Skyscraper City Forum banner
1 - 20 of 205 Posts

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Esperem só começar a lenga-lenga das desapropriações... ações judiciais, obras paralisadas...

Mas algo ter voltado a acontecer já é um bom sinal. Não se esqueçam que o prazo é de 4 anos... uma infinidade... não sei o motivo de prazos tão longos, cada trecho é da ordem de 30 Km... 4 anos pra DUPLICAR (nem construir é) 30 Km é uma palhaçada, acho que em 4 anos a Alemanha faz um túnel ligando Munique à Colônia!
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Obras 31/01/2014 | 17h44 Atualizada em 31/01/2014 | 18h21

Trabalhos de duplicação da BR-470 avançam 1,2 quilômetro em Gaspar
Obras começaram em 20 de janeiro, seis meses após a assinatura da ordem de serviço


Obras no Belchior, em Gaspar, avançaram 1,2 mil metros desde o início dos trabalhos em 20 de janeiro
Foto: Artur Moser / Agencia RBS​

Os trabalhos de duplicação nas margens da BR-470 avançaram 1,2 mil metros até a tarde desta sexta-feira. Os operários trabalham no Km 45, em Gaspar, rumo à Blumenau - no Lote 3 - desde 20 de janeiro.

De acordo com a Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) em Santa Catarina, os operários devem avançar até o Km 48, sempre trabalhando na faixa de domínio da União, que é paralela às pistas em uma distância que varia de 15 a 50 metros pela lateral.

>> Confira as etapas da obra no Duplicoscópio <<

A assessoria de imprensa do Dnit/SC informou que os trabalhos seguem com terraplanagem, serviços de drenagem e remoção de solos moles.

No início desta semana, a Construtora Brasileira e Mineradora Ltda. (Cbemi) encaminhou pedido de impugnação ao edital que escolherá a empresa para duplicar o Lote 2 da BR-470, entre Ilhota e Gaspar.

Através da assessoria de comunicação, a superintendência do Dnit informou que a Cbemi contesta a assinatura no documento. O Dnit informa que o pedido será avaliado pela comissão local de licitações e não atrapalha o andamento do processo.

O edital para duplicar o Lote 2, em Regime Diferenciado de Contratação (RDC), deve escolher as empresas em 4 de fevereiro. Quanto ao Lote 1, o Dnit não informa a data de assinatura da ordem de serviço.

JORNAL DE SANTA CATARINA
Bah, impugnar o edital agora seria triste!

Já a lerdeza da ordem de serviço pro lote 1 enche o saco! Mas é assim, devem estar com empecilhos contratuais que ficam viajando de um jurídico a outro...
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Se toda papelada tá pronta (parece que sim) deveria existir no mínimo mais uma frente de trabalho, no lote 4. Afinal de contas, lote 3 e 4 são obras "distintas".
Mas como a mesma empresa ganhou ambas licitações e o povo vê a 470 com uma única grande obra, é capaz de ser empurrado com a barriga por algum tempo essa outra frente de trabalho, o que é uma pena.
A ordem de serviço jamais deveria ter sido assinada faltando papelada :eek:hno: Isso não é crime?!
Certamente a ordem de serviço só é assinada com os contratos assinados. Mas a questão não é contratual, é o cronograma da empresa mesmo... ela tem o mesmo prazo pros dois trechos, então ela vai ter q se virar pra terminar, acho que o DNIT não tem como exigir que eles trabalhem simultaneamente nos dois trechos o tempo todo, embora certamente isso deve acontecer mais cedo ou mais tarde...
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Não tão cedo:

Dnit convocará empresas para renegociar valores da duplicação no Lote 2 da BR-470

Sete empresas participaram de reunião para definir responsável por obras no trecho


A sessão para escolher a empresa que duplicará o Lote 2 _ entre Ilhota e Gaspar_ da BR-470 terminou na manhã desta terça-feira sem definir a responsável pelas obras no trecho. Sete empresas e consórcios se candidataram na concorrência feita pelo Regime Diferenciado de Negociação (RDC). Três candidatos foram classificados com os menores valores de proposta. A Construcap S.A. ofereceu o menor preço para realizar a obra: R$ 299,9 milhões. No entanto, segundo a ata da reunião, os lances ofertados permanecem acima do orçamento do Dnit.

