com o Secretário de Planejamento e Investimentos estratégicos, Afonso Oliveira de Almeida, um dos organizadores do evento, os pólos levantados no estudo são identificações de regiões urbanas que podem ajudar a fazer a descentralização do desenvolvimento nacional.

“A idéia de desenvolver novos pólos é fazer uma desconcentração e uma nova repolarização do território nacional. Como se faz isso? Ofertando serviços nessas novas cidades que estão sendo sugeridas no estudo, para que os deslocamentos dentro do território se dêem de forma desconcentrada”, afirmou o secretário.

Afonso Almeida acrescentou que a Secretaria deve debater com os ministérios setoriais a possibilidade de concentrar os próximos investimentos, especialmente na área de serviços, nessas regiões indicadas.

“Nós já tivemos uma experiência com o Ministério da Agricultura. O ministério estava estudando a criação de sete novas unidades da Embrapa e nós sugerimos que algumas dessas novas unidades fossem implantadas nas proximidades de Palmas, São Luis e Cuiabá, cidades apontadas pelo estudo. Esse caso é significativo porque as unidades da Embrapa oferecem serviços, o que tem tudo a ver com o estudo”, destacou Afonso.

A participação mais ativa do Estado nesses pólos é defendida também pelo professor da UFMG, Clélio Campolina Diniz, que apresentou a parte relativa à seleção dos pólos. Segundo ele, o desenvolvimento dessas regiões só poderá ser feito por meio de uma intensificação inicial de investimentos públicos que por sua vez atrairiam os investimentos privados, gerando novos empregos e renda para a região e dando suporte ao desenvolvimento econômico do seu entorno.

Campolina acrescentou que o desenvolvimento dos novos macropólos vai ajudar as grandes cidades brasileiras a resolver o problema de concentração populacional, abrindo condições para políticas que possam minorar a condição de exclusão social que existe nessas grandes cidades.

“A concentração populacional sem oportunidades de trabalho, de renda, de habitação, de saneamento nas grandes metrópoles é um desafio social. E ele não pode ser resolvido de forma interna pelas metrópoles onde há concentração. Tem que ser resolvido por oportunidades de desconcentração para outras regiões”, completou o professor Campolina.

As cidades sugeridas no estudo como subpólos são as seguintes: Santa Maria (RS), Chapecó (SC), Cascavel (PR), Teófilo Otoni (MG), Montes Claros (MG), Vitória da Conquista (BA), Sinop (MT), Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC), Tabatinga (AM), Boa Vista (RR), Santarém (PA), Itaituba (PA), Macapá (AP), Marabá (PA), Imperatriz (MA), Araguaína (TO), Eliseu Martins (PE), Sousa (PB) e o conjunto de três cidades do Ceará que ficam próximas conhecidas como Crajubar (Crato -Juazeiro do Norte – Barbalha).

Ministério do Planejamento - Governo Federal
 

·
Brasil
Joined
·
1,367 Posts
Discussion Starter · #9 ·
^^ Eu coleciono tudo! Desde de População à dados do Índice de Gini por município!
Eu gosto muito,mas guardar no pc nao guardo não..
Deixo tudo na mente...
 

·
Mineiro da Mata
Joined
·
11,254 Posts
Esses dados já são bem interessantes, são estimativas e no caso de 2009 estimativa da estimativa. Mas acredito que os números do censo de 2010 não deva ter mtas diferenças gritantes.

É impressionate o crescimento de cidades metropolitanas como Betim, Ananindeua, Ap. de Goiânia além dos investimentos e melhorias nos ultimos anos o custo de vida mais barato fez com que elas se tornassem atrativas para a população de outras cidades inclusive de suas capitais. Além do espaço físico e gdes áreas para expansão urbana que tb tendem a aumentar o fluxo migratório para elas.

Já no interior o destaque é Uberlândia, a cidade tem atraído população pq é uma cidade geradora de empregos, além de formadora de mão-de-obra especializada que consegue ainda absorver esse contingente, estudantes que se formam na cidade e acabam se estabelecendo nela.

Queria saber o taxa de migrantes em Uberlândia, e se a prefeitura tem um programa para receber pessoas sem qualificação profissional e que acabem na ilegalidade, subemprego ou mendicância.
 

·
Brasil
Joined
·
1,367 Posts
Discussion Starter · #12 ·
Eu sempre guardo tudo na memória...
Nunca me falhou(até hoje) :lol:
 

·
Brasil
Joined
·
1,367 Posts
Discussion Starter · #13 · (Edited)
Fiquei impressionado com o crescimento explosivo de Ap. de Goiânia.Alguns anos mais e alcançará o tamanho (em população) de Ribeirão Preto por exemplo.
Só fico um pouco preocupado com itens como criminalidade,estrutura urbana,transporte de massa,etc.
 

·
Piu Forte, porra!
Joined
·
7,278 Posts
São João simplesmente praticamente não cresce mais pq o espaço acabou. Toda a área urbana da cidade é construída. Daqui a alguns anos, não duvido nada que o "formigueiro das Américas" comece a esvaziar um pouco. Aliás, a pior cidade dentre as grandes na RMRJ é a que mais cresce: Belford Roxo. Eh tragédia...
 

·
instagram: t.l.rekarte
Joined
·
59,622 Posts
E me surpreendi o crescimento de Brasilia,para uma cidade que n tem estado,ter o maior crescimento absoluto do Brasil!
algum brasiliense,poderia me explicar de onde vem esse crescimento?
 

·
Registered
Joined
·
1,931 Posts
Feira de Santana é a 31º em população e a 34º em crescimento
ótimos dados, e o pib o 2º que mais cresceu do estado,
tudo vai melhorar mais ainda com a RMFS ainda este ano
valeu:)
 

·
Banned
Joined
·
7,747 Posts
São João simplesmente praticamente não cresce mais pq o espaço acabou. Toda a área urbana da cidade é construída. Daqui a alguns anos, não duvido nada que o "formigueiro das Américas" comece a esvaziar um pouco. Aliás, a pior cidade dentre as grandes na RMRJ é a que mais cresce: Belford Roxo. Eh tragédia...
Belford Roxo não cresce, e sim incha.
 
1 - 20 of 103 Posts
Top