SkyscraperCity banner
Status
Not open for further replies.
1 - 5 of 5 Posts

·
...
Joined
·
44,064 Posts
Discussion Starter · #1 ·
A Vale vai começar a construir a usina siderúrgica de Marabá no ano que vem, para que ela possa começar a operar em 2012. A garantia foi dada nesta quarta-feira (24) pelo diretor de ferrosos Norte da Vale, José Carlos Soares, durante a reunião do Pleno do Fórum Paraense de Competitividade. O diretor da Vale também anunciou investimentos na ampliação da exploração das minas de ferro e de cobre de Carajás.


"Vamos manter o desafio desses investimentos e estamos confiantes na nova direção da Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) para agilizar os processos de licenciamento ambiental", disse José Carlos Soares, afinado com a convocação da governadora Ana Júlia Carepa aos empresários, para que mantenham os investimentos do setor privado e a geração de empregos.


"Assinei uma série de medidas para auxiliar as empresas. Reduzimos o ICMS para a cadeia do trigo e também para a aquisição de equipamentos, o que já resultou na implantação de uma indústria de MDF em Paragominas, que vai ser importante para ampliar a indústria moveleira local. Estamos reduzindo as despesas de custeio e melhorando a eficiência administrativa do Estado, garantindo com isso os investimentos em infraestrutura. Noventa por cento das obras físicas das eclusas de Tucuruí estão concluídas, assim como as obras dos portos estão sendo encaminhadas. Estamos somente esperando a aprovação da Secretaria do Tesouro para a liberação de R$ 344 milhões, que contemplarão as obras dos distritos industriais", disse a governadora.


"Estamos brigando pela agilização das obras do PAC. Semana que vem assino com o Banco do Brasil o contrato de financiamento para as obras da Avenida Independência, o elevado da Avenida Júlio César e as outras obras do Ação Metrópole, ações que gerarão muitos empregos e são importantes para a Região Metropolitana. O governo do Estado e os bancos públicos estão fazendo a sua parte. Com a chegada do verão, o Pará está virando um canteiro de obras. Criamos as condições, mas o empresariado também precisa continuar investindo e criando empregos", recomendou Ana Júlia Carepa.


Conselho - Durante a reunião, a governadora assinou o Decreto 1.756, que regulamenta o Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado, definindo seu formato e constituição com participação de representações do setor produtivo, dos trabalhadores, órgãos de governo e órgãos de fomento. Também anunciou outras medidas que atendem às demandas das empresas paraenses, como a ampliação do atendimento de internet de alta velocidade a partir da base do programa Navega Pará. "Nos próximos 60 dias as empresas terão acesso à internet de qualidade e poderão melhorar sua eficiência, habilitarem-se para concorrências públicas", ressaltou.


Outro anúncio foi a formação de 2 mil jovens, em agosto, pelo programa Bolsa Trabalho, que atenderão à demanda de mão de obra criada com as obras realizadas no Estado. "Encaminhamos esses cursos de formação discutindo as necessidades com o Sindicato da Construção Civil. Há obras já em curso e outras que estão dependendo da aprovação de financiamento pela Assembleia Legislativa, como as obras dos parques tecnológicos, que vão gerar empregos, e estamos formando mão de obra para isso", destacou Ana Júlia Carepa.


O governo do Estado respondeu sobre a agilização e simplificação do licenciamento ambiental. O secretário de Meio Ambiente, Aníbal Picanço, confirmou o projeto de descentralização da Secretaria de Meio Ambiente para 20 municípios, ainda este ano, e garantiu que as licenças para planos de reflorestamento serão concedidas em 20 dias, e para os demais projetos, como planos de manejo, em 40 dias.


"É totalmente possível fazer isso, a partir da reorganização dos nossos trâmites internos. Em pouco mais de 10 dias, tivemos 181 projetos apreciados, sendo 29 planos de manejo, e temos mais 25 planos de manejo para liberação até a próxima sexta-feira, sem prescindir do rigor legal. Não vai mais acontecer de uma casa de farinha demorar para ser licenciada. Também estamos concluindo esta semana os estudos para que não haja necessidade de licenciamento ambiental para quem usa resíduos como base de produção", explicou o secretário.


Também participaram da reunião, como membros permanentes do Fórum de Competitividade, representantes da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Companhia Docas do Pará (CDP), Aimex, Federação da Agricultura no Pará (Faepa), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Sebrae, Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Pará (Faciapa), Banpará, Banco da Amazônia, Federação do Comércio do Pará (Fecomercio) e Federação dos Trabalhadores da Indústria do Pará (Fetipa).


Aline Monteiro - Secom

http://www.pa.gov.br/
 

·
Registered
Joined
·
1,187 Posts
essa siderurgica é mesma q a vale estava com planos de instalar em fortaleza em parceria com coreanos?
 
1 - 5 of 5 Posts
Status
Not open for further replies.
Top