O Lote 2 da BR-470 é o maior trecho a ser duplicado com 26,26 quilômetros de extensão. O Lote 1 da rodovia, situado entre Navegantes e Ilhota, também teve a concorrência adiada três vezes antes que o Consórcio Azza-Sogel fosse escolhido em 8 de agosto de 2013.

Os lotes 3 e 4 _ entre Gaspar e Blumenau e entre Blumenau e Indaial respectivamente _ tiveram o início das obras autorizado em 18 de julho do ano passado. Há obras em cerca de 1,2 quilômetro deste trecho.
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
^^ Levando em consideração que são 4 trechos, na verdade são 4 anos pra executar uma obra de menos de 20 Km na média, sendo que o lote 3 tem apenas 13 Km.
Independente do modelo, concessão ou não, é um prazo excessivamente folgado. É uma duplicação com prazo de rodovia nova. Esse prazo molenga deve ter única e exclusivamente base financeira, não há nenhuma dificuldade técnica nova. Esse bla bla bla de solos moles em ilhota é uma piada. De modo algum é um desafio de engenharia, eles falam disso como se estivessem construindo sobre o permafrost da sibéria.
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Desapropriações nas margens da BR-470 emperram duplicação entre Gaspar e Indaial
Edital que escolherá empresa responsável por auxiliar serviços de desapropriação no trecho ainda não foi concluído


O processo para desapropriar áreas nas margens da pista é um dos freios da duplicação da BR-470. Ao longo dos 73,2 quilômetros, cerca de 1.560 áreas devem ser expropriadas para a obra, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No entanto, somente um edital foi lançado.

Desde 11 de março de 2013, está aberta a concorrência que escolherá a empresa para os serviços de desapropriação, elaborando os cadastros imobiliários individuais de 830 imóveis nos lotes 3 _ entre Gaspar e Blumenau _ e 4 _ entre Blumenau e Indaial. Para expropriar as outras 730 áreas nos lotes 1 _ de Navegantes a Ilhota _ e 2 _ de Ilhota a Gaspar _ , nem sequer há concorrência aberta pelo Dnit para contratar prestadora do serviço.

>> Entenda a obra acompanhando o Duplicoscópio <<

O engenheiro fiscal da duplicação e chefe da Unidade Local do Dnit em Rio do Sul, Elifas Marques, admite preocupação com a liberação das áreas nos dois lotes _ que tiveram início autorizado em 18 de julho de 2013:

_ As desapropriações são neste momento o maior problema na parte de drenagem. Preciso desapropriar ou ter autorização dos proprietários e não estou conseguindo.

>> Conheça um pouco da história da BR-470 no infográfico animado <<

Já o superintendente do Dnit em Santa Catarina, João José dos Santos, não se preocupa tanto com as desapropriações:

_ Isso é durante o andamento da obra, por enquanto não estamos precisando. A obra segue.

No valor de R$ 3,2 milhões, a concorrência para desapropriar os lotes 3 e 4 já foi adiada, suspensa e prorrogada. Quase um anos depois o pregão ainda não tem vencedor. O último movimento foi dia 4 com o terczeiro recurso entre as duas concorrentes.

_ O Dnit quer resolver, mas estas duas empresas estão se batendo para ver quem fica com este contrato _ constata Marques.

Enquanto o edital não é concluído, os moradores das margens da BR-470 aguardam um comunicado oficial sobre as desapropriações.

http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/noticia/2014/02/desapropriacoes-nas-margens-da-br-470-emperram-duplicacao-entre-gaspar-e-indaial-4420274.html
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Moradores das margens da BR-470 não receberam comunicado oficial de obras
Dnit afirma que já declarou utilidade pública da área, mas famílias não foram comunicadas

Com obras na pista da BR-470 seguindo há 27 dias, o embate entre as concorrentes para auxiliar no serviço de desapropriações da rodovia alonga a espera de quem mora na beirada dos lotes 3 e 4. Eles aguardam a chegada de algum aviso oficial sobre a obra que já chegou com cinco meses de atraso pela falta de uma autorização para captura de animais.

