Skyscraper City Forum banner
1 - 20 of 31 Posts

·
Eu mesmo!
Joined
·
3,976 Posts
Discussion Starter · #1 ·
Sintra é perfeita!
Não dá para descrever a sensação louca que a cidade transmite. Você tem desde castelos, palacetes, bares, ruelas, casarios, montanhas, praias, subidas e descidas, tudo reunido em uma mesma cidade...além de estar ao lado de cascais que é um lousssho de cidade de veraneio...ou seja, emoção!
Ao inves de começar de baixo pra cima, começarei de cima pra baixo, mostrarei do palacio das penas e castelo dos mouros nos altos das colinas até a praia, em azenhas do mar....confesso que não conhecia a cidade, as vezes acredito que portugal deveria divulgar mais o pais no brasil...não vejo nada de portugal por aqui, mas enfim, segue o tread e apreciem tomando um bom vinho!
Outro detalhe, como estava frio a praia não estava lá essas coisas, mas vi fotos da época do verão e o mar tem uma cor lindissima....
Obs: Fotos todas minhas...


00-Sintra lá embaixo e à esquerda o castelo dos mouros


1- Detalhes de sintra


2- idem


3-idem


4- Alguns palacetes, dentre eles o quinta das regaleiras que veremos mais adiante na foto 20...


5- outro palacete...


6-No castelo dos mouros..


7-idem


8-No Palacio das Penas


9-idem


10-idem


11-Detalhe da entrada....medo total


12- Descendo morro abaixo..


13-idem


14-idem


15-idem


16-...show...


17-olhando pra atrás vendo o castelo dos mouros lá em cima...


18- show [2]


19-


20- No palacete da quinta das regaleiras...um espetaculo lá dentro..


21- peguei o gato no flagra....


22- No topo do palácio da quinta das regaleiras dá pra ver à esquerda o castelo dos mouros e à direita o palacio das penas....


23- Pelas ruas de sintra...


24-


25-


26-


27-


28-


29-


30-


31-


32-


33-


34-


35-


36-Apreciando uma ótima queijada no tradicional Periquitas...


37- indo agora em direção ao mar...ao encontro de azenhas do mar..


38- No caminho..


39-Tbm no caminho..


40- lindo heim...


41-O mar..


42- Oha o mar ai...


43-Finalmente ...a Azenhas do mar...como estava frio o local nao estava tão bonito quanto parece ser no verão...
 

·
Banned
Joined
·
11,378 Posts
:drool: Sintra é um espetáculo a parte!
:applause: Adorei as fotos, ainda preciso conhecer essa região! Os castelos e palácios são de babar.. É legal destacar como o urbanismo em Portugal é bom, as fotos mesmo mostram isso.
 

·
Eu mesmo!
Joined
·
3,976 Posts
Discussion Starter · #3 ·
Excelentes fotos mais uma vez :applause:
Sintra é mesmo muito bonita :yes: Azenhas do Mar também mas na época fria não fica tão bem assim por ser uma área de praia..
obrigado! então...imagino como deve ficar mais lindo ainda no verão essas praias por ai!

:drool: Sintra é um espetáculo a parte!
:applause: Adorei as fotos, ainda preciso conhecer essa região! Os castelos e palácios são de babar.. É legal destacar como o urbanismo em Portugal é bom, as fotos mesmo mostram isso.
valeu leo10rio! Vá conhecer, vale a pena!
 

·
Registered
Joined
·
30,285 Posts
Excelente thread! Excelente! Precisou um brasiliense ir à Sintra para eu poder admirar o mais porreta dos trabalhos fotográficos da graciosa cidade.

Don Quito, esclareça-me uma dúvida: admirando seu thread fiquei com a sensação de que para percorrer os principais atrativos de Sintra, a saber Castelo dos Mouros, Palacio das Penas, Palácio da Quinta das Regaleiras é essencial e fundamental se alugar um carro, não? Um turista a pé não ter como percorrer os principais atrativos, ou estou enganado?
 

·
Registered
Joined
·
7,151 Posts
Excelente thread! Excelente! Precisou um brasiliense ir à Sintra para eu poder admirar o mais porreta dos trabalhos fotográficos da graciosa cidade.

