SkyscraperCity Forum banner
1 - 20 of 442 Posts

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #1 ·
Abro este thread para discutirmos sobre o sistema de transporte intermunicipal no estado de São Paulo, cujas linhas são gerenciadas pela Artesp - Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo. Novidades, notícias, tudo pode ser postado aqui.

Para as linhas metropolitanas gerenciadas pela EMTU, a discussão é feita no thread abaixo:

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1568416

_______

Sobre a Artesp:

A Artesp - Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo foi criada pela Lei Complementar nº 914, de 14 de janeiro de 2002, e instituída como autarquia de regime especial, dotada de autonomia orçamentária, financeira, técnica, funcional, administrativa e poder de polícia, com a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços públicos de transporte autorizados, permitidos ou concedidos a entidades de direito privado, no âmbito da Secretaria de Governo, pelo decreto Nº 61.036, de 1º de janeiro de 2015.
A Artesp veio suceder, em suas funções, à Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões de Serviços Públicos, que fora criada em caráter temporário pelo Governo do Estado de São Paulo, através do decreto nº 43.011, de 03 de abril de 1998, para acompanhar e fiscalizar os serviços delegados de transportes.

A instituição da Artesp veio dar caráter definitivo à exigência da Lei Estadual de Concessões e Permissões de Serviços Públicos (lei nº 7.835, de 08 de maio de 1992), com o objetivo de regular e fiscalizar o Programa de Concessões Rodoviárias, implementado pelo Governo do Estado de São Paulo a partir de 02 de março de 1998, assim como os serviços permissionados de transporte intermunicipal de passageiros e todos os serviços de transporte que eventualmente venham a ser delegados no futuro.

O Papel da Artesp

Conforme regulamento aprovado pelo Decreto 46.708, de 22 de abril de 2012, cabe à ARTESP as seguintes atribuições:

Implementar a política estadual de transportes; exercer poder regulador; elaborar modelos de concessões, permissões e autorizações; garantir a prestação de serviços adequados; zelar pela preservação do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos e estimular a melhoria da prestação dos serviços públicos de transporte.



http://www.artesp.sp.gov.br/sobre-artesp-historico.html

______

As modalidades de transporte coletivo gerenciadas pela Artesp:

* Regular (Decreto 29.913/89):

Rodoviário: operação efetuada entre terminais rodoviários ou agências de venda de passagens, utilização de veículos com poltronas individuais numeradas, porta única para embarque e desembarque, bagageiro externo e proibição de transporte de passageiros em pé.

Suburbano: cobrança de passagens no interior do veículo, paradas efetuadas em pontos e abrigos dispostos ao longo do trajeto, utilização de veículos tipo ônibus urbano convencional com portas independentes para embarque e desembarque, assentos não numerados e é permitido o transporte de passageiros em pé.

* Fretamento (Decreto 29.912/89):

Contínuo: utiliza veículos tipo ônibus rodoviário e se caracteriza, basicamente, pela prestação de serviços de transporte à pessoa jurídica, instituição de ensino ou agremiação estudantil legalmente estabelecida, para um grupo usuários definidos para um determinado número de viagens mediante contrato escrito.

Eventual: utiliza ônibus rodoviário e se caracteriza pela prestação de serviço a um cliente ou grupo de pessoas mediante um contrato escrito, para a realização de uma única viagem.

* Escolar (Decreto 48.073/03 e Lei 11.258/02):

Contínuo: trata-se de modalidade de Fretamento de uso exclusivo para transporte intermunicipal de estudantes prestado por pessoa física ou jurídica e que utiliza veículos com capacidade de 6 a 20 lugares, excetuando-se o motorista.

http://www.artesp.sp.gov.br/transporte-coletivo.html

A identificação dos serviços suburbanos, rodoviários e de fretamento é feita através de dois selos: um na frente, com a inicial do serviço (S - Suburbano; R - Rodoviário; F - Fretamento) e outro que fica nas laterais, indicando o nome do serviço.

Ilustrando os serviços:

* Suburbano


http://onibusbrasil.com/foto/3836868/

* Rodoviário


http://onibusbrasil.com/foto/4628722/

* Fretamento


http://onibusbrasil.com/foto/4680733/

Para consulta de itinerários, clicar nesse link e inserir as cidades de origem e destino (não esqueça de habilitar o Flash Player):

http://extranet.artesp.sp.gov.br/origemDestino/

Sejam bem-vindos e fiquem à vontade.
 