A aposentada Lucia Maria de Andrade, 82 anos, vê da janela de casa as máquinas e os operários levantando poeira para a duplicação na entrada do bairro Belchior Baixo, em Gaspar. Apesar do sarrafo branco fincado a menos de dois metros da calçada de casa marcando o limite da área de trabalho dos operários _ mais ou menos 27 metros longe da pista _, a moradora do Km 45,6 da BR-470 não recebeu documento ou quem lhe falasse sobre indenização. A parafernália de obras simplesmente se instalou diante da casa onde ela vive há mais de 40 anos.

_ Estou é muito incomodada com tudo isso. Entraram e vão fazendo o diacho. Os operários é que me contaram que aqui na frente haverá três pistas _ resigna-se Lucia Maria.

Olhando o que antes da abertura da rodovia era terreno para flores e pés de laranja e lima, a aposentada ainda é descrente quanto à duplicação e não pretende sair do lugar. Iria Krieger, 67, que vive com o marido no Km 59,960 da rodovia, no bairro Badenfurt, Blumenau, também deve perder um pedaço do jardim para a duplicação. A aposentada, moradora da margem da BR-470 conta que o pessoal do Dnit passou pelo terreno da família para medir:

_ Estavam aqui no mês passado, pedindo o número da escritura do terreno. Disseram que não iriam começar a obra sem indenizar.

Na ponta da duplicação onde as máquinas ainda não chegaram, em Indaial, o pensionista Ivo da Veiga, 55, conforma-se com a mudança. Sabe que na margem da rodovia onde fez a casa, no Km 70, vai passar um viaduto. Preocupado, percorreu 86 quilômetros até o posto do Dnit em Rio do Sul para saber quando precisaria
sair de casa:

_ Disseram que em janeiro viria a carta falando de indenização. Mas até agora nada. Não queria sair, mas vai vir o viaduto e vai ser bom para o bairro.

É pelo caráter de interesse público da duplicação que as desapropriações são autorizadas pela União. O Dnit publicou uma portaria declarando a importância do uso destas áreas. O mestre em Ciências Jurídicas da Univali, Natan Ben-Hur Braga, acredita que este processo deveria começar antes da obra.

_ Se já há um projeto, determinando onde a rodovia vai passar, não é coerente construir sobre bem alheio.

http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/duplicacao-br-470/noticia/2014/02/moradores-das-margens-da-br-470-nao-receberam-comunicado-oficial-de-obras-4420298.html
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Hoje estava voltando de Gravatá, em Navegantes pra Fpolis... aquela BR-470 até o aeroporto é nojenta, o trevo com a 101 é bizarro. Na ida perdi a entrada pra navegantes pq o acesso é escondido logo após a ponte... tsc tsc.. imagina na copa...

Nunca mais. Proximas vezes só via estrada de Penha...
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Desapropriação começa a avançar nos lotes da BR-470
Superintendente do Dnit esteve em Blumenau e disse que as obras seguem dentro do prazo



Um dos principais entraves para a duplicação da BR-470, o processo de desapropriação de imóveis começa a andar. O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Santa Catarina, João José dos Santos, disse ontem que o órgão já trabalha no processo de desapropriação de aproximadamente 1.560 imóveis às margens dos quatro trechos da rodovia a serem duplicados nos 73 quilômetros entre Navegantes e Indaial.

Afirmou ainda que está em fase de licitação a escolha da empresa que atuará também na avaliação dessas construções. Ele espera que em junho seja feito um mutirão para garantir os primeiros pagamentos aos donos de imóveis desapropriados.

Santos participou ontem à tarde de uma assembleia geral na sede da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi), em Blumenau. Falando a prefeitos e representantes das 14 cidades da Ammvi, o superintendente apresentou detalhes sobre a situação das obras de duplicação. Enfatizou que os recursos estão garantidos pelo governo federal. Segundo ele, é provável que os trabalhos estejam concluídos no prazo de quatro anos.

— Tudo foi pensado para esses quatro anos, todas as dificuldades estão incluídas. Já resolvemos a questão do meio ambiente. Agora estamos avançando na desapropriação. Mas qualquer processo só pode ser iniciado com a assinatura da ordem de serviço — afirma Santos, assegurando que, por enquanto, o cronograma não sofrerá alterações.

Até o momento, nem o Dnit nem a Sulcatarinense, responsável pelas obras nos lotes 3 e 4, disponibilizaram uma agenda de trabalhos. Em sua avaliação, os trechos mais complicados são em Blumenau e Indaial devido à série de desapropriações a ser executada.

