SkyscraperCity Forum banner
1 - 20 of 2701 Posts

·
Registered
Joined
·
22,489 Posts
Discussion Starter · #1 ·


Nos últimos anos estamos presenciando uma mudança no mercado imobiliário na nossa Região Norte. Ele está ficando mais exigente e profissional. E isso implica na transformação da paisagem urbana das nossas cidades. Um exemplo notório tem sido a verticalização, que há 20 anos atrás, era bem incipiente.

A ideia nesse tópico é compartilharmos os investimentos do ramo imobiliário: Edifícios comerciais, condomínios horizontais e verticais, casas, etc. Além, é claro, de informações relevantes envolvendo esses assuntos.


Observação: NÃO é um espaço de projetos e obras em geral. Construções de hospitais, escolas, ruas, creches, mobilidade urbana e outros não é o objetivo. Lógico, vamos usar o bom senso. Como o assunto envolve o processo de verticalização de nossas cidades, um determinado projeto, mesmo sendo do poder público, pode ser relevante para a cidade e agregar nesse aspecto.

A questão é não desvirtuarmos o thread postando qualquer projeto como a casa da tiazinha na esquina ou a sala comercial da padaria.

Importante: Vamos evitar city x city para não fecharem o thread. As eventuais comparações devem ser técnicas e de boa fé.
 

·
Registered
Joined
·
22,489 Posts
Discussion Starter · #2 ·
Eu tive acesso a um trabalho acadêmico de uma aluna da Faculdade Católica, Débora Alencar Arruda. Ela fez um trabalho sobre a verticalização de Palmas, vou postar algumas informações interessantes.


- Até o ano 2000 Palmas tinha 47 edificações verticais entre 03 e 07 pavimentos. O Edifício Palmas I era o mais alto da cidade com 07 pavimentos.

- De 2001 a 2010 esse número subiu para 271 edifícios, sendo o mais alto o edifício Lago Azul com 16 pavimentos.


A estrutura vertical em Palmas é formada por quatro leis, que juntas compõe a verticalização e auxiliam no desenvolvimento do município em consonância com Plano Diretor, primeiramente a lei de ocupação do solo que diz respeito à complementação das diretrizes mencionadas no Plano Diretor, para a utilização e ocupação do solo de parcelamentos aprovados ou que ainda serão aprovados pelo Poder Público.

Outra lei que faz parte dessa estrutura é a de parcelamento de solo urbano, que aborda sobre a priorização a indicação de áreas verdes deste, para os lugares em que se tenham vegetações remanescentes, de maneira que irá liga-las quando necessário a outras áreas verdes existentes, reivindicando nos novos parcelamentos que sejam conservadas as vegetações que compõe lotes e áreas publicas, sendo somente permitidas a supressão dessas para a criação do sistema viário ou quando da construção de edificação do lote.

Outro aspecto importante para a estrutura da verticalização é o Código de Obras e Edificações (COE), que tem como função regular obras e edificações publicas e privadas no município.

O ultimo aspecto e não menos importante é o Código de Posturas, que tem por finalidade regularizar o comportamento, a organização do meio urbano, a função social da cidade e a propriedade.
 

·
Registered
Joined
·
22,489 Posts
Discussion Starter · #3 ·
A lei específica que permitiu Palmas acentuar o seu processo de verticalização e fomentou o mercado imobiliário:


Lei Complementar 274 de dezembro de 2012: DISPÕE SOBRE A APLICAÇÃO DA OUTORGA ONEROSA DO DIREITO DE CONSTRUIR E DA MUDANÇA DE USO


Art. 9º Os limites máximos a serem atingidos pelo aumento do potencial construtivo serão os seguintes:

I - até 50% (cinquenta por cento) em lotes de uso de habitação multifamiliar;

II - até 50% (cinquenta por cento) em lotes de uso comercial com área igual ou maior que 360,00m²;

III - até 30% (trinta por cento) em lotes de uso industrial;

IV - até 25% (vinte e cinco por cento) em lotes de uso institucional.


EXEMPLO DE EDIFÍCIO COM USO DA OODC EM PALMAS-TO

O edifício que teve o coeficiente outorgado, observado por meio de pesquisa de campo, é um empreendimento da construtora e incorporadora M&V, chama-se "106 Manhattan Residence" e está em fase de construção. Após o acréscimo de potencial construtivo ser outorgado esta edificação pôde contar com duas torres de 16 pavimentos cada, sendo que cada pavimento
apresenta 4 apartamentos por andar, cada apartamento possui aproximadamente 90 m². Desconsiderando o fato de que este empreendimento possui apartamentos duplex, pode-se deduzir que o mesmo oferecerá ao mercado cerca de 128 apartamentos.