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #2 ·
Vou começar com a notícia que motivou a abertura deste thread: a licitação que o GESP vai tocar para reorganizar o serviço.

A Artesp irá dividir o estado em cinco grandes áreas e uma neutra (a RMSP):

* Área 1: Campinas e Jundiaí (incluindo aí a RMCampinas);

* Área 2: Piracicaba;

* Área 3: São José do Rio Preto e Ribeirão Preto (incluindo aí a RMRibeirão);

* Área 4: Bauru e Sorocaba (incluindo aí a RMSorocaba);

* Área 5: Baixada Santista e Vale do Paraíba (incluindo ai as RMs Baixada Santista e Vale do Paraíba).



A grande polêmica está na proibição de um mesmo grupo empresarial operar em duas ou mais áreas ao mesmo tempo, o que mudará drasticamente a operação dos grandes grupos empresariais (como o JCA, BR Mobilidade, Belarmino etc.), pois todos eles têm linhas em mais de uma área. A Cometa até chegou a entrar com recurso mas a Artesp impugnou a reclamação.

No link abaixo tem uma matéria muito boa do Ádamo Bazani resumindo tudo o que está em jogo na licitação.

https://diariodotransporte.com.br/2...anca-por-bagagem-extra-e-padronizacao-visual/

Para quem tiver interesse em baixar os arquivos do certame, pode fazê-lo no link abaixo.

http://www.artesp.sp.gov.br/transparencia-novas-concessoes-transporte-coletivo.html
 

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #3 ·
Sobre o Grupo BR Mobilidade, não sei se tem algo a ver com a licitação mas a Piracicabana está conduzindo uma transição para assumir todos os serviços da Breda e tirar a marca de circulação.

Novos ônibus estão sendo adquiridos em nome da Piracicabana mas mantendo a pintura da Breda.



http://onibusbrasil.com/foto/5656246/



http://onibusbrasil.com/foto/5493574/

Vários carros já estão com o nome da Piracicabana:



http://onibusbrasil.com/foto/5526692/



http://onibusbrasil.com/foto/5544576/

Vários carros nativos da Piracicabana estão recebendo as cores da Breda.

* Antes:


http://onibusbrasil.com/foto/5190984/

* Depois:


http://onibusbrasil.com/foto/5541964/

Carros nativos da Piracicabana também já fazem linhas da Breda.



http://onibusbrasil.com/foto/5643803/

No ano passado a Breda desistiu de operar suas linhas suburbanas (além de uma linha EMTU na RM Vale) que ligam o Alto Tietê ao Vale do Paraíba, repassando todas elas à Viação Jacareí.

Alguma aposta sobre o que o Constantino pretende?
 

·
Registered
Joined
·
791 Posts
Sobre o Grupo BR Mobilidade, não sei se tem algo a ver com a licitação mas a Piracicabana está conduzindo uma transição para assumir todos os serviços da Breda e tirar a marca de circulação.

Novos ônibus estão sendo adquiridos em nome da Piracicabana mas mantendo a pintura da Breda.



http://onibusbrasil.com/foto/5656246/



http://onibusbrasil.com/foto/5493574/

Vários carros já estão com o nome da Piracicabana:



http://onibusbrasil.com/foto/5526692/



http://onibusbrasil.com/foto/5544576/

Vários carros nativos da Piracicabana estão recebendo as cores da Breda.

* Antes:


http://onibusbrasil.com/foto/5190984/

* Depois:


http://onibusbrasil.com/foto/5541964/

Carros nativos da Piracicabana também já fazem linhas da Breda.



http://onibusbrasil.com/foto/5643803/

No ano passado a Breda desistiu de operar suas linhas suburbanas (além de uma linha EMTU na RM Vale) que ligam o Alto Tietê ao Vale do Paraíba, repassando todas elas à Viação Jacareí.

Alguma aposta sobre o que o Constantino pretende?
acho que a Breda vai virar uma unidade da piracicabana
 

·
Scooter/motorbike lover
Joined
·
67,923 Posts
O ideal seria liberalizar o mercado de transporte rodoviário de passageiros em São Paulo, com o sistema de autorizações igual ao da ANTT e com algumas regras básicas:

- Frota miníma de 3 ônibus/linha

- Idade máxima dos carros em 15 anos

- Manutenção de um site próprio na internet

- Infra-estrutura mínima necessária (garagem com oficina)


Com isso, seria possível o surgimento de serviços low-cost, que vendem bilhetes somente via internet e não operam em terminais rodoviários (os "terminais" são estacionamentos de shopping, postos de gasolina ou estações de metrô), como o MegaBus da Inglaterra e o BoltBus dos EUA. Acho que as próprias empresas atuais abraçariam esse novo método de vendas de bilhetes, desativando as agências.