Em contrapartida, Santos acha que as obras no lote 1, de Navegantes a Ilhota, ocorrerão mais rapidamente e iniciem em abril. Sobre o lote 2, de Ilhota a Gaspar, ele espera que a ordem de serviço seja assinada neste mês. O presidente da Ammvi e prefeito de Indaial, Sérgio Almir dos Santos, cobrou do Dnit o cumprimento do cronograma:

— Acredito que a obra irá sair. Mas ninguém quer que haja atraso.

Já o prefeito de Brusque, Paulo Roberto Eccel, sugeriu que o departamento repasse mais informações sobre o avanço da duplicação.

Fonte: http://jornaldesantacatarina.clicrb...ca-a-avancar-nos-lotes-da-br-470-4438776.html
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Dnit adia pela segunda vez escolha da empresa que fiscalizará lotes 1 e 2 da duplicação da BR-470
Abertura de propostas foi remarcada para dia 13 de maio

A Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Santa Catarina adiou pela segunda vez escolha da empresa que prestará serviços de supervisão das obras de duplicação nos lotes 1 _ entre Navegantes e Ilhota _ e 2 _ entre Ilhota e Gaspar _ da BR-470. O executor desta etapa será definido em 13 de maio, às 10h no site www.comprasnet.gov.br. A escolha já havia sido remarcada para 16 de abril e foi modificada novamente.

Vence a empresa que apresentar o menor preço para fiscalizar os trabalhos do consórcio Azza-Sogel, no lote 1, e do consórcio Ivaí-Setep, que aguarda assinatura da ordem de serviço para iniciar os trabalhos no lote 2. A fiscalização dos lotes 3 _ entre Gaspar e Blumenau _ e 4 _ entre Blumenau e Indaial _ é realizada pela Iguatemi Consultoria e Serviços de Engenharia Ltda.

As obras de duplicação da BR-470 estão em andamento nos lotes 3 e 4 desde 18 de julho de 2013. E, em 17 de fevereiro deste ano, foi assinada a ordem de serviço para realizar obras no lote 1. O lote 2 será duplicado pelo consórcio Ivaí-Setep. No entanto, as empresas aguardam a assinatura da ordem de serviço para iniciar os trabalhos.
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Reunião cobra cronograma de duplicação da BR-470
Encontro ocorre na superintendência do Dnit em Santa Catarina

Está marcada para às 10h30min desta sexta-feira uma reunião na superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Santa Catarina para avaliar o cronograma de execução das obras de duplicação da BR-470. A audiência com o novo superintendente do Dnit Vissilar Pretto foi solicitada pelo deputado federal Décio Lima e pela deputada estadual Ana Paula Lima. Ela preside o Fórum Parlamentar Permanente para a Duplicação da BR-470. O remanejamento da rede de distribuição da SC Gás das margens da rodovia também será tratado na reunião.

Acidentes na rodovia: Menos uma vida a cada três dias

Há 67 dias, o Santa pediu o cronograma de obras ao Dnit através de um Requerimento via Lei de Acesso à Informação. Até o fechamento desta edição, a programação de obras não tinha sido disponibilizada pelo órgão. No início da semana, a assessoria de comunicação do Dnit informou que a apresentação do documento depende da conclusão da campanha de fauna e da captura de animais silvestres, que ocorre no lote 3, entre Gaspar e Blumenau.

http://jornaldesantacatarina.clicrb...onograma-de-duplicacao-da-br-470-4483629.html
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Essa obra é, infelizmente, uma tragédia anunciada, que nem mesmo com a pressão da mídia tá dando resultado. Parabéns DNIT.
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
hahahahahhaaha:lol::lol::lol: mais um capítulo da grande piada BR-470:

bah gente, é muito amadorismo pra um órgão com essa responsabilidade...

Obra de duplicação da BR-470 não tem cronograma
Dnit assume inexistência de plano detalhado e especialistas defendem previsão mês a mês

A duplicação da BR-470 é uma obra sem cronograma. Quanto tempo durará a execução de cada etapa é uma pergunta que a Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Santa Catarina não responde.