Don Quito, esclareça-me uma dúvida: admirando seu thread fiquei com a sensação de que para percorrer os principais atrativos de Sintra, a saber Castelo dos Mouros, Palacio das Penas, Palácio da Quinta das Regaleiras é essencial e fundamental se alugar um carro, não? Um turista a pé não ter como percorrer os principais atrativos, ou estou enganado?
Osmar, saindo de lisboa podea vir de comboio directamente até ao centro de Sintra. Podes visitar o centro da vila a pé tranquilamente, ver o plalácio nacional da vila, a quinta da regaleira e comer um pastel na piriquita.

Para visitar o palácio da pena e o castelo dos mouros é melhor pegar um onibus ou ir de carro pois a subida é grande.
 

·
Registered
Joined
·
7,151 Posts
Era o palácio utilizado pelos reis portugueses antes da construção de Mafra, Ajuda e Queluz?
sim. este palácio é bem mais antigo. Ele assistiu ao início dos descobrimentos.

Remonta a um primitivo palácio que terá sido doado pelo rei João I de Portugal ao conde de Seia, em 1383, voltando para a posse real pouco depois.

O palácio foi reedificado no século XV, a partir de 1489, quando lhe foi iniciada uma campanha de obras que visaram aligeirar a massa da construção e enriquecer a decoração interior, aplicando-se-lhe azulejos andaluzes.

Entre 1505 e 1520 ergueu-se a chamada ala manuelina e, em 1508, teve início a construção da Sala dos Brasões.

Durante o reinado de D. João III edificou-se o espaço entre as alas joanina e manuelina. No século XVII, sob a orientação do conde de Soure, procedeu-se a obras de alteração e ampliação e, entre 1683 e 1706, sob o reinado de D. Pedro II, renovaram-se as pinturas dos tectos de alguns compartimentos.

Em 1755 foram realizadas importantes obras de restauro, no seguimento dos danos causados pelo terramoto, e edificada a ala que vai do Jardim da Preta ao Pátio dos Tanquinhos.

Nova campanha de decoração foi levada a cabo em 1863.

Nos últimos anos do regime monárquico foi a residência de verão da rainha-mãe D. Maria Pia, a última habitante régia do Paço da Vila de Sintra. Aqui tiveram lugar várias recepções oferecidas pela rainha-mãe aos estadistas que visitavam o seu filho, como o Imperador Guilherme II da Alemanha ou o Presidente de França, Émile Loubet, entre outros.

Os compartimentos internos reflectem-se em núcleos organizados em torno de pátios. Destacam-se os seguintes: a Sala dos Archeiros, a Sala Moura (ou dos Árabes), a Sala das Pegas, a Sala dos Cisnes e a Sala dos Brasões — que ostenta a representação das armas de 72 famílias nobres portuguesas e dos oito filhos de D. Manuel I —, a Sala das Sereias e a Sala da Audiência.
 

·
Eu mesmo!
Joined
·
3,976 Posts
Discussion Starter · #10 ·
Excelente thread! Excelente! Precisou um brasiliense ir à Sintra para eu poder admirar o mais porreta dos trabalhos fotográficos da graciosa cidade.

Don Quito, esclareça-me uma dúvida: admirando seu thread fiquei com a sensação de que para percorrer os principais atrativos de Sintra, a saber Castelo dos Mouros, Palacio das Penas, Palácio da Quinta das Regaleiras é essencial e fundamental se alugar um carro, não? Um turista a pé não ter como percorrer os principais atrativos, ou estou enganado?

valeu osmar...obrigado pelo elogio ao tread!
olha..eu acho fundamental sim estar de carro em sintra....ir de onibus vc fica meio refém dos horários...se quiser parar em algum ponto não pode.....ir de carro vc para em qq lugar....eu prefiro....alias...acho muito recomendavel alugar carro em portugal já que tudo é muito perto e fácil de andar...a sinalização é ótima e andando com GPS não se perde!
em sintra há onibus em alguns pontos turisticos...mas mesmo assim...prefiro estar de carro pelos motivos que falei...comodidade e poder parar em qq canto..



O que vem a ser uma construção no centro da foto com dois grandes cones?
ambiente já respondeu!

sim. este palácio é bem mais antigo. Ele assistiu ao início dos descobrimentos.