As linhas suburbanas seriam repassadas para a EMTU e licitadas normalmente.



Eu acredito que essa licitação não vai nem acontecer. É engessada demais.
 

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #6 ·
O edital exige idade máxima de 10 anos na frota e as empresas devem ter garagens próprias.

Sobre as suburbanas: sou contra a EMTU assumi-las pois desvirtuaria completamente o papel dela (que é fiscalizar as operações em regiões metropolitanas).

Veremos o que vai acontecer mas o GESP vai ter muita dor de cabeça ainda com esse assunto.
 

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #8 ·
^^ Sem falar que ela também já se desfez da Expresso Brasileiro, vendendo-a à Viação Águia Branca (menos os carros, que ficarão com a Santa Cruz mesmo). Ao que parece só vai sobreviver a marca Sul Mineira (que opera no sul de MG), a menos que o GSC queira acabar também com ela.

Quanto às linhas interestaduais, acho que continua tudo como está, a menos que ela deixe de operar onde não veja mais rentabilidade.
 

·
Registered
Joined
·
19,293 Posts
O ideal seria liberalizar o mercado de transporte rodoviário de passageiros em São Paulo, com o sistema de autorizações igual ao da ANTT e com algumas regras básicas:

- Frota miníma de 3 ônibus/linha

- Idade máxima dos carros em 15 anos

- Manutenção de um site próprio na internet

- Infra-estrutura mínima necessária (garagem com oficina)


Com isso, seria possível o surgimento de serviços low-cost, que vendem bilhetes somente via internet e não operam em terminais rodoviários (os "terminais" são estacionamentos de shopping, postos de gasolina ou estações de metrô), como o MegaBus da Inglaterra e o BoltBus dos EUA. Acho que as próprias empresas atuais abraçariam esse novo método de vendas de bilhetes, desativando as agências.

As linhas suburbanas seriam repassadas para a EMTU e licitadas normalmente.



Eu acredito que essa licitação não vai nem acontecer. É engessada demais.
Esperar ônibus na calçada, que retrocesso. Imagine os ônibus em São Vicente voltando pra Biquinha. Não sei se aqui nom Brasil low cost funcionariam. Primeiro porque na Europa os aviões e trens são mais importantes no transporte coletivo. ônibus é residual, pra pé-rapado, mochileiros, estudantes, etc. Segundo, porque brasileiro quer pagar pouco mas ter tratamento de rei. Não ficaria 4 horas num ônibus que a poltrona não reclina.
Meu desejo mesmo era que se extinguiisse as autarquias estaduais e virasse tudo ANTT. Na Argentina, Canada, EUA, que são países de dimensões continentais, quem cuida das linhas rodoviárias, mesmo dentro dos estados/provincias, é o departamento de transportes do governo federal.
 

·
Registered
Joined
·
8,228 Posts
O Rodalves tem razão. Ônibus não é trem, e para o modal se permanecer relevante ele precisa estar aberto a experimentações. Talvez serviços de luxo em algumas linhas para locais especificos como universidades ou pontos turitisticos, e a maior capilaridade é uma das vantagens do ônibus.
 

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #12 ·
  • Like
Reactions: Olhaotrem

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #13 · (Edited)
Um grupo que está se expandindo bem é o da família Chedid, que com suas empresas vão ganhando linhas em várias regiões. A mais nova investida foi com a Fênix, que passou a operar no sistema urbano de Mogi Mirim e as suburbanas da região, substituindo a Viação Santa Cruz (em mais um processo de reestruturação do grupo, que já inclui o desaparecimento gradual da Nasser e da Cristália, a venda da Expresso Brasileiro e, agora, o fim das operações urbanas e suburbanas).

Para assumir as suburbanas desta região a Fênix trouxe um lote de Torinos 2014, sob OF1721. Para assumir as linhas de Mogi Mirim vieram Torinos 17-230 OD além de alguns Vips II OF1721 repassados.



http://onibusbrasil.com/foto/5666201/



http://onibusbrasil.com/foto/5666084/



http://onibusbrasil.com/foto/5666261/

É mais um grupo que opera em mais de uma área (na área 1 opera linhas nas regiões de Campinas, Circuito das Águas, Jundiaí, Bragança Paulista e agora, Mogi Mirim; na área 2 opera na região de Botucatu e na área 4 em algumas cidades próximas a Tatuí).