— Cronograma, não adianta pedir. Nem com ordem judicial. Existe um planejamento dos quatro anos de obras identificando lote por lote com topografia, terraplanagem, retirada de solos moles, mas não é um cronograma de trabalho — garante o assessor de comunicação do Dnit, Breno Maestri.

A promessa do novo superintendente Vissilar Pretto, informada pela assessoria de comunicação, é de que metas e prazos do andamento dos trabalhos sejam anunciados na próxima semana. Há 68 dias o Santa aguarda envio cronograma de obras ao Dnit, pedido em requerimento baseado na Lei de Acesso à Informação para a reportagem ter uma referência e conseguir fiscalizar os trabalhos. Segundo a lei, o prazo para envio da resposta é de 20 dias, prorrogáveis por mais 10.

Apesar de comunicar que tem um planejamento para cada tipo de serviço, o Dnit não divulga a previsão de cada etapa das obras de duplicação, iniciadas no papel há 10 meses com a assinatura da ordem de serviço para os lotes 3, entre Gaspar e Blumenau, e 4, entre Blumenau e Indaial. Na prática as máquinas apareceram na beira do Km 45, no Belchior, em janeiro deste ano. O mestre em Engenharia Ambiental e professor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), José Nuno Amaral Wendt, defende o cronograma apesar do contrato já definir o prazo limite de 1440 dias para conclusão da obra na BR-470.

— Esta previsão tem que ser feita mês a mês. É uma maneira de saber se a obra está andando conforme o planejado. A empresa precisa ter essa organização e o Dnit tem que cobrar — argumenta Wendt.

O mestre em Transportes Ricardo Bertin defende o planejamento por outros dois motivos:

— Para avaliar os momentos propícios para executar obras, como os que se relacionam ao clima, e pela questão financeira, para ter um fluxo de pagamentos.

A assessoria de comunicação do Dnit ainda informou que era preciso aguardar a conclusão da campanha para captura, coleta e transporte de material biológico — prevista para a primeira quinzena de maio — e a liberação de áreas desapropriadas para elaborar o cronograma.

O coordenador do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI) e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Eduardo Ratton, reforça que a etapa ambiental, como a que é executada atualmente na margem da BR-470, pode levar até um ano. Bertin, que também é coordenador adjunto do curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica do Paraná explica que as questões ambientais podem atrasar o andamento das obras, mas a demora nestes processos deve ser prevista no planejamento total da obra.

— Temos uma maldição que chama-se jeitinho brasileiro. A mania de fazer tudo na última hora e achar que é possível resolver. Não há planejamento: começou a obra, depois se pensou em remover a rede de gás e em fazer a campanha de fauna. Complicações podem acontecer, mas é possível planejar uma obra com início, meio e fim — sentencia Bertin.

Sexta-feira uma reunião no Dnit de Santa Catarina avaliou o andamento das obras de duplicação da BR-470. Participaram da audiência Vissilar Pretto, representantes da Sulcatarinense, da SCGás, o deputado federal Décio Lima e a deputada estadual Ana Paula Lima, que preside o Fórum Parlamentar Permanente para a Duplicação da BR-470. A deputada detalhou que o encontro serviu para cobrar agilidade no andamento das obras. Uma nova reunião nos mesmos moldes foi agendada para 30 de maio.
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Update:

Nesta quarta-feira o Santa percorreu os 73,2 quilômetros dos quatro lotes da BR-470 para verificar o andamento das obras de duplicação.
Confira a descrição do andamento das obras em cada trecho:

Lote 1 - Navegantes a Ilhota



A partir do km 4,4 há movimentação de terra em três pontos.
Há cerca de um quilômetro (com intervalos) de terraplanagem na margem esquerda, no sentido Blumenau.
E, na margem direita da rodovia, tinha um grande depósito de areia com áreas terraplanadas no entorno.
Veículos estacionados e funcionários vestiam uniforme com logotipo da Azza, uma das empresas que compõe o consórcio responsável pelo trecho.
Próximo ao final deste lote, havia uma placa da Sogel, outra integrante do consórcio.

Lote 2 - Ilhota a Gaspar



Seis funcionários espalhavam uma cobertura numa área de aproximadamente 450 metros a partir do km 28,8 da rodovia.
Além dos operários trabalhando na área de terraplanagem, cinco caminhões caçamba e número parecido de operários estavam nas proximidades.
Próximo ao acesso a Gaspar, cerca de dez homens faziam medições no acostamento da rodovia.
Em dois pontos, placas alaranjadas indicavam operários adiante. No entanto, não haviam trabalhadores na distância indicada.