Remonta a um primitivo palácio que terá sido doado pelo rei João I de Portugal ao conde de Seia, em 1383, voltando para a posse real pouco depois.

O palácio foi reedificado no século XV, a partir de 1489, quando lhe foi iniciada uma campanha de obras que visaram aligeirar a massa da construção e enriquecer a decoração interior, aplicando-se-lhe azulejos andaluzes.

Entre 1505 e 1520 ergueu-se a chamada ala manuelina e, em 1508, teve início a construção da Sala dos Brasões.

Durante o reinado de D. João III edificou-se o espaço entre as alas joanina e manuelina. No século XVII, sob a orientação do conde de Soure, procedeu-se a obras de alteração e ampliação e, entre 1683 e 1706, sob o reinado de D. Pedro II, renovaram-se as pinturas dos tectos de alguns compartimentos.

Em 1755 foram realizadas importantes obras de restauro, no seguimento dos danos causados pelo terramoto, e edificada a ala que vai do Jardim da Preta ao Pátio dos Tanquinhos.

Nova campanha de decoração foi levada a cabo em 1863.

Nos últimos anos do regime monárquico foi a residência de verão da rainha-mãe D. Maria Pia, a última habitante régia do Paço da Vila de Sintra. Aqui tiveram lugar várias recepções oferecidas pela rainha-mãe aos estadistas que visitavam o seu filho, como o Imperador Guilherme II da Alemanha ou o Presidente de França, Émile Loubet, entre outros.

Os compartimentos internos reflectem-se em núcleos organizados em torno de pátios. Destacam-se os seguintes: a Sala dos Archeiros, a Sala Moura (ou dos Árabes), a Sala das Pegas, a Sala dos Cisnes e a Sala dos Brasões — que ostenta a representação das armas de 72 famílias nobres portuguesas e dos oito filhos de D. Manuel I —, a Sala das Sereias e a Sala da Audiência.
Excelente aula! perfeito eim!
 

·
Registered
Joined
·
30,285 Posts
^^
Eu assisti um programa inteirinho sobre o Palácio Nacional da Vila no Discovery Channel, mais precisamente no programa GRANDES PALÁCIOS. Aliás, neste programa, entre os muitos palácios mundo afora, somente foram mostrados dois prédios portugueses:

a) Palácio Nacional da Vila; e

b) Palácio da Pena.​
 

·
Registered
Joined
·
7,151 Posts
3. Palácio Nacional de Sintra

4 / 20 Quinta da Regaleira - Também é designado Palácio do Monteiro dos Milhões, denominação esta associada à alcunha do seu primeiro proprietário, António Augusto Carvalho Monteiro.


Carvalho Monteiro tinha o desejo de construir um espaço grandioso, em que vivesse rodeado de todos os símbolos que espelhassem os seus interesses e ideologias. Conservador, monárquico e cristão gnóstico, Carvalho Monteiro quis ressuscitar o passado mais glorioso de Portugal, daí a predominância do estilo neomanuelino com a sua ligação aos descobrimentos. Esta evocação do passado passa também pela arte gótica e alguns elementos clássicos. A diversidade da quinta da Regaleira é enriquecida com simbolismo de temas esotéricos relacionados com a alquimia, Maçonaria, Templários e Rosa-cruz.

Bosque
O bosque ou mata que ocupa a maioria do espaço da Quinta, não está disposta ao acaso. Começando mais ordenada e cuidada na parte mais baixa da quinta, mas, sendo progressivamente mais selvagem até chegarmos ao topo. Este disposição reflecte a crença no primitivismo de Carvalho Monteiro.

Patamar dos Deuses
O Patamar dos Deuses é composto por 9 estátuas dos deuses greco-romanos. A mitologia clássica foi uma das inspirações de Carvalho Monteiro para os jardins da Regaleira.

Poço Iniciático
Foto da abertura do poço.Uma galeria subterrânea com uma escadaria em espiral, sustentada por colunas esculpidas, por onde se desce até ao fundo do poço. A escadaria é constituída por nove patamares separados por lanços de 15 degraus cada um, invocando referências à Divina Comédia de Dante e que podem representar os 9 círculos do inferno, do paraíso, ou do purgatório. Segundo os conceituados ocultistas Albert Pike, René Guénon e Manly Palmer Hall é na obra 'A Divina Comédia' que se encontra pela primeira vez exposta a Ordem Rosacruz. No fundo do poço está embutida em mármore, uma rosa dos ventos (estrela de oito pontas: 4 maiores ou cardeais, 4 menores ou colaterais) sobre uma cruz templária, que é o emblema heráldico de Carvalho Monteiro e, simultaneamente, indicativo da Ordem Rosa-cruz.