-------------

No Vale do Ribeira o Belarmino pegou dois Urbanuss Pluss O500MA baixados da Sambaíba para rodar na Juquiá x Registro.



http://onibusbrasil.com/foto/5647003/



http://onibusbrasil.com/foto/5646462/

Apesar da crise econômica, a ValleSul sempre foi a xepa dos urbanos do grupo (desde os tempos de Intersul).
 
  • Like
Reactions: Hello_World

·
Scooter/motorbike lover
Joined
·
67,923 Posts
Os Chedid são uma família de políticos muito influentes. Um dos membros é prefeito da Bragança Paulista.

Além da Fênix, eles são donos da Jundiá (de Sorocaba, que opera em Mairinque e Alumínio), da Metrópolis e da "família" SOU (SOU Atibaia, SOU Valinhos e a futura SOU Indaiatuba).
 

·
Registered
Joined
·
10,517 Posts
Discussion Starter · #15 ·
Os Chedid são uma família de políticos muito influentes. Um dos membros é prefeito da Bragança Paulista.

Além da Fênix, eles são donos da Jundiá (de Sorocaba, que opera em Mairinque e Alumínio), da Metrópolis e da "família" SOU (SOU Atibaia, SOU Valinhos e a futura SOU Indaiatuba).
Além de donos da Piccolotur, Taipastur, Visatur e Allitur, todas operando com fretamentos.

A influência também está no futebol (onde são donos do Bragantino e o patriarca Nabi Abi Chedid foi presidente da FPF e vice-presidente da CBF).

Belarmino que se cuide se não quiser ser garfado de Bragança Paulista (Bragança é o berço dos Chedid porém, curiosamente, não opera no transporte da cidade), assim como foi em Peruíbe (de forma indireta), em Valinhos e tentando não ser escurraçado de Indaiatuba. Ele teve de comprar ônibus ex-RJ e ex-MG para a Fátima para poder continuar na cidade.
 

·
Registered
Joined
·
485 Posts
Não costumo postar muito, tem gente que estuda o assunto bem mais do que eu. Só não gosto dessa regulamentação rígida com transporte rodoviário entre cidades bem distantes. Entre regiões metropolitanas onde o transporte é do dia a dia das pessoas vá la. O estado deve garantir exigir que o onibus entre SP e Ribeirão esteja seguro, limpo, que o motorista esteja em condições. Agora determinar que a empresa X ou consorcio Y atue na área parece A, B ou C. Parece uma intromissão do estado na vida econômica das pessoas e empresas, digno de uma Venezuela d vida
 

·
Registered
Joined
·
8,228 Posts
A Fênix, antigo Rápido Serrano, é uma empresa PAVOROSA. Se os Cheddid não tivessem deputados eles tinham perdido a maioria dessas linhas. A AVA e a Breda que a ARTESP cassou várias linhas ofereciam serviços infinitamente melhores.
 

·
Registered
Aqui jaz um fórum
Joined
·
26,078 Posts
Eu reparei ontem que a Fênix assumiu as linhas suburbanas Mogi Guaçu-Mogi Mirim e Mogi Guaçu-Estiva Gerbi. Espero que a qualidade não piore porque a Santa Cruz sempre prestou um bom serviço na região. Aliás, acho um pouco estranho que uma empresa fundada aqui esteja reduzindo sua participação.
 

·
Registered
Joined
·
8,228 Posts
Eu reparei ontem que a Fênix assumiu as linhas suburbanas Mogi Guaçu-Mogi Mirim e Mogi Guaçu-Estiva Gerbi. Espero que a qualidade não piore porque a Santa Cruz sempre prestou um bom serviço na região.
Pela minha experiência acho inevitável piorar. A Fênix é verdadeiramente pavorosa. Já houveram casos em que o ônibus intermunicipal entre Itatiba e Jundiaí atrasava tanto que hospitais em Jundiaí reclamaram porque os funcionários não estavam conseguindo chegar ao trabalho.

É pavoroso os Chedid estarem assumindo mais linhas pelo Estado.
 

·
Registered
Joined
·
466 Posts
Vai ser interessante essa movimentação de grupos/empresas pelas áreas de divisão do Estado.
O grupo JCA, por exemplo, tem a Cometa e a Rápido Ribeirão, que atuam em áreas diferentes. Acho que a RR irá se juntar à Cometa e formar uma só empresa para atuar na área 5 (baixada santista).
 
1 - 20 of 442 Posts
Top