Lote 3 - Gaspar a Blumenau



É o lote que tem mais movimentação aparente.
A partir do km 44,9, no Belchior, em Gaspar, são visíveis áreas com corte de vegetação, terraplanagem, construção de tubulações e bueiros.
Neste ponto, se concentram os caminhões da empresa e operários.
O km 50 é outro trecho com movimentação intensa: eram cinco veículos e 14 pessoas trabalhando no local.
No km 53, um trecho com cerca 650 metros de terraplanagem, um caminhão, uma máquina e sete operários trabalhavam.

Lote 4 - Blumenau a Indaial



Enfim algum sinal de obra no canteiro de obras anunciado em outubro do ano passado para o km 67.
O terreno de 56 mil metros quadrados foi alinhado e marcado por estacas.
No entanto, ainda não há construções, apenas quatro contêineres, dois pequenos abrigos para funcionários,
duas cabines sanitárias, quatro escavadeiras estacionadas e um operário tomando conta de tudo.
No km 66,4, nove operários, um caminhão e uma escavadeira trabalhavam no que parecia a terraplanagem de um trecho com cerca de 230 metros.

Fonte
 

·
Who is John Galt?
Joined
·
2,821 Posts
Mais um Update (27/09/2014):
Obras de duplicação da BR-470 avançam entre o Litoral e Médio Vale

Operários trabalham nas mais diversas frentes: de corte de vegetação à detonação de rochas, mas cronograma de trabalho ainda é desconhecido



O cenário da BR-470 entre o Litoral e o Médio Vale começou a mudar. Nos 73,2 quilômetros que serão duplicados de Navegantes a Indaial é possível
ver pontos onde as obras já avançam. Operários trabalham nas mais diversas frentes: de corte de vegetação à detonação de rochas, mas a sensação que se tem é de que os
passos ainda são mais lentos que o esperado. Mais de um ano depois da assinatura da primeira ordem de serviço para o início das obras nos lotes 3 e 4, em 18 de julho de 2013,
não há trabalhos simultâneos em todos os locais.
O primeiro ponto onde há intervenção é o Km 3, em Navegantes. Na lateral da rodovia há espaços que passaram por terraplanagem e é possível identificar uma espécie de pista. A
partir do Km 5 há máquinas e operários envolvidos na retirada de terra e na abertura de novos espaços. No lote 1 o trabalho segue com terraplanagem e retirada de vegetação
até por volta do Km 10.
O próximo sinal de obras só é visto no lote 2, já em Ilhota, nos quilômetros 19 e 20, onde operários fazem as fundações para a duplicação de duas pontes. A região até Gaspar
apresenta uma particularidade no solo, que precisa ser drenado. O procedimento também está em execução entre os quilômetros 27 e 30.
Um trecho de aproximadamente um quilômetro aterrado e com brita no início do lote 3, no acesso ao Bairro Belchior, em Gaspar, é a parte que parece mais avançada na obra.
Atualmente, os trabalhos se concentram no Km 51, com a detonação de rochas no morro do acesso à Via Expressa, em Blumenau. O único lote onde não há obras é o 4. O
canteiro de operações montado em Indaial foi retirado e não há máquinas ou operários na região.
A reportagem do Santa tentou contato com o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Santa Catarina, Vissilar Pretto,
através da assessoria de imprensa, por telefone e e-mail, para que ele avaliasse o andamento das obras, mas foi informada de que ele não poderia atender por estar em viagem
ao Oeste do estado. Porém, em audiência pública em Blumenau no mês de agosto, o superintendente substituto do DNIT, Alysson Andrade, reconheceu que um dos gargalos para
o avanço das obras na rodovia federal são as desapropriações.
Os cerca de 900 processos de imóveis que a União terá de indenizar só devem ser concluídos em 2015, informou na época. Além disso, Andrade também esclareceu na audiência
que o cronograma das obras só será divulgado depois de concluídas as desapropriações dos lotes 3 e 4.


http://jornaldesantacatarina.clicrb...cam-entre-o-litoral-e-medio-vale-4608064.html
 
1 - 20 of 205 Posts
Top