O poço diz-se iniciático porque se acredita que era usado em rituais de iniciação à maçonaria e a explicação do simbolismo dos mesmos nove patamares diz-se que poderá ser encontrada na obra Conceito Rosacruz do Cosmos.

A simbologia do local está relacionada com a crença que a terra é o útero materno de onde provém a vida, mas também a sepultura para onde voltará. Muitos ritos de iniciação aludem a aspectos do nascimento e morte ligados à terra, ou renascimento.

O poço está ligado por várias galerias ou túneis a outros pontos da quinta, a Entrada dos Guardiães, o Lago da Cascata e o Poço Imperfeito. Estes túneis, outrora habitados por morcegos afastados pelos muitos turistas que visitam o local, estão cobertos com pedra importada da orla marítima da região de Peniche, pedra que dá a sugestão de um mundo submerso.

Capela da Santíssima Trindade
Uma magnífica fachada que aposta no revivalismo gótico e manuelino. Nela estão representados Santa Teresa d'Ávila e Santo António. No meio, a encimar a entrada está representado o Mistério da Anunciação - o anjo Gabriel desce à terra para dizer a Maria que ela vai ter um filho do Senhor - e Deus Pai entronizado.

No interior, no altar-mor vê-se Jesus depois de ressuscitar a coroar uma mulher que pode ser Maria ou Madalena (de uma maneira mais contraditória). Do lado direito Santa Teresa e Santo António repetem-se, desta vez em painéis de mosaico. Do lado oposto um vitral com a representação do milagre de Nossa Senhora da Nazaré a D. Fuas Roupinho. No chão estão representados a Esfera Armilar ou Globo Celeste e a Cruz da Ordem de Cristo, rodeados de pentagramas (estrelas de cinco pontas).

A Torre da RegaleiraFoi construída para dar a quem a sobe a ilusão de se encontrar no eixo do mundo.

O PalácioO edifício principal da quinta é marcado pela presença de uma torre octogonal. Toda a exuberante decoração esteve a cargo do escultor José da Fonseca.



5. Chalet Biester - Ernesto Biester encomendou um projecto para a sua casa de Sintra ao consagrado arquitecto José Luís Monteiro, tendo confiado a decoração a Luigi Manini e ao escultor Leandro Braga.

Este palacete foi cenário do filme "A nona porta" de filme de Roman Polanski.

11. Sobre ela, uma janela, a bow window, recebeu na sua base, também em relevo, uma figura de um ser híbrido, meio-peixe, meio-homem, saindo de uma concha com a cabeça coberta por cabelos que se transformam num tronco de videira cujos ramos são sustentados pela enigmática personagem, relembrando propositadamente o homem barbado da janela da sala do coro do Convento de Cristo de Tomar, transformado aqui num ser monstruoso de carácter quase demoníaco. Este conjunto, conhecido por pórtico do Tritão, foi programado por D. Fernando, que o desenhou como um «Pórtico allegórico da creação do mundo», e parece condensar em termos simbólicos a teoria dos «quatro elementos». Reforçando esta relação com Tomar, a janela existente no lado oposto deste corpo copia com alguma liberdade o célebre vão manuelino da autoria de Diogo de Arruda, «achatando-a». Nicolau Pires foi a Tomar desenhá-la para o príncipe, que reformulou o conjunto.

32. Câmara Municipal de Sintra (prefeitura)

36. Queijada e Travesseiro de Sintra :cheers:

Já se encontram referências às Queijadas de Sintra, como fazendo parte de pagamento de foros, no ano de 1227, quando reinava D. Sancho II, o Capelo.