O investimento em construções de grande porte não quer dizer,
entretanto, que todos estes empreendimentos optem pelo uso do instrumento da OODC, como é o caso da Torre Ouro, prédio habitacional lançado recentemente pela Construtora JP Arquitetura.
Este último localiza-se ao lado do 106 Manhattan Residence, todavia não foi preciso da outorga para que o mesmo alcançasse 32 andares, isto se deve a dimensão dos apartamentos que é reduzida em relação ao primeiro, 66 m² (dois dormitórios, sendo um suíte), desta forma, conseguiu-se um menor perímetro e assim uma maior verticalização, apenas com o coeficiente de aproveitamento já previsto na Lei do Uso do Solo para a área.
Ou seja, se no empreendimento da Torre Ouro a construtora tivesse optado pelo uso da Outorga, o edifício poderia chegar até os 45 andares.
O que demonstra como o coeficiente de aproveitamento acaba se desvinculando do gabarito da cidade.

^^^^^^^^^^^^^^^^

Conclusão, Palmas não tem gabarito específico. É feito um cálculo da área do terreno, verifica o coeficiente de aproveitamento e ainda pode-se optar pela Ourtorga onerosa.

Exemplo:
Coeficiente 2 x área de 2000 metros quadrados: A construtora terá 4000 metros quadrados para construir. Porém, nesses 4000 mil metros quadrados não estão inclusos áreas comuns, halls, garagem, sacadas dos imóveis. Ou seja, a construtora não perde com esses espaços e sobre pra fazer mais.
E aí vem a Outorga Onerosa, podendo chegar até a 6000 metros quadrados, nos casos residenciais.

Foi isso que eu entendi.
 

·
Tudo pela Amazônia !
Joined
·
21,899 Posts
Essa é a mancha contínua vertical, Manaus e Belém tem praticamente a mesma dimensão em mancha, porém Belém tem quase o dobro de edifícios no perímetro marcado. Os edifícios de Manaus, Porto Velho e Palmas ainda são muitos espalhados.
 

·
Tudo pela Amazônia !
Joined
·
21,899 Posts
Eu tive acesso a um trabalho acadêmico de uma aluna da Faculdade Católica, Débora Alencar Arruda. Ela fez um trabalho sobre a verticalização de Palmas, vou postar algumas informações interessantes.


- Até o ano 2000 Palmas tinha 47 edificações verticais entre 03 e 07 pavimentos. O Edifício Palmas I era o mais alto da cidade com 07 pavimentos.

- De 2001 a 2010 esse número subiu para 271 edifícios, sendo o mais alto o edifício Lago Azul com 16 pavimentos.


A estrutura vertical em Palmas é formada por quatro leis, que juntas compõe a verticalização e auxiliam no desenvolvimento do município em consonância com Plano Diretor, primeiramente a lei de ocupação do solo que diz respeito à complementação das diretrizes mencionadas no Plano Diretor, para a utilização e ocupação do solo de parcelamentos aprovados ou que ainda serão aprovados pelo Poder Público.

Outra lei que faz parte dessa estrutura é a de parcelamento de solo urbano, que aborda sobre a priorização a indicação de áreas verdes deste, para os lugares em que se tenham vegetações remanescentes, de maneira que irá liga-las quando necessário a outras áreas verdes existentes, reivindicando nos novos parcelamentos que sejam conservadas as vegetações que compõe lotes e áreas publicas, sendo somente permitidas a supressão dessas para a criação do sistema viário ou quando da construção de edificação do lote.

Outro aspecto importante para a estrutura da verticalização é o Código de Obras e Edificações (COE), que tem como função regular obras e edificações publicas e privadas no município.

O ultimo aspecto e não menos importante é o Código de Posturas, que tem por finalidade regularizar o comportamento, a organização do meio urbano, a função social da cidade e a propriedade.
Cavaleiro, vi em alguns estudos que mesmo os blocos com 3 pavimentos estão como edificações verticais e a partir de 10 pavimentos o arranha céu.
 

·
Tudo pela Amazônia !
Joined
·
21,899 Posts
Em Manaus é permitido construir sem elevador até 5 pavimentos, mas algumas construtoras estão com lançamentos de blocos com 5 pavimentos com elevador a partir de 135 mil reais nos bairros Planalto e Cidade Nova
 
1 - 20 of 2701 Posts
Top