Skyscraper City Forum banner
Status
Not open for further replies.
1 - 2 of 2 Posts

·
Registered
Joined
·
18,986 Posts
Discussion Starter · #1 ·
Senasp diz que Maranhão servirá de modelo para a política nacional de segurança pública do País

No encerramento do Curso Internacional em Técnicas Operacionais com Foco nas Fronteiras, na tarde de ontem no quartel da Polícia Militar, em São Luís, o ten. cel. Wilquerson Felisardo Sandes, da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp), garantiu que o exemplo de intercâmbio internacional e regional, promovido pelo Maranhão, servirá de modelo para a política nacional de segurança pública em todo o país. “Nós já tivemos um fórum e um seminário internacionais nesse Estado, e agora esse curso de aperfeiçoamento de técnicas e trocas de experiências, que em muito contribuirá para o combate à criminalidade no país”, disse.



Secretária fala sobre a capacitação da polícia maranhense

O curso é parte do acordo de cooperação entre o Brasil e a França na área de segurança de fronteira, para que se possa ter uma polícia integrada entre os estados do Norte/Nordeste e a Guiana Francesa, e assim combater os problemas de segurança comuns aos dois países.

A realização do curso em São Luís, patrocinado integralmente, ao custo de 200 mil reais, pelo governo federal, é resultado do trabalho da secretária de Segurança Cidadã, Eurídice Vidigal, e do esforço do governador Jackson Lago diante da disputa de outros estados da região Norte/Nordeste em querer realizá-lo. “A determinação do governador foi fundamental no cumprimento do nosso objetivo de oferecer à sociedade uma segurança realizada por profissionais treinados e equipados”, ressaltou Eurídice Vidigal.

Participaram do curso ministrado por 2 policiais parisienses, 6 da Guiana Francesa, 26 policiais, entre civis, militares, força nacional e rodoviários federais dos estados da Amazônia, Maranhão, Amapá, Roraima, Pará, Ceará e Piauí. Foram abordadas técnicas de vigilância, persecução, interpelação, penetração e progressão de unidades constituídas no meio hostil. Foram 10 dias de ensinamentos e exercícios simulados.

O adido policial da embaixada da França no Brasil, Daniel Rippoll, destacou que a realização do curso permitiu criar uma ponte entre os dois países para facilitar o combate à criminalidade com a troca de experiências e técnicas de ação, levando-se em conta as diferenças regionais. O tráfico de drogas, a exploração sexual e o crime organizado foram os principais problemas abordados. “Trabalhamos todos pela mesma causa, que é o combate a esses tipos de crimes comuns em nosso países”, observou Rippoll.
 
1 - 2 of 2 Posts
Status
Not open for further replies.
Top