Receita Queijadas de Sintra

Ingredientes:

2 colheres de (sopa) rasas de farinha de trigo
12 queijos frescos pequenos
500 grs de açúcar
24 gemas

Para a Massa:

200 grs de farinha de trigo
1 ovo
75 grs de manteiga
sal e água q.b.
Confecção:

Primeiro a massa:
Amasse a farinha com a manteiga, junte o ovo, uma pitada de sal e um pouco de água, vá amassando até obter massa segura e moldável; bata muito bem, faça uma bola e deixe a repousar 30 minutos.
Com o rolo estenda a massa de modo que fique com 2 mm de espessura e forre as formas de queijadas, e acerte os bordos.
Coloque as formas num tabuleiro e encha com o creme e leve a cozer em forno quente durante +- 30 minutos.

Agora o creme:
Batem-se muito bem os queijos frescos desfeitos, com as gemas e o açúcar, acrescentando a farinha para dar consistência.
Encha as formas já forradas com este creme.

Receita dos Travesseiros de Sintra

Ingredientes:

500 gramas de massa folhada caseira
1 chávena de chá de ovos moles com amêndoa

Confecção:

Estenda a massa folhada até atingir a espessura de 4mm, polvilhando ligeiramente com farinha sempre que necessário para não pegar nem ao rolo nem à mesa.
Depois corte com uma faca rectângulos de massa com cerca de 12x 12 cm.
Coloque no centro 1 colher de sobremesa de Ovos Moles, espalhando um pouco no sentido da largura sem chegar aos bordos.
Enrole com cuidado e espalme-os ligeiramente de modo que o fecho da massa fique virado para um dos lados nunca para baixo. Coloque os travesseiros num tabuleiro separados ligeiramente uns dos outros e leve a cozer em forno bastante quente cerca de 15 minutos.
Quando estiverem cozidos, retire-os e polvilhe-os ainda quentes um a um com açúcar.

:)
 

·
.
Joined
·
8,821 Posts
Já tinha visto antes fotos de Sintra e me causaram uma impressão muito boa! Essas tuas só vieram a confirmar o quão bonita e charmosa é essa cidade! A arquitetura de Sintra é muito linda e a própria geografia da cidade, cheia de subidas e descidas, dá um charme a mais! Acho que quem vai a Lisboa, tem que dar uma passadinha em Sintra! Tão pertinho, parada obrigatória! Bom, se um dia for a Lisboa, certamente irei a Sintra, heheh! Valeu pelas fotos! :eek:kay:
 

·
'tou na lua...
Joined
·
41,754 Posts
Sintra é linda, de babar mesmo. O Palácio da Pena lembra muito Neuschwanstein, da Baviera. Aconselho também o Palácio (e hotel) de Seteais!
No livro "Os Maias" de Eça de Queirós (romance do século XIX de que a tv brasileira, penso que a Globo, fez uma série) tem uma belíssima passagem por Sintra!
E dali podem conhecer Cascais (muito bonita) e ir ao Cabo da Roca, a ponta mais ocidental da Europa continental! :)
 

·
.
Joined
·
17,050 Posts
Nossa, que thread babante! Nunca tinha visto fotos tão lindas de Sintra, adorei demais a cidade. Como disse em outro thread, parece saída de um conto de fadas. Essas construções coloridas, detalhadas, torres, telhadinhos, a vegetação... Foto 2, 3, 4, 5, 22... Nossa, gostei demais. A arquitetura portuguesa é linda demais e variada. Seus threads estão ótimos.
 

·
Eu mesmo!
Joined
·
3,976 Posts
Discussion Starter · #18 ·
3. Palácio Nacional de Sintra

4 / 20 Quinta da Regaleira - Também é designado Palácio do Monteiro dos Milhões, denominação esta associada à alcunha do seu primeiro proprietário, António Augusto Carvalho Monteiro.


Carvalho Monteiro tinha o desejo de construir um espaço grandioso, em que vivesse rodeado de todos os símbolos que espelhassem os seus interesses e ideologias. Conservador, monárquico e cristão gnóstico, Carvalho Monteiro quis ressuscitar o passado mais glorioso de Portugal, daí a predominância do estilo neomanuelino com a sua ligação aos descobrimentos. Esta evocação do passado passa também pela arte gótica e alguns elementos clássicos. A diversidade da quinta da Regaleira é enriquecida com simbolismo de temas esotéricos relacionados com a alquimia, Maçonaria, Templários e Rosa-cruz.

Bosque
O bosque ou mata que ocupa a maioria do espaço da Quinta, não está disposta ao acaso. Começando mais ordenada e cuidada na parte mais baixa da quinta, mas, sendo progressivamente mais selvagem até chegarmos ao topo. Este disposição reflecte a crença no primitivismo de Carvalho Monteiro.

Patamar dos Deuses
O Patamar dos Deuses é composto por 9 estátuas dos deuses greco-romanos. A mitologia clássica foi uma das inspirações de Carvalho Monteiro para os jardins da Regaleira.

Poço Iniciático
Foto da abertura do poço.Uma galeria subterrânea com uma escadaria em espiral, sustentada por colunas esculpidas, por onde se desce até ao fundo do poço. A escadaria é constituída por nove patamares separados por lanços de 15 degraus cada um, invocando referências à Divina Comédia de Dante e que podem representar os 9 círculos do inferno, do paraíso, ou do purgatório. Segundo os conceituados ocultistas Albert Pike, René Guénon e Manly Palmer Hall é na obra 'A Divina Comédia' que se encontra pela primeira vez exposta a Ordem Rosacruz. No fundo do poço está embutida em mármore, uma rosa dos ventos (estrela de oito pontas: 4 maiores ou cardeais, 4 menores ou colaterais) sobre uma cruz templária, que é o emblema heráldico de Carvalho Monteiro e, simultaneamente, indicativo da Ordem Rosa-cruz.

O poço diz-se iniciático porque se acredita que era usado em rituais de iniciação à maçonaria e a explicação do simbolismo dos mesmos nove patamares diz-se que poderá ser encontrada na obra Conceito Rosacruz do Cosmos.

A simbologia do local está relacionada com a crença que a terra é o útero materno de onde provém a vida, mas também a sepultura para onde voltará. Muitos ritos de iniciação aludem a aspectos do nascimento e morte ligados à terra, ou renascimento.

O poço está ligado por várias galerias ou túneis a outros pontos da quinta, a Entrada dos Guardiães, o Lago da Cascata e o Poço Imperfeito. Estes túneis, outrora habitados por morcegos afastados pelos muitos turistas que visitam o local, estão cobertos com pedra importada da orla marítima da região de Peniche, pedra que dá a sugestão de um mundo submerso.

Capela da Santíssima Trindade
Uma magnífica fachada que aposta no revivalismo gótico e manuelino. Nela estão representados Santa Teresa d'Ávila e Santo António. No meio, a encimar a entrada está representado o Mistério da Anunciação - o anjo Gabriel desce à terra para dizer a Maria que ela vai ter um filho do Senhor - e Deus Pai entronizado.

No interior, no altar-mor vê-se Jesus depois de ressuscitar a coroar uma mulher que pode ser Maria ou Madalena (de uma maneira mais contraditória). Do lado direito Santa Teresa e Santo António repetem-se, desta vez em painéis de mosaico. Do lado oposto um vitral com a representação do milagre de Nossa Senhora da Nazaré a D. Fuas Roupinho. No chão estão representados a Esfera Armilar ou Globo Celeste e a Cruz da Ordem de Cristo, rodeados de pentagramas (estrelas de cinco pontas).

A Torre da RegaleiraFoi construída para dar a quem a sobe a ilusão de se encontrar no eixo do mundo.

O PalácioO edifício principal da quinta é marcado pela presença de uma torre octogonal. Toda a exuberante decoração esteve a cargo do escultor José da Fonseca.



5. Chalet Biester - Ernesto Biester encomendou um projecto para a sua casa de Sintra ao consagrado arquitecto José Luís Monteiro, tendo confiado a decoração a Luigi Manini e ao escultor Leandro Braga.

Este palacete foi cenário do filme "A nona porta" de filme de Roman Polanski.

11. Sobre ela, uma janela, a bow window, recebeu na sua base, também em relevo, uma figura de um ser híbrido, meio-peixe, meio-homem, saindo de uma concha com a cabeça coberta por cabelos que se transformam num tronco de videira cujos ramos são sustentados pela enigmática personagem, relembrando propositadamente o homem barbado da janela da sala do coro do Convento de Cristo de Tomar, transformado aqui num ser monstruoso de carácter quase demoníaco. Este conjunto, conhecido por pórtico do Tritão, foi programado por D. Fernando, que o desenhou como um «Pórtico allegórico da creação do mundo», e parece condensar em termos simbólicos a teoria dos «quatro elementos». Reforçando esta relação com Tomar, a janela existente no lado oposto deste corpo copia com alguma liberdade o célebre vão manuelino da autoria de Diogo de Arruda, «achatando-a». Nicolau Pires foi a Tomar desenhá-la para o príncipe, que reformulou o conjunto.

32. Câmara Municipal de Sintra (prefeitura)

36. Queijada e Travesseiro de Sintra :cheers:

Já se encontram referências às Queijadas de Sintra, como fazendo parte de pagamento de foros, no ano de 1227, quando reinava D. Sancho II, o Capelo.

Receita Queijadas de Sintra

Ingredientes:

2 colheres de (sopa) rasas de farinha de trigo
12 queijos frescos pequenos
500 grs de açúcar
24 gemas

Para a Massa:

200 grs de farinha de trigo
1 ovo
75 grs de manteiga
sal e água q.b.
Confecção:

Primeiro a massa:
Amasse a farinha com a manteiga, junte o ovo, uma pitada de sal e um pouco de água, vá amassando até obter massa segura e moldável; bata muito bem, faça uma bola e deixe a repousar 30 minutos.
Com o rolo estenda a massa de modo que fique com 2 mm de espessura e forre as formas de queijadas, e acerte os bordos.
Coloque as formas num tabuleiro e encha com o creme e leve a cozer em forno quente durante +- 30 minutos.

Agora o creme:
Batem-se muito bem os queijos frescos desfeitos, com as gemas e o açúcar, acrescentando a farinha para dar consistência.
Encha as formas já forradas com este creme.

Receita dos Travesseiros de Sintra

Ingredientes:

500 gramas de massa folhada caseira
1 chávena de chá de ovos moles com amêndoa

Confecção:

Estenda a massa folhada até atingir a espessura de 4mm, polvilhando ligeiramente com farinha sempre que necessário para não pegar nem ao rolo nem à mesa.
Depois corte com uma faca rectângulos de massa com cerca de 12x 12 cm.
Coloque no centro 1 colher de sobremesa de Ovos Moles, espalhando um pouco no sentido da largura sem chegar aos bordos.
Enrole com cuidado e espalme-os ligeiramente de modo que o fecho da massa fique virado para um dos lados nunca para baixo. Coloque os travesseiros num tabuleiro separados ligeiramente uns dos outros e leve a cozer em forno bastante quente cerca de 15 minutos.
Quando estiverem cozidos, retire-os e polvilhe-os ainda quentes um a um com açúcar.

:)
valeu ambiente pelas legendas...e valeu mais ainda pelas receitas, mas confesso que fou péssimo na cozinha....:lol::lol: nem fritar ovos eu sei...:lol:...mas valeu pela curiosidade! show!
 

·
Eu mesmo!
Joined
·
3,976 Posts
Discussion Starter · #19 ·
Já tinha visto antes fotos de Sintra e me causaram uma impressão muito boa! Essas tuas só vieram a confirmar o quão bonita e charmosa é essa cidade! A arquitetura de Sintra é muito linda e a própria geografia da cidade, cheia de subidas e descidas, dá um charme a mais! Acho que quem vai a Lisboa, tem que dar uma passadinha em Sintra! Tão pertinho, parada obrigatória! Bom, se um dia for a Lisboa, certamente irei a Sintra, heheh! Valeu pelas fotos! :eek:kay:
No caminho ainda tem cascais que é outra cidade que vale a pena visita, principalmente se for no verão!
Valeu farrapo!

Sintra é linda, de babar mesmo. O Palácio da Pena lembra muito Neuschwanstein, da Baviera. Aconselho também o Palácio (e hotel) de Seteais!
No livro "Os Maias" de Eça de Queirós (romance do século XIX de que a tv brasileira, penso que a Globo, fez uma série) tem uma belíssima passagem por Sintra!
E dali podem conhecer Cascais (muito bonita) e ir ao Cabo da Roca, a ponta mais ocidental da Europa continental! :)
Boa dica...boa dica...mas sabe que não conheci o palacio de seteais....vai ficar para proxima viagem...
enfim...valeu pelas sugestões...
 
1 - 20 of 31 Posts
Top